Notícias

Momento Mariano

A Paróquia Nossa Senhora Aparecida – Pito – Guanhães/ MG realizou um Momento Mariano, na noite do  dia 26 de maio , pela plataforma do Google meet .

Pe Adão Soares conduziu o encontro e as famílias, em seus lares, rezaram,  refletiram, cantaram e homenageraram Nossa Senhora através de uma singela coroação  à imagem de Nossa Senhora Aparecida, emocionando a todos os particpantes.

Foi um momento orante  e de também de muita alegria pelo encontro  , mesmo que de forma virtual.

Abaixo o roteiro utilizado e algumas imagens :

                                                                                                                Momento Mariano
“Devoção a Maria, compromisso com a vida digna, plena e feliz.” “Sua misericórdia se estende de geração em geração, a todos os que o temem”

Dirigente ( o padre) : Saudação aos participantes; Invocação à Trindade Santa; Vídeo – Oração ao Divino Espírito Santo- Canal de Dom Otacilio .
Nesta noite, queremos render nossos louvores a Maria e refletirmos as riquíssimas homenagens a Nossa Senhora, escritas por nosso Bispo diocesano,
Dom Otacilio Ferreira de Lacerda. Rezemos com fervor, este rico Momento Mariano, em nossas Igrejas Domésticas.

“O mês de maio é especialmente dedicado à Maria, Mãe de Jesus, porque ela está sentada no mais alto cume das virtudes, repleta do oceano dos carismas
divinos, do abismo das graças, como nos ensina a Igreja. Voltemos o nosso olhar para Maria, e nos reportemos ao canto do “Magnificat” (Lc 1,39-56), que nos
ajuda a reler os fatos e a história, comunicando os necessários raios de luz do Espírito Santo, sobretudo nos momentos difíceis por que passamos, em todos
os âmbitos (político, econômico, social, cultural).”

Canto : Magnificat.

Leitor 1: “Maria, cheia do Espírito Santo, em visita à sua prima Isabel, foi a primeira comunicadora de palavras de fé e esperança: – “doravante todas as
gerações me chamarão de bendita…”. É o cântico da esperança dos pobres e humildes. Em Maria, “a comunicação e a misericórdia fazem o verdadeiro e
fecundo encontro”, tema que o Papa Francisco nos propôs em sua Mensagem para o 50º Dia Mundial das Comunicações (2016).

Leitor 2: Maria, cheia do Espírito Santo, em visita à sua prima Isabel, foi a primeira comunicadora de palavras de fé e esperança: – “doravante todas as
gerações me chamarão de bendita…”. É o cântico da esperança dos pobres e humildes. Em Maria, “a comunicação e a misericórdia fazem o verdadeiro e
fecundo encontro…”

Dois leitores ( casal): Juntos : Envolvidos pela misericórdia divina, que é eterna, ela nos ensina a viver a fé:
Mulher “Eis a serva do Senhor” – o segredo da fé sem falha, em perfeita conformidade à vontade divina; a dar a razão de nossa esperança:

Homem: – “Nada é impossível a Deus” na incondicional confiança em Deus em tudo e em todos os momentos, favoráveis ou adversos; e assim seremos instrumentos da caridade .

Mulher: “Maria pôs-se a caminho apressadamente” – a caridade e a disponibilidade missionária para servir e comunicar o Amor e a presença de Deus.
Os dois: Maria nos ensina, portanto, a nos deixar envolver pela misericórdia divina, e assim, não vacilaremos na fé, nem esmoreceremos na esperança e tão pouco esfriaremos na caridade (Papa Leão Magno – séc. V).

Dirigente( padre) : No dia 25 de abril de 2020, fomos agraciados com uma Carta do Papa Francisco dirigida a todos os fiéis, com vistas ao mês de maio, em que o
povo de Deus manifesta de forma particular e intensa o seu amor à Virgem Maria. Considerando as restrições da pandemia, fomos levados a valorizar a família, inclusive do ponto de vista espiritual, e retomar a reza do Terço em casa… Também nos motivou a recitação individual, e também de diversos modos, de acordo com as variadas situações, seguindo bons esquemas que podem ser encontrados na internet. Ele enriqueceu-nos com duas orações a Nossa Senhora que poderão ser rezadas no final do Terço…Convidou-nos, por fim, a contemplar o rosto de Cristo, juntamente com o Coração de Maria, nossa Mãe, tornando-nos, ainda mais unidos como família espiritual, fortalecidos para superação desta provação que vivemos; e podemos fazer mutuamente pelosque mais sofrem.

Uma família: Primeira Oração a Maria:
“Ó Maria, Vós sempre resplandeceis sobre o nosso caminho como um sinal de salvação e de esperança. Confiamo-nos a Vós, Saúde dos Enfermos, que permanecestes, junto da Cruz, associada ao sofrimento de Jesus, mantendo firme a vossa fé.
Vós, Salvação do Povo Romano, sabeis do que precisamos e temos a certeza de que no-lo providenciareis para que, como em Caná da Galileia, possa voltar a
alegria e a festa depois desta provação. Ajudai-nos, Mãe do Divino Amor, a conformar-nos com a vontade do Pai e a fazer aquilo que nos disser Jesus, que assumiu sobre Si as nossas enfermidades e carregou as nossas dores para nos levar, através da Cruz, à alegria da Ressurreição. Amém.
À vossa proteção, recorremos, Santa Mãe de Deus; não desprezeis as nossas súplicas na hora da prova, mas livrai-nos de todos os perigos, ó Virgem gloriosa
e bendita”.

Outra família: Segunda Oração a Maria “«À vossa proteção, recorremos, Santa Mãe de Deus». Na dramática situação atual, carregada de sofrimentos e angústias que
oprimem o mundo inteiro, recorremos a Vós, Mãe de Deus e nossa Mãe, refugiando-nos sob a vossa proteção.
Ó Virgem Maria, volvei para nós os vossos olhos misericordiosos nesta pandemia do coronavírus e confortai a quantos se sentem perdidos e choram pelos seus familiares mortos e, por vezes, sepultados duma maneira que fere a alma. Sustentai aqueles que estão angustiados por pessoas enfermas de quem não se podem aproximar, para impedir o contágio. Infundi confiança em quemvive ansioso com o futuro incerto e as consequências sobre a economia e o trabalho.

Mãe de Deus e nossa Mãe, alcançai-nos de Deus, Pai de misericórdia, que estadura prova termine e volte um horizonte de esperança e paz.  Como em Caná, intervinde junto do vosso Divino Filho, pedindo-Lhe queconforte as famílias dos doentes e das vítimas e abra o seu coração à confiança.
Protegei os médicos, os enfermeiros, os agentes de saúde, os voluntários que, neste período de emergência, estão na vanguarda arriscando a própria vida
para salvar outras vidas. Acompanhai a sua fadiga heroica e dai-lhes força, bondade e saúde.
Permanecei junto daqueles que assistem noite e dia os doentes, e dos sacerdotes que procuram ajudar e apoiar a todos, com solicitude pastoral e dedicação evangélica.Virgem Santa, iluminai as mentes dos homens e mulheres de ciência, a fim deencontrarem as soluções justas para vencer este vírus.
Assisti os Responsáveis das nações, para que atuem com sabedoria, solicitude e generosidade, socorrendo aqueles que não têm o necessário para viver, programando soluções sociais e econômicas com clarividência e espírito desolidariedade. Maria Santíssima, tocai as consciências para que as somas enormes usadas para aumentar e aperfeiçoar os armamentos sejam, antes, destinadas a promoverestudos adequados para prevenir catástrofes do gênero no futuro.
Mãe amadíssima, fazei crescer no mundo o sentido de pertença a uma única grande família, na certeza do vínculo que une a todos, para acudirmos, com espírito fraterno e solidário, a tanta pobreza e inúmeras situações de miséria. Encorajai a firmeza na fé, a perseverança no serviço, a constância na oração.
Ó Maria, Consoladora dos aflitos, abraçai todos os vossos filhos atribulados e alcançai-nos a graça que Deus intervenha com a sua mão omnipotente para nos
libertar desta terrível epidemia, de modo que a vida possa retomar com serenidade o seu curso normal. Confiamo-nos a Vós, que resplandeceis sobre o nosso caminho como sinal de salvação e de esperança, ó clemente, ó piedosa, ó doce Virgem Maria.
Amém”.

 Dom Otacilio F. de Lacerda – Carta do Papa Francisco à nossas comunidades.

Canto : Maria Nazaré.
Observação: (Enquanto se canta – Uma família em destaque . Adultos e crianças coroam Nossa Senhora : Flores, terço, manto e coroa)

Bênção final: Canto : Dai-nos a bênção…
Despedida.

 

Ordenação Presbiteral do Diácono Guilherme Soares Lage

Guilherme Soares Lage, nascido em Ferros /MG, é filho do Sr Alberto Soares de Brito e de Dona Maria Aparecida Pereira Lage Soares; irmão de Adhemar Soares Lage.

Foi ordenado presbítero para a Igreja Particular de Guanhães no dia 22 de maio de 2021, às 16h, na Catedral São Miguel, após uma caminhada de 11 anos, tendo ingressado na Comunidade Vocacional em 2010.

Guilherme foi o quarto diácono ordenado por Dom Otacilio F. de Lacerda nesta diocese.

Estiveram presentes:  Dom Marcello Romano, bispo emérito da Diocese de Araçuaí, os padres: Daniel Jorge Lima Pires da  Diocese de Araçuaí,   Pe Leonardo Augusto Lucas Pinto da Diocese de Caratinga, Diácono Luciano da Diocese de Itabira, Diácono Giovani Pontel Gonçalves da arquidiocese de Belo Horizonte, quase todo o Clero  Diocesano de Guanhães e um número reduzido de fiéis, seguindo as orientações por causa da pandemia do Coronavírus.

Em sua homilia, Dom Otacilio disse da nossa alegria imensa, pois nos 35 anos da ação  evangelizadora da Diocese de Guanhães, do Ano de São José e do Ano da  Família, recebemos mais um  presente maravilhoso, a ordenação presbiteral do Guilherme; mais um presbítero para a nossa Igreja particular  que é uma verdadeira bênção para todos nós.

Continuando, ele falou que  ouvindo a Palavra de Deus proclamada, escolhida pelo candidato, trata-se de uma belíssima leitura que retrata o lema do seu presbiterado  “Para louvor e glória de sua Graça.” (Ef 1, 6).  Seu Ministério presbiteral deverá ser iluminado por este lema, levando-o a ser um comunicador da graça e da paz divinas,  assim como todos os padres, pois, ser padre é ser um instrumento, um comunicador dessa graça; o povo de Deus espera que o padre assim o seja.

Dom Otacilio falou que acredita  que, em um primeiro momento – graças aos pais –  Guilherme foi descobrindo e aprofundando o dom da fé que plantaram em seu coração. A semente que caiu num terreno fértil e ele crê que, com o incentivo e o testemunho dos pais o levou ao discernimento de que além de viver a  graça do Batismo,  Deus quer algo mais dele: consagrar-se a serviço do povo, como  um presbítero da Igreja.  Que seja sempre por Deus abençoado por meio do Santo Espírito para que viva o ministério marcado por vivência da graça do  Ministério em atitudes permanentes de santidade e uma conduta irrepreensível para exalar na comunidade o odor de Cristo, cuidando muito bem das ovelhas.

Ao final de sua homilia, Dom Otacilio o aconselhou a ser um padre do “Ide” e não do “Vinde”!

E, quando vierem as dificuldades, lembrar-se sempre da Palavra de Deus por ele  escolhida.

Ao final da Celebração, Pe Guilherme fez os agradecimentos a Deus, a seus pais, a  todos  que contribuíram para  sua caminhada vocacional, aos presentes, a todos os envolvidos para a realização e transmissão da Santa Missa e aos médicos que cuidaram dele quando encontrou-se com a saúde frágil.

Foi uma bonita e “memorável” Celebração!

Que Deus abençoe ricamente os caminhos  do Pe Guilherme.  Que  Santa Rita de Cassia interceda junto a Jesus, trazendo toda proteção e bênçãos para ele .

Que seus caminhos sejam sempre conduzidos pelo Espírito Santo!

                                                                                                 Texto : Eliana Maria de Alvarenga Guimarães

                                                                                                             Revisão : Vera Pimenta

                                                                                                           Fotos : Eliana Alvarenga e Evandro Moura

                                                      Pascom São Miguel  da Paróquia São Miguel e Almas – Guanhães MG.

 

 

Missa da Unidade

A Missa da Unidade  é uma missa realizada na Quinta-feira Santa na catedral de cada diocese. Em decorrência da pandemia, houve a necessidade de adiamento, remarcando para a data de 15 de maio do presente ano, momento oportuno em que ainda se celebra a Páscoa.

Esta celebração consiste em dois pontos fundamentais: a Renovação das Promessas Sacerdotais por parte dos sacerdotes diante do Bispo onde todo o clero se reúne em ação de graças a Deus pela instituição do ministério sacerdotal na Igreja e, nela, renovam os seus votos. E, também, durante esta celebração, se abençoou o óleo dos catecúmenos, dos enfermos e se consagrou o óleo do Santo Crisma.

Daí o fato de a celebração ser também chamada de ‘Missa dos Santos Óleos’ que após abençoados foram encaminhados para cada paróquia desta Diocese de Guanhães, expressando uma forte comunhão eclesial, de participação intensa das comunidades e de valorização dos sacramentos da vida da Igreja. O óleo, símbolo do Espírito Santo, é usado na prática dos sacramentos dos fiéis.

Celebrou-se os 35 anos de caminhada da nossa Diocese de Guanhães uma vez que estava reunida uma assembleia diocesana. Foi uma presença expressiva de cristãos leigos e muitos outros presentes espiritualmente e virtualmente pelas redes sociais. Dom Otacílio manifestou sua alegria do encontro presencial com obediência a todos os protocolos da vigilância sanitária. Alertou, mais uma vez, que todos devem se cuidar porque já se foram 19 padres para a glória de Deus da regional na qual pertencemos.

Em sua homilia, Dom Otacilio fez-nos um convite em ser para um mundo um sinal de esperança, sinal de solidariedade neste contexto de pandemia e que é missão de todos os presbíteros viverem como sinal de esperança, animadores de suas comunidades para que ninguém se entregue e nem se dê por vencido. Esta pandemia revelou-nos a fragilidade humana, o descuidado humano e o descuidado com a casa comum.

Desarticulou muitos movimentos. Em contra partida, revelou-nos muitas coisas boas. E dentre elas o protagonismo da Igreja de Guanhães que foi fundamental e decisivo para a vigilância sanitária que , segundo o Cura, muito contribuiu para com a nossa sociedade na obediência aos decretos da vigilância sanitária.

Alertou que o papa Francisco muito tem nos ajudado nesta travessia, no entanto muitas coisas estão aquém das forças e das limitações do bispo e do clero. Toda a comunidade terá que compreender que não se pode esmorecer e desanimar. Somos instrumentos de reconstrução. É preciso se ocupar com coisas boas, ser criativo, ser solidário, fazer sacrifícios, ter discernimento e prudência.

É tempo de reconstruir, é tempo de redescobrir caminhos nas pastorais.
Ao se direcionar aos padres, nosso bispo Dom Otacilio disse que todos precisam ser instrumento de reconstrução, ser criativo, se ocupar com coisas santas. O povo não pode perecer por falta de pastores e que o padre é feliz quando não vive sozinho. Como bispo tem a missão de fortalecer a fraternidade presbiteral, a vivência da caridade presbiteral.

Que sejam unidos, promovam a união, não caminhem sozinhos porque é ir de encontro ao abismo. Não se isolem. Frisou que fez questão da presença dos padres Elair e Mário como incentivo, exemplo para os neos sacerdotes, principalmente o diácono Guilherme que irá ser ordenado no próximo sábado. Pediu a todos que renovem a alegria de serem padres. Um padre feliz é a certeza de uma comunidade feliz.

Construam pontes e derrubem os muros como nos pediu a CF2021. Promovam a paz, a união, a fraternidade! A comunidade é o rosto do padre que influencia com o seu jeito de ser e de falar. Cada um reflete o rosto da sua comunidade. Sejam animados, sejam entusiasmados, sejam apaixonados por Jesus.

Tenham um coração indiviso, que nada os seduza no ministério! Que Deus os livre da rotina do ministério, que tenham a vibração ministerial, como Paulo a Timóteo; que não deixem apagar a chama do primeiro amor e para isto é preciso contar com a oração do povo de Deus para os nossos padres que podem ser frágeis, pecadores, limitados, mas com o desejo de santidade no coração.

Que tenham a necessária oração, os sacramentos bem vividos e celebrados.
Vivamos este tempo como tempo de cuidar: cuidar da própria vida, da existência humana, cuidar do nosso planeta e da nossa casa comum.
Parabéns, padre! Renove a sua alegria de ser padre sempre! Deus o fez padre para cuidar da paróquia que lhe foi confiada.

Texto de Vera Pimenta

Fotos de Eliana Alvarenga

 

ESCOLA DE  FÉ E POLÍTICA DA DIOCESE DE GUANHÃES

No segundo semestre do ano de 2020, o CNLB Nacional juntamente com o CEFEP ( Escola de Fé e Politica Dom Elder Câmara) promoveram um curso virtual de Fé e Política para cristãos leigos e leigas das dioceses do Brasil.

A diocese de Guanhães participou com 5 membros da Paróquia São Miguel e Almas: Luis Carlos Pinto, Carla Paiva, Célia Gonçalves Correia, Flávia Patrocínio e Maria de Fátima Carminate. Um destes, Luis Carlos Pinto, ao final do curso , ao apresentar o projeto de multiplicação do mesmo na diocese, como requisito para conclusão do curso, sentiu-se impelido a implementar alguns dos temas estudados no curso na diocese de Guanhães.

Após a eleição municipal de novembro de 2020 , Dom Otacilio , bispo de Guanhães manifestou desejo de fazer um acompanhamento aos cristãos católicos eleitos no pleito, fortalecendo os mesmos , na prática de um mandato conforme orientações da Igreja.

Dialogando sobre as ideias propostas, a Equipe de Articulação das Pastorais Sociais e Dom Otacilio decidiram por organizar um curso de Fé e Politica na diocese de Guanhães, durante o ano de 2021. Foi-se  então organizado , de forma virtual , o curso para prefeitos, vereadores e leigos de pastorais e movimentos sociais da diocese.

Em 09 de março de 2021, deu-se início o primeiro encontro que foi conduzido pelo Frei Gilberto Teixeira da Silveira, nascido em Mauá (SP) e morador em Belisário (MG), sacerdote franciscano, formado em Filosofia, Teologia e Psicologia, com pós-graduação em Agroecologia. Ele é o coordenador das Pastorais Sociais da Diocese de Leopoldina.

Em Belisário, fundou a Fraternidade dos Franciscanos de Santa Maria dos Anjos: leigos comprometidos com as causas agroecológicas, de preservação da natureza e de produção agrícola desvinculada do uso de agrotóxicos nesta área de imensas riquezas naturais, principalmente a água. É autor do livro Os Sonhos de uma Mãe. Violentada, analisando a Carta da Terra à luz da Encíclica Laudato Si.
Tema do 1º módulo: Mística e espiritualidade cristã.

O segundo módulo foi dinamizado por Zélia Castilho, Socióloga, professora de Sociologia na PUC, UFMG e ISTA. Ela é ministra Regional da Ordem Franciscana Secular (OFS-MG). E atualmente, Assistente Episcopal do Setor Político da Arquidiocese de Belo Horizonte.
Tema do 2º módulo: Direitos humanos no contexto atual.

O terceiro módulo do Curso Fé e Política da Diocese de Guanhães, assessorado pelo Padre Élio Gasda, SJ, com o tema: Doutrina Social da Igreja.

Padre Élio Gasda é professor de Ética Teológica e Social na graduação e pós-graduação na FAJE (Faculdade Jesuíta) e autor do livro Doutrina Social da Igreja: economia, trabalho e política.

As aulas contam com a participação de aproximadamente 30 pessoas de várias paróquias da diocese. A maioria delas exerce cargos políticos em municípios da Diocese de Guanhães ou atua em conselhos, movimentos sociais, sindicatos e associações e estão inseridos na vida comunitária e ou atuam nas pastorais da Igreja.

O 4º módulo ocorrerá no dia 9/6/2020 e  contará com a assessoria da Márcia Sacramento (Movimento Mineiro de Fé e Política)

A avaliação dos participantes é que os encontros são de grande relevância para atuação dos cristãos leigos e leigas no âmbito social e político com vistas à promoção da vida, dignidade e justiça. A excelente formação dos palestrantes tem motivado e despertado o interesse pelos módulos e promovido uma formação com expressivos fundamentos teóricos e práticos.

Papa Francisco convida a rezar diante do sacrário

O Papa Francisco convidou as pessoas a irem a uma igreja próxima de suas casas para rezar diante do sacrário.

“Eu convido vocês a que façam uma pausa para ir à igreja mais próxima, para se sentar um momento diante do sacrário. Deixem-se olhar pelo amor infinito e paciente de Jesus, que ali os espera, e contemplem-no com os olhos da fé e do amor. Ele nos dirá muitas coisas ao coração. Que Deus os abençoe e a Virgem Santa os cuide”, disse o papa na Audiência Geral de 5 de maio.

O Santo Padre dedicou a sua catequese semanal à “oração da contemplação” e sublinhou que “esta ação de amor em diálogo silencioso com Jesus faz tão bem à Igreja”, por isso recordou que “há apenas uma grande chamada no Evangelho, que é seguir Jesus no caminho do amor”.

Da mesma forma, o papa destacou que “em Jesus Cristo, na sua pessoa e no Evangelho não há oposição entre a contemplação e a ação”.

“Há apenas uma grande chamada no Evangelho, que é seguir Jesus no caminho do amor. Este é o ápice e o centro de tudo. Neste sentido, caridade e contemplação são sinônimos, dizem a mesma coisa”, disse o papa.

“São João da Cruz afirmava que um pequeno gesto de amor puro é mais útil para a Igreja do que todas as outras obras juntas”, disse o papa e acrescentou: “o que nasce da oração e não da presunção do nosso ego, o que é purificado pela humildade, mesmo que seja um gesto de amor isolado e silencioso, é o maior milagre que um cristão pode realizar”.

“Ser contemplativo não depende dos olhos, mas do coração. E nisto entra em jogo a oração, como um ato de fé e amor, como ‘respiro’ da nossa relação com Deus. A oração purifica o coração e, com ele, ilumina também o olhar, permitindo que captemos a realidade sob outro ponto de vista”, afirmou.

Por isso, o Santo Padre recordou que o Catecismo da Igreja Católica descreve essa transformação do coração através da oração, citando um famoso testemunho da Santa Cura d’Ars: “A contemplação é o olhar da fé, fixado em Jesus. ‘Eu olho para Ele e Ele olha para mim’ – dizia, no tempo do seu santo Cura, um camponês d’Ars em oração diante do sacrário. […] A luz do olhar de Jesus ilumina os olhos do nosso coração; ensina-nos a ver tudo à luz da sua verdade e da sua compaixão para com todos os homens”.

“Tudo nasce disto: de um coração que se sente visto com amor. Então a realidade é contemplada com olhos diferentes. ‘Eu olho para Ele, e Ele olha para mim!’. Pois bem: na contemplação amorosa, típica da oração mais íntima, não há necessidade de muitas palavras: basta um olhar, basta estarmos convencidos de que a nossa vida está rodeada por um grande e fiel amor do qual nada nos pode separar”, explicou o papa.

Fonte: www.acidigital.com

1º encontro internacional do COMISE de Guanhães

No último dia 03 de maio, festa dos apóstolos São Tiago e São Filipe, nosso grupo de seminaristas, junto com o Diácono Guilherme Lage, nos reunimos para nosso 1º encontro internacional do Comise de Guanhães, auxiliados por Dom Willian Skudlarek, osb, que partilhou conosco um pouco da sua vasta vivência missionária.

Dom Willian esteve em nossa Diocese, na paróquia do Morro do Pilar, por um período na década de 80, quando, como disse, desejou fazer uma experiência pastoral. Dentre tantas contribuições, Dom Willian, como alguém que veio de outra cultura, nos ajudou a perceber algumas riquezas do nosso povo, sobretudo como a presença de Deus é tão notável em nossas conversas. Usamos sempre aquelas frases como “se Deus quiser”, “Deus queira”, “graças a Deus”, “Deus te abençoe”, “vai com Deus”, entre tantas outras.

A riqueza dessa conversa nos ajudou a ver com outros olhos a nossa realidade. No trabalho missionário, nos lembrava ele, nós não plantamos, nós colhemos o que Deus faz crescer na sua seara. No final, Dom Skudlarek nos deixou uma palavra de incentivo: Não se perder no fazer missionário, alimentando nossa intimidade com Deus, que é fonte e sentido da missão, apoiado naquela palavra de Jesus “Sem mim nada podeis fazer”, ressaltando a importância de permanecer em Jesus (Cf. Jo 15, 1-8), nos permitindo ser surpreendidos pela graça de Deus manifestada na bondade do bom povo de Deus. Louvamos a Deus pela vida desse monge missionário, ilustre filho de São Bento!

Sobre o COMISE (Conselho Missionário de Seminaristas):
O COMISE é o organismo encarregado de animação, formação, articulação e cooperação missionária de seminaristas diocesanos e alunos das casas de formação religiosa.

O COMISE existe para fomentar, nos futuros presbíteros e candidatos à Vida Religiosa Consagrada, a consciência da missão como identidade do cristão e favorecer-lhes uma sólida espiritualidade e formação missionária que os tornem capazes de enfrentar os desafios da ação evangelizadora da Igreja: na pastoral, na nova evangelização e na missão ad gentes (aos povos).

Catequistas da Diocese participam de um Encontro Pascal

Vivendo o tempo pascal, que nos chama a professar a nossa fé no Ressuscitado e na vida plena, esperança em meio a tantos sinais de morte que nos rodeiam, os catequistas da Diocese foram convidados a celebrarem juntos a caminhada como amigos e discípulos de Jesus, com um Encontro Pascal que aconteceu na noite do dia 30 de abril. Mais de cem catequistas da Diocese participaram desse encontro organizado e apresentado por membros da Comissão de Catequese da Diocese de Guanhães/MG, pela plataforma Google meet.

Os catequistas receberam o texto com o roteiro do encontro com antecedência e foram orientados para confeccionarem previamente pão ázimo e prepararem seus ambientes com os símbolos que seriam usados no encontro. Lindos altares foram preparados e fotos postadas nos grupos de whatsapp.

A Iluminação Bíblica foi o Evangelho de Lucas 24,13-35 e todos foram motivados a refletirem:

  • E nós? O que temos conversado pelo nosso caminho? Quais são os fatos vividos que nos vem à memória e nos fazem recordar os sinais de “Paixão e de Páscoa” em nossa vida?
  • Qual versículo bíblico ecoa no coração, faz arder, ilumina, inspira, fortalece a caminhada?
  • Quais sentimentos foram experimentados enquanto preparavam o pão?
  • O que a celebração provocou em você?
  • O que significa para você voltar a Jerusalém?

Como gestos concretos foram sugeridas algumas ações:

  • Cuidar para que não fique nenhuma família, ao redor passando necessidades materiais e espirituais – partilhar o pão material e o pão espiritual a quem estiver necessitando;
  • Fortalecer-se através dos encontros de formação permanente oferecidos constantemente pela catequese diocesana, para fortalecimento de quem ao seu redor, esteja perdendo as forças e a esperança;
  • Cuidar dos catequizandos, crismandos e suas famílias, criando formas de que mensagens positivas e catequéticas cheguem até eles e,
  • Participarem  das Missas ou Momentos de Espiritualidade oferecidos de forma virtual , pelas  paróquias, comunidades e Diocese.

O Encontro foi  emocionante e muito participativo.

Mais fotos dos ambientes preparados em :

https://www.facebook.com/catequeseDG

 

 

35 anos de instalação da Diocese de Guanhães

No dia 1º de maio, quando é celebrada a Festa de São José Operário, a Diocese de Guanhães completou 35 anos de evangelização e pelo segundo ano consecutivo, foi celebrada uma Missa, presidida por Dom Otacilio, às 9 horas, sem a presença física dos diocesanos, mas com certeza unidos espiritualmente,  através dos meios de comunicação.

Dentro das festividades da comemoração dos 35 anos, na quarta-feira, 28 de abril foi realizada uma LIVE – Tema: 35 ANOS DE EVANGELIZAÇÃO DA DIOCESE DE GUANHÃES: a 58ª Assembleia da CNBB, e a caminhada diocesana nestes 35 anos – reflexão com Dom Otacilio e participação de Pe Bruno, assessor da Pascom Diocesana  e pe José Aparecido Santos – Padre Coordenador de Pastorais.

Ainda  dentro das festividades do aniversário da Diocese a Missa do Crisma e Ação de Graças pelos 35 anos da Diocese acontecerá no dia 15 de maio, às 9h, na Catedral com a participação presencial (padres e fiéis), a definir oportunamente e também a  Ordenação Presbiteral do Diácono Guilherme, dia 22 de maio, às 16h na Catedral, com participação presencial a ser melhor definida oportunamente.
Rogamos por intercessão de São José, São Miguel e a Sagrada Família copiosas graças e bênçãos sobre toda a Diocese.

Convite

“Para louvor e glória da sua graça” (Ef 1.6). 

 

A Diocese de Guanhães convida você e sua família, para a Santa Missa na qual o Diácono Guilherme Soares Lage, pela imposição das mãos de dom Otacilio Ferreira de Lacerda, nosso bispo diocesano e pela Oração da Igreja, será ordenado Presbítero.

 

Devido a pandemia, a celebração será com um pequeno número de pessoas. Mas pedimos a você, caro diocesano, que não deixe de acompanhar pelas redes sociais de nossa diocese, esse importante momento da vida do Diác. Guilherme  e da nossa Igreja Particular.

 

A celebração será no dia 22 de maio, às 16h na Sé Catedral São Miguel, em Guanhães-MG.

 

MENSAGEM DA 58ª ASSEMBLEIA GERAL DA CNBB AO POVO BRASILEIRO

CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL 58ª Assembleia Geral 12 a 16 de abril de 2021 Formato Virtual

MENSAGEM DA 58ª ASSEMBLEIA GERAL DA CNBB AO POVO BRASILEIRO

Esperamos novos céus e uma nova terra, onde habitará a justiça. (2Pd 3,13)

Movidos pela esperança que brota do Evangelho, nós, Bispos do Brasil, reunidos, de modo online, na 58ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB, de 12 a 16 de abril de 2021, neste grave momento, dirigimos nossa mensagem ao povo brasileiro.

Expressamos a nossa oração e a nossa solidariedade aos enfermos, às famílias que perderam seus entes queridos e a todos os que mais sofrem as consequências da Covid-19. Na certeza da Ressurreição, trazemos em nossas preces, particularmente, os falecidos. Ao mesmo tempo, manifestamos a nossa profunda gratidão aos profissionais de saúde e a todas as pessoas que têm doado a sua vida em favor dos doentes, prestado serviços essenciais e contribuído para enfrentar a pandemia.

O Brasil experimenta o aprofundamento de uma grave crise sanitária, econômica, ética, social e política, intensificada pela pandemia, que nos desafia, expondo a desigualdade estrutural enraizada na sociedade brasileira. Embora todos sofram com a pandemia, suas consequências são mais devastadoras na vida dos pobres e fragilizados.

Essa realidade de sofrimento deve encontrar eco no coração dos discípulos de Cristo. Tudo o que promove ou ameaça a vida diz respeito à nossa missão de cristãos. Sempre que assumimos posicionamentos em questões sociais, econômicas e políticas, nós o fazemos por exigência do Evangelho. Não podemos nos calar quando a vida é ameaçada, os direitos desrespeitados, a justiça corrompida e a violência instaurada.

Louvamos o testemunho de nossas comunidades na incansável e anônima busca por amenizar as consequências da pandemia. Muitos irmãos e irmãs, bispos, padres, diáconos, religiosos, religiosas, cristãos leigos e leigas, movidos pelo autêntico espírito cristão, expõem suas vidas no socorro aos mais vulneráveis. Com o Papa Francisco, afirmamos que “são inseparáveis a oração a Deus e a solidariedade com os pobres e os enfermos”.

As iniciativas comunitárias de partilha e solidariedade devem ser sempre mais incentivadas. É Tempo de Cuidar! Somos pastores e nossa missão é cuidar. Nosso coração sofre com a restrita participação do Povo de Deus nos templos. Contudo, a sacralidade da vida humana exige de nós sensatez e responsabilidade. Por isso, nesse momento, precisamos continuar a observar as medidas sanitárias que dizem respeito às celebrações presenciais.

Reconhecemos agradecidos que nossas famílias têm sido espaço privilegiado da vivência da fé e da solidariedade. Elas têm encontrado nas iniciativas de nossas comunidades, através de subsídios e celebrações online, a possibilidade de vivenciarem intensamente a Igreja doméstica.

Unidos na oração e no cuidado pela vida, superaremos esse momento. Na sociedade civil, os três poderes da República têm, cada um na sua especificidade, a missão de conduzir o Brasil nos ditames da Constituição Federal, que preconiza a saúde como “direito de todos e dever do Estado”. Isso exige competência e lucidez. São inaceitáveis discursos e atitudes que negam a realidade da pandemia, desprezam as medidas sanitárias e ameaçam o Estado Democrático de Direito. É necessária atenção à ciência, incentivar o uso de máscara, o distanciamento social e garantir a vacinação para todos, o mais breve possível.

O auxílio emergencial, digno e pelo tempo que for necessário, é imprescindível para salvar vidas e dinamizar a economia, com especial atenção aos pobres e desempregados. É preciso assegurar maiores investimentos em saúde pública e a devida assistência aos enfermos, preservando e fortalecendo o Sistema Único de Saúde – SUS.

São inadmissíveis as tentativas sistemáticas de desmonte da estrutura de proteção social no país. Rejeitamos energicamente qualquer iniciativa que intente desobrigar os governantes da aplicação do mínimo constitucional do orçamento na saúde e na educação. A educação, fragilizada há anos pela ausência de um eficiente projeto educativo nacional, sofre ainda mais no contexto da pandemia, com sérias consequências para o futuro do país. Além de eficazes políticas públicas de Estado, é fundamental o engajamento no Pacto Educativo Global, proposto pelo Papa Francisco.

Preocupa-nos também o grave problema das múltiplas formas de violência disseminada na sociedade, favorecida pelo fácil acesso às armas. A desinformação e o discurso de ódio, principalmente nas redes sociais, geram uma agressividade sem limites. Constatamos, com pesar, o uso da religião como instrumento de disputa política, justificando a violência e gerando confusão entres os fiéis e na sociedade. Merece atenção constante o cuidado com a casa comum, submetida à lógica voraz da “exploração e degradação”.

É urgente compreender que um bioma preservado cumpre sua função produtiva de manutenção e geração da vida no planeta, respeitando-se o justo equilíbrio entre produção e preservação. A desertificação da terra nasce da desertificação do coração humano. Acreditamos que “a liberdade humana é capaz de limitar a técnica, orientá-la e colocá-la ao serviço de outro tipo de progresso, mais saudável, mais humano, mais social, mais integral”. É cada vez mais necessário superar a desigualdade social no país.

Para tanto, devemos promover a melhor política, que não se submete aos interesses econômicos, e seja pautada pela fraternidade e pela amizade social, que implica não só a aproximação entre grupos sociais distantes, mas também a busca de um renovado encontro com os setores mais pobres e vulneráveis. Fazemos um forte apelo à unidade da sociedade civil, Igrejas, entidades, movimentos sociais e todas as pessoas de boa vontade, em torno do Pacto pela Vida e pelo Brasil. Assumamos, com renovado compromisso, iniciativas concretas para a promoção da solidariedade e da partilha.

A travessia rumo a um novo tempo é desafiadora, contudo, temos a oportunidade privilegiada denreconstrução da sociedade brasileira sobre os alicerces da justiça e da paz, trilhando o caminho da fraternidade e do diálogo. Como nos animou o Papa Francisco: “o anúncio Pascal é um anúncio que renova a esperança nos nossos corações: não podemos dar-nos por vencidos!” Com a fé em Cristo Ressuscitado, fonte de nossa esperança, invocamos a benção de Deus sobre o povo brasileiro, pela intercessão de São José e de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil.

Brasília, 16 de abril de 2021.

Dom Walmor Oliveira de Azevedo Arcebispo de Belo Horizonte – MG Presidente da CNBB
Dom Jaime Spengler, OFM Arcebispo de Porto Alegre – RS 1º Vice-Presidente

Dom Mário Antônio da Silva Bispo de Roraima – RR 2º Vice-Presidente
Dom Joel Portella Amado Bispo Auxiliar de São Sebastião do Rio de Janeiro – RJ Secretário-Geral daCNBB.                 MENSAGEM AO POVO BRASILEIRO – 58 AGO

A Palavra do Pastor
Eucaristia: O milagre do amor e da partilha XVII Domingo do Tempo Comum do Ano B

Eucaristia: O milagre do amor e da partilha XVII Domingo do Tempo Comum do Ano B

Com a Liturgia do 17º Domingo do Tempo Comum (ano B), contemplamos a ação de Deus: é próprio do Seu...
Read More
“Confirma a caridade para consolidar a unidade”

“Confirma a caridade para consolidar a unidade”

“Confirma a caridade para consolidar a unidade” Reflitamos à luz deste parágrafo do Sermão sobre os pastores, escrito pelo Bispo...
Read More
A incomparável Compaixão Divina – Homilia – 16º Domingo do Tempo Comum ( Ano B)

A incomparável Compaixão Divina – Homilia – 16º Domingo do Tempo Comum ( Ano B)

Com a Liturgia do 16º Domingo do Tempo Comum (ano B), refletimos sobre o Amor e a solicitude de Deus...
Read More
Alegria da missão e da vocação profética – Homilia do XV Domingo do Tempo Comum Ano B

Alegria da missão e da vocação profética – Homilia do XV Domingo do Tempo Comum Ano B

“A missão de Jesus é a nossa missão” A Liturgia da Palavra do 15º Domingo do Tempo Comum (ano B),...
Read More
Vençamos o medo na travessia – XII Domingo do Tempo Comum

Vençamos o medo na travessia – XII Domingo do Tempo Comum

“‘Silêncio! Cala-te!’ O vento cessou e houve uma grande calmaria. Então Jesus perguntou aos discípulos: “Por que sois tão medrosos?...
Read More
O Reino de Deus germina silenciosamente- Homilia 11° Domingo do Tempo Comum Ano B

O Reino de Deus germina silenciosamente- Homilia 11° Domingo do Tempo Comum Ano B

O Reino de Deus germina silenciosamente No 11º Domingo do Tempo Comum (Ano B), a Liturgia da Palavra nos convida...
Read More
Iluminados pela “Verbum Domini”, alegria Pascal transbordante

Iluminados pela “Verbum Domini”, alegria Pascal transbordante

Vivendo o Tempo Comum, sejamos cada vez mais fortalecidos pela Palavra, que é fonte divina de nossa conversão, como discípulos...
Read More
O desafio da Evangelização na rede – Dom Otacilio F. de Lacerda

O desafio da Evangelização na rede – Dom Otacilio F. de Lacerda

Retomando a citação do Papa Emérito Bento XVI em que ele ressalta a missão da Igreja que é chamada a...
Read More
A Amizade Divina e a felicidade desejada – Homilia- 10º Domingo do Tempo Comum -Ano B.

A Amizade Divina e a felicidade desejada – Homilia- 10º Domingo do Tempo Comum -Ano B.

A Amizade Divina e a felicidade desejada A Liturgia do décimo Domingo do Tempo Comum (ano B) nos convida a...
Read More
Ó precioso e admirável Banquete de Amor e Eternidade! – Corpus Christi

Ó precioso e admirável Banquete de Amor e Eternidade! – Corpus Christi

Aprofundemos sobre o inesgotável Mistério da Eucaristia, à luz das Obras do Presbítero Santo Tomás de Aquino (Séc. XIII). “O unigênito...
Read More

Empresas que possibilitam este projeto:

Arquivo