Rio Vermelho

Paróquia de Nossa Senhora da Pena 

RIO VERMELHO/ MG
PADRE EDMILSOM HENRIQUE CÂNDIDO
Comunidades: Cruz Lavrada, Grota do Paiol, Grota do Baú, Córrego Quente, Mundo Velho de Cima, Lajes, Matão, Ribeirão de Contendas de Cima, Ribeirão de Contendas de Baixo, São Gregório, Córrego do Meio, Pedra Menina, Grota da Serra, Mundo Velho de Baixo, São João do Gregório, Lajeado, Cachoeira da Pedra, Cocais do Meio, Jacurizinho, Soledade, Córrego dos Andrés, Mundo Velho do Meio, Colodino, Mercês de Fortaleza, Bananal, Ribeirão dos Lopes, Viana, Caraça, Boa Vista, Bragança, Brumado, São José do Cocais, Brejinho, São Vicente, Grota do Engenho, Pedra Branca, Vargem da Paula, Torrado, Chapadinha, Magalhães, Asilo, Madragoa, Ponte, Rosário, Córrego do Arroz.
Rio Vermelho é um município do Vale do Rio Doce, que fica a 80 Km do Serro e a 80 km da sede da diocese, Guanhães/ MG. Sua população, estimada em 2008, era de 15.314 habitantes. Tem uma área de 987 Km² e uma densidade populacional de 14,4 hab/ Km². Sua economia se baseia principalmente na agricultura, na pecuária e na produção do “Queijo do Serro”.
Datas comemorativas e celebrativas 
1 – Festa de São Sebastião, janeiro: Barraquinhas de rua onde são leiloados produtos doados, ao ar livre. Local: Avenida Aurélio Magalhães.
2- Semana do Fazendeiro, julho: shows sertanejos todas as noites, barraquinhas, exposição agropecuária, desfile de montaria, concursos de marcha, queijo, cachaça, rapadura entre outros. Local: Parque de Exposição.
3 – Festa do Divino Espírito Santo, semana de Pentecostes. É rezada a novena na Matriz. Não há barraquinhas para melhor aproveitamento do tempo da oração.
4 – Reza-se também a Via-Sacra pelas ruas, às sextas-feiras da Quaresma e o terço, nas casas, durante todo o mês de maio.
5 – Festa de Nossa Senhora da Pena, padroeira e Semana da Família, agosto: Barraquinhas de rua com música pelos cantores locais ao ar livre. Ocorrem leilões de quitutes caseiros. Local: Avenida Aurélio Magalhães.
6 – Jogos da Primavera, setembro: Uma semana de jogos estudantis, todas as modalidades esportivas para todas as idades. Local: Quadra de Esportes.
7 – Celebrações de Natal e Ano Novo.  Acolhendo os “filhos” que moram em outras cidades.
História 
Segundo a tradição, o arraial iniciou-se no lugar denominado Magalhães, nome do primeiro habitante da região, que, ao morrer, legou a Nossa Senhora da Pena mais de 100 alqueires de terra, que constituem, atualmente, a cidade de Rio Vermelho/ MG.
Diz-se ainda que o arraial foi fundado por Antônio Gonçalves Torreão, por volta de 1776. O povoamento se dá à beira do rio Barreiras, ponto de cruzamento das antigas estradas de Diamantina para Minas Novas e Filadélfia (hoje Teófilo Otoni/ MG).
Em 1891, confirma-se a criação do distrito, denominado Nossa Senhora da Pena do Rio Vermelho, integrado ao município de Serro/ MG. Em 1938, o distrito passa a se chamar Rio Vermelho – nome do rio que atravessa o território de leste a oeste, de tonalidade avermelhada. Aos 31 de Janeiro de 1939, é criado o município, composto de dois distritos: o da sede e o de Mãe dos Homens (hoje município de Materlândia/ MG), ambos desmembrados do Serro. Em 1989, o Município foi elevado a Comarca de Rio Vermelho.
Os bens imóveis de caráter religioso mais relevante para o município são: a Capela de Nossa Senhora do Rosário, a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Pena e a casa paroquial. Mesmo estando a Matriz bastante descaracterizada, sua localização privilegiada na Praça Nossa Senhora da Pena contribui para seu destaque na vida cotidiana da cidade. A Capela de Nossa Senhora do Rosário e a casa paroquial se encontram pouco alteradas, sendo bons exemplares da arquitetura colonial.
Alguns dos padres que por aqui passaram marcando nossa história: 
” Padre Marcos Vaz Mourão
” Padre Francisco de Paula Câmara
” Cônego José Inácio de Melo
” Cônego José Duque de Oliveira
” Padre Raimundo Antônio de Lisboa
” Padre Jadir Ferreira De Moura
” Padre Tarciso Mourão
” Padre Dilton Maria Pinto
” Padre Osvanil do Nascimento
” Padre Derci da Silva
Atualmente a paróquia é composta por 45 comunidades. Sendo cinco (7) urbanas e trinta e oito (38) rurais. Tem uma comunidade religiosa feminina com duas irmãs residindo, “Irmãs Filhas de Maria Imaculada.”
As pastorais em andamento são: Pastoral do Batismo, Pastoral Familiar, Pastoral da Criança, Pastoral do Dízimo Missionário, Infância Missionária, Pastoral Litúrgica, Pastoral Catequética, Pastoral da Juventude e outras que estão iniciando.
Pastorais e obras sociais: Vicentinos, APAE, creche.

Contato

Endereço:
Praça Nossa Senhora da Pena, 304 – Rio Vermelho, MG.
CEP 39170-000
Telefone:
(33)3436-1222

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Assunto

Sua mensagem

A Palavra do Pastor
A insustentabilidade dos horizontes fragmentários

A insustentabilidade dos horizontes fragmentários

“Qual é o lugar que concedemos a Deus na nossa vida? Na cultura contemporânea está presente um indubitável processo de...
Read More
Eucaristia: O milagre do amor e da partilha XVII Domingo do Tempo Comum do Ano B

Eucaristia: O milagre do amor e da partilha XVII Domingo do Tempo Comum do Ano B

Com a Liturgia do 17º Domingo do Tempo Comum (ano B), contemplamos a ação de Deus: é próprio do Seu...
Read More
“Confirma a caridade para consolidar a unidade”

“Confirma a caridade para consolidar a unidade”

“Confirma a caridade para consolidar a unidade” Reflitamos à luz deste parágrafo do Sermão sobre os pastores, escrito pelo Bispo...
Read More
A incomparável Compaixão Divina – Homilia – 16º Domingo do Tempo Comum ( Ano B)

A incomparável Compaixão Divina – Homilia – 16º Domingo do Tempo Comum ( Ano B)

Com a Liturgia do 16º Domingo do Tempo Comum (ano B), refletimos sobre o Amor e a solicitude de Deus...
Read More
Alegria da missão e da vocação profética – Homilia do XV Domingo do Tempo Comum Ano B

Alegria da missão e da vocação profética – Homilia do XV Domingo do Tempo Comum Ano B

“A missão de Jesus é a nossa missão” A Liturgia da Palavra do 15º Domingo do Tempo Comum (ano B),...
Read More
Vençamos o medo na travessia – XII Domingo do Tempo Comum

Vençamos o medo na travessia – XII Domingo do Tempo Comum

“‘Silêncio! Cala-te!’ O vento cessou e houve uma grande calmaria. Então Jesus perguntou aos discípulos: “Por que sois tão medrosos?...
Read More
O Reino de Deus germina silenciosamente- Homilia 11° Domingo do Tempo Comum Ano B

O Reino de Deus germina silenciosamente- Homilia 11° Domingo do Tempo Comum Ano B

O Reino de Deus germina silenciosamente No 11º Domingo do Tempo Comum (Ano B), a Liturgia da Palavra nos convida...
Read More
Iluminados pela “Verbum Domini”, alegria Pascal transbordante

Iluminados pela “Verbum Domini”, alegria Pascal transbordante

Vivendo o Tempo Comum, sejamos cada vez mais fortalecidos pela Palavra, que é fonte divina de nossa conversão, como discípulos...
Read More
O desafio da Evangelização na rede – Dom Otacilio F. de Lacerda

O desafio da Evangelização na rede – Dom Otacilio F. de Lacerda

Retomando a citação do Papa Emérito Bento XVI em que ele ressalta a missão da Igreja que é chamada a...
Read More
A Amizade Divina e a felicidade desejada – Homilia- 10º Domingo do Tempo Comum -Ano B.

A Amizade Divina e a felicidade desejada – Homilia- 10º Domingo do Tempo Comum -Ano B.

A Amizade Divina e a felicidade desejada A Liturgia do décimo Domingo do Tempo Comum (ano B) nos convida a...
Read More

Empresas que possibilitam este projeto:

Arquivo