Eliana Alvarenga

0 0lhar do Amado…

“Moisés fez, pois, uma serpente de bronze e
colocou-a como sinal sobre uma haste.Quando alguém
era mordido por uma serpente,
e olhando para a serpente de bronze, ficava curado”
(Nm 21,9)

Contemplo os olhares  cheios de confiança,

Olhares suplicantes, silenciosos,
Acompanhados de dor e esperança,
A Misericórdia Divina que não nos ignora.

Contemplo os mesmos olhares no Calvário,
Diante do Corpo mutilado, dilacerado
Da Divina Fonte, agora sem vida,
Pela maldade morto, Coração trespassado…

Contemplo Jesus erguido entre o céu e a terra,
Tendo como causa, incompreendida e última,
A salvação do mundo, a humanidade redimida.
Como suportar dor assim tão grande, na Cruz vivida?

Contemplo o próprio Olhar de Jesus,
Enquanto ainda vida tinha,
Antes de dizer: “tudo está consumado,
Pai, em Tuas mãos entrego meu Espírito”.

Aquele Olhar que se volta para cada um de nós
Em meio à dor, gemidos, prantos incontidos,
Como também incontida Sua manifestação
De Amor e tão grande ternura.

Um pouco antes, de Seus doces lábios
Aquelas palavras que atravessarão séculos,
Milênios, até o fim da humanidade:
“Pai, perdoai-lhes, pois não sabem o que fazem”.

Seu Olhar, enquanto pôde, cruzou amavelmente
Com nossos olhares, ainda que não o tenhamos feito,
Comunicou-nos a riqueza do Seu Amor,
Haverá quem nos ame tanto assim?

Que nosso olhar não se desvie de Seu olhar
Reconhecendo em Sua humanidade lapidada
A divindade, ainda que não possa ser vista,
Ali presente, para nossa humanidade redimida.

Ó Senhor, como não Te contemplar?
Como meu olhar de Ti desviar?
“Se trouxeste o Céu à terra,
E elevaste a terra ao céu”?

Ó Senhor, como não Te amar?
Como Teu Amor não testemunhar?
Quero ser Teu servo indigno, mas com ardor,
E minha vida consumir em chama eterna de amor. Amém!

Dom Otacilio Ferreira de Lacerda

A Cruz e o caminho da santidade     

A Cruz e o caminho da santidade                     

Celebramos dia 14 de setembro a Festa da Exaltação da Santa Cruz, que tem origem desde os primeiros séculos da Igreja, deixemos ressoar em nossos corações parte da bela reflexão sobre a Cruz feita por Santo André de Creta, bispo do século VII.

“ Se não procuras a cruz, Cristo não seria crucificado. Se não houvesse a cruz, a vida não seria pregada ao lenho com cravos. Se a vida não tivesse sido cravada, não brotariam do lado as fontes da imortalidade, o sangue e a água, que lavam o mundo. Não teria sido rasgado  o documento do pecado, não teríamos  sido declarados livres, não teríamos provado da árvore da vida, não teria aberto o paraíso.

Se não houvesse a cruz, a morte não teria sido vencida e não teria sido derrotado inferno… Preciosa também é a cruz porque ela é paixão e vitória de Deus: paixão, pela morte voluntária nesta mesma paixão. É vitória porque o diabo é ferido e com ele a morte é vencida. Assim, rebentadas as prisões dos infernos, a cruz também se tornou a comum salvação de todo mundo”.

Como criaturas amadas de Deus, vocacionados a santidade, a mais bela pretensão da humanidade, reflitamos sobre o  Mistério da cruz.

Somos  pelo Batismo, anunciadores e testemunhas, com a palavra e a vida que este é o melhor caminho a ser trilhado. Que a suntuosidade, sucesso, glória cedam lugar ao despojamento, fragilidade e serviço incansável.

Infelizmente a palavra santidade traz consigo falsos conceitos. Um dos sentidos mais profundos da palavra santidade é a absoluta correspondência à vontade de Deus, numa fidelidade de sua palavra, que ilumina e aponta caminhos novos para quem nela crê, e muitas vezes acompanhada da cruz, não como sinal de derrota mas com gosto de vitória, afinal é este caminho das bem aventuranças que Ele nos apresentou no alto da montanha e que deve ser vivido na planície de nosso  quotidiano.

Santidade como caminho da cruz é a necessária configuração a Cristo Jesus, completando em nossa carne o que falta a sua paixão por amor a Igreja. Ter os seus mesmos sentimentos, testemunhado em nossas pequenas e grandes atitudes ( Cl. 1,24, Fl. 2,1-11).

Na Cruz,  Jesus experimenta a realidade última da condição humana, a miséria da condição humana, o que aparentemente é fraqueza revelada a onipotência do amor de Deus: Loucura para os gregos e escândalo para os judeus.

Na Cruz contemplamos o mistério da presença de Deus Pai, o amante, Deus Filho, o amado e Deus Espírito o Amor que os une.

Contemplar a cruz não é afundar na dor pela dor, mas reconhecer e contemplar o Mistério da Trindade, que por amor, salva o mundo do desamor. Somos sempre convidados subir “ ao Alto da Montanha”, para participar do Mistério Eucaristia e dos demais sacramentos , anunciando a comunidade a Palavra que se fez carne, possibilitando a mesma momentos de profunda intimidade com Aquele que nos chamou.

Mas não é possível ficar o tempo todo na montanha, ainda que seja tentador. É preciso descer a montanha e testemunhar a fé na planície, sobretudo nos novos areópagos ( espaços) , como nos desafiou mais uma vez a Conferência de Aparecida( 2007) .

O mundo das comunicações, a construção da paz, o desenvolvimento e a libertação dos povos, sobretudo das minorias, a promoção da mulher e das crianças, a ecologia e a proteção da natureza, cultura, experimentação científica, a santificação da família e a criação de novas relações em que se superem toda e qualquer forma de exclusão e desigualdade social na fidelidade ao Cristo crucificado, compromisso inadiável com os Crucificados da História!”

O caminho da santidade jamais será uma alienação do mundo e do tempo presente; pelo contrário, é o contato mais íntimo e perfeito com o absoluto revelado na comunhão Trinitária, para que o mundo possa irradiar a luz  que ilumina espaços obscuros sendo sal que dá o gosto de vida, amor e paz. Trilhar este caminho é carregar a Cruz , para que no mundo sejamos de fato, sal e luz ! O mundo precisa de santos ( as) . Eis a proposta de Deus.

A cruz sinal de vitória da vida sobre a morte do amor extremado que superou toda a lógica do ódio.

Na fidelidade a Jesus, partícipes do Mistério de Sua paixão e morte:

A exemplo do profeta Jeremias todos nós tenhamos o coração seduzido pelo  o amor de Deus – O amor fale mais alto em nós.

A exemplo dos salmistas, todos nós tenhamos absoluta confiança em Deus- no Senhor confio e nada temo;

A exemplo do evangelista João todos nós sejamos conduzidos pela verdade maior que nos liberta e nos confere o pleno sentido da vida.

A exemplo do papa Francisco todos tenhamos compromissos com o inadiável rejuvenescimento da Igreja, com ardor ousadia e teimosia.

Oremos:

Nós vos adoramos Senhor Jesus e vos bendizemos, porque pela vossa santa cruz remistes o mundo!

“Se procuras…”

A Cruz, O Crucificado e os exemplos a serem aprendidos!

Na Festa da Santa Cruz, a ser celebrada dia 14 de setembro, sejamos enriquecidos pela Conferência de Santo Tomás de Aquino, Presbítero e Doutor da Igreja no século  XII.

“Que necessidade havia para que o Filho de Deus sofresse por nós? Uma necessidade grande e, por assim dizer, dupla: Para ser remédio contra o pecado e para exemplo do que devemos praticar.

Foi em primeiro lugar um remédio, porque na Paixão de Cristo encontramos remédio contra todos os males que nos sobrevêm por causa de nossos pecados. Mas não é menor a utilidade em relação ao exemplo.

Ne verdade a Paixão  de Cristo é suficiente para orientar nossa vida inteira. Quem quiser viver na perfeição, nada mais tem a fazer do que desprezar aquilo que Cristo desprezou na Cruz e desejar o que Ele desejou na Cruz, pois, não falta nenhum exemplo de virtude. Se procuras um exemplo de caridade:

Ninguém tem amor maior do que Aquele que dá Sua vida pelos amigos (Jo 15,13). Assim fez Cristo na Cruz. E se Ele deu Sua vida por nós, não devemos considerar penoso qualquer mal que tenhamos de sofrer por causa d’Ele.

Se procuras um exemplo de paciência, encontras na Cruz o mais excelente! Podemos reconhecer uma grande paciência em duas circunstâncias: Quando alguém suporta com serenidade grandes sofrimentos, ou quando pode evitar os sofrimentos e não os evita.

Ora, Cristo suportou na cruz grandes sofrimentos e com grande serenidade porque atormentado, não ameaçava ( 1Pd 2, 23); foi levado como ovelha ao matadouro e não abriu a boca ( cf., ls 53, 7; At 8, 32)  É grande, portanto, aparência de Cristo na cruz.

Corramos com paciência ao combate que nos é proposto, com os olhos fixos em Jesus, que em nós começa e completa a obra da fé. Em vista da alegria que lhe foi proposta, suportou a cruz; não se importando com a infâmia( Hb 12, 1-2).

Se procuras um exemplo de humildade contempla o crucificado: Deus quis ser julgado sob Pôncio Pilatos e morrer.

Se procuras um exemplo de obediência, segue aquele que se fez obediente ao Pai até a morte:

Como pela desobediência de um só homem , de Adão, a humanidade toda foi estabelecida numa condição de pecado, assim também pela obediência de um só, toda a humanidade passará para uma situação de justiça( cf. Rm 5,19)

Se procuras um exemplo de desprezo pelas coisas da Terra segue aquele que é  Rei dos reis e Senhor dos senhores, no qual estão encerrados todos os tesouros da Sabedoria e da Ciência( cf. Cl 2,3) e que na cruz está despojado de suas vestes escarnecido, cuspido, espancado, coroado de espinhos e, por fim, tendo vinagre e fel para matar a sede.

Não te preocupes com as vestes e riquezas, porque repartiram entre si as minhas vestes ( Jo 19, 24); nem com honras porque fui ultrajado e flagelado , nem com a dignidade porque tecendo uma coroa de espinho, puseram-na em minha cabeça ( cf. Mc 15,17); nem com os prazeres porque em minha sede ofereceram-me vinagre ( Sl 68,22);

A contemplação da cruz e do crucificado por si mesma nada adianta pois esta procura precisa configurar nossa vida, levando-nos a rever nossas atitudes e pensamentos transformando a nossa vida.

Para Sto Tomás, na Cruz, contemplando o crucificado, não nos falta nenhum exemplo de virtude. Dentre as quais ele destaca:

Caridade, paciência, humildade, obediência e o desprezo pelas coisas da Terra sinônimo de absoluto despojamento.

Contemplando a cruz encontramos o que tanto procuramos ou no mínimo o que tanto deveríamos desejar e viver, como se disse acima.

Há procuras insólitas e extenuantes; procuras que consistem em pedras sem retornos. Santo Tomás nos aponta verdadeiras e salutares procuras.

O que de melhor possamos desejar e procurar encontraremos na cruz e no crucificado;

Amor, ternura, bondade, perdão, carinho, solidariedade, mansidão, acolhida;  sabedoria com traços e aparência de loucura, onipotência na aparência da fragilidade; bondade suprema para além de toda maldade extrema!

“ Se procuras…”  E como procuramos!

E, às vezes, como procuramos mal, quer pelo seu conteúdo, quer pelo seu lugar.

                     Eis o caminho que tanto procuramos: a cruz. Inevitavelmente a cruz. A cruz redentora, cruz salvadora, pois, do crucificado ao mundo foram abertas as entranhas de misericórdia, de fidelidade, de eternidade…

Quem por Ele procurar, será encontrado,

Quem por Ele chamar não será decepcionado:

“ Batei e vos será aberto, pedi e vos será concedido”.

Coloquemo-nos em atitude de verdadeira e santa procura, carregando nossa cruz de cada dia, com as renúncias que se fizeram necessárias.

                                                                              Dom Otacilio F. Lacerda.

Todo povo vem cantar

“Todo povo vem cantar, jovem, velho e criança, nossa igreja Jubilar, vive cheia de Esperança…” Pe. José Adriano (refrão jubilar dos 25 anos da diocese).

É com esse clima de festa que o coração já pulsa de alegria para acolher, no dia 14 de Setembro, o 4º bispo titular da Diocese de Guanhães, Dom Otacilio Ferreira de Lacerda, cujo lema é” Para mim viver é Cristo”.
O bispo é aquele que reúne o rebanho e o conduz ao Bom Pastor que é Cristo. Nossa Diocese instalada em 1º de Maio de 1986, solenemente quis com Dom Felippe evangelizar na Presteza de Maria. Durante bom tempo, viram cair no solo do coração fiel do povo de Deus as reflexões que seu primeiro bispo lhes dirigia como pastor e guia. Claro! A menina dos olhos de dom Felippe já brilhava como a sua pupila no serviço ao reino de Deus concretizado na pessoa dos necessitados da Boa Nova.
Ora, a presteza de Maria foi propagada nessas terras benditas não só em palavras, mas no silêncio falante do testemunho do primeiro bispo. Deus lhe inspirou um bom propósito e ele o cumpriu até o dia em que o Pai lhe convidou a participar do banquete celeste. Seguindo esse ministério fecundo, quis o Espírito Santo de Deus enviar à Diocese como segundo bispo, Dom Emanuel Messias de Oliveira, providentemente, “a serviço da Misericórdia”. Junto ao seu presbitério e ao seu rebanho, viu como era importante dizer: “sou batizado, membro do povo de Deus na Diocese de Guanhães” e assim foi feito.
Em seguida, Dom Jeremias Antonio de Jesus entrou nessa barca com uma caminhada realizada. Quis fazer de seu ministério terreno fecundo a vontade do Pai, ou seja, que ela se cumprisse independente de seu querer humano. Viu-se traduzir então em gestos o desejo do seu lema inspirado na santíssima Virgem. O caminho apresentou seus desafios, mas também suas roseiras que trouxeram alegrias. Seu ministério em Guanhães presenciou a gestação de dois filhos do clero que foram sagrados bispos para continuar a missão dos apóstolos: Dom Marcello Romano, para a diocese de Araçuaí (Fazer o Amor ser amado) e Dom Jacy Diniz Rocha (Em atenção à tua palavra) para a diocese de Cáceres-MT.
O caminho de evangelização não pode parar e, para isso, é preciso que a luz d’Ele brilhe no meio do rebanho sobre o zelo de alguém que continue a clamar pela Verdade e nela caminhe. O agradecimento carinhoso do povo de Deus e do corpo evangelizador da Diocese a dom Darci José Nicioli; presença concreta e paterna com o presbitério, com os diáconos e seminaristas, bem como com o povo de Deus. Dom Darci ajudou no silêncio orante de seu carisma a preparar esta festa que já acontece nos corações dos fiéis desde a nomeação feita pelo santo Padre, o Papa Francisco, como administrador apostólico. De lá até esses dias, tudo flui e se encaminha para a organizada e carinhosa acolhida ao novo pai e irmão, o pastor e guia dessa pequena porção do povo de Deus que é a diocese de Guanhães.
Oh! Tempo profícuo à reflexão do espírito de pertencer ao rebanho de Cristo presente nesta região santa. A história de fé do povo, marcada pela ação incansável dos leigos nos trabalhos de engajamento pastoral, resulta na mais profunda manifestação de amor e carinho para com o anúncio do Reino. Os sacerdotes comprometidos em qualidade com a causa da missão exercem seu múnus de servidores do evangelho. Seminaristas se formam segundo o coração de Jesus levando em conta a identidade missionária de sua diocese. E o povo de Deus caminha à luz do Cristo também no testemunho de seus ministros.
Que alegria será quando o báculo (símbolo do serviço pastoral do bispo) for entregue àquela mão que apontará o caminho a seguir! Preparemo-nos, pois, irmãos e irmãs, para bradarmos juntos, Gloria in excelsis Deo.

 Seja bem-vindo, Dom Otacilio!

Filipe Ferreira Coelho
2º Ano de Teologia
Paróquia Nossa Senhora Aparecida/Guanhães.

Reunião ampliada da Presidência do CNLB Leste II

Nos dias 24 e 25 de agosto de 2019, aconteceu na Casa das Irmãs Sacramentinas de Nossa Senhora bairro Dom Cabral-BH, a  reunião ampliada da presidência do CNLB Leste II com os presidentes dos Conselhos diocesanos/Equipes de Articulação das (Arqui)dioceses de Minas e Espírito Santo. Estiveram presentes as (Arqui) dioceses de Divinópolis, Belo Horizonte, Teófilo Otoni, Cachoeiro do Itapemirim, São Mateus/Vitória,  Pouso Alegre, Campanha, Diamantina, Itabira/Cel. Fabriciano,  Guanhães,  Mariana, Caratinga, Montes Claros, Colatina, Leopoldina, São João Del Rei.

Conforme a pauta, a reunião iniciou -se com o credenciamento e o café da manhã.  Em seguida, a presidente do CNLB Leste II, Leci e o secretário Adriano conduziram o momento de oração e a acolhida  dos presentes. Em seguida, o professor da PUC Minas e membro do CDL da Arquidiocese de BH Camilo de Lelis, fez uma análise de conjuntura situando-nos nos diferentes períodos da História com a mentalidade e/ou postura sócio relacional. Falou que na Idade Antiga predominou a Natureza como centro da História; na Idade Média, Deus como centro; na Idade Moderna o Homem.Na Idade pós Moderna, a nossa ,quem predomina? Conforme análises, hoje o que predomina  é o EGO . O que vemos na atualidade é uma sociedade extremamente individualista, pragmatista, imediatista, hedonista, demonstrando o quanto estamos  imaturos e é nesse contexto que a Igreja está inserida .

No Brasil vivemos um cenário sócio- econômico dualista entre os mais ricos e os mais pobres, redução de investimentos e reducionismo. Que perspectivas temos? A Igreja é filha do seu tempo e sentimos nela, estes reflexos: muita resistência de um lado a uma Igreja em saída , clericalismo e apatia de muitos leigos e sangria de tantos outros.

No período da tarde,   o professor Webert Cirillo , apresentou um painel sobre o documento 105 da CNBB, trazendo luzes e sombras sobre o tema, além de falar a respeito dos avanços e recuos do Conselho nas Arqui/Dioceses. Ele falou dos desafios apresentados, diante dessa igreja chamada à construção da sinodalidade. Ainda no período da tarde, Leonardo, da equipe da presidência, conduziu um breve histórico do CNLB , apresentou as Diretrizes do CNLB para o período 2019/2022 e um estudo das dimensões que fundamentam a existência do CNLB como Organismo. Às 18 horas do sábado, aconteceu na capela das Irmãs  a Celebração Eucarística .
No domingo, após a oração e café da manhã, realizou-se outro trabalho de grupo com indicação de propostas para elaboração do Plano de Ação do Regional em 2020. Apresentou-se também encaminhamentos para estruturação e melhor organização do Regional.
Esclareceu- se quem são os membros do Colegiado Regional : a presidência. Presidentes dos Conselhos diocesanos e representantes das Comissões dentro do Conselho e Organizações filiadas.Cada província deverá indicar um membro para ser o referencial do regional.
Fortalecimento das Comissões: Até 30/09 a província deverá indicar uma pessoa para integrar a equipe de formação do regional. Sugestão de local para a assembleia de 2020,  Arquidiocese de Vitória.
Em seguida as presidentes dos Conselhos de Montes Claros, Teófilo Otoni e Mariana expuseram experiências de seus conselhos em suas dioceses, havendo partilha de experiências e esclarecimento de dúvidas . Ao final, foi  realizada a Celebração de Envio dos cristãos leigos e leigas presentes no encontro.

                                                                              Madalena Santos Pires

(Participante do encontro como representante da Equipe de Articulação do CNLB/ Guanhães.)

https://www.cnbbleste2.org.br/noticia/cnlb-do-regional-leste-2-realiza-reuniao-ampliada-26082019-121830

Encontro de Coordenadores Diocesanos de Catequese do Regional leste II

“Tornar-se alimento: um itinerário Bíblico-Eucarístico de conversão” foi o tema principal do Encontro de coordenadores diocesanos de catequese, iniciado na quinta-feira, 15 de agosto, até às 12h do dia 18. Participaram  95 pessoas de 27 (Arqui)Dioceses do Regional.

A Diocese de Guanhães foi representada pelo padre assessor da Pastoral Catequética Pe Osmar Batista Siqueira e pelas coordenadoras da Comissão Diocesana: Eliana Alvarenga, Eni Menezes e Vera Pimenta.

No dia 15 de agosto, quinta-feira, às 19h30, o encontro iniciou-se com a acolhida e apresentação dos coordenadores, encaminhamentos e encerrando-se com a Celebração, quando os coordenadores colocaram flores ao lado da Cruz, oferecendo ao Senhor, as dores e as alegrias da Pastoral Catequética em suas  Dioceses.  Dom Marco Aurélio Gubiotti, bispo da diocese de Itabira/Coronel Fabriciano,  presidente eleito para assessorar a Comissão Bíblico-Catequética no Regional Leste II, esteve presente na Abertura e na sexta-feira, que iniciou-se às 7h, com a Celebração Eucarística presidida por ele. Na primeira parte da manhã, Lucimara apresentou a síntese dos relatórios da catequese enviados pelas dioceses, através de respostas às perguntas de um formulário eletrônico enviado pelo regional.

Após o cafezinho das 10h, o secretário executivo de Campanhas da CNBB, Pe. Patriky Samuel Batista fez apresentação sobre as DGAE e a catequese. Ao final da exposição, ele apresentou através de um breve esboço, as ideias para a CF- 2020 que terá o tema “Fraternidade e vida: dom e compromisso” e lema “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele”, inspirado no bom samaritano.

Dom Marco Aurélio comentou “Vejo que algumas pessoas colocam em dúvida o trabalho desenvolvido a partir da campanha da fraternidade e nós temos que estar preparados para os  questionamentos, demonstrando a relevância de suas ações catequéticas”.

A coordenadora da Comissão Regional de Catequese, Lucimara Trevizan, falou  sobre a importância da CF para as práticas catequéticas e que devemos nos empenhar em divulgá-la amplamente.  Lucimara disse que  alguns  coordenadores e catequistas não têm conhecimento do material  da campanha da fraternidade para encontros catequéticos  com crianças e adolescentes, o que é uma pena porque é um ótimo material.

Após o almoço, Pe. Luiz Henrique Eloy e Silva apresentou o tema: O Querigma na Catequese. Através de um estudo etimológico, bíblico, teológico e pastoral ele apresentou a evolução do querigma nas sagradas escrituras .

Às 19h30,  Cícera Botelho,  jovem que atua na Pastoral da Juventude e Pastoral Universitária da PUC Minas apresentou o Sínodo dos Bispos sobre as juventudes e a relação com a catequese. Ela mostrou como os bispos refletiram sobre as juventudes e quais encaminhamentos foram tomados a partir da EXORTAÇÃO APOSTÓLICA PÓS-SINODAL CHRISTUS VIVIT DO SANTO PADRE FRANCISCO AOS JOVENS E A TODO O POVO DE DEUS. Destacou o nº 299:  “Queridos jovens, ficarei feliz vendo-vos correr mais rápido do que os lentos e medrosos. Correi «atraídos por aquele Rosto tão amado, que adoramos na sagrada Eucaristia e reconhecemos na carne do irmão que sofre. O Espírito Santo vos impulsione nesta corrida para a frente. A Igreja precisa do vosso ímpeto, das vossas intuições, da vossa fé. Nós temos necessidade disto! E quando chegardes aonde nós ainda não chegamos, tende a paciência de esperar por nós»”. Afirmou que nesse sínodo houve um grande avanço, com a participação dos jovens de diversos países e a utilização de formulários eletrônicos, transmissão e participação de todos que quiseram através das redes sociais, com perguntas e sugestões.

No dia 17 de agosto, sábado, às 8h, Pe. Francys Silvestrini Adão SJ com o tema” Tornar-se alimento: um itinerário Bíblico-Eucarístico de conversão levou o grupo a momentos fortes de reflexão: O catequista não possui a água, mas partilha com o  catequizando o que é a sede. Toda vida é pão! Todas as pessoas recebem dos outros, a sua entrega e doação. Somos “ doação”. Damos, mas também recebemos! Somos sal na vida do outro e o sal  não é o ingrediente principal, é só um elemento que desaparece ao ser acrescentado – “ele é serviço”. O mesmo acontece com o fermento: é só um elemento acrescentado aos ingredientes principais. Sou “sal” e “fermento” na vida do outro e o outro é “sal” e “fermento” na minha vida. Jesus convida a cada um de nós a ser como Deus nas “relações alimentares”. 

Ao final da tarde, uma linda surpresa: visita da querida “sempre, catequista de catequista” Inês Brochuis. Coordenadores  presentes que a conheciam ficaram emocionadíssimos.

À noite, a turma ouviu encantada a uma contação de histórias, por uma catequista de Belo Horizonte e Solange do Carmo, professora da PUC Minas apresentou seus livros de poesias, crônicas e de histórias infantis e depois ajudou o grupo, juntamente com sua equipe a “ cair no forró”. Foi um momento de  confraternização regada a caldos e doces.

No dia 18 de agosto, domingo, após a Missa, foi realizada a avaliação geral do encontro e depois , Lucimara Trevizan (coordenadora da Comissão para Animação Bíblico-Catequética do Regional Leste II)   fez os encaminhamentos, ouviu  sugestões do grupo, passou informações e orientações sobre o IRPAC e o  Novo Curso de coordenadores.

Falou da importância dos catequistas acompanharem e divulgarem mais as ferramentas de formação oferecidas aos catequistas e coordenadores:  a revista  virtual https://catequesehoje.org.br/e o facebook do Catequese Hoje.

O grupo saiu “alimentado”, fortalecido e motivado para continuar sua missão em suas dioceses.

Mais informações em: https://www.cnbbleste2.org.br/noticia/encontro-regional-reune-catequistas-de- http://www.catequesedobrasil.org.br/

Pascom/ Guanhães

Reunião da Equipe de Articulação das CEBs na Diocese de Guanhães

No sábado, 17 de agosto, reuniram-se doze leigos e leigas das paróquias da Diocese de Guanhães pertencentes às cidades de Guanhães/Pito, Paulistas, Materlândia, São Pedro do Suaçuí e Virginópolis  , na residência da cristã leiga Maria Ângela Coelho, na cidade de Virginópolis. Os participantes foram acolhidos e recepcionados com o café da manhã. Logo após,  o momento de oração e espiritualidade coordenado pela cristã leiga Maria Madalena dos Santos Pires, um roteiro com mantras, salmo e orações. O grupo fez recordação da caminhada das CEBs na Diocese, apresentando seus testemunhos. A chave de leitura bíblica do Evangelho de Mateus 19, 13 -15 propiciou momentos de reflexão e partilha do texto com diferentes intervenções dos participantes. A seguir, o grupo definiu a pauta da reunião: avaliação do 8° Encontro das CEBs realizado em Ipanema, Diocese de Caratinga, de 19 a 21 de julho do ano em curso, com o tema: Os desafios de uma igreja em saída na construção da sociedade do bem viver e conviver e elaboração de propostas para a articulação das CEBs na Diocese. Foi definido o tempo de quarenta minutos para avaliação do encontro e cinquenta minutos para a apresentação de propostas, encaminhamentos e definição de agenda de trabalhos. Após o grupo fazer a avaliação do 8º Encontro, o grupo apresentou propostas e encaminhamentos para articulação das CEBs na Diocese: refazer a equipe diocesana com ampliação de participantes da maioria das paróquias; fortalecer nas paróquias e comunidades a equipe que participou do 8° encontro estadual das CEBs; realizar encontro mensal nas paróquias para articulação e fortalecimento das CEBs e bimestral da equipe diocesana; solicitar da Coordenação Diocesana de Pastoral uma data no calendário de 2020 para realização de um encontro diocesano das CEBs; participação e presença na posse do novo bispo Dom Otacilio e confeccionar faixa para recepção dele; fortalecer os grupos de reflexão e realização de plenários; sensibilizar o clero da Diocese para articulação e trabalho das CEBs, por meio do encaminhamento do relatório do 8° Encontro Estadual e distribuição de cartilhas e outros materiais; solicitar ao padre coordenador de pastoral agendamento com o novo bispo para reunião e diálogo com a equipe de articulação das CEBs. Logo após, foi construída a seguinte agenda: 31/08- Participação no Encontro da Cáritas em Guanhães; 14/09 – Posse de Dom Otacilio; e dia 25/10 – Encontro da Equipe Diocesana de Articulação das CEBs, em Guanhães, das 18 às 21h. Para finalizar, serviu-se um delicioso almoço.

O grupo permaneceu após o almoço para uma breve análise da conjuntura política e econômica do país e socialização de experiências.

                                                                                                    Alessandro Gomes

Descanse em paz, querido pe Itamar

Estimados (…),

neste nosso dia, elevemos ao Bom Pastor ação de graças pelo dom da vocação sacerdotal.
Peçamos pela nossa fidelidade e perseverança no serviço a Deus, servindo ao seu santo Povo com amor e gratuita dedicação.
Agradeço a cada um de vocês, a riqueza das diferenças e a unidade na missão. Muito obrigado pela oferta da sua vida nesta querida Igreja de Guanhães MG.
Hoje Deus acolheu o Pe, Itamar, que foi “dom sacerdotal” também para nós. Combateu o bom combate e guardou a fé: Deo Gratias!
Rezo por você, reze por mim.
Com o meu abraço e benção!

+ Darci José, CSsR

 

Estou triste pela notícia do falecimento do querido Padre Itamar. Sempre nos é triste a partida de pessoas queridas, mesmo sabendo de seus limites. Padre Itamar foi entre nós um lutador pela causa do Reino de Deus. Como recomenda o Apóstolo S. Paulo: insistiu a tempo e fora de tempo, quer agrade ou desagrade, lutou pela justiça e o direito dos pobres e sofredores. Tinha um coração de criança que sabia com muito bom humor alegrar- se com as pequenas coisas! Tive a alegria de participar de várias missões, as quais ele também se fazia presente. “Espera um pouquinho, meu santo, vou conversar um pouco com aquele outro santo”, isso se dava no meio da estrada, muitas vezes empoeirada. Na Celebração Eucarística, não lhe faltava vigor para cantar: “Benza Deus, quanta gente na igreja, abençoa, Senhor, essa gente, esse povo bonito, esse povo santo, que beleza!” Resta-nos acompanhá-lo agora com nossas orações, como fizemos na missa de despedida na Catedral quando partiu de volta para Araçuaí, sua pátria de origem, após muitos anos evangelizando em nossa diocese.

 

A todos que o conheceram e à sua família, apresento as condolências e minha gratidão. Que padre Itamar descanse em paz, na presença de Deus, por quem viveu na dedicação total aos irmãos e irmãs. Que seu exemplo seja imitado e sua memória abençoada.

(Michel Hoguinele – Belo Horizonte – colaborador da Pascom diocesana)

 

– Por aqui passou um homem de Deus. Era um pessoa  simples e de grande sabedoria. Na despedida dele, na catedral estava também se despedindo de nós . Obediência, pedindo ao bispo autorização para voltar a Diocese de Araçuaí, sua origem . Agora, Senhor , deixa o seu servo descansar em paz . “Combati o bom combate guardei a fé” . Com certeza, para ele está reservado a coroa da justiça, que o justo juiz o dará . Exemplo de fé para todos nós.

(Sr Alcides _ Guanhães/ São Miguel).. 

 

– É  com muita tristeza e ao mesmo tempo agradecida por ter convivido com padre Itamar, homem simples, sorriso alegre, carinhoso, AMIGO. Quantas vezes me apoiei em suas falas, aqui na capela Nossa Senhora Aparecida. Muitas vezes ele celebrou conosco. Nosso “santinho” de nossa diocese era muito amável. Deixou um legado invejável: um exemplo de vida simples.

(Socorro – Morro do Pilar/MG)

 

Que Deus lhe dê um descanso merecido. Muitas saudades vai deixar!!

(Dorotéia – Espírito Santo/ES).

 

Hoje, Dia do padre, Deus chamou para junto de si o grande sacerdote, padre Itamar. Louvemos a Deus por seu ministério em nossa diocese. 91 anos de idade e 60 anos dedicados ao ministério sacerdotal. DESCANSE EM PAZ, PROFETA DA PAZ E DA ESPERANÇA.

(Pe José Aparecido dos Santos – Peçanha/MG)

 

Que ele descanse e paz! E que Deus o recompense por todo esse tempo dedicado ao seu povo!

(Aparecida – Frei Lagonegro/MG)

 

Que carreguemos em nós um pouquinho de tudo que ele era: paciência, humildade e subserviência!

(Gláucia – Conceição do Mato Dentro/MG)

 

Combateu o bom combate , encerrou a  missão!

(Madalena – Pito -Guanhães/MG)

 

Descanse em paz. Mais um anjo no céu!

(Andréia – Peçanha/MG)

 

Logo cedo fomos surpreendidos com a notícia do falecimento do Pe Itamar. Um senhorzinho esperto, de muitas histórias pra contar. Amigo pessoal de Dom José Maria Pires, algo que o orgulhava. Não se cansava de repetir os feitos junto ao amigo de anos. Dos mais de 25 anos de prestação de serviço, raríssimas vezes atendi a um padre tão atencioso e carinhoso, pelo menos comigo. Tinha sempre essa fala quando chegava: “Como está, minha Santa? Olha, paciência com os padres” e soltava logo aquele sorriso fácil. Fazia questão de ir à cúria, independente de qualquer acerto. E dizia: “vim te fazer uma visitinha e não tomarei muito o seu tempo” mas, aí assentava e vinham os casos e conselhos e pedidos de oração por ele e por todos os padres. Não tenho palavras para descrever o quanto foi saudável para mim e, acredito, para a diocese, a presença do Pe. Itamar. Companheiro, amigo, obediente aos seus superiores, atencioso, preocupado com o próximo. Um padre povo! Ele fazia questão de  sair caminhando com a gente até o carro ou ônibus, nos abençoando e pedindo a intercessão de Deus para que retornássemos em paz. Um padre de Deus e Santo, exemplo para outros padres e para cada um de nós. De oração e espiritualidade. Sei que o céu, neste momento, o recebe com festa. Pe Itamar, guardarei  em meu coração os seus conselhos e palavras. Obrigada pelo tempo conosco. Deus o tenha em sua glória e que de lá, continue zelando por nossos padres e todo o nosso povo. Retorna à casa do Pai um “cidadão do infinito”. Siga em Paz!!!

(Simone Mendanha – Secretária da Cúria em Guanhães/MG)

 

– Aqui em Água Boa nós o  chamávamos   de  padre “Benza Deus”. O povo daqui ficará muito triste.

(Adilamar Godinho secretária da paróquia de Água Boa/MG)

 

– Que o Nosso Senhor Jesus Cristo o receba na sua infinita Misericórdia!

