Braúnas – MG

Paróquia Nossa Senhora do Amparo
Pe. Amarildo Dias da Silva
Comunidades: Barroadas, Vargem Grande, Santa Rita, Córrego Alto, Canoas, Quilombo, Salto Grande, Barretina, Ivos, Córrego Grande, Gaspar, Jerônimos, Areias.
História
De acordo com retalhos de escritos, Braúnas esteve, por muitos anos, ligada, como capela, à paróquia de Dores de Guanhães. Foi elevada à categoria de paróquia em 03 de dezembro de 1851 e instalada oficialmente em 31 de janeiro de 1852. Inicialmente, incluía também todo o município de Açucena. A história dos 50 primeiros anos da paróquia é incompleta e obscura. O primeiro pároco foi o padre Bento Félix, que começou a administrar a paróquia a partir de sua instalação. Ele faleceu em Patrocínio de Guanhães, hoje Virginópolis.
Braúnas, inicialmente, pertencia à Diocese de Mariana, depois passou para a Diocese de Diamantina, seguindo para Itabira/Fabriciano e hoje, Guanhães.
Hoje, na memória do povo braunense, residem as figuras de padre José Augusto de Oliveira e padre Domingos Gonçalves do Carmo, que ficou na paróquia por 32 anos. Esta paróquia foi marcada também pela presença das irmãs Salvatorianas que imprimiram seu rosto pastoral. Elas atuaram aqui durante 10 anos (de 1972 a 1982). Sua atuação não se restringiu ao campo religioso. Elas atuaram na educação, na saúde, nos esportes e, é claro, na formação de agentes de pastoral, muitos deles atuantes até hoje. Celebravam a palavra de Deus, os batizados e até assistiam aos matrimônios.
Pastorais, festas e devoções 
Atualmente, a Paróquia Nossa Senhora do Amparo funciona através das pastorais com seus respectivos agentes: Pastoral da Criança, Pastoral catequética, Pastoral do Batismo e Matrimônio, Liturgia, Ministros da Eucaristia.
 A festa principal da paróquia é a da padroeira Nossa Senhora do Amparo, celebrada no dia 31 de maio. Como em todo o Brasil, o povo tem uma devoção muito grande a Nossa Senhora Aparecida. Outra Santa que tem as graças do povo é Santa Luzia. A paróquia é composta por 41 comunidades de base incluindo a sede, e cada comunidade celebra também a festa de seu padroeiro(a).
O povo 
A população urbana é bastante reduzida. Como toda cidade rural nas proximidades de grandes pólos industriais, Braúnas é uma comunidade flutuante no que se refere à juventude. Os jovens saem muito à procura de emprego ou para estudar. As comunidades rurais são pobres, mas muito animadas, sente-se realizado quem visita esse povo. Em muitas delas funcionam a catequese e as celebrações dominicais. O conjunto da paróquia, incluindo toda a parte rural, não é populoso. Provavelmente a população não passa de 6.000 habitantes. A população é na maioria agropecuarista, na atualidade bastante decadente devido ao esvaziamento da região rural.
Estrutura 
Na sede paroquial, temos uma igreja grande e nova, construída com o empenho dos padres e suor do povo daqui. Temos um salão que precisa de uma boa reforma. Temos amplas salas de catequese. De modo geral, nossa estrutura física é boa. O prédio da igreja antiga será usado para trabalhos com jovens e adolescentes. Uma investida do conselho municipal da criança e do adolescente em parceira conosco.
Missões 
Agora estamos preparando as missões diocesanas que terão início aqui em Braúnas. Estamos nos preparando para receber os missionários e missionárias que levarão muito ânimo para nossas comunidades. As missões serão vivenciadas nas famílias e nas comunidades, com visitas domiciliares durante o dia e à tarde ou noite celebrações na igreja ou outro lugar de acordo com as peculiaridades locais. As atividades – procissões, caminhadas, encontros etc. – serão escolhidas e direcionadas, levando-se em conta a criatividade dos coordenadores e as necessidades de cada comunidade.
Epílogo 
Sem dúvida, a história desta paróquia é marcada pelo heroísmo de muitas pessoas, tendo em vista as dificuldades aqui enfrentadas. Quanto trabalho sofrido de sacerdotes e outros cristãos que aqui deixaram suas marcas, rondando dias e noites a pé ou em lombos de burro por estas encostas agrestes tentando plantar as sementes do Reino de Deus. Por tudo isso, Deus seja louvado!!!
Texto organizado por Ruth Siman e padre José Adriano

Contato

Endereço:
Praça Padre José Augusto de Oliveira, s/n
Braúnas, MG.
CEP: 35160-000

Telefone:
(33) 3425-1116

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Assunto

Sua mensagem

A Palavra do Pastor
Viver o Batismo é seguir os passos de Jesus- Homilia para o Domingo do Batismo do Senhor-Ano B- Dom Otacilio 

Viver o Batismo é seguir os passos de Jesus- Homilia para o Domingo do Batismo do Senhor-Ano B- Dom Otacilio 

Com a Liturgia da Festa do Batismo do Senhor (ano B), refletimos sobre a revelação de Jesus Cristo, o Filho...
Read More
Sejamos um sim a Deus e ao Seu Projeto de Salvação! Homilia – 4º Domingo do Advento do Ano B

Sejamos um sim a Deus e ao Seu Projeto de Salvação! Homilia – 4º Domingo do Advento do Ano B

Com a Liturgia do 4º Domingo do Advento (ano B), damos mais um passo fundamental nesta caminhada de preparação para...
Read More
Confiança, esperança e alegria no Senhor – Homilia – Terceiro Domingo do Advento – Ano B

Confiança, esperança e alegria no Senhor – Homilia – Terceiro Domingo do Advento – Ano B

“João é a voz no tempo; Cristo é, desde o princípio, a Palavra eterna.” Ao celebrar o 3º Domingo do...
Read More
Advento: vigilância ativa e efetiva – Homilia de Dom Otacilio – Primeiro Domingo do tempo do Avento Ano B

Advento: vigilância ativa e efetiva – Homilia de Dom Otacilio – Primeiro Domingo do tempo do Avento Ano B

Com o primeiro Domingo do Tempo do Advento (ano B), seremos convidados à vigilância, numa frutuosa preparação para o Natal...
Read More
Alegres e convictos Servidores do Reino – Homilia e reflexões de Dom Otacilio para o XXXIII Domingo do Tempo Comum (Ano A)

Alegres e convictos Servidores do Reino – Homilia e reflexões de Dom Otacilio para o XXXIII Domingo do Tempo Comum (Ano A)

  Alegres e convictos Servidores do Reino (Homilia - XXXIIIDTCA) A Liturgia do 33º Domingo do Tempo comum (Ano A),...
Read More
Permaneçamos vigilantes – XXXII do Tempo Comum do Ano A.

Permaneçamos vigilantes – XXXII do Tempo Comum do Ano A.

Com a Liturgia, do 32º Domingo do Tempo Comum (Ano A), refletimos sobre a necessária vigilância ativa na espera do...
Read More
O Ministério do padre na hora mais difícil: a morte.

O Ministério do padre na hora mais difícil: a morte.

Finados: dia de recolhimento, oração e contemplação de nossa realidade penúltima, a morte; fortalecimento na fé sobre nossa realidade última,...
Read More
Bem-Aventuranças vividas, Santidade alcançada (Homilia Festa de todos os santos e santas)

Bem-Aventuranças vividas, Santidade alcançada (Homilia Festa de todos os santos e santas)

  A Solenidade de todos os Santos abre nosso espírito e coração às consequências da Ressurreição. Para Jesus, ela foi...
Read More
Amor a Deus e ao próximo, dois amores inseparáveis – 30º Domingo do Tempo Comum (Ano A)

Amor a Deus e ao próximo, dois amores inseparáveis – 30º Domingo do Tempo Comum (Ano A)

Amor a Deus e ao próximo, dois Amores inseparáveis O Mandamento do Amor é a essência da vida cristã Com...
Read More
“A Deus o que é de Deus” – Homilia – XXIX Domingo do Tempo Comum do Ano A

“A Deus o que é de Deus” – Homilia – XXIX Domingo do Tempo Comum do Ano A

A Liturgia do 29º Domingo do Tempo Comum (ano A) tem como tema principal a subordinação de nossa existência a...
Read More

Empresas que possibilitam este projeto:

Arquivo