Notícias

ENCONTRO DIOCESANO DE ANIMAÇÃO BÍBLICA DA PASTORAL

No dia 7 de outubro, realizou-se em Guanhães sob a assessoria de Denílson Mariano, irmão Sacramentino, membro do Mobon, membro da equipe de Animação Bíblica da Pastoral do Regional Leste ll, um encontro de aprofundamento sobre a Animação Bíblica da Pastoral, tão insistentemente divulgada no Documentos da CNBB n° 111, dentre outros.

O encontro inciou com oração e acolhida dos participantes de diversas paróquias de nossa diocese e com grande presença das lideranças da paróquia São Miguel. Estiveram presentes os padres: Wanderlei, Salomão, José Aparecido dos Santos, Thiago e o seminarista Abel.

Dom Otacílio, marcou sua presença acolhendo o coordenador Mariano e deixou sua mensagem ao grupo: Bíblia na mão para leitura, reflexão, vivência e partilha.

Nosso sonho é que sejamos uma igreja Comunidade de comunidades, que sejamos de fato discípulos missionários em uma igreja em saída, portanto não podemos nos acomodar, acabou a pandemia, graças a Deus! Como nos diz o Papa Francisco na sua Carta Encíclica “Desiderio Desideravi”, número 5: ‘não deveríamos ter sequer um momento de descanso, sabendo que nem todos ainda receberam o convite à Ceia, ou que outros esqueceram ou se perderam nos caminhos tortuosos da vida dos homens…’

Precisamos fortalecer uma catequese Comunitária, pois a comunidade é meta e lugar onde acontece a Iniciação a Vida Cristã. Precisamos de mulheres e homens biblicamente animados, para sermos agentes da Palavra sem medo de anunciar e despertar outros.

O Irmão Denilson deu vários “assoprões nas brasinhas ainda fumegantes, tentando se manterem acesas.”
Ao final foi realizado um pequeno trabalho de grupo de onde saíram pistas importantes de encaminhamentos para os próximos passos da animação bíblica na Diocese:
* Reativar os grupos de reflexão;
* Criar equipes  de animação bíblica nas paróquias com representantes de todas as comunidades;
* Formar grupos de estudos com todos os movimentos da paróquia;
*Envolver mais a família – pais , jovens e crianças;
*Catequese com centralidade na Palavra.
*Transformar os grupos de Novena’do Natal em grupos de Reflexão;
*Criar uma Escola Bíblica de Formação Diocesana .

Ao final fez-se uma celebração de envio de muita profundidade dos leigos e leigas presentes às suas áreas pastorais onde cada um assumiu o compromisso de anunciar , partilhar e vivenciar a Palavra em suas paróquias.

Que  esse encontro dê bons frutos em nossas paróquias e em nossa diocese, essa, com o regional e esse, com a CNBB fazendo acontecer a sinodalidade , uma Igreja em saída com a Bíblia na mão para que a Palavra seja refletida , celebrada, vivenciada e partilhada.

Alessandro, Eliana e Madalena.

 

 

 

 

 

 

Sínodo da Sinodalidade

Na abertura do Sínodo, Papa Francisco destaca a importância do Espírito Santo

Na abertura da XVI Assembleia Geral Ordinária do Sínodo sobre a Sinodalidade, o Papa Francisco enfatiza que o Sínodo deve ser guiado pelo Espírito Santo para ser verdadeiramente frutífero e não se tornar uma reunião parlamentar.

Na tarde desta quarta-feira, 4 de outubro, teve início a XVI Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos no Vaticano.

O Santo Padre, Papa Francisco, em seu discurso de abertura, destacou a importância de deixar espaço para o Espírito Santo, enfatizando que “a qualidade do Sínodo dependerá da presença do Espírito Divino”.

O Papa Francisco lembrou a história do Sínodo, apontando que a sinodalidade na Igreja não atingiu pleno amadurecimento e ainda não é amplamente compreendida.

No entanto, ele ressaltou o progresso feito ao longo das décadas e como o tema da sinodalidade emergiu após o Sínodo da Amazônia, onde a maioria dos bispos apoiou a ideia.

O Papa enfatizou que “o Sínodo não é um parlamento nem uma reunião para resolver questões atuais, mas sim um evento onde o Espírito Santo deve ser o protagonista. Ele alertou mais de uma vez que, se interesses humanos, pessoais ou ideológicos prevalecerem, o Sínodo se tornará uma mera reunião parlamentar, não um evento conduzido pelo Espírito.

Francisco destacou a importância de reconhecer a diversidade de vozes na Igreja, todas guiadas pelo Espírito Santo, e de aprender a discernir essas vozes. Ele também advertiu contra palavras vazias e mundanas, enfatizando que “a tagarelice é contrária ao Espírito Santo”.

O Papa observou como a mídia influenciou Sínodos anteriores, e pediu aos jornalistas que desempenhassem seu papel com integridade e imparcialidade, transmitindo a mensagem de que na Igreja, a prioridade é a escuta.

Por fim, Francisco expressou sua gratidão a todos os envolvidos no Sínodo e enfatizou que a Igreja deve dedicar-se à escuta como o aspecto mais significativo e essencial do processo sinodal.

O Sínodo deste ano promete ser uma jornada significativa para a Igreja Católica, com a ênfase na sinodalidade e na importância do Espírito Santo como guia. A Igreja espera que este Sínodo fortaleça sua unidade e sua capacidade de enfrentar os desafios do mundo contemporâneo.

Veja a homilia do Papa Francisco na íntegra: clique aqui 

Fonte: https://www.a12.com/redacaoa12/santo-padre/na-abertura-do-sinodo-papa-francisco-destaca-a-importancia-do-espirito-santo.

Confira abaixo algumas imagens da celebração:

Hot Site sobre a tradução da 3ª edição típica do Missal Romano.

A Comissão Episcopal para a Liturgia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a Edições CNBB lançaram um hot site especial sobre a tradução da terceira edição típica do Missal Romano.

Na página, os interessados poderão encontrar informações sobre o processo de cerca de quase duas décadas de tradução do Missal e também sobre a formação: “A Igreja em Oração – formação continuada sobre a tradução brasileira da terceira edição típica do Missal Romano”.

A formação, on-line, estará disponível a partir do dia 10 de outubro, e é composta por 10 aulas conduzidas por especialistas em liturgia, nas quais são apresentados os princípios da sagrada liturgia e as principais mudanças da terceira edição típica do Missal Romano.

Os participantes que cumprirem todo o itinerário formativo receberão um certificado do Departamento de Teologia da PUC do Rio de Janeiro. Para participar, é necessário que os interessados acessem a plataforma (aqui) e se inscrevam. A formação tem uma taxa de R$ 25,00.

Artigos de especialistas

A cada semana, às quintas-feiras, serão atualizados na página os artigos de especialistas da Comissão para a Liturgia da CNBB e vídeos com perguntas e respostas para incentivar a reflexão e maior conhecimento em torno da tradução da terceira edição típica do Missal Romano.

Nos vídeos, produzidos pelo Regional Sul 2 da CNBB, o bispo de Paranaguá (PR), dom Edmar Peron, que foi membro da Cetel e trabalhou na tradução do livro, responderá a dúvidas sobre a nova edição do Missal Romano.

Na publicação, ainda é possível encontrar um “Perguntas e respostas” sobre as dúvidas mais frequentes dos fieis sobre a tradução brasileira da terceira edição típica do Missal Romano.

Acesse aqui o hot site: Missal Romano

“Laudate Deum – Louvai a Deus”

NOVA EXORTAÇÃO APOSTÓLICA: “LAUDATE DEUM”, O GRITO DO PAPA POR UMA RESPOSTA À CRISE CLIMÁTICA

Laudate Deum” é o título desta carta. Porque um ser humano que pretenda tomar o lugar de Deus torna-se o pior perigo para si mesmo”. Com essas palavras, conclui-se a exortação apostólica do Papa Francisco, publicada em 4 de outubro. Um texto em continuidade com a encíclica Laudato si’ de 2015. Em 6 capítulos e 73 parágrafos, olhando para a COP28 em Dubai daqui a dois meses, o Sucessor de Pedro pretende fazer um apelo à corresponsabilidade diante da emergência das mudanças climáticas, porque o mundo “está desmoronando e talvez se aproximando de um ponto de ruptura”. É um dos “maiores desafios que a sociedade e a comunidade global enfrentam”, “os efeitos das alterações climáticas recaem sobre as pessoas mais vulneráveis” (3).

Os sinais da mudança climática cada vez mais evidentes

No primeiro capítulo, o Papa explica que, por mais que tentemos negá-los, “os sinais da mudança climática estão aí, cada vez mais evidentes”. Ele cita “fenômenos extremos, períodos frequentes de calor anormal, seca e outros gemidos da terra”. Afirma: “é possível verificar que certas mudanças climáticas, induzidas pelo homem, aumentam significativamente a probabilidade de fenômenos extremos mais frequentes e mais intensos”. E para aqueles que minimizam, responde: “aquilo que agora estamos a assistir é uma aceleração insólita do aquecimento”. “Provavelmente, dentro de poucos anos, muitas populações terão de deslocar as suas casas por causa destes fenômenos” (6).

A culpa não é dos pobres

Para aqueles que culpam os pobres por terem muitos filhos e talvez tentem resolver o problema “mutilando as mulheres nos países menos desenvolvidos”, Francisco lembra “que uma reduzida percentagem mais rica do planeta polui mais do que o 50% mais pobre”. A África, que “alberga mais da metade das pessoas mais pobres do mundo, é responsável apenas por uma mínima parte das emissões no passado” (9). Em seguida, o Papa desafia aqueles que afirmam que o menor uso de combustíveis fósseis levará “à diminuição dos postos de trabalho”. Na realidade, “milhões de pessoas perdem o emprego” devido às diversas consequências da mudança climática. Enquanto a transição para as energias renováveis, “bem administrada”, é capaz de “gerar inúmeros postos de trabalho em diferentes setores. Por isso é necessário que os políticos e os empresários se ocupem disso imediatamente” (10).

Indubitável origem humana

“A origem humana – ‘antrópica’ – da mudança climática já não se pode pôr em dúvida”, diz Francisco. “A concentração na atmosfera dos gases com efeito estufa… nos últimos cinquenta anos, o aumento sofreu uma forte aceleração” (11). Ao mesmo tempo, a temperatura “aumentou a uma velocidade inédita, sem precedentes nos últimos dois mil anos” (12). Isso resultou na acidificação dos mares e no derretimento dos glaciares. A coincidência entre esses eventos e o crescimento das emissões de gases de efeito estufa “não pode ser escondida. A esmagadora maioria dos estudiosos do clima defende esta correlação, sendo mínima a percentagem daqueles que tentam negar esta evidência”. Infelizmente, a crise climática não é propriamente uma questão que “interesse às grandes potências econômicas, preocupadas em obter o maior lucro ao menor custo e no mais curto espaço de tempo possíveis” (13).

Em tempo para evitar danos mais dramáticos

” Vejo-me obrigado – continua Francisco – a fazer estas especificações, que podem parecer óbvias, por causa de certas opiniões ridicularizadoras e pouco racionais que encontro mesmo dentro da Igreja Católica. Mas não podemos continuar a duvidar que a razão da insólita velocidade de mudanças tão perigosas esteja neste facto inegável: os enormes progressos conexos com a desenfreada intervenção humana sobre a natureza” (14). Infelizmente, algumas manifestações dessa crise climática já são irreversíveis por pelo menos centenas de anos. É “urgente uma visão mais alargada… tudo o que se nos pede é uma certa responsabilidade pela herança que deixaremos atrás de nós depois da nossa passagem por este mundo” (18).

O paradigma tecnocrático: a ideia de um ser humano sem limites

No segundo capítulo, Francisco fala do paradigma tecnocrático que “consiste, substancialmente, em pensar como se a realidade, o bem e a verdade desabrochassem espontaneamente do próprio poder da tecnologia e da economia” (20) com base na ideia de um ser humano sem limites. “Nunca a humanidade teve tanto poder sobre si mesma, e nada garante que o utilizará bem, sobretudo se se considera a maneira como o está a fazer…É tremendamente arriscado que resida numa pequena parte da humanidade” (23). O Papa reitera que “o mundo que nos rodeia não é um objeto de exploração, utilização desenfreada, ambição sem limites” (25). Ele também lembra que estamos incluídos na natureza, e “isso exclui a ideia de que o ser humano seja um estranho, um fator externo capaz apenas de danificar o ambiente” (26).

Assista ao vídeo motivador:  https://www.youtube.com/watch?v=Ay51_JGRe54

Fonte: https://www.cnbb.org.br/nova-exortacao-apostolica-laudate-deum-o-grito-do-papa-por-uma-resposta-a-crise-climatica/

Novena e festa em louvor a São Miguel Arcanjo, Padroeiro Diocesano.

Novena e Festa em louvor a São Miguel Arcanjo

Acontece em Guanhães, na Paróquia São Miguel e Almas, a grande festa em louvor a São Miguel Arcanjo, padroeiro da Paróquia São Miguel e também da Diocese de Guanhães. A novena inicia-se no dia 20 de setembro e se estende até o dia 29 de setembro, quando a Igreja celebra a Solenidade de São Miguel.

Em sintonia com o III Ano Vocacional que a Igreja no Brasil está vivendo, será refletido o tema: Vocacionados à missão, tendo como base bíblica, o lema: “Corações ardentes, pés a caminho” (cf. Lc 24, 32-33).

Durante os dias da novena, haverá visitas com a Imagem de São Miguel a algumas famílias, Santa Missa, movimento de barraquinha e nos últimos dias, shows com animados cantores de nossa região.

São Miguel, rogai por nós!

——————————————————–

Confira na íntegra a Programação abaixo:

 

ENCONTRO “CATEQUESE RENOVADA – 40 ANOS” EM APARECIDA (SP)

 Com início no dia 1 º de setembro de 2023, aconteceu um  evento eclesial, organizado pela Comissão Episcopal para a Animação Bíblico-Catequética da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que reuniu mais de mil catequistas de todo o país e se estendeu até o  domingo, dia 3, no Santuário Nacional de Aparecida.

Com o lema “Tocar corações e impulsionar a missão”, o encontro teve o objetivo de recordar o documento “Catequese renovada: orientações e conteúdo” aprovado em 1983 durante a 21ª Assembleia Geral (AG) da CNBB e, com ele, animar a acolhida de seu conteúdo nas comunidades brasileiras.

Durante a abertura do encontro, a assessora da Comissão, Mariana Venâncio, destacou a atual importância do documento lançado há quatro décadas. Sobre o texto, ela ressaltou tratar-se de um tesouro precioso que a Igreja no Brasil reservou aos catequistas ensinando-os “o caminho de sinodalidade e de escuta”.

Dom Leomar Antônio Brustolin, arcebispo de Santa Maria (RS) e presidente da Comissão Episcopal para a Animação Bíblico da CNBB, evidenciou o processo de catequese como caminho eclesial de fidelidade às fontes da fé.

O padre Wagner Francisco de Souza Carvalho, também assessor da Comissão Episcopal, lembrou dos agentes de pastoral vitimados pela Covid-19 nos últimos anos que, segundo ele, “tanto se doaram como catequistas”.

Dom Leomar Antônio Brustolin, arcebispo de Santa Maria (RS) e presidente da Comissão Episcopal para a Animação Bíblico da CNBB; dom Juarez Marques Souza da Silva, arcebispo de Teresina (PI) e membro da Comissão; dom Orlando Brandes, arcebispo de Aparecida; e a Dulce Silva coordenadora da Animação Bíblico-Catequética no regional Noroeste também participaram do início do encontro.

                                                                                                          (Do site oficial da CNBB)

A Diocese de Guanhães foi representada por cinco coordenadoras e elas retornaram animadas e já se encontram em ação. Primeiramente, elas se encontraram virtualmente, escreveram uma carta ao Dom Otacilio, padre assessor da catequese Wanderlei e ao padre Coordenador de Pastoral José Aparecido Santos falando sobre o Evento; se reuniram presencialmente ficando acertado que irão se encontrar virtualmente com coordenadores de catequese das oito áreas catequéticas ( duas áreas por vez) para falarem sobre o que viram e ouviram – falarão o essencial com foco no que nossa Diocese precisa avançar. No encontro presencial de dezembro, elas também ficarão responsáveis por uma parte da manhã para um momento formativo e celebrativo pelos 40 anos do Catequese Renovada.

Abaixo, depoimentos das participantes:

“Quero compartilhar a minha alegria por participar do Evento 40 anos de Catequese Renovada em Aparecida. Um documento velho e atual, nos dando uma nova visão sobre a catequese. Os Sacramentos não têm valor se não houver comprometimento em seguir Jesus e anunciá-lo, reconhecendo amor de Deus por nós.  O Documento da Catequese Renovada ajuda na conversão, transforma, liberta e promove o ser humano. Quero ser seguidora de Jesus. Valeu a pena! Que venham outras . Gratidão!” 

Maria das Dores  Silva dos Santos  (Naná) . Paróquia São José em Paulistas.

“Foi um evento marcante para nossa caminhada catequética e toda a Igreja. Com momentos de reflexão, despertando novo vigor à missão, ressaltando a importância da sinodalidade, testemunho e a escuta.”

Eni Menezes. Comunidade Nossa Senhora do Carmo em Carmésia- Paróquia Nossa Senhora das Dores.

“Deus é bom e misericordioso.
Ao Pai de toda a humanidade devo agradecer pelas dádivas que me concede , pela diocese e pela minha paróquia por terem me oferecido essa oportunidade de buscar mais conhecimento da Palavra de Deus.
Fica aqui minha gratidão.

Maria Consolação  Nazário dos Santos. Paróquia São José em Paulistas.

“Participar do Encontro Nacional de catequese em comemoração aos 40 anos do documento Catequese Renovada, para mim, foi muito bom e gratificante! Fazer memória desse documento e perceber o quanto ele é atual, se fazendo necessário portanto, que continuemos a colocá-lo em prática com vigor e entusiasmo . O encontro nos fez perceber que nossos documentos atuais contemplam e reforçam todas as características e exigências desse documento. Deixa claro que ele é como uma bússola na evangelização, assim devemos com Urgência: ” tocar corações e impulsionar a missão “, trabalhar árdua e incansavelmente em prol de uma catequese Libertadora, Cristocêntrica, Comunitária que liga Fé e Vida. Fica claro também que para que isso aconteça, depende que sejamos uma Igreja Sinodal, caminhando juntos, tendo como fonte inspiradora , animadora e CENTRO, a Palavra de Deus! Que Cristo caminhe conosco e nos ajude , amém! Assim seja!”

Edelveis Cássia de Alvarenga Pereira.  Paróquia São Miguel e Almas em Guanhães.

“Encontro “Catequese Renovada-40 anos” ocorrido em Aparecida(SP) no período de 01 a 03 /09/2023, foi algo maravilhoso superando minhas expectativas. Apesar de já conhecer o Documento 26 há bastante tempo , não imaginava aprender tanto e o quanto é e será importante para o desenvolvimento e crescimento de nossa catequese. Agradeço a Deus , a minha Equipe Diocesana de Catequese e meu pároco Padre Osmar pela confiança em mim depositada, e me proporcionado participar de tão alto Evento.
Minha palavra chave é: GRATIDÃO”.

Bernardina  Mercês de  Barros . Paróquia Sant’Ana em Ferros.

A carta que foi escrita para ser enviada ao padre assessor da catequese, ao padre coordenador de pastoral e ao bispo diocesano:

Guanhães, 13 de setembro de 2023
Ao nosso pastor, Dom Otacilio e aos padres Wanderlei, nosso assessor e José Aparecido Santos, coordenador de pastoral, nós, Naná, Consolação, Eni, Bernardina e eu, representantes da diocese em Aparecida, por ocasião da comemoração dos 40 anos do documento Catequese Renovada, nos dirigimos aos senhores para falar da nossa alegria em termos participado desse evento, bem como expressar nosso entusiasmo em colaborar na concretização do que nos pede esse documento.

Pudemos constatar como são importantes e belos os documentos de nossa mãe Igreja. Partindo do Concílio Vaticano II, foi realizada uma retrospectiva deixando claro para nós, como nossa igreja é zelosa e o quanto precisamos estudar e conhecê-la melhor, conhecendo o que diz seus documentos. Com muita alegria pudemos perceber que mesmo em linguagens renovadas, o documento de Aparecida, o documento 111, Animação Bíblica da Pastoral, o Diretório para a Catequese, o Diretório Nacional de catequese, doc.84, o Iniciação à Vida Cristã, Doc.107… retomam e insistem em colocar em prática o que diz o Catequese Renovada, que mesmo com 40 anos, permanece tão atual!

Como bem nos disse dom Orlando Brandes; “fazer memória do Catequese Renovada é não perder uma bússola da evangelização, e perdê-lo de vista é ter Alzheimer na catequese”. Daí a necessidade de retomar o estudo desse documento com suas valiosas recomendações, ou melhor, exigências: interação fé e Vida; cristocentrismo; eclesiologia de comunhão e não polarização; fazer uma catequese permanente e não só para receber o sacramento, e sim para ser verdadeiro seguidor de Cristo…

Em tempo de saberes múltiplos e difusos, de polarização, saibamos formar comunidades e discípulos missionários. A preocupação em fazer ecoar a palavra de Deus precisa ser retomada com ardor! “Mãos zelosas trabalharam arduamente para produzir esse documento Catequese Renovada, ele foi construído a muitas mãos.

Sejamos também mãos zelosas a colocá-lo em outras mãos”, foi o que nos disse Dom Anderson. Contem conosco, estamos aqui para somar! Sabemos que os desafios são muitos, mas não podemos fugir deles e sim enfrentá-los.

Essa carta enviada primeiramente a nosso assessor, aprovada por ele, a encaminhamos ao Senhor, Dom Otacílio e ao nosso coordenador de pastoral, padre José Aparecido. Insistindo que estamos à disposição de Padre Wanderlei para juntamente com ele, passarmos pistas de ação, trocar ideias e contar com a ajuda e apoio de todos os nossos padres. Não há como fugir, o caminho é esse, trabalho conjunto, leigos e padres a serviço da Animação Bíblica da Pastoral.
Respeitosamente,
Edelveis Alvarenga, pela equipe.

Bispo de Guanhães Anuncia Novas Nomeações e Confirmações na Diocese

O Bispo da Diocese de Guanhães, Dom Otacilio Ferreira de Lacerda, realizou importantes provisões, nomeando e confirmando cargos que fortalecem a liderança da Diocese de Guanhães. Foram nomeados o Padre André Luiz Eleotério da Lomba como Vice-ecônomo, e o Padre Bruno Costa Ribeiro como Vice-chanceler.

Além disso, o Diácono Anderson Alves da Rocha foi nomeado para exercer o estágio pastoral na Paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Conceição do Mato Dentro, enquanto o Padre José Aparecido de Pinho e o Padre Dilton Maria Pinto tiveram suas continuações confirmadas nos importantes ofícios de Vigário Geral da Diocese e Chanceler da Cúria Diocesana, respectivamente.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Clero de Guanhães em retiro espiritual

Durante os dias 28 a 31 de agosto de 2023, os padres da Diocese de Guanhães, MG participaram de um retiro espiritual anual. O evento aconteceu no espaço ‘Recanto das Mangueiras’, no bairro Caladão, na cidade de Coronel Fabriciano, MG. O orientador foi o padre Luiz Antônio, vigário geral da Diocese de Mariana, MG.

Os padres alternaram palestras, orações pessoais, celebrações da missa e Ofício da Liturgia das Horas. O clima marcante foi a convivência amigável e descontraída entre os participantes. Foi uma oportunidade de encerrar o mês vocacional refletindo sobre o chamado de Deus e os desafios da resposta, que só são possíveis ‘com a Graça de Deus’.

Em uma experiência de igreja sinodal e missionária, todos voltaram para casa com a alegria de poder continuar contribuindo para o crescimento do Reino de Deus nesta Diocese. Voltar às fontes do primeiro amor é voltar a se encontrar com Jesus Cristo e seu Evangelho, o Filho de Deus Encarnado, Ressuscitado e presente entre nós na Eucaristia, nos Sacramentos e, especialmente, em cada pessoa.

“Em Belém, casa do Pão, Deus nos faz irmãos”.

O bispo auxiliar de Brasília (DF) e secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Ricardo Hoepers, divulgou nesta segunda-feira, 14, um vídeo no qual apresenta a Campanha para a Evangelização 2023, a ser realizada em todas as comunidades católicas do país no tempo litúrgico do Advento.

Este ano, o tema escolhido foi “Em Belém, casa do Pão, Deus nos faz irmãos”. O tema foi inspirado na canção de frei Fabretti e de José Thomaz Filho, que diz: “Deus nos espera em Belém. Sabe da fome que temos. Vamos à casa do pão. Lá nosso irmão nós veremos”.

O secretário-geral da CNBB enfatiza que a Campanha para a Evangelização deste ano é uma ponte que conduz da Campanha da Fraternidade 2023, sobre a fome, à Campanha da Fraternidade 2024, sobre a amizade social. Ele recorda também que o cartaz faz memória dos 800 anos de criação do presépio por São Francisco de Assis e convida a caminhar rumo a Belém.

“O cartaz nos recorda os 800 anos do presépio e nos convida a caminhar rumo a Belém, que é caminhar no seguimento de Jesus, que ali nasce. Ele é o Verbo que se fez carne, saciando a fome mais profunda do ser humano e fazendo-nos todos irmãos e irmãs”, apontou.

Dom Ricardo ressaltou que a Campanha também pretende incentivar a contemplação deste ‘sinal admirável’ do presépio no meio das famílias e comunidades do país e uma vez mais “tomar consciência de que somos convidados a nos colocar espiritualmente a caminho, atraídos pela humildade d’Aquele que se fez home a fim de encontrar com a humanidade como nos pede Francisco”, disse.

Conheça o vídeo de apresentação da Campanha para a Evangelização 2023:

A campanha

O coordenador do Setor de Campanhas da CNBB, padre Jean Poul Hansen, reforça que a Campanha para a Evangelização foi criada pelos bispos do Brasil em 1998. “Ela busca mobilizar os católicos para assumirem a corresponsabilidade na sustentação das atividades evangelizadoras da Igreja no Brasil”, disse.

Muitas iniciativas foram realizadas graças a essa coparticipação dos fiéis. São exemplos, o apoio em todo o trabalho feito da tradução brasileira da 3ª edição típica do Missal Romano, o Estudo nº 114 da CNBB, publicado em 2021: “E a palavra habitou entre nós” (Jo 1,14) – Animação bíblica da Pastoral a partir das comunidades eclesiais missionárias” e o “Celebrar em Família”, subsídio ofertado pela Comissão Episcopal para a Liturgia da CNBB.

A distribuição dos recursos arrecadados na Coleta do 3º Domingo do Advento é feita da seguinte forma:

  • 45% ficam na própria diocese, para subsidiar a ação missionária, evangelizadora e pastoral da própria Igreja Local.
  • 20% são destinados ao respectivo regional da CNBB para a sua sustentação e de suas estruturas de evangelização e formação.
  • 35% são enviados à sede nacional da CNBB, em Brasília, de forma a garantir iniciativas e estruturas evangelizadoras em todo o Brasil, especialmente nas regiões mais carentes.

Como ter acesso ao material:

Uma série de materiais, audiovisuais e subsídios estão sendo produzidos para auxiliar na organização, comunicação e mobilização da campanha. O cartaz, os folhetos informativos e o texto-base já se encontram disponíveis para download no site de Campanhas da CNBB (campanhas.cnbb.org.br).

 

 

 

Fonte: https://www.cnbb.org.br/secretario-geral-da-cnbb-apresenta-a-campanha-para-a-evangelizacao-2023/

A Palavra do Pastor
Presbíteros testemunhas da mansidão e da doçura

Presbíteros testemunhas da mansidão e da doçura

    Ajudai, Senhor, a fim de que todos os presbíteros mantenham a mansidão e a doçura, virtudes tipicamente cristãs,...
Read More
O Presbítero e os meios de comunicação social

O Presbítero e os meios de comunicação social

Sobre a missão dos Presbíteros nos meios de comunicação social, sobretudo neste tempo que estamos vivendo, em que se multiplica...
Read More
Cidades mais humana

Cidades mais humana

   “Eu vi Satanás cair do céu, como um relâmpago” (Lc 10,18) É sempre oportuno e necessário refletir sobre a...
Read More
Ensina-me, Senhor, a perdoar como Vós perdoastes

Ensina-me, Senhor, a perdoar como Vós perdoastes

                                       ...
Read More
“Graça, misericórdia e paz”

“Graça, misericórdia e paz”

Reflexão à luz da passagem da Carta do Apóstolo Paulo a Timóteo (1 Tm 1, 1-2.12-14). Retomo os dois primeiros...
Read More
“A caridade é a plenitude da Lei”

“A caridade é a plenitude da Lei”

“O amor não faz nenhum mal contra o próximo. Portanto, o amor é o cumprimento perfeito da Lei.” (Rm 13,10) Com...
Read More
Pães ázimos de pureza e verdade

Pães ázimos de pureza e verdade

“Assim, celebremos a Festa, não com velho fermento, nem com fermento da maldade ou da perversidade, mas com os pães...
Read More
Urge que ampliemos os horizontes da evangelização!

Urge que ampliemos os horizontes da evangelização!

De modo especial, dedicaremos o mês de setembro à Sagrada Escritura. Procuremos valorizá-la cada vez mais em nossas comunidades, sobretudo...
Read More
Cristãos leigos e leigas perseverantes no amor

Cristãos leigos e leigas perseverantes no amor

Vivendo o terceiro ano Vocacional, reflitamos sobre a graça da missão realizada pelos cristãos leigos e leigas na obra da...
Read More
“Presbítero segundo o Coração de Jesus”

“Presbítero segundo o Coração de Jesus”

Uma reflexão sobre o ministério e a vida do presbítero, à luz dos parágrafos 191-204, do Documento de Aparecida (2007),...
Read More

Empresas que possibilitam este projeto:

Arquivo