Crisma

Orientações para o sacramento da crisma

O sacramento da Crisma deve ser vivido com profundidade missionária, de modo que no dia do sacramento da Crisma, reassumindo sua vocação para santidade e para a evangelização, o jovem ou o adulto crismado recebam convictamente a confirmação da infusão do Espírito Santo com todos os seus dons, através da imposição das mãos, da unção e do sinal da cruz. A catequese da Crisma constitui uma oportunidade privilegiada de evangelização da juventude de modo a levar o jovem a descobrir-se como protagonista da ação evangelizadora da Igreja.
1. A preparação para a Crisma, COM DURAÇÃO DE UM ANO, seja realizada no estilo catecumenal, valorizando as etapas do processo formativo, como forma de superar a idéia de “cursinho” de final de semana.
2. ESFORÇAR-SE PARA QUE OS CRISMANDOS TENHAM PARTICIPAÇÃO ATIVA NAS CELEBRAÇÕES EUCARÍSTICAS E LHES SEJAM APRESENTADAS AS DIVERSAS OPÇÕES PASTORAIS DA PARÓOUIA DESDE O INÍCO DE SUA PREPARAÇÃO.
3. O encontro catequético com os crismandos seja, de preferência, com pequenos grupos (cerca de 20 participantes mais ou menos), para proporcionar melhor entrosamento e possibilitar um acompanhamento mais personalizado e afetuoso.
4. Durante a preparação, a equipe deve promover momentos privilegiados de celebração, envolvendo os crismandos, familiares, padrinhos e a comunidade, conforme proposta do RICA.
5. Promover também retiros espirituais com os crismandos, enquanto possível, com a presença do pároco.
6. A idade mínima para se receber o sacramento da Crisma é de 15 anos.
7. Oriente-se para que padrinhos e madrinhas SEJAM ESCOLHIDOS DESDE O INÍCIO DA PREPARAÇÃO e sejam pessoas de vivência SACRAMENTAL. E QUE SEJAM CRISMADOS (CASOS ESPECIAIS DEVEM SER CONSIDERADOS PELO PÁROCO).
8. Na preparação, os crismandos devem tomar conhecimento do Rito da Crisma, para que participem ativamente da celebração, tornando desnecessárias as muitas explicações durante a liturgia.
9. PROMOVER, SEMPRE QUE POSSÍVEL UM CONTATO COM O BISPO ATRAVES DE ENCONTROS OU CARTAS.
10. Cuidar para que a celebração da Crisma seja cuidadosamente preparada e realizada com simplicidade, sem exageros que desvalorizem o rito, fazendo parecer formatura ou mero evento social (atenção às vestes e fotografias).
11. QUEREMOS VALORIZAR O COSTUME DAS CAMISETAS PADRONIZADAS.
12. Sejam evitadas celebrações demoradas, dominadas por excesso de criatividade, homenagens, comentários longos e orientações intermináveis.
13. Levar os crismandos ao engajamento na comunidade eclesial, de modo que participem das equipes de liturgia, das pastorais e movimentos e deem um novo testemunho de vida em seu ambiente: escola, família, trabalho, grupos de amigos etc.
14. No sentido de não perder os jovens após a Crisma, procurar estruturar com eles grupos de base da PJ, a partir dos próprios encontros de formação para o Sacramento.
15. A catequese de preparação para a Crisma deve procurar uma maior integração com a Pastoral da Família, da Juventude e das Vocações e Ministérios, visando assim um trabalho mais maduro e eficaz junto à comunidade.
16. Os catequistas da Crisma devem ser sempre pessoas maduras, emocionalmente equilibradas, com boa formação cristã e pedagógica, engajadas na vida da Igreja.
17. Seja apresentada como uma condição para ser catequista a participação nos encontros paroquiais e diocesanos de formação permanente.
18. Celebrada a Crisma, sejam feitas, com presteza, as devidas anotações nos livros paroquiais.
” ITENS PARA CRISMA DE ADULTOS/ ITENS PARA CRISMA DE ADULTOS/ ADOLESCÊNCIA MISSIONÁRIA/ PESSOAS COM DEFICIÊNCIA.
A Palavra do Pastor
Vigilância ativa e perseverança na fé Homilia – (Homilia 33ºDTCC)

Vigilância ativa e perseverança na fé Homilia – (Homilia 33ºDTCC)

Vigilância ativa e perseverança na fé  “É permanecendo firmes que ireis ganhar a vida!” (Lc 21,19) Na proximidade do final...
Read More
” Sofremos o amor perdido”

” Sofremos o amor perdido”

Disse o Senhor na passagem do Evangelho (Lc 21,5-19) proclamada no 33º Domingo do Tempo Comum (ano C): “Sereis entregues...
Read More
Cremos na Ressurreição da carne e na vida eterna – Homilia do 32° Domingo Comum

Cremos na Ressurreição da carne e na vida eterna – Homilia do 32° Domingo Comum

Cremos na Ressurreição da carne e na vida eterna Com a Liturgia do 32º Domingo do Tempo Comum (ano C),...
Read More
A DOR DA SAUDADE

A DOR DA SAUDADE

Há dores que podem ser aliviadas ou até mesmo evitadas; Desnecessário nominá-las, pois bem as conhecemos. Há, porém, dores que...
Read More
Catequese permanente, frutos abundantes

Catequese permanente, frutos abundantes

O tema da iniciação à vida cristã e a necessária catequese permanente, que nos possibilita um crescimento constante mais do...
Read More
” Senhor, fazei de nós instrumentos da Vossa paz…”

” Senhor, fazei de nós instrumentos da Vossa paz…”

“Senhor, fazei de nós instrumentos da Vossa paz...” Retomemos a oração conclusiva da Mensagem do Papa Francisco,  para o 52º...
Read More
Ela veio trazendo vida

Ela veio trazendo vida

  Com o Cântico de Daniel, louvemos o Senhor: “Águas do alto céu, bendizei o Senhor! Potências do Senhor, bendizei...
Read More
Quanto mais próximos do Altar, maior será a exigência de Deus para conosco! (Homilia – 30° Domingo do Tempo Comum)

Quanto mais próximos do Altar, maior será a exigência de Deus para conosco! (Homilia – 30° Domingo do Tempo Comum)

Quanto mais próximos do Altar, maior será a exigência de Deus para conosco! Com a Liturgia do 30º Domingo do Tempo...
Read More
A oração não dispensa compromissos

A oração não dispensa compromissos

As mãos que elevamos aos céus são as mesmas que na terra estendemos ao outro... A Liturgia do 29º Domingo...
Read More
Graça, gratidão e gratuidade (Homilia 28º Domingo Tempo Comum – ano C)

Graça, gratidão e gratuidade (Homilia 28º Domingo Tempo Comum – ano C)

Graça, gratidão e gratuidade   “...Um deles, ao perceber que estava curado, voltou glorificando a Deus em alta voz; atirou-se...
Read More
Curta Nossa Fanpage:

Empresas que possibilitam este projeto:

Arquivo