6º Encontro Nacional da Pascom: Igreja e Comunicação

Comunicadores católicos de todo o Brasil se reuniram em Aparecida (SP) para o 6º Encontro Nacional da Pastoral da Comunicação (Pascom). O evento reuniu mais de 500 agentes de pastoral desde a última quinta-feira (19) no Centro de Eventos Padre Vítor Coelho de Almeida, no Santuário Nacional.

O encontro, que em 2018 refletiu as relações entre a Igreja e a Comunicação, contou com a presença de professores, doutores e especialistas como Irmã Joana Puntel, Irmã Helena Corazza, Elson Faxina, Moisés Sbardelotto.

Neste domingo (22), último dia de debates, os participantes puderam acompanhar a conferência do diretor-executivo da Transparência Internacional no Brasil, Bruno Brandão.

O coordenador nacional – eleito por ocasião deste encontro nacional – expressou a expectativa em fortificar ainda mais o trabalho de articulação onde já existe a presença da Pascom e implantar a pastoral nas paróquias e dioceses onde ainda não existe:“Nosso desafio é estar presentes nos locais onde a Pascom não existe e trabalhar a consciência dos agentes sobre o trabalho deles nas bases. Mais do que aprimorar a parte técnica, é gerar consciência que um agente de Pascom comunica a mensagem da Igreja e comunica Jesus Cristo”, afirmou.

Marcus possui sete anos de atuação na Pascom da Arquidiocese de Vitória (ES) e três anos na coordenação do regional Leste 2 da CNBB, que compreendo os estados de Minas e Espírito Santo.

Para a Secretária nacional da Pascom, eleita também nesta edição do encontro nacional, Patrícia Luz – da Arquidiocese de Salvador e coordenadora do Regional Nordeste 3 –, a expectativa é conhecer e mapear a realidade da Pascom no Brasil e oferecer caminhos de formação para os agentes: “No nosso coração temos o desejo de ajudar e contribuir para a comunicação, para que ela seja, de fato, caminho de evangelização e também de transformação social”, ressaltou.

Diante desta perspectiva acerca dos trabalho da Pascom, Patrícia afirmou que um dos desafios é a mudança de mentalidade e compreensão da comunicação como um processo, como relação interpessoal: “As tecnologias são maravilhosas, mas por trás do smartphone tem um ser humano. A primeira comunicação mais importante ainda é o olho no olho. É ajudar as pessoas a entender que a Pastoral da Comunicação não é apenas fazer coisas de comunicação, mas viver a comunicação e ter abertura para o outro”.

Patrícia, que tem 16 anos de atuação na Pascom, salientou a importância dos agentes se reunirem em Aparecida para o 6º Encontro Nacional. “É uma oportunidade de encontrar as pessoas, de trocar experiências e dar visibilidade para a Pastoral”, concluiu.

 

Fonte: www.a12.com
Editado por Pascom/Diocese de Guanhães

Curta Nossa Fanpage:

Empresas que possibilitam este projeto: