Notícias

Menos insulto e mais oração pelos governantes, pede Papa

O Papa Francisco pediu na manhã de segunda-feira – 16/09 – durante missa celebrada na capela da Casa Santa Marta, que os fiéis rezem pelos governantes e pelos políticos, para que levem adiante com dignidade suas vocações. A celebração eucarística foi a primeira no local depois da pausa de verão.

Refletindo sobre a Primeira Carta de São Paulo apóstolo a Timóteo, o Pontífice observou a necessidade de todo o povo rezar por um “pedido universal”. Sobre as orações, o Santo Padre pediu que fossem feitas “sem cólera e sem polêmicas”. “Pedidos, súplicas, orações e agradecimentos para todos os homens e ao mesmo tempo pelos reis e por todos os que estão no poder”, completou.

Segundo Francisco, Paulo evidencia que o ambiente de uma pessoa que crê é a oração, a oração de intercessão. “Que todos rezemos por todos, para que possamos levar uma vida calma e tranquila, digna e dedicada a Deus”, rogou. Para o Papa, é necessária a oração para que isso seja possível. O Pontífice explicou tratar-se da oração pelos governantes, pelos políticos, pelas pessoas que são responsáveis de levar adiante uma instituição política, um país, uma província.
Os políticos, afirmou o Santo Padre, recebem “adulações por parte de seus favoritos ou insultos”. De acordo com Francisco há políticos, mas também padres e bispos que são insultados. Para o Pontífice, “alguns merecem”, mas a prática se tornou “um hábito” de “acúmulo de insultos e de palavrões, de depreciações”. Ainda assim, o Papa frisou que quem está no governo “tem a responsabilidade de conduzir o país”. Sobre o povo, questionou: “E nós, os deixamos sós, sem pedir a Deus que os abençoe?”. Respondeu: “Tenho certeza que não se reza pelos governantes, ao contrário: poderia parecer que a oração aos governantes seja ‘insultar-lhes’”.

Por fim, o Santo Padre recordou como os italianos passaram recentemente por uma “crise de governo”. “Quem de nós rezou pelos governantes? Quem de nós rezou pelos parlamentares? Para que possam ir de acordo e levar adiante a pátria? Parece que o espírito patriótico não chega à oração; mas sim às desqualificações, ao ódio, às brigas, e termina assim. Portanto, quero que em todos os lugares as pessoas rezem, levantando as mãos puras para o céu, sem raiva e sem polêmicas. É preciso discutir e esta é a função de um parlamento. Discutir, mas não destruir o outro. Aliás, é preciso rezar pelo outro, por aquele que tem uma opinião diferente da minha”, exortou.

Diante dos que pensam que aquele político é “muito comunista” ou “corrupto”, o Papa, citou a passagem do Evangelho de Lucas na qual o apóstolo não pede para que a política seja discutida, mas pede orações. Aos que dizem que “a política é suja”, o Pontífice afirmou que Paulo VI a considerava “a mais alta forma de caridade”:

“Pode ser suja assim como qualquer outra profissão, qualquer uma… Somos nós que sujamos uma coisa, mas não é a coisa em si que é suja. Acredito que devemos nos converter e rezar pelos políticos de todas as cores, todos eles! Rezar pelos governantes. É isso que Paulo nos pede. (…) Os governantes são responsáveis pela vida de um país. É bom pensar que, se o povo reza pelos governantes, os governantes também serão capazes de rezar pelo povo, como o centurião que reza pelo seu servo”, concluiu.

Da redação, com vaticannews.va

Cônego Lafayette é homenageado com monumento em São Sebastião do Maranhão (MG)

Um monumento, conforme sabemos, é de grande importância para nos fazer lembrar e refletir sobre um fato ocorrido ou o que aquilo representa; serve para marcar uma época ou um acontecimento cultural, social, político entre outros.

Para o povo de São Sebastião do Maranhão, o monumento em honra ao Cônego Lafayette trará alegres recordações e possibilitará tornar ainda mais conhecido, pelas próximas gerações, a dedicação pastoral do homenageado que percorria longas distâncias montado num animal para atender o povo de Deus nesta cidade, vindo de Santa Maria do Suaçuí.

A inauguração e bênção do monumento realizaram-se na “festa do Cônego” – 58° aniversário de falecimento do Servo de Deus Cônego Lafayette da Costa Coelho – em 21 de setembro de 2019, após a missa das 15 horas, e é fruto da parceria feita entre a Paróquia com sua equipe e a Prefeitura.

O monumento é uma escultura feita pelo artista plástico Arcanjo Rany, natural de Ponte Nova (MG) e morador da Serra do Cipó, e tem esculturas como o Juquinha da Serra do Cipó, Onça pintada na Praça de Angra dos Reis, outra obra na Praça da OAB em BH, Nossa Senhora do Patrocínio em Virginópolis, Mula da Serra da Bocaina em SP, Cônego Lafayette em São José da Safira, busto de Cônego Bento Ribeiro Costa em Dom Joaquim entre outras obras. Arcanjo é autodidata, desde os 12 anos, talento herdado de seus avós.

Em janeiro, na festa do padroeiro, será inaugurada outra escultura, dessa vez em honra a São Sebastião. Terá um total de 15 metros de altura no alto do morro e poderá ser vista de vários pontos da cidade. Será um Mirante.

Tal iniciativa faz parte das comemorações do 75º ano de criação da paróquia na cidade de São Sebastião do Maranhão, 70º ano de emancipação municipal.

PASCOM de São Sebastião do Maranhão (MG)

 

Carta sobre Comunhão às pessoas celíacas

A Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), levando em consideração a condição crônica na qual se encontram cristãos católicos permanentemente intolerantes ao glúten em sua alimentação, divulgou uma carta na qual orienta os bispos, sacerdotes, diáconos e a todo o Povo de Deus sobre o uso do pão e o vinho para a Comunhão Eucarística.

O texto é assinado pelo bispo de Paranaguá (RS), dom Edmar Peron, e informa que os fiéis que tiverem extrema intolerância ao glúten, de tal forma que até mesmo uma pouca quantidade é capaz de causar-lhes graves sequelas, podem comungar apenas sob a espécie do vinho. Nesse caso, a Comissão orienta o celíaco para que adquira um pequeno cálice exclusivo, próprio para uso litúrgico e apresente sua situação ao sacerdote que, ao presidir a missa colocará o cálice sobre o altar para que o vinho seja consagrado na Celebração Eucarística.

Na carta, a Comissão chama atenção para o fato da importância que os bispos, presbíteros, diáconos e ministros extraordinários da comunhão eucarística devem dar à doença e aos cuidados que ela exige, entre eles, a atenção para que o cálice para o uso do celíaco não tenha contato com partículas com glúten ou materiais que possam ter tido esse tipo de contato, a fim de garantir a comunhão eucarística segura dessas pessoas.

Ainda na ocasião, a Comissão orienta os sacerdotes para que sequer realizem no cálice o rito da immixtio, isto é, o gesto no qual se coloca uma fração da hóstia no cálice. “Desejamos com isso favorecer aquilo que nos recorda o Papa Francisco em seu discurso de 11 de junho de 2016: ‘a comunidade cristã está chamada a trabalhar para que cada batizado possa fazer a experiência de Cristo nos sacramentos’”, diz um trecho da carta.

Condição autoimune

A doença celíaca é uma condição autoimune, desencadeada pelo consumo do glúten presente no trigo, na aveia, na cevada, no centeio e em todos os derivados destes cereais. Ela pode se manifestar em qualquer fase da vida, afetando todo o corpo e, se não tratada, pode trazer consequências graves para a saúde das pessoas celíacas. Há formas dessa doença em que a pessoa é afetada até mesmo pela presença de traços de glúten ou até pelo simples contato com ele. Segundo as estatísticas, a cada 400 pessoas, uma é celíaca.

clique e baixe a carta na íntegra.

Fonte: CNBB

Preparando o terreno…

 

No mês de Outubro de 2018, o Papa Francisco convocou toda a Igreja Católica para fazer desse mês (outubro de 2019), um mês extraordinário para a missão.

Desde então, o Seminário Provincial Sagrado Coração de Jesus, em Diamantina, tem se colocado em sintonia ao apelo do santo padre. Com o lema, “Batizados e enviados, a Igreja de Cristo em missão no Mundo” do mês extraordinário, as cidades de Serra Azul e Santo Antônio do Itambé, pertencentes à arquidiocese de Diamantina, sediaram no ano passado, as missões do Seminário que se realizam anualmente em determinada paróquia.

Este ano, até mesmo para se refletir a missão ad gentes (além fronteiras), o Seminário Provincial que acolhe os seminaristas da Diocese de Guanhães desde 2018, analisando sua ação missionária e formativa, escolheu marcar presença na Paróquia de Nossa Senhora da Pena, na cidade de Rio Vermelho (MG), que pertence à Diocese de Guanhães. Será realizada a Semana Missionária nesta paróquia, de 13 a 20 de outubro próximo. Para isso, no dia 18 de setembro, visitaram a sede paroquial de Rio Vermelho, a título de preparação às missões, os seminaristas que integram o Conselho Missionário de Seminaristas (Comise), tanto de Diamantina como também de Guanhães.

Chegando à cidade, os seminaristas Anderson Alves, Anderson Mendes, Dyulio Araújo, Filipe Ferreira e Thúlio Neves foram acolhidos pelo diácono Edmilson e pelo pároco, padre Salomão. Reuniram-se para estabelecer pontos importantes para o bom desempenho deste momento missionário. Em seguida, passaram pelos setores já estabelecidos e, à noite, reuniram-se com agentes de pastoral para encaminhamentos práticos para a semana missionária.

Percebeu-se forte entusiasmo dos participantes dessa reunião, como também o comprometimento de todas as equipes envolvidas, para que assim, a semana missionária da Paróquia de Nossa Senhora da Pena seja de fato, um despertar para nós, batizados, que temos a missão de ser Igreja no mundo.

Filipe Ferreira Coelho

2º ano de Teologia

Coordenador do Comise/Guanhães.

Dom Otacilio, toma posse como novo bispo da Diocese de Guanhães

Após três  anos de ministério episcopal, como bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte, Dom  Otacilio Ferreira de Lacerda, foi nomeado pelo Papa Francisco, como bispo da Diocese de Guanhães, pertencente ao Regional Leste II da CNBB, na Província Eclesiástica de Diamantina, e assumiu o cargo na manhã de hoje, 14 de setembro, em uma solene cerimônia na Catedral de São Miguel Arcanjo.

Milhares de fiéis, das 27 paróquias da diocese de Guanhães, dioceses vizinhas, da diocese de Guarulhos/SP, da arquidiocese de Belo Horizonte, além de inúmeros bispos, arcebispos, padres, diáconos e seminaristas, participaram fervorosamente da solene celebração na Catedral São Miguel, onde  realizou-se  a Posse Canônica e a Missa Estacional segundo o Rito.

Confira fotos da posse:

Transmissão da Posse Canônica

Informamos a todos que desejam acompanhar a Santa Missa com o Rito Canônico de posse do Bispo Diocesano de Guanhães, Dom Otacilio Ferreira de Lacerda; que será à partir das 9h na Catedral São Miguel Arcanjo; com a presença de vários bispos, arcebispos, padres, diáconos e uma multidão do povo de Deus da Diocese Guanhães e de outras dioceses. Com carinho, acolhemos a todos e desejamos que sintam-se em casa, desde já, e ao mesmo tempo informamos os links, que estarão transmitindo a Solene Celebração Eucarística.

– SITE: https://diocesedeguanhaes.com.br
– RADIO VIDA NOVA, 91,5 FM            https://vidanovafm.com.br
– Fanpage: facebook.com/fmvidanova

A todos, desejamos uma santa e feliz Celebração de acolhida de nosso novo pastor.

Paz e bem!

Todo povo vem cantar

“Todo povo vem cantar, jovem, velho e criança, nossa igreja Jubilar, vive cheia de Esperança…” Pe. José Adriano (refrão jubilar dos 25 anos da diocese).

É com esse clima de festa que o coração já pulsa de alegria para acolher, no dia 14 de Setembro, o 4º bispo titular da Diocese de Guanhães, Dom Otacilio Ferreira de Lacerda, cujo lema é” Para mim viver é Cristo”.
O bispo é aquele que reúne o rebanho e o conduz ao Bom Pastor que é Cristo. Nossa Diocese instalada em 1º de Maio de 1986, solenemente quis com Dom Felippe evangelizar na Presteza de Maria. Durante bom tempo, viram cair no solo do coração fiel do povo de Deus as reflexões que seu primeiro bispo lhes dirigia como pastor e guia. Claro! A menina dos olhos de dom Felippe já brilhava como a sua pupila no serviço ao reino de Deus concretizado na pessoa dos necessitados da Boa Nova.
Ora, a presteza de Maria foi propagada nessas terras benditas não só em palavras, mas no silêncio falante do testemunho do primeiro bispo. Deus lhe inspirou um bom propósito e ele o cumpriu até o dia em que o Pai lhe convidou a participar do banquete celeste. Seguindo esse ministério fecundo, quis o Espírito Santo de Deus enviar à Diocese como segundo bispo, Dom Emanuel Messias de Oliveira, providentemente, “a serviço da Misericórdia”. Junto ao seu presbitério e ao seu rebanho, viu como era importante dizer: “sou batizado, membro do povo de Deus na Diocese de Guanhães” e assim foi feito.
Em seguida, Dom Jeremias Antonio de Jesus entrou nessa barca com uma caminhada realizada. Quis fazer de seu ministério terreno fecundo a vontade do Pai, ou seja, que ela se cumprisse independente de seu querer humano. Viu-se traduzir então em gestos o desejo do seu lema inspirado na santíssima Virgem. O caminho apresentou seus desafios, mas também suas roseiras que trouxeram alegrias. Seu ministério em Guanhães presenciou a gestação de dois filhos do clero que foram sagrados bispos para continuar a missão dos apóstolos: Dom Marcello Romano, para a diocese de Araçuaí (Fazer o Amor ser amado) e Dom Jacy Diniz Rocha (Em atenção à tua palavra) para a diocese de Cáceres-MT.
O caminho de evangelização não pode parar e, para isso, é preciso que a luz d’Ele brilhe no meio do rebanho sobre o zelo de alguém que continue a clamar pela Verdade e nela caminhe. O agradecimento carinhoso do povo de Deus e do corpo evangelizador da Diocese a dom Darci José Nicioli; presença concreta e paterna com o presbitério, com os diáconos e seminaristas, bem como com o povo de Deus. Dom Darci ajudou no silêncio orante de seu carisma a preparar esta festa que já acontece nos corações dos fiéis desde a nomeação feita pelo santo Padre, o Papa Francisco, como administrador apostólico. De lá até esses dias, tudo flui e se encaminha para a organizada e carinhosa acolhida ao novo pai e irmão, o pastor e guia dessa pequena porção do povo de Deus que é a diocese de Guanhães.
Oh! Tempo profícuo à reflexão do espírito de pertencer ao rebanho de Cristo presente nesta região santa. A história de fé do povo, marcada pela ação incansável dos leigos nos trabalhos de engajamento pastoral, resulta na mais profunda manifestação de amor e carinho para com o anúncio do Reino. Os sacerdotes comprometidos em qualidade com a causa da missão exercem seu múnus de servidores do evangelho. Seminaristas se formam segundo o coração de Jesus levando em conta a identidade missionária de sua diocese. E o povo de Deus caminha à luz do Cristo também no testemunho de seus ministros.
Que alegria será quando o báculo (símbolo do serviço pastoral do bispo) for entregue àquela mão que apontará o caminho a seguir! Preparemo-nos, pois, irmãos e irmãs, para bradarmos juntos, Gloria in excelsis Deo.

 Seja bem-vindo, Dom Otacilio!

Filipe Ferreira Coelho
2º Ano de Teologia
Paróquia Nossa Senhora Aparecida/Guanhães.

Setembro Amarelo: campanha chama atenção e oferece apoio na prevenção do suicídio

No Brasil, uma pessoa tira a própria vida a cada 45 minutos, segundo o Centro de Valorização da Vida (CVV). Um dado alarmante que precisa cada vez mais de atenção da sociedade. Para isso, existe o movimento #SetembroAmarelo que este ano traz a campanha #ComoVaiVocê.

O CVV que realiza apoio emocional e prevenção ao suicídio, atende voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, e-mail e chat 24 horas todos os dias, convida toda a sociedade a se unir na luta pela prevenção.

O suicídio é um problema de saúde pública no Brasil e os casos têm crescido principalmente entre os jovens. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o suicídio já é a segunda causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos, no mundo. No Brasil, já é a quarta maior. Dados da OMS apontam que 32 brasileiros se suicidam diariamente.

O Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio é celebrado no dia 10 de setembro, mas durante todo o mês a campanha busca chamar a atenção da população sobre a importância dessa discussão. O bispo de Rio Grande e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Ricardo Hoepers, fala da importância de conversar sobre o assunto.

“Não podemos deixar de debater e aprofundar esse tema em nossas famílias, escolas, comunidades, entre os amigos e, também na saúde pública. Todos temos a responsabilidade de ajudar a diminuir os índices que temos visto crescer em todas as faixas etárias, mas principalmente entre os jovens”, destaca dom Ricardo.

Segundo a OMS, nove em cada dez mortes por suicídio podem ser evitadas. A prevenção é fundamental para reverter essa situação, garantindo ajuda e atenção adequadas. Para a organização, a primeira medida preventiva é a educação. É preciso perder o medo de se falar sobre o assunto.

O CVV alerta que a sociedade em geral precisa reconhecer sinais, diferenciar mitos e verdades, ouvir profissionais e ter acesso a formas de apoio. Falar também é a melhor solução já que a pessoa que pensa em suicídio sofre uma grande dor e não vê saída para ela. Em geral, quem pensa em suicídio não quer necessariamente morrer, mas fazer aquela dor sair, mas não sabe como.

De acordo com dom Ricardo, a aceitação do sofrimento e da angústia da vida é fruto de uma fé autêntica e, como são Paulo nos ensina que apesar de toda dor física e moral, de humilhações, de sofrimentos, nada pode separar-nos do amor de Cristo (cf. Rm 8, 35-37).

“Para nós os cristãos, esse é um grande desafio de testemunhar a fé, a esperança e o amor, através de nossa ação concreta de salvar vidas, de ajudar a dar sentido para quem perdeu a vontade de viver, e a fortalecer os que estão enfraquecidos nesse mundo que trata as pessoas como coisa descartável e sem valor”, diz.

A mobilização de combate ao suicídio pode ser feita de diversas formas. Seja com ações informativas em empresas, os órgãos públicos se iluminando de amarelo ou cada pessoa pode se mobilizar compartilhando informações sobre o movimento Setembro Amarelo nas redes sociais, levantando o tema em seus grupos e buscando informações confiáveis sobre o assunto.

O bispo de Rio Grande alerta para a importância da ajuda e o não julgamento. “Como se trata de um ato que contradiz a nossa inclinação natural de autopreservação, devemos ser muito cuidadosos na análise das causas que levam uma pessoa a fazer isso. Mais do que procurarmos culpados ou julgarmos pessoas, precisamos aprender a ajudar pró-ativamente quem precisa do nosso apoio com atitudes de prevenção”, relata.

O bispo acrescenta ainda que “uma vontade suicida pode ir crescendo envolta de uma série de sinais que devemos estar atentos: síndromes depressivas, uso indevido e abusivo de psicotrópicos, constantes frustrações, isolamento radical, uso abusivo de drogas, atos constantes de violência contra si e contra os outros, falta de sentido, e muitas outras atitudes que podem contribuir para uma vontade suicida se instalar. Esse é um assunto que nunca podemos resolver sozinhos, mas sempre buscar ajuda espiritual, para favorecer a retomada do sentido da vida e, profissional, para detectar o fator físico, genético, psicológico ou psiquiátrico que pode estar envolvido e tratar com o devido acompanhamento”.

Dentro dessa temática de preservação e valorização da vida o perito em Espaço Litúrgico da Comissão Episcopal Para a Liturgia da CNBB, padre Thiago Faccini Paro escreceu em parceia com um amigo, o pastor Christopher Marques, o livro “Quando a vontade de viver vai embora”.

De acordo com padre Thiago, “como líderes religiosos nos unimos para abordar um tema delicado e urgente: O sentido da vida! Esperamos com este livro ajudar muitas pessoas a superarem seus dramas e encontrando um sentido pra vida. De modo especial, neste mês de alerta e prevenção ao suicídio, este livro se torna mais um instrumento na preservação e valorização da vida”.

Durante o a 15ª edição do Encontro Nacional de Responsáveis Diocesanos de Juventude (ENRDJ), que reuniu os responsáveis diocesanos adultos para refletir importantes assuntos ligados à juventude: a prevenção ao suicídio foi um dos temas abordados com o intuito de aprofundar o assunto que vem chamando a atenção de estudiosos e dos que acompanham de perto a realidade juvenil quer seja no ambiente urbano, quer seja no ambiente rural: a realidade do suicídio e automutilação.

Um material com dados desenvolvido pela professora doutora Ticiana Paiva de Vasconcelos pesquisadora de temas de atenção e cuidado psicológico em crises, desastres, conflitos humanitários e suicídios, além de pioneira no Brasil na formação de profissionais para o cuidado a crise emocional (Psychological First Aid), foi apresentado.

Confirma a íntegra do material aqui.

Mais informações podem ser acessadas no site: www.setembroamarelo.org.br

Fonte: CNBB

Comunicado de Falecimento

Com pesar, comunicamos o falecimento nesta manhã (12), do senhor Darci Sebastião Nicioli, com 90 anos de idade, pai do nosso Administrador Apostólico, dom Darci José Nicioli. O sepultamento será, às 16h, na cidade de Jacutinga (MG).

Sr. Darci Sebastião Nicioli era viúvo de Maria José Riccetto Nicioli e deixa quatro filhos: Sebastião, Isabel, Vania, Rosalem, todos casados, e Dom Darci. Atualmente era casado, há 19 anos, com Maria Aparecida Moroni Nicioli, deixa um filho enteado, Paulo Henrique.

Plenamente confiantes na ressurreição em Cristo o clero, os colaboradores e toda a comunidade da Diocese de Guanhães se solidarizam com dom Darci e seus familiares.

Mensagem do Arcebispo

Agradeço-lhes pelas orações, na certeza da ressurreição em Cristo Senhor.
“Combateu o bom combate, terminou a vida e guardou a Fé” (2Tim. 4,7).

+ Darci José, CSsR
Arcebispo de Diamantina MG e Administrador Apostólico da Diocese de Guanhães.

Diocese de Guanhães se prepara para acolher o seu novo bispo diocesano.

Após um tempo de vacância, a Diocese de Guanhães receberá no próximo sábado, dia 14 de setembro, seu novo bispo diocesano. Dom Otacilio Ferreira de Lacerda, foi nomeado, pelo Papa Francisco, bispo de Guanhães em 19 de junho deste ano.

É natural de Palmas (MG), e como presbítero, servia a Diocese de Guarulhos (SP).

Em sua vasta atividade presbiteral, destacamos; a presidência do Projeto Missionário Norte 1 e Sul 1, da CNBB, assessor das pastorais Operária e da Juventude; superintendente da Cáritas Diocesana, representante dos presbíteros (2003 – 2010), e diretor espiritual dos seminaristas (2008 – 2015). Também foi membro do Conselho Presbiteral, vice ecônomo e coordenador diocesano de pastoral da Diocese de Guarulhos (SP).

A trajetória pastoral de dom Otacilio inclui a missão de vigário da Paróquia Nossa Senhora do Bom Sucesso, e Santo Alberto Magno, na Diocese de Guarulhos (SP), entre 1988 e 1999. Entre os anos 2000 e 2002, foi pároco na Paróquia Sagrado Coração de Jesus, em Ministro Andreazza (RO), e vigário paroquial da Paróquia São João Batista, em Presidente Médice (RO), durante o Projeto Missionário Norte 1 e Sul 2 da CNBB. Entre 2003 e 2006, foi pároco na Paróquia Nossa Senhora do Bom Sucesso, em Guarulhos. Na Paróquia Santo Antônio do Gopoúva, em Guarulhos, foi pároco, de 2006 a 2017.

Dom Otacilio, foi ordenado bispo no dia 18 de março, no Santuário Nacional de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, em Aparecida (SP), por Dom Walmor Oliveira de Azevedo, de quem era auxiliar, até ser nomeado para a Diocese de Guanhães.

A Posse Canônica será a partir das 9h, na Catedral São Miguel, em Guanhães, onde esperamos fiéis de todas as paróquias da diocese e  representantes das Arquidioceses de BH, Diamantina, da diocese de Guarulhos e visitantes de outras cidades e dioceses vizinhas.

Logo após os ritos próprios de acolhida, será celebrada a Missa de Início de Ministério Episcopal.

A Deus, louvamos e agradecemos, a presença de dom Otacilio, em nosso meio, e elevamos fervorosas orações, pelo bom êxito de seu ministério na Diocese de Guanhães.

 

 Pela Pascom,

Michel Araújo

A Palavra do Pastor
A oração não dispensa compromissos

A oração não dispensa compromissos

As mãos que elevamos aos céus são as mesmas que na terra estendemos ao outro... A Liturgia do 29º Domingo...
Read More
Graça, gratidão e gratuidade (Homilia 28º Domingo Tempo Comum – ano C)

Graça, gratidão e gratuidade (Homilia 28º Domingo Tempo Comum – ano C)

Graça, gratidão e gratuidade   “...Um deles, ao perceber que estava curado, voltou glorificando a Deus em alta voz; atirou-se...
Read More
Anjos que não vejo e anjos que vejo!

Anjos que não vejo e anjos que vejo!

A Igreja celebra, no dia 02 de outubro, a Memória dos Anjos de Guarda (Ex 23,21-23; Salmo 91; Mt 18,1-5.10)....
Read More
É missão das Paróquias resplandecer a luz divina

É missão das Paróquias resplandecer a luz divina

"Eles eram perseverantes no ensinamento dos apóstolos, na comunhão fraterna, na fração do pão e nas orações” (At 2,42) Em...
Read More
O Rico e o Pobre (homilia do 26° Domingo Comum)

O Rico e o Pobre (homilia do 26° Domingo Comum)

A Parábola do rico e do pobre Lázaro Quem são os “Lázaros” de nosso tempo? A Liturgia do 26º Domingo...
Read More
“Enviados para anunciar a Boa Nova”

“Enviados para anunciar a Boa Nova”

                                      “Ai...
Read More
0 0lhar do Amado…

0 0lhar do Amado…

"Moisés fez, pois, uma serpente de bronze e colocou-a como sinal sobre uma haste.Quando alguém era mordido por uma serpente,...
Read More
A Cruz e o caminho da santidade     

A Cruz e o caminho da santidade     

A Cruz e o caminho da santidade                      Celebramos dia 14 de setembro a Festa da Exaltação da Santa Cruz,...
Read More
Homilia do 24º Domingo do Tempo Comum – ano C

Homilia do 24º Domingo do Tempo Comum – ano C

“Entremos na Alegria do Pai” Com a Liturgia do 24º Domingo do Tempo Comum (Ano C), somos convidados a contemplar...
Read More
Homilia do 23º Domingo Comum – Dom Otacilio

Homilia do 23º Domingo Comum – Dom Otacilio

Amor e ardor na fidelidade ao Senhor! (Homilia 23º Domingo Tempo Comum - ano C) A Liturgia do 23º Domingo...
Read More
Curta Nossa Fanpage:

Empresas que possibilitam este projeto:

Arquivo