(Jurandir- secretário da paróquia de Dom Joaquim/MG)

 

– Santo e paciente era ele!! Humildade que não cabia…

(Poliana- secretária da Paróquia São Miguel – Guanhães/MG)

 

Quando o conheci fiquei encantada com tanta sabedoria e benevolência.

(Aline – secretária da Paróquia em São Sebastião do Maranhão/MG)

 

– Vou celebrar por ele daqui a pouco. Grande amigo e colega de curso de Seminário.

(Dom Leonardo – bispo emérito de Paracatu/MG)

 

– Eu me confessava sempre com ele…. Sempre amoroso e transmitia uma paz… Está nos braços de Deus.

(Stael secretária da Paróquia, em São João Evangelista)

 

– Que tenha o merecido descanso nos braços do Pai. Fez muito por merecer.

(Kênia,  Guanhães/ Paroquia São Miguel)

 

– Que pena! Nos deixou, mas foi morar com o Pai. Nossos sentimentos a todos os familiares e que Deus dê a ele um bom lugar.

(Coral Diocesano)

 

– Irei celebrar agora na Matriz Nossa Senhora da Pena – Buritis – MG . Colocarei a intenção dele.

(Pe. Marcone, Arquidiocese de Paracatu)

 

– A Igreja católica  se despede hoje, nesse dia vocacional, “dia dos padres”, do saudoso Padre Itamar. Com certeza ele estará celebrando ao lado de Deus, intercedendo por nós.

(Adilson de Paulistas)

 

Com certeza perdemos um ícone radiante. Descanse em paz, amigo!

( Paulão de Paulistas)

 

Voltou para os braços do Pai, no dia dos padres. Que Deus o receba de braços abertos e dê conforto aos familiares e amigos.

(Juliana/ Pito – Guanhães/MG)

 

Ao Pe Itamar, “O Nosso Benza Deus”, nossa eterna gratidão. Sentiremos  saudade dos momentos missionários proporcionados à Paróquia Sant’Ana de Água Boa!

Vá em paz, Pe. Itamar!!!

(Socorro – Água Boa)

 

Hoje, o Pai Eterno resolveu chamar para si um de seus guerreiros incansáveis e nós daqui não ficaremos tristes por isso. Estamos sim com muita saudade daquele que representou muito bem o que é  ser um homem bom!

( Flor – Conceição Mato Dentro)

 

O céu está em festa! Sua alegria era contagiante.

(Edelveis/ Guanhães- São Miguel)

 

Deus o recolheu no dia do Padre. Glória a Deus!

(Ivone de São João Evangelista)

 

Que Deus o tenha em Seus braços .Dia Especial reservado ao Pe.Itamar.

(Malu – São Pedro)

 

Grande companheiro em nosso paróquia. Que Deus o acolha de braços abertos.

(Martha -Santa Maria do Suaçuí)

 

Triste, mas muito agradecida a Deus por tê-lo conhecido. Eu o via chegar para as missas festivas na catedral e o reparava de longe. Um dia, ao terminar a missa, saí atrás dele, para dar-lhe um abraço, atendendo a um pedido de uma amiga catequista, Dorotheia que  mora no Espírito Santo que havia me pedido para dar um abraço nele e tirasse uma foto para enviar-lhe. Eu o abracei pela primeira vez e consegui a foto para minha amiga. Devo isto a ela, pois foi meu primeiro contato  com este “homem de Deus”. Depois disso, pude abraçá-lo muitas outras vezes, quando  ia a Conceição do Mato Dentro para encontros de catequese ou quando vinha aqui aqui para Celebração na catedral São Miguel. De todas as nossas conversas , dois fatos me marcarão para sempre: cheguei cedinho a Conceição e fui direto à cozinha porque sabia que ele tomava café bem cedo. Tomei meu cafezinho, enquanto ele calmamente conversava comigo sobre o lindo trabalho que é realizado na catequese. Ele tinha dois ovos nas mãos, esperando que eles esfriassem para comê-los( comia ovos quentes todas as manhãs). Ao sair para o Encontro, saí da cozinha tão leve, ele tinha esta capacidade: nos tornar leves! O outro fato, foi vê-lo  de onde eu estava no salão do encontro com os catequistas, conversando com meu marido. Eu os vi conversando por longo tempo. Ao final do encontro, ao se despedir de mim e de meu marido ele nos disse: Não corra! Vá devagar, viu, meu amigo? Você é muito importante para Deus porque você transporta e  espera com muita paciência,a  sua esposa que é muito valiosa para Deus por causa dos trabalhos que ela presta  para a Igreja. Vão com Deus! Vocês são muito valiosos para o nosso Pai! Meu marido lhe respondeu: Não correrei, meu amigo padre Itamar!  Saí dali,  como sempre: leve!

Descanse, agora, amigo querido, pe Itamar! Sentirei muita saudade, principalmente quando voltar a Conceição do Mato Dentro.

( Eliana Alvarenga/ Guanhães- Pito)

Reunião da Equipe de Articulação do CNLB/Guanhães

Realizou-se no dia 27 de julho de 2019, no salão da Catedral São Miguel em Guanhães, um encontro com representantes das paróquias São Miguel e Almas e Nossa Senhora Aparecida, de Guanhães, São João Evangelista, Santo Antônio de Peçanha, São Pedro do Suaçuí e Santa Maria do Suaçuí e de movimentos sociais para articulação do Conselho Diocesano de leigos e leigas. Leonardo Henrique de Souza Moura, membro da Comissão Nacional de Comunicação do CNLB-Regional Leste II, assessorou o encontro. Ele destacou que a identidade e missão dos leigos é uma responsabilidade que nasce do Batismo e da Crisma e que a presença dos leigos foi ampliada a partir do Concílio Vaticano II. Apresentou uma síntese do resgate histórico da presença dos leigos nos documentos da Igreja e da Criação do Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB). Apontou os desafios de atuação dos leigos no mundo globalizado e as mudanças de mentalidade e estrutura e os campos de atuação dos cristãos leigos e leigas, bem como os indicativos e encaminhamentos das ações pastorais. Os participantes fizeram uma leitura comentada das Diretrizes para a Formação e atuação do Laicato 2019/2023 , do VII Encontro Nacional do Laicato, que ocorreu em Cuiabá (MT). O grupo assistiu a dois vídeos institucionais sobre a criação dos Conselhos de leigos no Brasil e de mensagens enviadas pela Presidente em exercício do CNLB, a leiga Marilza Shuína e do Padre Dilton Maria Pinto, coordenador diocesano de Pastoral, de saudação pelo encontro. Em grupo elaboraram-se diretrizes para os eixos: Articulação, Ação, Formação e Espiritualidade. Ao final do encontro constituiu-se a Comissão Diocesana que terá a Coordenação de Maria Madalena S. Pires; vice-coordenador: Alessandro Gomes Alexandre; Secretária: Mariza da Consolação Pimenta Dupim; Secretária adjunta: Maria Luiza dos Reis Amaral; Representante da Área Pastoral São Miguel: Maria Luiza Soares e das demais áreas e da juventude, a definir posteriormente em reuniões. Na avaliação dos participantes, o dia de trabalhos foi muito proveitoso para conscientização da missão laical e os primeiros passos na formação do Conselho de Cristãos Leigos e Leigas na Diocese de Guanhães. Os nossos agradecimentos à assessoria do CNLB, Regional Leste II, na pessoa do cristão leigo Leonardo Henrique de Souza Moura, pela atuação e condução no encontro.

Texto de Alessandro Gomes Alexandre.
                                     

“Memórias de um menino”: novo livro do padre Ismar

Na noite de domingo, 21 de julho, em Santa Maria do Suaçuí, no dia em que se comemorava mais uma memória do Servo de Deus Cônego Lafayette, padre Ismar lançou o seu 9º livro, ao lado de amigos e colegas no ministério presbiteral. Padre Lucimar, seu afilhado, viajou 1.380, do Pontal do Triângulo Mineiro, para estar com ele e padre Dilton, no lançamento do livro.

Um mês atrás, na sede da Associação Comunitária do bairro Nova Vista (BH), foi o lançamento  de Memórias de um menino, editado pela Mazza Edições, de Belo Horizonte. “Tive a alegria de autografar o livro para muitos amigos e conhecidos, dentre eles a deputada estadual Ana Paula Siqueira e o vice-prefeito de BH, Paulo Lamac”, disse padre Ismar.

O autor nos conta que a ideia do livro surgiu após vários anos de anotações em diários e agendas de trabalho: “digitei aqueles apontamentos e, de repente, vi que poderiam servir também de inspirações para outras pessoas. Contar a minha história, insignificante em si, talvez não tivesse relevância alguma. Mas achei que a minha história, narrada pelo adulto em que me tornei, talvez servisse de estímulo a um(a) leitor(a) que também resolvesse rever a sua própria história, quase como um exercício psicanalítico”, disse padre Ismar.

O autor, que hoje exerce seu ministério sacerdotal em Belo Horizonte, afirmou que suas memórias foram escritas pelo menino que virou adulto e as recolheu antes que a morte levasse seu pai, e antes que o Alzheimer destruísse aos poucos a memória de sua mãe, e que foi auxiliado por muitas pessoas nessa empreitada memorialística. “Espero que as Moiras me permitam escrever outras memórias, mais tarde”, eis o desejo de padre Ismar.

Lafaiete Marques Ciara, que fez a leitura do livro antes de outros leitores, assim disse no dia do lançamento, em BH: “Memórias de um menino é a fala do Eu para si. Fala bendita. Todos nós sabemos a importância que isso tem. Freud demonstrou os efeitos terapêuticos da catarse produzida pela fala. Através dessa catarse o sujeito que fala, eu diria – o sujeito que de si fala e a si ouve – consegue eliminar seus afetos patogênicos ao reviver os acontecimentos traumáticos a eles ligados. Falar é capaz de curar mágoas, traumas e até mesmo doenças”.

“Lafaiete Marques compreendeu o sentido de meu texto”, disse padre Ismar. E continuou: “outros leitores também têm me dito o quanto a minha narrativa despertou acontecimentos na vida deles, situações muito parecidas com as minhas!”

Lafaiete assim concluiu sua fala: “As memórias desse menino que hoje padre Ismar nos apresenta são o resgate de um homem corajoso, em busca da vitória sobre os limites histórico-sociais que a vida lhe impôs. Elas nos remetem aos nossos medos e limites próprios”, disse Lafaiete.

O livro de padre Ismar está à venda no escritório paroquial das Paróquias São Miguel e Almas, de Guanhães; São João Evangelista, e Santa Maria do Suaçuí. Em BH, nas Paróquias Nossa Senhora Mãe dos Homens (bairro Nova Vista) e Paróquia São Geraldo (bairro São Geraldo): custa apenas 30 reais.

A Palavra do Pastor
0 0lhar do Amado…

0 0lhar do Amado…

"Moisés fez, pois, uma serpente de bronze e colocou-a como sinal sobre uma haste.Quando alguém era mordido por uma serpente,...
Read More
A Cruz e o caminho da santidade     

A Cruz e o caminho da santidade     

A Cruz e o caminho da santidade                      Celebramos dia 14 de setembro a Festa da Exaltação da Santa Cruz,...
Read More
Homilia do 24º Domingo do Tempo Comum – ano C

Homilia do 24º Domingo do Tempo Comum – ano C

“Entremos na Alegria do Pai” Com a Liturgia do 24º Domingo do Tempo Comum (Ano C), somos convidados a contemplar...
Read More
Homilia do 23º Domingo Comum – Dom Otacilio

Homilia do 23º Domingo Comum – Dom Otacilio

Amor e ardor na fidelidade ao Senhor! (Homilia 23º Domingo Tempo Comum - ano C) A Liturgia do 23º Domingo...
Read More
Curta Nossa Fanpage:

Empresas que possibilitam este projeto:

Arquivo