V ASSEMBLEIA DIOCESANA DE PASTORAL – Segunda parte

Na segunda parte, Pe Eliseu da  Diocese de Teófilo Otoni desenvolveu a reflexão:

Ele começou dizendo que as Assembleias sempre aconteceram. As comunidades se reuniam para discutir os problemas e, com o coração  bem junto do outro, e o Espírito Santo encontravam solução. Isso acontecia desde o tempo dos primeiros cristãos em Jerusalém. Eles discutiam e juntos resolviam os problemas. A Igreja seguiu este costume  para que a Missão Evangélica continuasse sendo regada e atenta aos desafios novos. Ânimo novo, propósito novo!

Pe Eliseu fez uma revisão baseando-se nas Diretrizes 2015-2019:

Por uma Igreja em saída, Igreja que abre as portas para sair, não fica acomodada em quatro paredes. Este é o apelo das DGAE.

O Objetivo geral do Documento deve ser transformado quase em uma oração diária.

Que Igreja queremos ser nesse momento:

  • Uma Igreja discípula que quer aprender sempre;
  • Uma Igreja atenta ao que o mestre pede;
  • Uma Igreja Missionária que vai  ao encontro do outro;
  • Uma Igreja Profética  que saiba interpretar os sinais dos tempos;
  • Uma Igreja Misericordiosa –  ” Misericórdia é a dor que sentimos no coração quando vemos o irmão que está sofrendo”. Colocar o coração no coração do outro que sofre e,
  • Uma Igreja que se alimenta da Palavra de Deus e da Eucaristia .

Marcas do nosso tempo – Avanços e conquistas :

  • Promoção e valorização da mulher das minorias éticas;
  • Temas voltados para: Justiça, paz, ecologia, realidades novas.

Mas, vem a globalização voltada para o consumo e o lucro. Preocupação em  produzir muito gerando o consumismo e há muitas pessoas lucrando com isso e nós acabamos  entrando numa crise cultural com seus riscos e consequências, crise da autoridade; crise das instituições, superficialidade, desejo a qualquer custo de conforto e facilidades;aceleração do tempo; individualismo, fundamentalismo religioso, unilateralismo. A crise cultural atinge diretamente a família através das fortes ideologias, confusas noções da sexualidade do matrimônio e da família; laicalismo militante com postura forte contra a Igreja e a verdade do Evangelho; irracionalidade da cultura midiática.

  • Crescem ofertas de felicidade, realização e sucesso pessoal, avanço de empreendimentos imobiliários.Retrocesso na luta das minorias: índio, quilombolas, pescadores, artesãos.
  • Nova idolatria do dinheiro. Ele está acima dos interesses da pessoa, gerando a cultura do interesse e do bem estar.

Práticas preocupantes

  • Banalização da vida: manipulação de embriões, abortos, ausência de políticas públicas para a educação, lazer, saúde, segurança, falta de proteção gerando violência.

No campo religioso: pluralismo, fundamentalismo, sentimentalismo; manipulação da mensagem do Evangelho.

Salvação : sinônimo de prosperidade material, saúde e realização afetiva, afastamento da religião.

De acordo com o Censo, algo que devemos pensar bastante: Aumento das outras religiões .

 

grafico

Estamos entregando as pessoas de mãos beijadas para os novos grupos neo pentecostais.

Ainda no campo católico:

  • Afastamento e crise;
  • Falta de compromisso comunitário- continuamos fazendo as mesmas coisas, do mesmo jeito, Pastoral da mera conservação, administradora dos serviços religiosos, passividade dos leigos , concentração do Clero em determinadas áreas ;
  • Tendência de uniformidade mais que a busca da uniformidade na diversidade;
  • Enfraquecimento das instituições, linguagem inadequada.

Papa Francisco por Igreja  em saída.

Desafios:

Evangelium Gaudium Nº 109  Não deixemos que nos roubem a força missionária.

Evangelium Gaudium  N° 24 Chegar na hora certa e no momento certo.

Igreja em saída – Urgências :

  • Superar conservação e manutenção.
  • Pastoral Missionária – O caminho é: Conversão pastoral; voltar às fontes; recomeçar  a partir de Jesus Cristo e  perseverar!
Curta Nossa Fanpage:
Faça sua inscrição:

Empresas que possibilitam este projeto: