Notícias

AQUI O NATAL TEM DE SER TODO MÊS!

A Campanha da Fraternidade 2019, com o tema Fraternidade e Políticas Públicas e o lema Serás libertado pelo direito e pela justiça (Is 1,27), inspirou padre João Gomes Ferreira, da paróquia São Sebastião, a promover um conjunto de ações solidárias na cidade de Sabinópolis, MG. A ausência do Estado na efetivação de políticas públicas se faz sentir em toda sociedade. Há famílias que não possuem o mínimo básico para alimentarem os filhos e filhas. Falta emprego, remuneração justa, oportunidades de superação da pobreza. Ações desenvolvidas por Igrejas, associações, grupos de amigos, movimentos sociais visam a atingir as famílias carentes onde as políticas públicas não se tornam realidade.

História de solidariedade

Aos 26 de fevereiro de 2019, padre João Gomes reuniu um grupo de pessoas empenhadas na melhoria da qualidade de vida dos cidadãos de Sabinópolis para lhes fazer uma proposta ousada. O grupo, chamado para coordenar um projeto social, formou a Associação Casa do Amor Solidário São Sebastião. Marileia Queiroz, Tarcizio Mourão, Bernadete Generoso, Maria das Dores da Silva (Dora) se tornaram os coordenadores do projeto Margaridas Solidárias.

No dia 6 de março de 2019, padre João comunicou aos fiéis, durante a Missa, o início da ação solidária, convidando os cristãos católicos a se empenharem na promoção do primeiro gesto concreto da Campanha da Fraternidade 2019. 11 de abril de 2019 foi um dia marcante para os voluntários das Margaridas Solidárias. Nesse dia ocorreu a primeira doação de cestas básicas às famílias carentes da cidade. No primeiro mês, o projeto recebeu 91 cestas básicas.

A equipe de coordenação – Marileia, Tarcizio, Bernadete e Dora – trabalha para garantir que os produtos doados cheguem às casas das pessoas. O grupo recebe os itens, organiza as entregas, leva até as casas, conversa com os moradores, escuta e avalia as reais necessidades de cada grupo familiar. A coordenação abraça a causa e se envolve totalmente com as ações solidárias. “Dora sempre se dispõe a fazer a distribuição das cestas básicas. A maioria das pesquisas sobre as reais necessidades das famílias é realizada por ela”, ressaltou Marileia Queiroz, uma das coordenadoras do projeto Margaridas Solidárias.

Voluntários e benfeitores

Marileia Queiroz contou que há em Sabinópolis 78 grupos de voluntários. Cada um possui um coordenador responsável pela recepção dos produtos doados por 12 benfeitores. O coordenador, após receber os itens, os entrega na sede da Associação Casa do Amor Solidário São Sebastião. A coordenadora disse que entre os voluntários há advogados, assistentes sociais, servidores públicos, cidadãos que colaboram com outros serviços para o a promoção do bem-estar das famílias empobrecidas. “Entendemos que precisamos espalhar o amor, ensinar a dividir mais, doar mais, ajudar o necessitado naquilo que ele precisa”, afirmou Marileia.

Aproximadamente 936 pessoas se envolvem todos os meses com o projeto, garantindo a entrega de mais 78 cestas básicas. As Margaridas Solidárias são formadas por um coordenador mais 12 doadores. Cada doador se responsabiliza por um produto da cesta básica. “É gratificante realizar o projeto Margaridas Solidárias. Ninguém vem pedir uma cesta básica se não tiver precisando. A gente nota que as pessoas que hoje ajudam, um dia já foram ajudadas por alguém”, disse Marileia. A coordenadora fez questão de destacar que os coordenadores têm o cuidado de entregar às famílias não só alimento, mas itens de higiene pessoal. As cestas são recebidas entre o dia 14 de cada mês e levadas para as casas até o dia 22.

As cestas não são entregues sem acompanhamento. Os coordenadores visitam as famílias para realização de um cadastro. Voluntários entregam as cestas todos os meses na casa das famílias. Existe uma parceria com a Prefeitura Municipal para garantir a entrega das doações. A Secretaria de Assistência Social colabora com informações referentes ao cadastro dos grupos familiares.

A coordenadora narrou várias histórias das Margaridas Solidárias. “Uma pessoa uma vez me pediu uma caixa de leite; ela tem 3 filhos, ganha salário mínimo. Preparamos uma cesta para a família. De lá para cá, ela passou a receber as cestas. Ficamos muito sensibilizados quando notamos que falta comida na casa das pessoas. A cesta ajuda muito. Imagina. A pessoa ainda paga aluguel. A nossa colaboração garante pelo menos o alimento dos filhos”, contou Marileia.

Como promover o bem

“Uma senhora recebia regularmente as cestas. Depois que recebeu o benefício (aposentadoria) agradeceu aos voluntários e hoje não recebe mais”, disse a coordenadora. Segundo Marileia, nas periferias da cidade há muita gente necessitada. Como o número de doações ainda não é suficiente para atender todas as famílias se faz um revezamento na entrega dos donativos. “Para que as cestas possam chegar a mais famílias, precisamos alternar as doações. Ainda não conseguimos atender todas as pessoas”, lamentou.

Marileia faz questão o tempo todo de dizer que padre João foi o idealizador das Margaridas Solidárias. “A comunidade paroquial abraçou o projeto. Nós nos empenhamos para promover o bem regularmente”, afirmou. Ela acredita que as ações do projeto devem ser mais do que doar cestas básicas.

No Natal de 2019, os voluntários querem ampliar o número de cestas. Marileia afirmou que o projeto exige muito dos voluntários. “Caso não haja pessoas disponíveis, o projeto corre risco de acabar. A ideia é fazer o projeto crescer. Esperamos que no Natal, a gente consiga colher 150 cestas. Queremos que as famílias assistidas possam celebrar o Natal”, exclamou.

Marileia espera que para o ano de 2020 outras parcerias sejam firmadas para a realização efetiva do projeto. “Precisamos aumentar os grupos, atingir mais gente, ampliar as Margaridas”, disse. Quando perguntada sobre por que o projeto recebe o nome Margaridas Solidárias, a coordenadora falou sobre a suavidade da flor. “As pétalas, entrelaçadas, representam o amor e a solidariedade. Que     ro ressaltar a perspicácia de padre João em trazer o projeto para a cidade. Padre João acertou o coração de todo mundo. O legado do padre João será o projeto Margaridas Solidárias”, afirmou.

“Não frequentava a Igreja. Comecei a frequentar após uma Missa presidida pelo padre João. Foi passando o tempo, eu me envolvi mais com os eventos da Igreja. De voluntária da Festa de São Sebastião, eu me interessei por essa ação solidária. Todos os meses celebramos uma Missa em Ação de Graças pela ação social voluntária praticada pelas Margaridas”, testemunhou a coordenadora.
No dia 21 de outubro de 2019, a Associação Casa do Amor Solidário realizou um atendimento gratuito, com médico oftalmologista, para 150 pessoas. Marileia faz questão de ressaltar que há irmãos e irmãs evangélicos que fazem parte do projeto. “A ação solidária envolve muitas pessoas e, infelizmente, se manifesta nos lugares onde o Estado está ausente”, denunciou.

 

 

 

 

 

 

 

 

Por Luís Carlos Pinto e
Pe Adão Soares de Sousa
Fotos de Marileia Queiroz

A Paróquia São Sebastião promove ação solidária

Para a coordenadora o projeto é da Paróquia São Sebastião. “Ninguém pode se autopromover por meio do projeto. Nós não deixamos isso ocorrer. Temos cuidado de garantir que ninguém se aproprie da causa para benefício próprio”, garante.

No final, em um depoimento forte e real a coordenadora afirmou: “A gente conhece realidades gritantes. Existem casas que a gente pensa assim: Meu Deus, como essas pessoas vivem assim?! Vivem na pobreza extrema. Sem nada para comer. Levando as cestas básicas, levamos vida para as pessoas. Estamos cada vez mais à margem da necessidade do outro. A gente vê famílias enormes, filhos e filhas sem alimento. O Estado se coloca ausente. Uma cesta básica para muitas famílias não contribui para tirá-las da miséria. Muitas famílias só têm os alimentos vindos da ação solidária. Cabe a nós ajudar. Fazer o bem sem olhar a quem”, concluiu Marileia.

Para mais informações sobre o projeto Margaridas Solidárias: Casa do Amor Solidário São Sebastião, Rua Diamantina, 05 – Centro – Sabinópolis – MG, E-mail: paroquiasabinopolis@gmail.com, Telefone: (33) 3423-1369

AÇÃO SOLIDÁRIA EVANGELISTANA

“Gente simples, fazendo coisas pequenas, em lugares pouco importantes, consegue mudanças extraordinárias.” (Provérbio africano). Veja a seguir fotos de um mutirão solidário em São João Evangelista. Nesta ação – promovida por Adenilson Lopes e Breno Costa Ribeiro – evangelistanos, inclusive que moram no exterior, colaboraram para concretização de um sonho de moradia. Esta é uma entre outras realizadas pela população voluntariamente. E faz com que o natal não seja apenas um dia e o espírito fraterno caridoso que paira no ar nesta época do ano perdure todos os dias do ano.

Graças ao bom Deus, essa é uma realidade que em variadas cidades de paróquias de nossa diocese vem acontecendo: alimentação, moradia, entre outros, são oferecidos a quem tem necessidade também nos outros dias do ano.

Por PASCOM Diocesana com informaçoes e fotos de Adenilson Lopes

Mensagem e Benção Urbi et Orbi

MENSAGEM URBI ET ORBI
DO PAPA FRANCISCO

NATAL 2019

Balcão central da Basílica Vaticana
Quarta-feira, 25 de dezembro de 2019.

 

«O povo que andava nas trevas viu uma grande luz» (Is 9,1).

Queridos irmãos e irmãs, feliz Natal!

Nesta noite, do ventre da mãe Igreja, nasceu de novo o Filho de Deus feito homem. O seu nome é Jesus, que significa Deus salva. O Pai, Amor eterno e infinito, enviou-O ao mundo, não para condenar o mundo, mas para o salvar (cf. Jo 3, 17). O Pai no-Lo deu, com imensa misericórdia; deu-O para todos; deu-O para sempre. E Ele nasceu como uma chamazinha acesa na escuridão e no frio da noite.

Aquele Menino, nascido da Virgem Maria, é a Palavra de Deus que Se fez carne; a Palavra que guiou o coração e os passos de Abraão rumo à terra prometida, e continua a atrair aqueles que confiam nas promessas de Deus; a Palavra que guiou os judeus no caminho desde a escravidão à liberdade, e continua a chamar os escravos de todos os tempos, incluindo os de hoje, para sairem das suas prisões. É Palavra mais luminosa do que o sol, encarnada num pequenino filho de homem, Jesus, luz do mundo.

Por isso, o profeta exclama: «O povo que andava nas trevas viu uma grande luz» (Is 9,1). É verdade que há trevas nos corações humanos, mas é maior a luz de Cristo; há trevas nas relações pessoais, familiares, sociais, mas é maior a luz de Cristo; há trevas nos conflitos económicos, geopolíticos e ecológicos, mas é maior a luz de Cristo.

Que Jesus Cristo seja luz para tantas crianças que padecem a guerra e os conflitos no Médio Oriente e em vários países do mundo; seja conforto para o amado povo sírio, ainda sem o fim à vista das hostilidades que dilaceraram o país nesta década; sacuda as consciências dos homens de boa vontade; inspire hoje os governantes e a comunidade internacional, para encontrar soluções que garantam a segurança e a convivência pacífica dos povos da Região e ponham termo aos seus sofrimentos indescritíveis; seja sustentáculo para o povo libanês, para poder sair da crise atual e redescobrir a sua vocação de ser mensagem de liberdade e coexistência harmoniosa para todos.

Que o Senhor Jesus seja luz para a Terra Santa, onde Ele nasceu, Salvador do homem, e onde continua a expectativa de tantos que, apesar de cansados mas sem se perder de ânimo, aguardam dias de paz, segurança e prosperidade; seja consolação para o Iraque, atravessado por tensões sociais, e para o Iémen, provado por uma grave crise humanitária.

Que o Menino pequerrucho de Belém seja esperança para todo o continente americano, onde várias nações estão a atravessar um período de convulsões sociais e políticas; revigore o querido povo venezuelano, longamente provado por tensões políticas e sociais, e não lhe deixe faltar a ajuda de que precisa; abençoe os esforços de quantos se empenham em favorecer a justiça e a reconciliação e trabalham para superar as várias crises e as inúmeras formas de pobreza que ofendem a dignidade de cada pessoa.

Que o Redentor do mundo seja luz para a querida Ucrânia, que aspira por soluções concretas para uma paz duradoura.

Que o Senhor recém-nascido seja luz para os povos da África, onde perduram situações sociais e políticas que, frequentemente, obrigam as pessoas a emigrar, privando-as duma casa e duma família; haja paz para a população que vive nas regiões orientais da República Democrática do Congo, martirizada por conflitos persistentes; seja conforto para quantos padecem por causa das violências, calamidades naturais ou emergências sanitárias; dê consolação a todos os perseguidos por causa da sua fé religiosa, especialmente os missionários e os fiéis sequestrados, e para quantos são vítimas de ataques de grupos extremistas, sobretudo no Burkina Faso, Mali, Níger e Nigéria.

Que o Filho de Deus, descido do Céu à terra, seja defesa e amparo para todos aqueles que, por causa destas e outras injustiças, devem emigrar na esperança duma vida segura. É a injustiça que os obriga a atravessar desertos e mares, transformados em cemitérios; é a injustiça que os obriga a suportar abusos indescritíveis, escravidões de todo o género e torturas em campos de detenção desumanos; é a injustiça que os repele de lugares onde poderiam ter a esperança duma vida digna e lhes faz encontrar muros de indiferença.

Que o Emmanuel seja luz para toda a humanidade ferida. Enterneça o nosso coração frequentemente endurecido e egoísta e nos torne instrumentos do seu amor. Através dos nossos pobres rostos, dê o seu sorriso às crianças de todo o mundo: às crianças abandonadas e a quantas sofreram violências. Através das nossas frágeis mãos, vista os pobres que não têm nada para se cobrir, dê o pão aos famintos, cuide dos enfermos. Pela nossa frágil companhia, esteja próximo das pessoas idosas e de quantas vivem sozinhas, dos migrantes e dos marginalizados. Neste dia de festa, dê a todos a sua ternura e ilumine as trevas deste mundo.

Queridos irmãos e irmãs!

Renovo os meus votos dum Natal feliz para todos vós que, vindos dos quatro cantos da Terra, vos encontrais nesta Praça [de São Pedro] e para quantos nos acompanham pela rádio, televisão e restantes meios de comunicação. Obrigado pela vossa presença, neste dia de alegria.

Todos somos chamados a dar esperança ao mundo anunciando, por palavras e sobretudo com o testemunho da nossa vida, que nasceu Jesus, nossa paz.

Por favor, não vos esqueçais de rezar por mim. Bom almoço de Natal! Até à vista.

Casamento Coletivo na Paróquia São Pedro, em São Pedro do Suaçuí

O dia 21 de dezembro de 2019 representou um dos momentos mais significativos e felizes na vida de 16 pessoas que frequentam a paróquia São Pedro, em São Pedro do Suaçuí. Oito casais se uniram oficialmente perante a Igreja Católica, em uma cerimônia de casamento coletivo, realizada na Igreja Matriz.

Antes da cerimônia, o nervosismo e expectativa tomavam conta dos noivos que aguardavam ansiosos suas companheiras. Elas foram preparadas e maquiadas pelas jovens: Maria Eduarda Alexandre, Carla Reis e Maria Clara Alves. Elas tiveram o apoio e animação durante toda caminhada de preparação para esse dia,com Andrea Gomes e Maria do Socorro Vasconcelos.

O administrador paroquial Pe Luiz Maurício da Silva presidiu a Celebração e destacou que o casamento é um dos sacramentos mais importantes na vida de duas pessoas que se amam. Para o sacerdote, viver a dois requer compromisso e partilha. “São duas pessoas que se tornam uma para Deus”. O matrimônio, assim como os outros sacramentos, é importantíssimo para a Igreja, para a família e para a sociedade, por isto deverão renovar seu ‘sim’ todos os dias”, observou o sacerdote.

Parentes, padrinhos, madrinhas, amigos dos noivos e paroquianos prestigiaram o momento que foi considerado pelos presentes como um dos mais belos da cidade.

Foi bonito e emocionante a entrada  das alianças trazidas – algumas- por  filhos “dos noivos”.

Segundo Padre Luiz, os casais que oficializaram a situação matrimonial participaram de um curso de formação oferecido pela paróquia e receberam suas orientações . Estes casais já viviam juntos, têm filhos e não tinham tido, até então, a   oportunidade de se casarem na Igreja e regularizar a situação matrimonial.

Ao final da Cerimônia, pe Luiz  agradeceu a todos os envolvidos na preparação de tão importante momento. Especiais agradecimentos a proprietária da loja Bela Noiva, de São João Evangelista que doou o aluguel dos vestidos para as noivas, ao Pedro Brant, buffet e ornamentação.

Alessandro Gomes.

Pascom/ São Pedro do Suaçuí.

Papa Francisco na Festa de Guadalupe: Maria é mãe e é mestiça

O Papa Francisco celebrou na tarde da quinta-feira, na Basílica de São Pedro a Santa Missa por ocasião da festa de Nossa Senhora de Guadalupe. “Trata-se de uma festa muito amada pelo Papa Francisco e particularmente evocativa para os latino-americanos”. Concelebraram com o Santo Padre entre outros, o cardeal Marc Ouellet.

Silvonei José – Cidade do Vaticano

Maria: mulher, mãe e mestiça. O Papa Francisco, celebrando a Santa Missa no final da tarde desta quinta-feira na Basílica Vaticana pela padroeira da América Latina na Festa Litúrgica de Nossa Senhora de Guadalupe fez uma reflexão sobre a figura de Maria.

Maria, disse em sua homilia em espanhol, sem texto, é “mulher”, “mãe” e “mestiça”. Ela se mestiçou para ser uma só com a humanidade, Maria mãe que consegue fazer esta mestiçagem com Deus, verdadeiro Deus e verdadeiro homem.”

Francisco adverte: “Quando nos contam histórias, não devemos nos perder atrás de bobagens, Maria é mãe, mãe do seu Filho e da Santa Mãe Igreja hierárquica, e é mestiça, mulher dos nossos povos que tornou mestiço também Deus”.

Falando sobre a mulher na Igreja disse que ela não é apenas uma questão de função. É preciso ir mais longe, não parar “no meio da estrada” com os títulos.

“Maria é a nossa mãe, a mãe dos nossos povos, a mãe de todos nós. Ela é a mãe da Igreja, e é mãe do nosso coração. Alguns Padres dizem que o que se diz de Maria também se pode dizer da nossa alma porque a Igreja é feminina e a nossa alma tem a capacidade de receber a graça de Deus”.

“Os padres da Igreja – recordou Francisco – viram-na feminina”. Daí a advertência do Papa: “Quando procuramos o papel da mulher na Igreja podemos seguir o caminho da funcionalidade mas isso só nos levaria à metade da estrada. A mulher na Igreja vai além, com este princípio mariano que “maternaliza” a Igreja e a transforma na Santa Mãe Igreja. Maria mulher, Maria mãe, sem outro título essencial”.

Santa Missa na festa de Nossa Senhora de Guadalupe  (Vatican Media)

https://www.vaticannews.va/pt/papa/news/2019-12/papa-na-festa-de-guadalupe-maria-mae-mestica.html

Santa Missa na festa de Nossa Senhora de Guadalupe  (Vatican Media) Vatican News.

” Fraternidade presbiteral na alegria e na tristeza, na vida e na morte”

O Clero da Diocese de Guanhães, junto ao seu Bispo, Dom Otacílio manifestaram a sua solidariedade ao nosso irmão, Pe. Adão, no velório e sepultamento da sua mãe Dona Maria Soares de Souza, em Santa Maria do Suaçuí na terça-feira, 17/12. Na missa de corpo presente estavam presentes também Dom Marcelo Romano, bispo da Diocese de Araçuaí e o Pe. Lucimar filho de Santa Maria, incardinado à Diocese de Ituiutaba. Pedimos a Deus que faça brilhar para Dona Maria a Luz da Ressurreição e conforte o coração de seus familiares!

Um almoço foi oferecido aos padres, aos Bispos Dom Otacílio e Dom Marcello Romano e amigos do Pe. Adão . Na oportunidade, a paróquia de Santa Maria ofereceu ao Dom Marcello uma cesta com produtos da região em comemoração aos seus 25 anos de sacerdócio!

Pe Dilton  – Coordenador de Pastoral.

  … Teríamos um encontro de convivência presbiteral com vistas ao Natal. Quis Deus que fosse um encontro de convivência solidária, a maior convivência … Fraternidade presbiteral na alegria e na tristeza, na vida e na morte…”

Dom Otacilio Ferreira de Lacerda  ( Trecho de sua homilia proferida durante a Missa de Corpo presente de Dona Maria Soares de Souza)

   

 

Fotos encaminhadas por Pe Dilton

Reunião para avaliação das atividades pastorais em São Pedro

O administrador paroquial Padre Luiz Maurício da Silva e as lideranças dos Movimentos, Pastorais e Comunidades de São Pedro do Suaçuí reuniram-se na manhã do dia 14 de dezembro, na Capela Nossa Senhora Aparecida, bairro Vargem Grande, para momentos de avaliação da caminhada pastoral, formação de 2019  e planejamento de atividades para o ano de 2020.

A escolha do local se deu a partir de um sorteio entre as comunidades. É costume que todas as reuniões de lideranças ocorram no Salão Paroquial, mas desde 2018 o grupo definiu a estratégia de que a última do ano, a da avaliação, se realizasse em uma Capela ou setor para que todos pudessem participar da confraternização.

Os cristãos leigos e leigas solicitaram ao administrador paroquial esse momento para uma reflexão e avaliação da caminhada pastoral e ele aceitou e colaborou na proposta. A secretária da paróquia, Jéssica Ribeiro, teve um papel fundamental na mobilização, comunicação e logística na preparação do encontro.

A comunidade local acolheu a todos com variado café da manhã. Padre Luiz iniciou a oração destacando a importância do momento e convidou o grupo a fazer memória dos momentos mais relevantes em 2019 na paróquia, na diocese, na igreja no Brasil e no mundo a partir dos símbolos expostos no ambiente ou fatos que ficaram marcados na memória dos participantes. Os mencionados foram: novenas e festas dos padroeiros, campanhas de evangelização, a canonização de irmã Dulce, formação da catequese e dízimo nas áreas, os desafios do Papa Francisco e da igreja no mundo, a novena de natal com as crianças, a posse de nosso bispo diocesano Otacilio Ferreira de Lacerda, a primeira visita pastoral e celebração da Crisma.

A seguir, o cristão leigo Alessandro Gomes apresentou ao grupo a definição de avaliação como um aspecto constitutivo da ação pastoral. Ressaltou que avaliar é olhar a caminhada feita, procurando não perder a História construída e, acima de tudo, é olhar as perspectivas de futuro como oportunidade de refletir sobre o processo em andamento e ver em que precisamos crescer. Frisou sobre a importância de sentir as conquistas que estão sendo feitas, valorizando o esforço individual e coletivo, para animar a caminhada.  Finalizou dizendo que avaliar é também mergulhar nos fracassos, nas omissões, nos erros, para compreender o que gerou as derrotas e que a avaliação é uma prática do Povo de Deus em toda sua história.

Após, o grupo dedicou-se à leitura dinâmica do Projeto de Pastoral e Plano de Ação Evangelizadora de nossa diocese e suas urgências: a) Permanecer em constante “estado de missão”; b) Cuidar da “Iniciação à vida cristã”; C) Amplificar a “animação bíblico-catequética”; d) Vivenciar a Igreja como “comunidade de comunidade” e) Ser Igreja a “serviço da vida plena” para todos.

Na avaliação dos presentes, os pontos fortes durante o ano com referência ao projeto foram: formação de catequistas, catequese de inspiração catecumenal e litúrgica, reorganização do Conselho de Assuntos Econômicos, formação de Leigos nos Encontros Diocesanos, pastoral da comunicação e utilização das redes sociais. No que se refere aos desafios, destacaram-se: animar os cristãos desencantados e desanimados, reanimar e formar grupos de reflexão, aproveitar os momentos de piedade popular para evangelizar, fortalecer e fidelizar os cristãos presentes em nossas comunidades, formar os agentes de pastorais no espírito missionário; assistir emergencialmente os mais necessitados na paróquia e ter uma agenda permanente de formação.

Os participantes, com base nos desafios, elaboraram uma agenda de formação para 2020. Padre Luiz destacou que elas ocorrerão sempre no primeiro sábado de cada mês e que em todas ficará reservado um tempo para formação litúrgica. Sugeriu-se que a preparação/ formação para os meses temáticos se realizem sempre no período anterior para melhor organização da comunidade. Exemplo: o mês referência do dizimo é novembro; então, em outubro o grupo vai estudar o tema para melhor preparação.

Fevereiro Campanha da Fraternidade/sistema de administração paroquial
Março Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora
Abril Festa do padroeiro
Maio Formação litúrgica para ministros/leitores/acólitos/coroinhas
Junho Cartilha das comunidades eclesiais de base
Julho Vocações/ Semana da Família
Agosto Bíblia
Setembro Missão
Outubro Dizimo
Novembro Novena de Natal das crianças e adultos/ Doutrina Social
Dezembro Avaliação

Para finalizar o grupo rezou a oração de renovação do compromisso missionário, com destaque em cada área de atuação. Após a bênção e envio, houve troca de presentes entre as lideranças e o padre e serviu-se um almoço. A avaliação dos participantes para o encontro foi muito positiva e de extrema relevância para os trabalhos de evangelização da paróquia.

 

Equipe da Pascom

Fotos: Jéssica Ribeiro

 

 

Missa de Corpo Presente de Dona Maria Soares de Souza, mãe de Pe Adão Soares

A Diocese de Guanhães vivenciou no dia 17 de dezembro, um momento forte de solidariedade e comunhão, tanto presbiteral como também de muitos diocesanos junto ao bispo Dom Otacílio, por ocasião do falecimento de Dona Maria Soares de Souza, mãe de Pe Adão Soares, pároco das paróquias N. Sra Aparecida-Pito em Guanhães e N.Sra do Porto, em Senhora do Porto. A senhora Maria Soares de Souza faleceu no dia 16 de dezembro em Belo Horizonte.  Dom Otacílio presidiu às 15horas, missa de corpo presente, na  Igreja Matriz de Santa Maria Eterna em Santa Maria do Suaçuí , concelebrada por vários padres da diocese e por Dom Marcelo Romano,bispo de Araçuaí . Em sua homilia Dom Otacílio deixou uma mensagem de fé, esperança e solidariedade ao padre Adão e familiares, destacando a importância de se viver a comunhão com Deus já aqui e no momento do encontro definitivo com o Senhor, contemplar as alegrias eternas. Enfatizou o momento litúrgico do Advento onde o Evangelho descreveu a genealogia de Jesus. A senhora Maria Soares também, pelo Batismo, faz parte dessa história do povo de Deus, história de altos e baixos ,alegrias e tristezas, momentos de acertos e fragilidades mas tudo superado pela graça salvadora de Cristo que não veio para salvar anjos mas pessoas humanas. Ao final da celebração Eucarística, o padre José Aparecido de Pinho dirigiu uma mensagem de esperança e solidariedade ao colega e irmão no sacerdócio padre Adão e a seus familiares . Foi um momento de profunda comunhão da família presbieral diocesana e uma demonstração de fraternidade e carinho de todos para com padre Adão e seus familiares . Ao final, fez- se a encomendação do corpo e o sepultamento no cemitério da cidade de Santa Maria do Suaçuí , onde a senhora Maria Soares de Souza residia.

Madalena Santos Pires.

Liderança da Paróquia Nossa Senhora Aparecida

Fotos: Eliana Alvarenga

Nota de Falecimento

A Diocese de Guanhães  comunica o falecimento da Sra. Maria Soares dos Santos, mãe de Padre Adão Soares de Souza, ocorrido na tarde de 16 de dezembro em Belo Horizonte.

Nossa diocese se solidariza com  Pe. Adão e seus familiares. Nossas orações e preces sejam acompanhadas pela esperança da ressurreição. Que o Senhor, em sua infinita bondade e misericórdia, conceda à Sra. Maria Soares dos Santos  o descanso e a luz eterna.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Por Michel Araújo – Pascom Diocesana.

O sepultamento será às 16h em Santa Maria do Suaçuí e a Missa de corpo presente será às 15h presidida por Dom Otacilio F de Lacerda.

Cuidar – Campanha para a Evangelização 2019

        

“Com o objetivo de motivar os fiéis a participarem efetivamente da missão da Igreja por meio do testemunho de vida, de ações pastorais específicas e de garantia de recursos para a ação pastoral, a Campanha para a Evangelização completa 21 anos em 2019. Aprovada pela 35ª Assembleia  Geral da Conferência Nacional dos bispos do Brasil (CNBB), em 1997, ela foi realizada pela primeira vez no advento de 1988. Uma das grandes motivações  para a sua realização é a conscientização sobre a importância do compromisso  evangelizador que deve ser assumido por cada cristão e o despertar para a  corresponsabilidade  pelo sustento das atividades pastorais da Igreja Católica no Brasil.”

            O Gesto Concreto da Campanha é a coleta realizada no 3° domingo do Advento, que tem como objetivo angariar recursos para que a Igreja no Brasil tenha condições de continuar evangelizando.

            Os recursos  arrecadados são divididos entre as dioceses, os regionais e a CNBB,  para iniciativas evangelizadoras, como as atividades de formação e financiamento de ações pastorais. A coleta da Campanha para a Evangelização é distribuída da seguinte maneira: 45% dos recursos ficam na própria Diocese; 20%  vão para o Regional da CNBB; e 35% se destinam a CNBB Nacional.

Vejamos alguns investimentos em nossa Diocese que fizemos com os 45% da coleta de 2018:

  • Catequese (IRPAC): 700,00
  • Campanha da Fraternidade (Assessoria e Alimentação): 1.725,87
  • Pastoral Familiar: 800,00
  • Pastoral do Dízimo (CONADIZ): 1.400,00
  • Assembleia Anual (CONSER- Regional Leste 2): 684,00
  • Pastoral Presbiteral ( Encontro Regional): 735,00
  • Formação do Clero ( Moral Pe. Gonzaga): 1.500,00
  • CEBs: 629,39
  • Catequese ( Encontro Regional Leste 2): 1.655,00
  • Roteiros Grupo de Reflexão ( Viagem à Caratinga): 228,44
  • Pastoral Carcerária: 200,00
  • Pastoral Presbiteral ( Encontro Presbíteros): 1.176,50
  • Patrimônio ( Congresso Patrimônio e Artes Sacra): 1.000,00
  • Pascom ( Multicom): 505,34
  • CEBs: 350,00
  • Leigos ( Encontro): 166,50

              Inspirados na atitude do Bom Samaritano: ‘Cuida dele’ (cf. LC 10,35), vamos partilhar, no amor e na solidariedade, para cuidarmos melhor uns dos outros.

                                                                                        Pe Hermes Firmiano Pedro

Diáconos e seminarista reuniram-se com Dom Otacílio

Na manhã da terça-feira, dia 03 de dezembro, os diáconos transitórios André, Daniel e Edmilson e o seminarista Guilherme reuniram -se com Dom Otacílio para uma fraternal conversa a respeito da caminhada de cada um em seus respectivos estágios pastorais. Na oportunidade, Dom Otacílio partilhou uma brevíssima reflexão acerca do Documento 110 da CNBB que trata das diretrizes para formação dos presbíteros da Igreja no Brasil.

Encerrou-se o encontro com um almoço fraterno, oportunidade para estreitar os laços de amizade entre eles.

O Diácono André Luiz Eleotério Lomba é natural de Rio Vermelho (MG), nascido em 21/12/1987. E Licenciado em Filosofia pelo Seminário Diocesano de Caratinga/MG e pela Faculdade Católica de Anápolis/GO (2013); tem bacharelado em Teologia pelo Seminário Diocesano de Caratinga e pelo Instituto Santo Tomás de Aquino (ISTA) de Belo Horizonte/MG (2016); e especialização em Catequética pelo Instituto Regional de Pastoral Catequética (IRPAC) e pela PUC Minas (2014-2017). No momento está em estágio diaconal na Paróquia N Sra da Conceição, em Conceição do Mato Dentro/ MG. Exerce outras funções, a saber: coordenador da Escola de Teologia para Leigos e equipe de assessoria dos Roteiros (cartilhas/novena de natal/grupos de reflexão).

O Diácono Daniel Bueno Borges é natural de São José dos Campos/SP, nascido em 22/06/1983. É Licenciado em Filosofia pelo Centro Universitário Claretiano; musicista pela Faculdade de música ULM São Paulo – SP; bacharel em Teologia pela Faculdade Católica de São José dos Campos –SP; técnico em restauro e conservador de imagens policromadas pela Faculdade SENAI Félix Guisard, UNITAU-Taubaté/SP e FUNDJAC Fundação Dom Jose Antonio do Couto Museu de arte sacra de Taubaté-SP. No momento está em estágio diaconal na paróquia Sant’Ana, em Água Boa/ MG. Exerce outras funções, a saber: compõe a equipe de assessoria da Pastoral Litúrgica, Apostolado da Oração e Legião de Maria.

O Diácono Edmilson Henrique Cândido é natural de Monsenhor Paulo/ MG nascido em 26/09/1974. Tem formação em Magistério na E. E. Presidente Kennedy; Filosofia no Instituto São José de Três Corações; Teologia no ISTA (Instituto São Tomás de Aquino) em BH. No momento está em estágio diaconal na Paróquia N Sra da Pena em Rio Vermelho/ MG. Exerce outras funções, a saber: assessor da Pastoral do Dízimo.

Os diácono foram ordenados 09/02/2018. Já o seminarista Guilherme – natural de Ferros, nascido em 02/03/1992 – concluiu sua formação acadêmica na área de Filosofia e Teologia em Caratinga/MG, passou pela Paróquia São Miguel e Almas, em Guanhães/MG e atualmente está em estágio pastoral na Paróquia N Sra do Pilar que abrange as cidades de Morro do Pilar/MG e Santo Antônio do Rio Abaixo/MG

Fotos e informações do seminarista Guilherme Soares Lage

 

 

 

 

 

 

 

 

A Palavra do Pastor
Sejamos instrumentos nas mãos de Deus (Homilia do 3º Domingo do Ano A)

Sejamos instrumentos nas mãos de Deus (Homilia do 3º Domingo do Ano A)

No 3º Domingo do Tempo Comum (Ano A), refletimos sobre o Projeto de Salvação e de Vida plena que Deus...
Read More
FORTALEÇAMOS O PILAR DA PALAVRA DE DEUS

FORTALEÇAMOS O PILAR DA PALAVRA DE DEUS

As novas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora no Brasil (2019-2023), Documento nº. 107 da Conferência Nacional do Brasil  (CNBB), nos apresentam...
Read More
Apresentar e testemunhar Jesus, a luz das Nações ( Homilia para o 2º Domingo do Tempo Comum-ano A)

Apresentar e testemunhar Jesus, a luz das Nações ( Homilia para o 2º Domingo do Tempo Comum-ano A)

Apresentar e testemunhar Jesus, a Luz das Nações “Melhor é calar-se e ser do que falar e não ser. Coisa...
Read More
Ser batizado é ouvir a voz do Filho Amado

Ser batizado é ouvir a voz do Filho Amado

  O Batismo do Senhor é apresentado de diferentes modos: os Evangelhos de São Marcos e São Lucas apenas fazem...
Read More
A Evangelização nos desafia: É tempo de sermos epifânicos!

A Evangelização nos desafia: É tempo de sermos epifânicos!

  A Evangelização nos desafia: É tempo de sermos epifânicos! Há de brilhar e brilhou… Uma estrela há dois milênios,...
Read More
Epifania: Jesus é o Salvador de todos os povos ( Homilia da Epifania do Senhor)

Epifania: Jesus é o Salvador de todos os povos ( Homilia da Epifania do Senhor)

Epifania: Jesus é o Salvador de todos os povos Celebraremos com toda a Igreja, a Solenidade da Epifania do Senhor,...
Read More

Deus seja louvado! Olhando para o ano que está terminando, faltando apenas dois dias, vi que: Amo o que faço! Creio...
Read More
Sagrada Família, modelo de fidelidade e coragem

Sagrada Família, modelo de fidelidade e coragem

Sagrada Família, modelo de fidelidade e coragem Celebrar a Festa da Sagrada Família (ano A), é para todos nós, uma...
Read More
Ah, se nossas famílias escutassem o Anjo do Senhor…

Ah, se nossas famílias escutassem o Anjo do Senhor…

Ah, se nossas famílias escutassem o Anjo do Senhor... Na Liturgia da Palavra na Festa da Sagrada Família (ano A),...
Read More
O silêncio dos inocentes

O silêncio dos inocentes

O silêncio dos inocentes... “Levante-se, pegue a Criança e a Sua mãe e fuja para o Egito. Fiquem lá até...
Read More

Empresas que possibilitam este projeto:

Arquivo