Notícias

Sobre a Campanha para a Evangelização – 2019.

O cuidado com o anúncio da Palavra, com os pobres e com as comunidades são os eixos centrais da Campanha para a Evangelização deste ano que tem como lema: “Cuida dele”, a frase presente na parábola do Bom Samaritano, narrada no Evangelho de Lucas.

Com o objetivo de motivar os fiéis a participarem efetivamente da missão da Igreja por meio do testemunho de vida, de ações pastorais específicas e da garantia de recursos para a ação pastoral, a Campanha para a Evangelização completa 21 anos em 2019. Aprovada pela 35ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em 1997, ela foi realizada pela primeira vez no advento de 1998.

Uma das grandes motivações para a sua realização é a conscientização sobre a importância do compromisso evangelizador que deve ser assumido por cada cristão e o despertar para a corresponsabilidade pelo sustento das atividades pastorais da Igreja Católica no Brasil. Assim, a Campanha para a Evangelização procura responder também a esta necessidade. Afinal de contas, apesar de sermos a maior nação católica do mundo, a evangelização no Brasil ainda depende de contribuições das Igrejas da América do Norte e da Europa.

Por que fazemos esta Campanha? Para despertar, no tempo do Advento, a consciência de que o Menino Deus, sol nascente que nos veio visitar (Lc 1,78), e que permitiu-se ser cuidado na fragilidade de uma criança, também nos convida a cuidar uns dos outros. É preciso cuidar do anúncio da Palavra; cuidar dos pobres e cuidar da comunidade. A participação consciente de cada um, sinal de comunhão missionária, nos coloca em atitude de doação de tudo aquilo que somos e temos em favor da Igreja e da sua ação pastoral. É consequência do “Sentir com a Igreja”.

O grande gesto concreto da campanha é a realização de uma coleta que tem como objetivo angariar recursos para que a Igreja no Brasil tenha condições de continuar evangelizando, contribuindo para a superação de uma mentalidade individualista ao mesmo tempo em que promove a partilha de recursos voltada para o bem comum. Assim, a Campanha proporciona a vivência de uma fé madura, testemunhada em atitudes e ações coerentes de conversão pessoal permanente e de transformação social segundo as exigências evangélicas garantindo que a Igreja Católica no Brasil tenha recursos para realizar a missão evangelizadora como a promoção de diversas iniciativas de formação, além de contribuir com a manutenção da CNBB nacional e também o financiamento de diversas iniciativas pastorais promovidas nas dioceses e nos 18 regionais da CNBB.

O bispo de Guanhães, Dom Otacilio Ferreira de Lacerda – na reunião do clero em 19/11 – insiste que esta coleta seja “bem feita” e desperte para a corresponsabilidade pelo sustento das atividades pastorais da Igreja. É essa a finalidade, custear os trabalhos diocesanos de pastorais. Nosso bispo lembra que a coleta será realizada esse ano nos dias 14 e 15 de dezembro – terceiro domingo do Advento – em todo o Brasil.

A coleta da Campanha para a Evangelização é distribuída da seguinte maneira: 45% dos recursos ficam na própria Diocese; 20% vão para o Regional da CNBB e 35% se destinam à CNBB nacional. Verdadeiramente esta coleta se apresenta como o amor que se organiza para servir ao anúncio do evangelho. Uma ajuda motivada pelo amor que vem de Deus. “É Ele quem cuida de nós.” (1Pd 5,7); É Ele quem nos convoca a cuidar uns dos outros. (Mt 25,40). Daí a importância de que a atividade caritativa da Igreja se mantenha e promova a dignidade das pessoas.

Neste ano somos convidados a refletir como o natal de Jesus inspira nosso compromisso como Igreja que cuida. O próprio Senhor nos adverte: “Em verdade, vos digo: todas as vezes que fizestes isso a um destes pequeninos que são meus irmãos, foi a mim que o fizestes!” (Mt 25, 40). No advento lembramos a segunda vinda do Senhor. Ele há de voltar e quer nos encontrar como bons samaritanos, cuidando do anúncio da Palavra, dos pobres e da comunidade. Evangelizar: eis a nossa missão. Evangelizar é cuidar! Eis o nosso compromisso e empenho. Evangelizar com o coração solidário é contribuir com toda ação evangelizadora da Igreja do Brasil.

*Com informações do Padre Patriky Samuel Batista no site da CNBB

Rezar e trabalhar pela paz diante de ataques contra locais sagrados, pedem bispos

“Em resposta às situações de grande violência e ataques a pessoas e lugares sagrados em diferentes países da região da América Latina e Caribe, convidamos todos os fiéis católicos e todos aqueles que acreditam em Deus a se unirem a nós em oração para que cessem estes abusos, os confrontos entre irmãos e as liberdades religiosas sejam respeitadas”. Esse é o apelo lançado pelo Secretário-Geral da Conferência Episcopal do Paraguai, Dom Amancio Benítez, bispo de Benjamín Aceval, em uma mensagem onde convida “a rezar e trabalhar pela paz “.

No texto enviado à Agência Fides, é citada a primeira carta de São Paulo a Timóteo (2,1-2), na qual o Apóstolo recomenda fazer “súplicas, orações e ações de graça por todos os homens, pelo rei e por todos” que estão no poder, para que possamos passar uma vida calma e pacífica com toda compaixão e dignidade”.

Neste sentido, Dom Benítez recorda que “a paz é um presente de Deus e, ao mesmo tempo, nossa missão”, exortando a pedir ao “Príncipe da Paz que nos a dê e incentivar todos os filhos de Deus a trabalhar por ela”.

A mensagem recorda as palavras de Dom Héctor Miguel Cabrejos Vidarte, OFM, Presidente do Conselho Episcopal da América Latina (CELAM), diante da grave situação vivida no Chile e em muitos países da América Latina: “a Igreja peregrina na América Latina e no Caribe é um corpo, quando uma parte do corpo sofre, toda a Igreja sofre, compartilha sua dor, mas também sua esperança”. Por isso é necessário insistir na necessidade de” buscar a paz por meio do diálogo, com participação de todos os protagonistas e instituições, para encontrar soluções reais orientadas para o bem comum”.

O secretário-geral da Conferência Episcopal do Paraguai conclui seu apelo invocando nosso Senhor Jesus Cristo, para que, com a intercessão da Virgem Maria, ajude “a nos fortalecermos na oração e a encontrar soluções para viver em paz em nossas nações”, e recomenda aos sacerdotes a usarem a forma da “Missa pela paz e justiça” do Missal Romano. Veja a seguir, fotos da internet sobre o Chile que, nos tumultos, teve atacadas várias igrejas.

Por Agência Fides

Equipe de Animação das CEBs-Diocese de Guanhães reúne-se com Dom Otacilio

Na manhã do dia 21 de novembro, na sala de reuniões Dom Felippe, na Mitra Diocesana de Guanhães, reuniram-se os membros da Equipe de Articulação das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) com o Bispo Diocesano Dom Otacilio Ferreira de Lacerda para elaboração de estratégias de articulação e reanimação das Cebs na diocese.

A Equipe solicitou ao senhor bispo a inclusão no planejamento diocesano/2020 espaço para reanimação dos Grupos de Reflexão Bíblica e estudo da cartilha: Comunidades Eclesiais de Base: Igreja da Palavra, do Pão, da Caridade e da Missão. O grupo repassou um breve histórico da caminhada das Cebs na diocese, bem como a síntese das reuniões deste ano, a partir do 8º Encontro Mineiro de Cebs, ocorrido em Ipanema-MG.

Dom Otacilio garantiu à equipe que repassará as demandas ao Coordenador Diocesano de Pastoral, Pe Dilton Maria Pinto para definir as estratégias de ação na diocese e escolha de assessoria. Solicitou ao grupo o estudo dos textos referentes aos quatro pilares das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora(DGAE 2019-2023): Palavra, Pão, Caridade e Missão contidos no seu blog: peotcilio.blogspot.com e disponíveis nas páginas da diocese. Ele ressaltou que o estudo dos textos irão complementar o material da cartilha e frisou que as Cebs são um instrumento privilegiado de evangelização e ação fundamentada na Eucaristia.

A Equipe concluiu a reunião com oração e benção do Pastor e com sentimento de ânimos renovados para continuar os trabalhos nas Cebs da diocese.

Alessandro Gomes Alexandre

Pela Equipe de Animação da CEBs

Diocese de Guanhães/MG

    

Segunda reunião do clero de Guanhães com Dom Otacilio

Uma segunda reunião do clero de Guanhães com Dom Otacilio foi realizada no salão da Catedral, no dia 19/11, após a oração das laudes. O objetivo principal foi concluir a agenda diocesana de 2020.

Entre os assuntos tratados ficou decidido que a celebração na catedral, dia 04 de fevereiro de 2020, marcará a abertura solene do Ano pastoral, proposta apresentada por Padre Dilton, coordenador de pastoral. E ainda, que o DNJ 2020 será realizado na paróquia São José de Paulistas, conforme a data prevista: 25 de Outubro.

Padre Salomão apresentou a proposta da “missão dos presbíteros do Regional Leste 2”. Serão aproximadamente 32 padres, pois se trata de representantes de cada diocese do regional, no período de 18 – 23 de agosto de 2020. Ainda não foi definido qual paróquia da diocese de Guanhães foi contemplada.

Foi tratado sobre a importância da coleta da evangelização, promovida em todo o Brasil no terceiro domingo do Advento. Neste ano, dias 14 e 15 de dezembro. As contribuições são essenciais para que dioceses, especialmente, as mais pobres consigam realizar as ações pastorais de evangelização.

Dom Otacilio cita o texto do padre Patriky Samuel Batista, presbítero da diocese de Luz e secretário-exeuctivo de Campanhas da CNBB. Segundo ele os recursos arrecadados são distribuídos da seguinte maneira: 45% dos recursos ficam na própria diocese; 20% vão para o Regional da CNBB para as iniciativas evangelizadoras, como as atividades de formação e 35% se destinam à CNBB nacional que é usado para a manutenção da instituição e também o financiamento de ações pastorais.

Dom Otacílio insiste que esta coleta seja “bem feita” e desperte para a corresponsabilidade pelo sustento das atividades pastorais da Igreja. É essa a finalidade, custear os trabalhos diocesanos de pastorais, seja com catequese, presbíteros e outros.

Padre Patrick também irá assessorar a formação sobre as diretrizes e ação pastoral nos dias 04 e 05 de fevereiro de 2020 cuja  finalidade é a VI Assembleia Diocesana de Guanhães. Dom Otacilio lembra que é data uma tanto quanto inviável para alguns leigos, no entanto será disponibilizada em vídeo nas redes sociais da diocese e transmissão ao vivo.

Dom Otacilio pediu uma partilha sobre o que as paróquias fizeram no 3º dia mundial dos pobres: em Peçanha houve arrecadação de alimento em todas as comunidades para famílias carentes, preces e orações durante as missas também foram realizadas na maioria das paróquias; em São Sebastião do Maranhão também foi abordado sobre a dimensão caritativa ( social) do dízimo já que estamos no mês da conscientização sobre o dízimo; a paróquia São Miguel através dos Vicentinos e Pastoral do dízimo  convidaram famílias carentes – buscaram e levaram, já que muitas moram distantes da sede – para participarem do café comemorativo do aniversário de nosso bispo, dom Otacilio que coincidiu com o dia mundial dos pobres.

O estudo sobre a CF 2020 será dia 30/11 com Pe. José Antônio e cada paróquia deverá enviar 4 leigos. Padre Dilton continuará repassando o calendário diocesano realizando os devidos reparos.

com informações de Pe Bruno Costa Ribeiro, assessor da PASCOM

Evangelizar: Missão de todos nós

                         Evangelizar: Missão de todos nós

Aconteceu, de 11 a 14 de novembro, a Assembleia do Regional Leste 2 (Arqui-Dioceses de Minas Gerais e Espírito Santo), à luz das novas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) – 2019-2023, aprovada durante a 57ª Assembleia Geral da CNBB, em Aparecida (SP).

Como Regional (Bispos, padres, Coordenadores diocesanos de Pastoral, Representantes de Presbíteros das Dioceses, cristãos leigos e leigas de diversas Pastorais), refletimos as Diretrizes e, ao final dos trabalhos, chegamos a oito indicações para a realização dos quatro pilares que elas nos apresentam na ação evangelizadora: Palavra, Pão, Caridade e Ação Missionária.

1º – Pilar da Palavra

  1. Promover a animação bíblica da ação pastoral, através da leitura orante da Sagrada Escritura nos grupos eclesiais e na Celebração da Palavra;
  1. Oferecer formação centralizada na Palavra de Deus, que proporcione um caminho de iniciação à vida cristã, num processo contínuo, partindo do anúncio (querigma), culminando com o testemunho e o compromisso missionário.

2º – Pilar do Pão

  1. Fortalecer e incentivar a Pastoral Litúrgica por meio de uma formação mistagógica, valorizando as expressões genuínas da Piedade Popular e a realidade do Povo de Deus, respondendo aos desafios da cultura urbana;
  1. Elaborar subsídios, em vista da formação litúrgica por meio de cartilhas e mídias para TV, redes sociais e canais de internet, contemplando a relação entre liturgia e evangelização, enfatizando o canto litúrgico e a arte sacra.

3º – Pilar da Caridade

  1. Motivar os cristãos leigos e leigas, através da articulação dos Conselhos, ao engajamento social na luta pelos direitos humanos, na defesa da ecologia integral, na promoção da cultura da paz, e na proposição e acompanhamento das políticas públicas;
  1. Favorecer o encontro pessoal com Jesus Cristo levando as comunidades eclesiais missionárias, enquanto Igreja Samaritana, ao compromisso com a cultura da vida, da caridade e da paz, através de ações sócio-transformadoras.

4º – Pilar da Missão

  1. Investir nos diversos Conselhos Missionários e na missão ad gentes, para dinamizar as Comunidades Eclesiais Missionárias e garantir sua identidade;
  1. Despertar a consciência missionária das comunidades, a fim de que valorizem, como espaços de missão, as periferias geográficas e existenciais, com especial atenção aos hospitais, escolas, presídios/outros lugares de detenção e universidades, priorizando a pessoa e seu acompanhamento espiritual e social.

Roguemos a Deus para que Espírito do Senhor nos conduza, e façamos progressos maiores ainda na ação evangelizadora da Igreja do Brasil, em nosso Regional, tendo sempre presente as novas Diretrizes e seu Objetivo Geral a conduzir todo o nosso caminhar evangelizador:

EVANGELIZAR no Brasil cada vez mais urbano, pelo anúncio da Palavra de Deus, formando discípulos e discípulas de Jesus Cristo, em comunidades eclesiais missionárias, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, cuidando da Casa Comum e testemunhando o Reino de Deus rumo à plenitude”.

Postado por Dom Otacilio F. Lacerda em

https://peotacilio.blogspot.com/2019/11/evangelizar-missao-de-todos-nos.html

Primeiro Encontro das Comunidades Quilombolas do Rio Doce

Neste feriado da Proclamação da República, no Salão Paroquial da Paróquia Santo Antônio e no Ginásio Municipal, em Peçanha (MG), realizou-se o primeiro encontro das Comunidades Quilombolas do Vale do Rio Doce. As caravanas de diversas cidades foram acolhidas na Praça da Matriz e, em seguida, saíram em cortejo pelas ruas da cidade.

O pároco, José Aparecido dos Santos, fez a saudação aos presentes e disse que três palavras resumiam aquela caminhada: terra, justiça e cultura; ressaltou o prazer dos paroquianos em acolher as comunidades e as parcerias para a realização do encontro. A seguir, serviu-se o café comunitário no Salão Paroquial.

A abertura oficial do evento contou com a presença de autoridades do município e secretarias; da Empresa Cenibra; Superintendência Regional de Ensino de Guanhães; Emater e Federação das Comunidades Quilombolas e Movimentos. As escolas dos municípios de Cantagalo e Peçanha estiveram presentes e, juntamente com as comunidades, fizeram algumas apresentações culturais. Jesus Rosário Araújo, do Quilombo Indaiá, de Antônio Dias – Presidente da Federação das Comunidades Quilombolas do Estado de Minas Gerais -, explicou que o objetivo do encontro era fazer uma reflexão sobre as comunidades do Vale do Rio Doce frente à nova conjuntura política e da nova realidade brasileira, como também a realização de planejamento para a organização dessas comunidades. Josiane Maria Pascal, do Quilombo São Félix, no município de Cantagalo – representante da Federação das Comunidades Quilombolas do Estado Minas Gerais e Comissão do Rio Doce e da Confederação Nacional das Comunidades Quilombolas do Brasil – ressaltou que esse encontro era a realização de um sonho para eles, mostrando sua cultura. Ela destacou a importância da programação do encontro, bem como a realização de mesas de debate com a presença de mediadores do Ministério Público. Márcia Campanharo Zanetti Bonetti – Coordenadora Técnica Estadual da Emater para as comunidades quilombolas em MG – frisou que o dia seria de cultura e formação, troca de saberes e experiências, luta pelos direitos e reconhecimento e também contra o racismo. Seria a oportunidade de somar forças para a luta.

A formação política se deu nas mesas de debates com os temas: Quilombos da negação aos direitos e Gestão Territorial: Como o RTID (Relatório Técnico de Identificação e Delimitação) e a assistência técnica contribuem com a permanência no território.

Lançou-se o livro: Vida no Quilombo, um estudo sobre as comunidades quilombolas do Alto Vale do Rio Doce, em Minas Gerais, que teve como coordenadora Maria Elisabete Gontijo dos Santos. Durante o evento ocorreu uma feirinha com os produtos trazidos das comunidades.

Alessandro Gomes Alexandre

 

Diretrizes da Ação Evangelizadora são aprovadas na assembleia do Regional Leste II

 A Assembleia Regional de Pastoral aprovou na noite desta quarta-feira, 13 de novembro de 2019, as novas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja em Minas Gerais e no Espírito Santo (2019-2023). Os eixos conduzirão os trabalhos Pastorais do Regional Leste 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) nos próximos quatro anos.
Baseada nas Diretrizes Gerais da Igreja no Brasil, aprovada durante a 57ª Assembleia Geral da CNBB, em Aparecida (SP), o Regional Leste 2 trouxe as indicações do episcopado brasileiro para a realidade dos Estados de Minas Gerais e Espírito Santo.
Segundo o presidente do Regional Leste 2 e Bispo de Divinópolis, Dom José Carlos de Souza Campos, “o Regional Leste 2 busca estar sempre em sintonia com a Igreja no Brasil e as Diretrizes aprovadas demonstram isso”, declarou.

As indicações Pastorais foram:

Pilar da Palavra
1. Promover a animação bíblica da ação pastoral, através da leitura orante da Sagrada Escritura nos grupos eclesiais e na Celebração da Palavra;
2. Oferecer formação centralizada na Palavra de Deus, que proporcione um caminho de iniciação à vida cristã, num processo contínuo, partindo do anúncio (querigma), culminando com o testemunho e o compromisso missionário.

Pilar do Pão
1. Fortalecer e incentivar a Pastoral Litúrgica por meio de uma formação mistagógica, valorizando as expressões genuínas da Piedade Popular e a realidade do Povo de Deus, respondendo aos desafios da cultura urbana;
2. Elaborar subsídios, em vista da formação litúrgica por meio de cartilhas e mídias para TV, redes sociais e canais de internet, contemplando a relação entre liturgia e evangelização, enfatizando o canto litúrgico e a arte sacra.

Pilar da Caridade
1. Motivar os cristãos leigos e leigas, através da articulação dos Conselhos, ao engajamento social na luta pelos direitos humanos, na defesa da ecologia integral, na promoção da cultura da paz, e na proposição e acompanhamento das políticas públicas;
2. Favorecer o encontro pessoal com Jesus Cristo levando as comunidades eclesiais missionárias, enquanto Igreja Samaritana, ao compromisso com a cultura da vida, da caridade e da paz, através de ações sócio transformadoras.

Pilar da Missão
1. Investir nos diversos Conselhos Missionários e na missão ad gentes, para dinamizar as Comunidades Eclesiais Missionárias e garantir sua identidade;
2. Despertar a consciência missionária das comunidades, a fim de que valorizem, como espaços de missão, as periferias geográficas e existenciais, com especial atenção aos hospitais, escolas, presídios/outros lugares de detenção e universidades, priorizando a pessoa e seu acompanhamento espiritual e social.

Encerramento – A Assembleia Regional de Pastoral da CNBB Leste 2, que teve como tema central as novas Diretrizes, terminou no final da manhã desta quinta-feira (14) com um momento orante conduzido por Dom José Carlos, que agradeceu a presença de todos e recordou a vivência missionária dos cristãos. “Que em Paz na proteção de Deus seguiremos nossos caminhos, após esses dias de muito trabalho”, finalizou.

Regional Leste II da CNBB

Diretrizes para a Formação dos Presbíteros na Igreja no Brasil

Mudanças históricas e os desafios da atualidade são pontos importantes que foram considerados na elaboração das novas “Diretrizes para a Formação dos Presbíteros na Igreja no Brasil”. A obra é resultado do trabalho da 56ª Assembleia Geral dos Bispos da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), de 2018, que acaba de ser lançada pela Edições CNBB.

O documento traz orientações para a formação de novos presbíteros no Brasil e a necessidade de formação permanente. Segundo o texto, esse novo presbítero precisa ter características como “coragem de alcançar todas as periferias geográficas e existenciais que precisam da luz do Evangelho, em uma atitude acolhedora e misericordiosa”, destaca o texto.

De acordo com o arcebispo de Porto Alegre e primeiro vice-presidente da CNBB, dom Jaime Spengler, um dos responsáveis pela elaboração do texto na época, a Igreja no Brasil deve buscar “Homens verdadeiramente apaixonados pelo Evangelho do crucificado/ressuscitado, homens entusiasmados pela proposta do Reino e por isso capazes de se lançar generosamente no trabalho apostólico”, afirmou em uma entrevista ao portal da CNBB.

O documento foi inspirado na Ratio Fundamentalis – O dom da vocação presbiteral e suas quatro características que precisam ser destacadas: a formação deve ser única, integral, comunitária e missionária. Publicado no dia 8 de dezembro de 2016, atualiza as orientações de 1985.

As atuais Diretrizes para a Formação Presbiteral foram aprovadas na 48ª Assembleia Geral da CNBB, em 2010, e já visavam enriquecer a formação espiritual, humana, intelectual e pastoral dos futuros sacerdotes “com novos impulsos vitais, consoantes com a índole peculiar de nosso tempo”. As “Diretrizes para a Formação dos Presbíteros na Igreja no Brasil” passou a vigorar no Brasil em 12 de outubro de 2019, um mês depois de o decreto ser aprovado pela Congregação para o Clero do Vaticano.

O subsídio as “Diretrizes para a Formação dos Presbíteros na Igreja no Brasil” pode ser adquirido no site das Edições CNBB.

Organização da Igreja no Brasil

De acordo com o Diretório da Liturgia e da Organização da Igreja no Brasil da CNBB, atualmente, o Brasil conta com 278 circunscrições eclesiásticas: 45 arquidioceses, 217 dioceses, oito prelazias territoriais, uma arquieparquia de rito oriental, três eparquias orientais, um ordinariado militar, um exarcado, um ordinariato para fieis de rito oriental sem ordinário próprio, uma Administração Apostólica pessoal.

Segundo os dados de 2018, divulgados pelo professor doutor Fernando Altemeyer Junior, chefe do departamento de Ciência da Religião da PUC-SP, a organização na Igreja Católica do Brasil acontece através de 11.700 paróquias, 27.416 presbíteros, 3.849 diáconos permanentes, 2.073 membros de institutos seculares, 122.170 missionários leigos, 2.674 irmãos, 6.154 seminaristas maiores em 595 seminários de formação presbiteral e 29.868 religiosas consagradas.

Fonte: CNBB

Inicia em Belo Horizonte (MG) a Assembleia Regional de Pastoral do Regional Leste II. 

Teve início no final da tarde desta segunda-feira, 11 de novembro, a Assembleia Regional de Pastoral do Leste 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). As principais lideranças da Igreja no Espírito Santo e em Minas Gerais estão reunidas na Casa de Retiros São José em Belo Horizonte (MG), para a elaboração e aprovação das novas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora.

Durante a abertura, o presidente do Regional Leste 2 e Bispo de Divinópolis (MG), Dom José Carlos de Souza Campos, deu as boas-vindas ao público presente e falou sobre as alegrias e desafios a serem definidos em assembleia. “As Diretrizes que iremos aprovar nesta Assembleia tem o objetivo de nos conduzir nos próximos anos e perpetuar a fecunda história da Igreja nos Estados do Espírito Santo e Minas Gerais. A partir delas conseguiremos dar continuidade a nossa caminhada”, declarou.

Tema – Durante a assembleia, serão estudadas as novas Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil, aprovadas em maio deste ano na 57ª AG da CNBB, em Aparecida (SP), que nortearão todo o trabalho evangelizador no próximo quadriênio 2019-2023.

Programação – Assuntos como a definição das urgências Pastorais para o próximo quadriênio, formação sobre a Campanha da Fraternidade 2020 e reuniões reservadas.

Participam da Assembleia Regional de Pastoral 130 péssoas, entre o episcopado do Espírito Santo e Minas Gerais, coordenadores regionais de pastorais, movimentos e organismos, representantes de presbíteros, leigos e leigas.

Dia 11 – Segunda-feira
17h – Acolhida
18h – Jantar
19h45 – Pauta e Avaliação do Quadriênio/2015-2019 (Auditório)
20h45 – Vigília: Dom Pedro Cunha Cruz

Dia 12 – Terça-feira
7h – Celebração Eucarística: Dom Roberto José da Silva (CP); Dom José Moreira da Silva; Dom José Eudes Campos do Nascimento
7h45 – Café
8h20 – Casa da Palavra: Côn. Lauro Sérgio Versiani Barbosa (Auditório)
10h – Café
10h30 – Casa do Pão: Pe. Danilo César dos Santos Lima (Auditório)
12h- Almoço
14h – Hora Média: Pe. Walter Luiz Barbiero Milaneze Altoé
14h20 – Grupos de Trabalhos: Casa da Palavra e do Pão
15h30 – Café
16h às 18h – Sessões Reservadas (Arce)bispos (Sala Dom Muniz)
Treinamento da Campanha da Fraternidade 2020 (Auditório)
18h30 – Vésperas: Dom Joaquim Wladimir Lopes Dias (CP); Dom Marcello Romano; Dom Antônio Carlos Félix
19h – Jantar
20h30 – Os horizontes do Sínodo Pan-amazônico: Dom Walmor Oliveira de Azevedo (Auditório)

Dia 13–Quarta-Feira
7h- Celebração Eucarística: Dom Cláudio Nori Sturm (CP); Dom José Carlos Brandão Cabral; Dom Dario Campos
7h45 – Café
8h20 – Casa da Caridade: Pe. Patriky Samuel Batista (Auditório)
10h – Café
10h30 – Casa da Missão: Pe. Mauricio da Silva Jardim (Auditório)
12h- Almoço
14h – Hora Média: Pe. Volnei Ferreira Noro
14h20 – Grupos de Trabalho: Casa da Caridade e da Missão
15h30 – Café
16h30 – Sessões reservadas (Arce)bispos (Sala Dom Muniz); Treinamento da Campanha da Fraternidade 2020 (Auditório)
18h30- Vésperas: Dom Jorge Alves Bezerra (CP); Dom Marco Aurélio Gubiotti; Dom Gil Antônio Moreira
19h – Jantar
20h20 – Plenária e Aprovação das Indicações Pastorais

Dia 14 – Quinta-feira
7h- Celebração Eucarística: Dom José Carlos de Souza Campos (CP); Dom Paulo
Bosi Dal’Bó; Dom Geovane Luís da Silva
8h – Café
8h30 – Sessões reservadas (Arce)bispos (Sala Dom Muniz) Coordenadores de Pastoral (2º andar/Sala 236) Representantes de Presbíteros (1ºandar/Sala 116)
Leigos(as): Coordenadores Regionais, Pastorais, Movimentos e Organismos
(Auditório)
10h – Café
10h30 – Informes gerais:
5’ – Projeto Regional Leste 3 – Bispos do Espírito Santo.
5’ – Lucimara Trevizan- Catequese.

Fonte: Diocese de Luz

Cavalgada em homenagem ao Servo de Deus Cônego Lafayette de 2019

 

A Cavalgada do Servo de Deus é realizada todo ano por ocasião do dia 10 de novembro, data de seu nascimento e essa é a 28ª edição. O Vice Postulador da Causa de Beatificação do Servo de Deus Lafayette da Costa Coelho – padre Dilton Maria Pinto – nos relata alguns dados biográficos e informações sobre o processo de beatificação do homenageado nessa cavalgada:

O Servo de Deus nasceu na cidade do Serro – MG aos 10 de novembro de 1886. Ingressou-se no Seminário da Arquidiocese de Diamantina vindo a se ordenar padre no dia 15 de abril de 1917. Após sua ordenação foi enviado à Paróquia Santa Maria Eterna, em Santa Maria do Suaçuí, como pároco, permanecendo em Santa Maria do Suaçuí por 44 anos quando fez a sua Páscoa para a casa do Pai, mais precisamente aos 21 de setembro de 1961. O Servo de Deus era um homem de grande espiritualidade destacando-se sobretudo pelo Jejum, Oração e grande amor ao próximo. Acolhia a todos sem distinção e não media esforços para atender aos doentes levando a eles o viático, seja na cidade ou nas longínquas comunidades rurais onde ia montado em sua mula. A sua fama de santidade não veio após a sua morte pois em vida todos que acorriam a ele pedindo uma bênção ou oração por alguém da família que se encontrava enfermo, atestam que em muitos desses casos obtiveram curas que fugiriam à capacidade intelectiva dessas pessoas de compreender como a cura acontecia. Após a sua morte a devoção ao servo de Deus foi crescendo e extrapolando os muros da cidade de Santa Maria do Suaçuí. Hoje, em vários Estados da Federação, encontramos devotos que vêm à Santa Maria do Suaçuí por ocasião das celebrações de seu aniversário de morte para agradecer ou pedir mais bênçãos e graças. Em 2001 deu-se início ao processo de beatificação (fase diocesana) que foi aceito por Roma dando o Nihil obstat. Assim foi criada a comissão diocesana para dar continuidade ao processo. Hoje, o processo está tramitando em Roma com a Positio quase concluída. Ao final desta, o servo de Deus pode ser declarado venerável. Daí surgindo um milagre que seja atribuído à intercessão do servo de Deus, devidamente comprovado com documentação médica e outros e por peritos no assunto, sendo aceito pelo Vaticano, o venerável será declarado Beato e assim se segue pois surgindo um segundo milagre, o Santo Papa o declara Santo. Eu estou como vice Postulador da causa do Servo de Deus Lafayette da Costa Coelho tendo como Postulador o Dr. Paolo Vilotta que cuida do processo em Roma.

Lembramos, também, as comemorações em honra ao servo de Deus Lafayette da Costa Coelho ocorridas no período de 12 a 21 de setembro. Segundo Maria Gorete Barreiros Soares (Turismo Religioso) em seu texto ao responder a Folha Diocesana a cidade ficou repleta de devotos e incontáveis fiéis de várias regiões do país e do mundo inteiro puderam, em tempo real, assistir às celebrações da novena e missas pelas redes sociais sendo que no dia 21 deste estima-se que 35.000 fiéis estiveram presentes às missas e elevaram suas orações a Deus, agradecendo as inúmeras graças recebidas pela intercessão do amado e saudoso sacerdote. Com muita piedade, a multidão pediu ao Senhor que eleve o Servo de Deus Lafayette da Costa Coelho à honra dos altares.

Neste ano – continua Maria Gorete Barreiros Soares – a comunidade suaçuiense contou com a cobertura da rede de TV Canção e Nova, a Rádio Vida FM de Santa Maria do Suaçuí, a Rádio River FM de Rio Vermelho e, em especial, ao vivo, com as transmissões do canal de You Tube Belezas de Minas. Aliás, as reportagens feitas pela TV Canção Nova poderão ser vistas no Canal You Tube da emissora, reportagens veiculadas nos dias 18, 19 e 20 de setembro.

A pequena Santa Maria do Suaçuí – afirma a responsável Turismo Religioso – se torna gigante e acolhe de braços abertos os devotos do maior exemplo de homem santo do centro nordeste mineiro que viveu sua grande fé em Jesus Cristo: O Servo de Deus Lafayette da Costa Coelho!

 

 

 

 

 

 

 

Editado pela PASCOM Diocesana

 

 

A Palavra do Pastor
Servidores da Paz e do Amor Pleno – Jesus (Homilia 7º Domingo Tempo Comum- ano A)

Servidores da Paz e do Amor Pleno – Jesus (Homilia 7º Domingo Tempo Comum- ano A)

Servidores da Paz e do Amor Pleno – Jesus “...Bem-aventurados os mansos porque herdarão a terra... Bem aventurados os que...
Read More
A graça de ser Padre

A graça de ser Padre

“Irmãos, cuidai cada vez mais de confirmar a vossa vocação e eleição. Procedendo assim, jamais tropeçareis. Desta maneira vos será...
Read More
Só Deus nos garante a verdadeira felicidade ( Homilia 6º Domingo Tempo Comum – Ano A)

Só Deus nos garante a verdadeira felicidade ( Homilia 6º Domingo Tempo Comum – Ano A)

  Só Deus nos garante a verdadeira felicidade "Enquanto o amor humano tende a apossar-se do bem que encontra no...
Read More
Sejamos Sal e luz na planície do quotidiano ( Homilia do 5º Domingo do Tempo Comum- Ano A)

Sejamos Sal e luz na planície do quotidiano ( Homilia do 5º Domingo do Tempo Comum- Ano A)

Sejamos Sal e luz na planície do quotidiano ... quando atraímos o olhar de todos para Deus, e não para...
Read More
Festa da Apresentação do Senhor: Jesus Cristo é a nossa Luz e Salvação ( Homilia- Domingo 02 de fevereiro)

Festa da Apresentação do Senhor: Jesus Cristo é a nossa Luz e Salvação ( Homilia- Domingo 02 de fevereiro)

“Quanto a ti, uma espada te traspassará a alma” ( Lc 2,35) No dia 2 de fevereiro, celebramos a Festa...
Read More
Ser Padre: missão de resplandecer a luz de Cristo no rosto da Igreja

Ser Padre: missão de resplandecer a luz de Cristo no rosto da Igreja

“O Concílio deseja ardentemente iluminar todos os homens com a claridade de Cristo, luz dos povos, que brilha na Igreja,...
Read More
Sejamos instrumentos nas mãos de Deus (Homilia do 3º Domingo do Ano A)

Sejamos instrumentos nas mãos de Deus (Homilia do 3º Domingo do Ano A)

No 3º Domingo do Tempo Comum (Ano A), refletimos sobre o Projeto de Salvação e de Vida plena que Deus...
Read More
FORTALEÇAMOS O PILAR DA PALAVRA DE DEUS

FORTALEÇAMOS O PILAR DA PALAVRA DE DEUS

As novas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora no Brasil (2019-2023), Documento nº. 107 da Conferência Nacional do Brasil  (CNBB), nos apresentam...
Read More
Apresentar e testemunhar Jesus, a luz das Nações ( Homilia para o 2º Domingo do Tempo Comum-ano A)

Apresentar e testemunhar Jesus, a luz das Nações ( Homilia para o 2º Domingo do Tempo Comum-ano A)

Apresentar e testemunhar Jesus, a Luz das Nações “Melhor é calar-se e ser do que falar e não ser. Coisa...
Read More
Ser batizado é ouvir a voz do Filho Amado

Ser batizado é ouvir a voz do Filho Amado

  O Batismo do Senhor é apresentado de diferentes modos: os Evangelhos de São Marcos e São Lucas apenas fazem...
Read More

Empresas que possibilitam este projeto:

Arquivo