“Sal, luz e fermento”. A tarefa dos leigos na missão da Igreja


Quando se fala da missão da Igreja, corre-se o risco de pensar que se trata dos que falam do altar. Muitos de nós conhecemos a palavra missão, associando-a a uma pessoa (muitas vezes um padre de batina) que vinha às nossas comunidades para pregar sermões. Será mesmo essa a tarefa deixada por Cristo aos seus discípulos? Ao longo dos anos nossa Mãe Igreja vem nos educando na fé e fazendo-nos descobrir que essa tarefa ou missão tem de ser realizada por todos os que constituem a Igreja, comunidade eclesial.
Aos leigos, corresponde uma parcela concreta dessa missão. O Concílio Vaticano II já nos deu algumas orientações precisas. Os fiéis correntes – lê-se na Constituição Lumen Gentium – “são chamados por Deus para contribuir, como fermento, para a santificação do mundo, no exercício das suas tarefas, guiados pelo espírito evangélico, e assim manifestam Cristo aos que com eles convivem, principalmente com o testemunho de sua vida e com o fulgor de sua fé, esperança e caridade”. E mais adiante: “Os leigos estão particularmente chamados a tornar presente e operante a Igreja nos lugares e condições onde ela não pode ser sal da terra senão através deles”. Quer dizer que, em um hospital, a Igreja não está presente só pelo capelão: também atua por meio dos fiéis que, como médicos e enfermeiros, procuram prestar bom serviço profissional e esmerada atenção humana aos doentes. Em um bairro, a igreja será sempre um ponto de referência indispensável, mas o único modo de chegar aos que não a frequentam, será por meio de outras famílias.
É lá, em todos os setores da sociedade, que nós, cristãos leigos e leigas, somos chamados a ser esta presença que toca nos corações, que leva algo novo e provoca mudança e que transforma. É a missão de todos os cristãos leigos e leigas ser sal, agindo em pequenas quantidades, mas dando o sabor necessário; luz que traz a esperança de um novo caminho possível e fermento que penetra e provoca a abertura ao novo, que se deixa ser transformado. A missão, portanto, não é uma atividade a mais da Igreja, constitui a própria essência da Igreja, de todos os batizados vivenciando a ordem do Mestre: “Ide por todo o mundo e levai a Boa Nova a toda criatura”.
Portanto, nossa missão é levar a mensagem de Cristo a todas as realidades terrenas – família, trabalho , atividades socia – e, com a ajuda da graça divina, convertê-las em oportunidade de encontro com Deus e com os Homens. Sejamos esses elementos fundamentais, levando sabor, esperança e transformação.

Madalena Santos Pires
(Da Equipe de Articulação do CNLB/ CDL- Guanhães)

A Palavra do Pastor
Itinerário Quaresmal percorrido, Alegria Pascal transbordante!

Itinerário Quaresmal percorrido, Alegria Pascal transbordante!

É oportuno refletirmos sobre o Itinerário Quaresmal que assumimos e percorremos (Ano A). Empenhamo-nos na prática do jejum, da esmola...
Read More
Os amigos do Senhor não morrem sempre ( 5º Domingo do 5º Domingo da Quaresma (Ano A)

Os amigos do Senhor não morrem sempre ( 5º Domingo do 5º Domingo da Quaresma (Ano A)

A Liturgia do 5º Domingo da Quaresma (ano A) nos convida a refletir sobre a ressurreição de Lázaro, contemplando a...
Read More
A verdadeira comunicação

A verdadeira comunicação

  Com Maria, aprendamos que a comunicação verdadeira somente se alcança quando se promove o bem comum  e se fortalece...
Read More
Quando nos abrimos ao Espírito…

Quando nos abrimos ao Espírito…

Ah, a vida! A beleza da vida está em suas surpresas, nas repentinas decisões a serem tomadas, e na Sabedoria...
Read More
Sejamos curados de nossa cegueira ( Homilia 4º Domingo Quaresma – ano A)

Sejamos curados de nossa cegueira ( Homilia 4º Domingo Quaresma – ano A)

A Igreja no quarto Domingo da Quaresma (Ano A), celebra o conhecido “Dominica Laetare”. Um Domingo luminoso por sublinhar que...
Read More
Celebrando três anos de Ministério Episcopal

Celebrando três anos de Ministério Episcopal

“Para mim o viver é Cristo” – “Mihi vivere Christus est” (Fl 1,21) Celebrando o terceiro ano de Ministério Episcopal, agradeço...
Read More
A esperança em Deus jamais nos decepciona

A esperança em Deus jamais nos decepciona

Em tempos difíceis por que passamos, são iluminadoras e providenciais as palavras do Apóstolo Paulo aos Romanos: “Gloriamo-nos também de...
Read More
Somente Deus mata nossa sede (Homilia 3º Domingo da Quaresma – Ano A)

Somente Deus mata nossa sede (Homilia 3º Domingo da Quaresma – Ano A)

Somente Deus mata nossa sede “Todo aquele que bebe desta água terá sede de novo.  Mas quem beber da Água...
Read More
Evangelização e acolhida do sopro do Espírito

Evangelização e acolhida do sopro do Espírito

“Ai de mim se seu não evangelizar” (1 Cor 9,16). A Evangelização na cidade tem inúmeros e grandes desafios, de modo...
Read More
Animados pelo amor de Cristo

Animados pelo amor de Cristo

  Voltemos nosso olhar para as grandes cidades, com diversos contrastes, dificuldades, colocando-nos frente a inquietantes questões. Entre elas, como...
Read More

Empresas que possibilitam este projeto: