MUTIRÃO PELA VIDA – VI SEMANA SOCIAL BRASILEIRA

 

“Eles mostravam-se assíduos ao ensinamento dos
apóstolos, à comunhão fraterna, à fração do pão e às
orações” (At 2,42)

Ressoem em nossos corações, as palavras do Papa Francisco, dirigidas aos participantes do Encontro Mundial dos Movimentos Populares:”

Como é lindo quando vemos em movimento os Povos, sobretudo os seus membros mais pobres e os jovens. Então sente-se o vento da promessa que aviva a esperança de um mundo melhor. Que esse vento se transforme em vendaval de esperança. Esse é o meu desejo!”

Afirmou, também, que aquele encontro era um grande sinal, pois vieram colocar na presença de Deus, da Igreja e dos povos, uma realidade muitas vezes silenciada e que hoje vemos com tristeza cada vez mais longe da maioria: terra, teto e trabalho.

Estes são direitos sagrados, de modo que, reivindicá-los é a concretização da Doutrina Social da Igreja:

Terra: “Deus criou o homem e a mulher como guardiões da sua obra, encarregando-os de cultivá-la e protegê-la. Preocupa-me a erradicação de tantos irmãos camponeses que sofrem o desenraizamento, e não por guerras ou desastres naturais. A apropriação de terras, o desmatamento, a apropriação da água, os agrotóxicos inadequados são alguns dos males que arrancam o homem da sua terra natal. Essa dolorosa separação, que não é só física, mas também existencial e espiritual, porque há uma relação com a terra que está pondo a comunidade rural e seu modo de vida peculiar em notória decadência e até em risco de extinção.

Por favor, continuem com a luta pela dignidade da família rural, pela água, pela vida e para que todos possam se beneficiar dos frutos da terra.

Teto: Uma casa para cada família — “Nunca se deve esquecer de que Jesus nasceu em um estábulo porque na hospedagem não havia lugar, que a sua família teve que abandonar o seu lar e fugir para o Egito, perseguida por Herodes. Hoje há tantas famílias sem moradia, ou porque nunca a tiveram, ou porque a perderam por diferentes motivos. Família e moradia andam de mãos dadas. Mas, além disso, um teto, para que seja um lar, tem uma dimensão comunitária: e é o bairro onde se começa a construir essa grande família da humanidade, a partir da convivência com os vizinhos”.

Trabalho: “Não existe pior pobreza material do que não permitir ao outro ganhar o pão e priva-lo da dignidade do trabalho. O desemprego juvenil, a informalidade e a falta de direitos trabalhistas não são inevitáveis, são o resultado de uma prévia opção social, de um sistema econômico que coloca os lucros acima do homem, criando uma cultura do descarte, que não considera o ser humano em si mesmo, mas como um bem de consumo, que pode ser usado e depois jogado fora”.

Apesar dessa cultura de descarte, muitos trabalhadores excluídos, sobrantes para esse sistema, foram inventando o seu próprio trabalho com a artesanalidade que Deus lhes deu, com sua solidariedade, seu trabalho comunitário, sua economia popular, conseguiram e estão conseguindo sobreviver. Todo trabalhador, esteja ou não no sistema formal do trabalho assalariado, tem direito a uma remuneração digna, à segurança social e à aposentadoria.

Não pode haver Terra, Teto e Trabalho sem Paz e com a destruição do Planeta. São temas tão importantes que os Povos e suas organizações não podem deixar de refletir, confiando tão apenas na condução dos dirigentes políticos.

Todos os povos da Terra têm que levantar a voz em defesa desses dois dons preciosos: a Paz e a Criação, nossa Casa Comum.

Diante destes desafios apontados pelo Papa Francisco, recolhidos diante destes “sinais dos tempos” (Mt 24, ISS), em plena sintonia com o Pacto pela Vida e pelo Brasil, a CNBB nos convida a um Mutirão pela Vida, promovendo a VI semana social Brasileira, através de debates entre grupos e instâncias eclesiais e sociais e realizando gestos concretos para que não haja nenhum camponês/a sem terra, nenhuma família sem teto e nenhum cidadão sem trabalho.

Contamos com a acolhida desta Mensagem motivadora para que todos nos envolvamos da maneira possível, conforme as atividades que serão oportunamente divulgadas nos mais diversos âmbitos.

Guanhães, 30 de outubro de 2020

 

+Dom Otacilio Ferreira de Lacerda
Bispo da Diocese de Guanhães –MG
Bispo Referencial da Comissão para Ação Social Transformadora da CNBB Leste 2

 

A Palavra do Pastor
Presbítero: Homem da Palavra e de palavra

Presbítero: Homem da Palavra e de palavra

O sopro do Concílio nos desafiou a assumir as alegrias e tristezas, angústias e esperanças da humanidade, como Igreja de...
Read More
Do Cálice à Missão, da Missão ao Cálice!

Do Cálice à Missão, da Missão ao Cálice!

Todos os dias são dias de missão, e a Igreja que vive no tempo é missionária, por sua natureza, tendo...
Read More
Somente Deus nos concede a verdadeira riqueza – Homilia para o XXVIII Domingo do Tempo Comum – Ano B.

Somente Deus nos concede a verdadeira riqueza – Homilia para o XXVIII Domingo do Tempo Comum – Ano B.

No 28º Domingo do Tempo Comum (ano B), somos convidados a refletir sobre o essencial e o efêmero em nossa...
Read More
Somos um povo peregrino e evangelizador .

Somos um povo peregrino e evangelizador .

“Nós vimos o Senhor” (Jo 20,25) Na Exortação Evangelii Gaudium, o Papa afirma que “A Evangelização é dever da Igreja. Este sujeito da...
Read More
O Sacramento do Matrimônio no Plano de Deus – Homilia do XXVII Domingo do Tempo Comum do Ano B

O Sacramento do Matrimônio no Plano de Deus – Homilia do XXVII Domingo do Tempo Comum do Ano B

  No 27º Domingo do Tempo Comum (Ano B), refletimos sobre a aliança matrimonial que, no Projeto de Deus, consiste...
Read More
Graça e perseverança na missão

Graça e perseverança na missão

 “Tende entre vós o mesmo sentimento que existe em Cristo Jesus” (Fl 2,5) Retomo as iluminadoras palavras do Papa Francisco na...
Read More
Sejamos curados pelo Senhor – Homilia – XXIII Domingo do Tempo Comum

Sejamos curados pelo Senhor – Homilia – XXIII Domingo do Tempo Comum

“Olhando para o céu, suspirou e disse:  “Effatha!”, que quer dizer “abre-te!” No 23º Domingo do Tempo Comum (ano B),...
Read More
Paróquia: Escola de Comunhão e de Amor

Paróquia: Escola de Comunhão e de Amor

Como Igreja que somos, precisamos testemunhar a nossa Fé, dando solidez à Esperança, na vivência concreta e eficaz da Caridade,...
Read More
Nossa prática religiosa é agradável a Deus? Homilia – 22º Domingo do Tempo Comum – Ano B – Dom  Otacilio F. de Lacerda.

Nossa prática religiosa é agradável a Deus? Homilia – 22º Domingo do Tempo Comum – Ano B – Dom Otacilio F. de Lacerda.

Com a Liturgia do 22º Domingo do Tempo Comum (ano B), aprofundamos como deve ser uma verdadeira religião que agrade...
Read More
“Só Tu tens Palavras de vida eterna” – Homilia 21º Domingo do Tempo Comum

“Só Tu tens Palavras de vida eterna” – Homilia 21º Domingo do Tempo Comum

“A quem iremos, Senhor?” Com a Liturgia do 21º Domingo do Tempo Comum (ano B), refletimos sobre nossas opções, sobre o discernimento que...
Read More

Empresas que possibilitam este projeto: