Sétima obra de misericórdia corporal, nosso gesto concreto

“E ELE enxugará toda lágrima dos nossos olhos, pois, nunca mais haverá morte, nem luto, nem clamor, e nem dor haverá mais, pois, coisas antigas se foram” (Ap 21,4).

enterrarosmortos

Ao encerrar o ANO SANTO DA MISERICÓRDIA nossa paróquia de São Sebastião propôs como gesto concreto vivenciar as obras de misericórdia. De todas as 14 foi evidenciada a sétima obra da misericórdia corporal que é sepultar os mortos e a sétima espiritual que é rogar a Deus pelos falecidos. No dia 19 de novembro véspera de Cristo Rei e mês das almas realizou-se o terceiro encontro da PASTORAL DA ESPERANÇA  fruto dessa reflexão e a entrega dos subsídios aos membros para a realização do trabalho.

A Pastoral da Esperança é uma atividade organizada e sistemática de integração comunitária, de celebração da vida que, em consonância com a Igreja, anuncia o amor do Pai, reza pelos falecidos, dá assistência espiritual e humanitária aos parentes enlutados, que precisam continuar a vida, certos de que a graça de Cristo os fortalecerá na caminhada. O agente da Pastoral da Esperança é mensageiro de Fé, Paz e Esperança. Jesus disse: “Eu estarei convosco todos os dias”. “Eu vim para que todos tenham vida, e a tenham em abundância.” (Jo 10,10).

Com o propósito de somar as outras atividades pastorais o Padre Bruno propôs a fundação em nossa paróquia da pastoral da esperança. Ele percebeu ao chegar à comunidade que muitas vezes que em nossos velórios falta muito à presença da igreja que se limita a encomendação devido ao acumulo de funções e serviços dos agentes de pastoral. Nossos ministros muitas vezes sobrecarregados com distribuição da eucaristia aos doentes alem das celebrações e seus serviços pessoais acabam não tendo aquele tempo disponível para tal função. Lembrando também que é muito complicado fazer uma escala para tal função, pois a morte é imprevisível. As famílias já sofridas com a dor da perda às vezes precisam ir atrás de um ministro que esteja disponível e com boa vontade para realizar o rito das exéquias. A igreja a luz do evangelho há muito tempo e em vários lugares tem essa pastoral e que funciona muito bem e muito ajuda as famílias. Este foi um grande passo e avanço neste ano da misericórdia de  fazer com que os fiéis vejam a família como igreja domestica e não terem a necessidade de passar com o corpo na igreja, pois a pastoral se encarrega de fazer isso na residência ou onde está sendo realizado o velório.

Missão da Pastoral

* Confortar espiritualmente as famílias enlutadas (através de celebrações bem preparadas, visitas, presença etc).

* Assistir estas famílias nos velórios.

* Preparar com especial zelo a celebração das exéquias, considerando o profundo sentido pascal da morte cristã, a sensibilidade dos presentes e a necessidade de se aproveitar o momento para trazer o real sentido da morte.

* Celebrar as exéquias, valorizando todos os símbolos inerentes àquele momento (a Bíblia, as velas, as flores, a cruz etc).

* Realizar encontros de oração nas  residências destas famílias.

*  Evangelizar e mostrar que não se reza apenas pela morte, mas sim pela ressurreição, pela vida eterna.

*Aproveitar o momento de sensibilidade humana para falar da esperança a todos e da necessidade da fé na ressurreição dos mortos como ponto central da vida cristã.

*   Providenciar sepultamento dos indigentes ou de pessoas que não tenham família.

Na reunião de coordenadores de setembro foi feito uma ampla explanação sobre a pastoral e em outubro o Padre Bruno deu uma profunda formação sobre os novíssimos do Homem e como devem atuar o agente da pastoral. Foi um encontro muito frutuoso e com a presença de todas as comunidades.

Assim ficou organizado: Cada comunidade possui  4 pessoas para realizar o trabalho de visitas e exéquias e na cidade  2 equipes para não sobrecarregar trabalho. O primeiro passo será convencer as famílias a fazerem a celebração nas casas e não nas igrejas, respeitando assim o tempo de adaptação e mostrar as famílias que o sétimo dia pode ser celebrado no final de semana seguinte e não necessariamente no sétimo dia.

O Padre escolheu um excelente  subsídio único para que todas as celebrações tenham um padrão mudando somente os textos bíblicos. O subsídio foi doado aos responsáveis nesta ultima reunião.  A pastoral  terá como orientador o padre local e uma coordenação paroquial e em cada comunidade um responsável para melhor comunicação e estar em constante formação para melhor andamento da pastoral.

Nossa gratidão ao nosso Pároco por ser tão Dinâmico e nos orientar rumo a Pátria celeste!!

 

PASTORAL DA ESPERANÇA DE SÃO SEBASTIÃO DO MARANHÃO

A Palavra do Pastor
A comunidade do Ressuscitado – Homilia – 2º Domingo da Páscoa Ano B

A comunidade do Ressuscitado – Homilia – 2º Domingo da Páscoa Ano B

Com a Liturgia do 2º Domingo da Páscoa (ano B), também chamado de “Domingo da Misericórdia”, à luz da Palavra...
Read More
O Cristo Ressuscitado caminha conosco! Aleluia!

O Cristo Ressuscitado caminha conosco! Aleluia!

O Ano Litúrgico (ano B), começa com a quarta-feira de cinzas, e com ela o início do itinerário quaresmal, e...
Read More
Domingo de Ramos:  Jesus elevado na Cruz para nos elevar – Homilia – Dom Otacilio F. de Lacerda

Domingo de Ramos: Jesus elevado na Cruz para nos elevar – Homilia – Dom Otacilio F. de Lacerda

"Meu  Deus, meu Deus, por que me abandonaste?"  (Mc 15,34) No Domingo de Ramos (ano B), refletimos sobre o Amor de...
Read More
“Deus merece que sejamos melhores” – Homilia – Quarto Domingo do Tempo Quaresmal – Dom Otacilio – Ferreira de Lacerda

“Deus merece que sejamos melhores” – Homilia – Quarto Domingo do Tempo Quaresmal – Dom Otacilio – Ferreira de Lacerda

A Liturgia do 4º Domingo da Quaresma (Ano B) é conhecida como Domingo “Laetare”, ou seja, Domingo da alegria, devido...
Read More
A cidade, seus clamores e a missão Presbiteral – Dom Otacilio F. de Lacerda

A cidade, seus clamores e a missão Presbiteral – Dom Otacilio F. de Lacerda

As grandes cidades enfrentam os inúmeros problemas de nosso tempo, principalmente porque vivemos em mudança de época, muito mais do...
Read More
Uma religião agradável ao Senhor – Homilia – Terceiro Domingo do Tempo Comum – Ano B

Uma religião agradável ao Senhor – Homilia – Terceiro Domingo do Tempo Comum – Ano B

Com o 3º Domingo da Quaresma (ano B), damos mais um passo no Itinerário rumo à Páscoa do Senhor. Podemos...
Read More
A Glória é precedida pela Cruz – Homilia – Segundo Domingo do Tempo Quaresmal – Ano B

A Glória é precedida pela Cruz – Homilia – Segundo Domingo do Tempo Quaresmal – Ano B

O segundo Domingo da Quaresma (ano B), identificado como “O Domingo da Transfiguração do Senhor”, é um convite a escutarmos...
Read More
Evangelização e acolhida do sopro do Espírito

Evangelização e acolhida do sopro do Espírito

“Ai de mim se seu não evangelizar” (1 Cor 9,16). A Evangelização na cidade tem inúmeros e grandes desafios, de modo...
Read More
“Não nos deixeis cair em tentação” – Homilia do Primeiro Domingo da Quaresma- Ano B

“Não nos deixeis cair em tentação” – Homilia do Primeiro Domingo da Quaresma- Ano B

No 1º Domingo da Quaresma (Ano C), repensamos nossas opções de vida, tomando consciência das tentações que nos impedem de...
Read More
Libertos pelo Senhor para amar e servir – VI Domingo do Tempo Comum Ano B – Homilia

Libertos pelo Senhor para amar e servir – VI Domingo do Tempo Comum Ano B – Homilia

“Jesus, cheio de compaixão, estendeu a mão, tocou nele e disse:  “Eu quero: fica curado!”. No mesmo instante  a lepra...
Read More

Empresas que possibilitam este projeto: