Novembro: mês diocesano de conscientização sobre o dízimo – PARTE II

OBS.: PROPOSTAS PARA TODAS AS PASTORAIS E MOVIMENTOS DA DIOCESE PARA FAZERMOS UMA PASTORAL DE CONJUNTO.

Queridos Padres, Diáconos, Seminaristas, Missionários da Pastoral do Dízimo e Partilha, Agentes das Pastorais, Movimentos e Lideranças de Comunidades.

Deus abençoe a cada um de vocês na missão que lhe foi confiada!

Como já é do conhecimento de cada um de vocês, todos os anos o Mês de Novembro na nossa Diocese é dedicado ao DÍZIMO E PARTILHA. Neste ano de 2019, de um modo muito especial, queremos que este sentimento de partilha chegue a todas as pastorais, grupos e movimentos religiosos que estão ligados à nossa Igreja Particular de Guanhães, de uma forma muito simples e com um coração cheio de gratidão a Deus, pois acreditamos que a Pastoral do Dízimo em nível Diocesano e Paroquial só irá dar frutos se conseguirmos trabalhar em uma Pastoral de Conjunto, ou seja, se todos passarem pelo processo de Conversão Dizimal. Pedimos para que reservem em seus encontros semanais alguns minutinhos para dedicar ao tema DÍZIMO E PARTILHA com a finalidade de despertar em cada cristão batizado O SENTIMENTO DE PERTENÇA à igreja da qual participa. Para isso, a Equipe Diocesana do Dízimo com o consentimento do nosso bispo diocesano, Dom Otacílio Ferreira de Lacerda, está propondo a vocês algumas sugestões para cada semana.

1- PRIMEIRA SEMANA: 1 a 7 de Novembro

COORDENADOR: No momento da oração final do seu encontro, pedir aos participantes que observem o espaço físico onde estão reunidos e enumerem quais foram os gastos necessários para que se realizasse o encontro do dia. ( Tempo para observação 5 minutos – o coordenador deve ajudar a descobrir …)

Lançar a pergunta:

1- QUEM PROPORCIONA RECURSOS PARA USUFRUIRMOS DE TUDO ISSO TODAS AS SEMANAS EM NOSSOS ENCONTROS?

CONCLUIR: Então vamos neste momento da oração final rezar um Pai Nosso e Três Ave – Marias por todos os dizimistas da nossa comunidade.

2- SEGUNDA SEMANA: 8 a 15 de Novembro

Após o momento da acolhida e da oração inicial, recordar o encontro anterior.

COORDENADOR: No encontro passado, além de termos refletido sobre o Tema do Dia, ……… Nós rezamos na intenção de quem? E por que nós rezamos por eles?

Antes de darmos continuidade ao assunto do nosso encontro de hoje, vamos fazer uma brincadeira da BATATA QUENTE sobre o dízimo e a partilha?

COMO PREPARAR A DINÂMICA:

– RECORTAR PERGUNTAS, DOBRAR E COLOCAR DENTRO DE UMA CAIXINHA .

-AO SOM DE UMA MÚSICA OU A UM SINAL COMBINADO COM O GRUPO, A CAIXINHA VAI PASSANDO DE MÃO EM MÃO. ONDE PARAR A MÚSICA OU DER O SINAL, A PESSOA TIRA UMA PERGUNTA, LÊ E RESPONDE . ( Pode explorar outras respostas do grupo).

EXEMPLOS DE PERGUNTAS:

a- O que é mesmo o Dízimo?

b- De onde veio a ideia do dízimo?

c- Conhece alguma pessoa de sua rua/ bairro / paróquia / comunidade … que trabalha na pastoral do dízimo?

d- Qual domingo do mês celebra o dia do dízimo em sua paróquia / comunidade?

e- Você receberá no final do encontro um brinde surpresa.

Vamos encerrar este primeiro momento do nosso encontro fazendo um pequeno diálogo: DIÁLOGO SOBRE DÍZIMO.

Dirigente: – O que é o dízimo?
Lado 1 – O Dízimo é a décima parte da nossa renda e é devolvido para o manutenção da obra do Senhor. De cada 100 que temos, 10 são de Deus!

Dirigente – Qual foi o Pastor que instituiu o Dízimo?

Lado 2 – Abraão, patriarca dos filhos de Israel, devolveu o Dízimo de tudo o que recuperou na guerra contra os reis que levaram cativo o seu parente Ló. Melquisedeque, rei de Salém, foi ao encontro de Abraão, e lhe devolveu o Dízimo. Mas foi o próprio Deus quem instituiu o Dízimo.

Dirigente – Deus instituiu o dízimo para si?

Lado 1– Deus não instituiu o Dízimo para si, e sim para a sua obra. Devolver o Dízimo é um ato de fé e amor que fazemos para ver a prosperidade da obra de Deus na Terra.

Dirigente: Há diferença entre o dízimo do rico e do pobre?

Lado 2 – O Dízimo nos põe em igualdade diante de Deus e da Igreja; se sou pobre ou rico, a Bíblia nos orienta que a minha devolução é a décima parte do que eu ganho ou, como nos orienta a Doutrina Social da Igreja, ao menos 1% (por cento). O rico não devolve seu Dízimo em maior proporção, nem o pobre em menor e Deus aceita igualmente as Partilhas!

Dirigente – As pessoas são obrigadas a devolver o dízimo?

1 – O dinheiro é seu e só você pode dar-lhe destino, sabendo que quem devolve o Dízimo por fé tem sua renda abençoada e que, na verdade, devolve ao Senhor uma pequena parte do que já é dele.

2 – Se eu tenho um trabalho, foi Deus quem me deu… se tenho saúde para trabalhar, é graça de Deus… se recebo um salário, pensão ou aposentadoria no final do mês, é Bênção de Deus!

3 – Se não fosse Deus, ninguém teria coisa alguma, nem a própria vida.

Todos – Reconhecemos que o Senhor nos dá saúde, condição de trabalho, o sol, a chuva e tudo o que precisamos para viver… Não devemos nos esquecer de que a Terra é de Deus e tudo o que nela há! Nós somos apenas gerentes dos bens que julgamos ser nossos!

Voltando ao tema do nosso encontro de hoje:

TERCEIRA SEMANA: 16 a 23 de Novembro

Após a acolhida e a oração inicial

Coordenador: Já estamos na terceira semana do mês de novembro, mês em que fomos convidados pela nossa diocese a refletirmos sobre o Dízimo e a Partilha. Como vimos no encontro anterior de onde veio a ideia do dízimo, vamos agora dividir em pequenos grupos e confirmar esta verdade por meio de alguns textos na bíblia? ( Tempo no grupo – 7 minutos)

Levítico 27,30 -32
Deuteronômio 26,8 -11
Gênesis 14,18-20

Mateus 6, 3 -4
Tobias 1,6 -7
Marcos 12,41 – 44

Atos 2, 44 -45
Malaquias 3, 6 -12
Neemias 10,38-40

Coordenador: a – Foi possível confirmar nos textos que a ideia do Dízimo está contido na Bíblia Sagrada?

b- Algum grupo quer comentar alguma coisa sobre o texto lido?

Vamos concluir este nosso momento de reflexão sobre o dízimo e a partilha rezando juntos:

Todos: “Pai Santo, contemplando Jesus Cristo, vosso filho bem amado que se entregou por nós na cruz, e tocado pelo amor que o Espírito Santo derrama em nós, manifesto com esta contribuição, minha pertença à igreja, solidário com sua missão e com os mais necessitados. De todo o coração, ó Pai, contribuo com o que posso: recebei, ó Senhor. Amém”.

COORDENADOR: Antes de finalizarmos o nosso encontro, vamos lembrar que dia 17 de Novembro é o III dia Mundial dos Pobres instituído pelo Papa Francisco . “A esperança dos pobres jamais se frustrará”.

a- O que temos feito para ajudar os nossos pobres?
b- A nossa Comunidade acolhe os pobres na Liturgia, Pastorais e Movimentos?
c- O que podemos fazer para melhorar?

QUARTA SEMANA: 24 – 30 de Novembro

Fazer o seu encontro normal

Antes da oração final, repetir a dinâmica da BATATA QUENTE OU A DINÂMICA DO ESTOURA BALÃO ( TODOS DEVEM ESTOURAR O BALÃO DE UMA SÓ VEZ E O COORDENADOR VAI LENDO AS PERGUNTAS E QUEM ESTIVER COM ELA VAI RESPONDENDO:

1- Dentro do que falamos sobre o Dízimo e a Partilha nessas semanas, o que mais lhe chamou a atenção?

2- Se a Bíblia é a Palavra de Deus escrita, você realmente acredita que a ideia do dízimo veio de Deus?

3- Na sua opinião, por que muitas pessoas que se dizem católicas ainda não despertaram para a entrega do seu dízimo?

4- Cite 5 benefícios que o Dízimo proporciona a sua Comunidade ou Pastoral e Movimento.

5- Você tem alguma sugestão de como podemos continuar falando do dízimo e da partilha em nossos próximos encontros, mesmo não sendo mês de novembro?

6- Você vai agora receber um presente… (entrega). Não abra, ele não é seu. Entregue-o para a pessoa mais fiel do grupo. – Apesar da sua fidelidade este presente também não é seu. – Entregue-o para a pessoa que você acredita que a partir de agora será dizimista consciente. – Mesmo sendo consciente, este presente também não pertence a você. Entregue-o para a pessoa mais carismática do grupo. Que bom! A pessoa carismática é capaz de atrair as outras pessoas para o caminho do bem. Então abra o presente e partilhe-o com todas as pessoas do grupo.

Coordenador: encerrar o encontro como de costume e, se tiver mais alguma programação para o encerramento do mês do dízimo em sua paróquia, fazer as comunicações necessárias.

A Palavra do Pastor
Cremos na Ressurreição da carne e na vida eterna – Homilia do 32° Domingo Comum

Cremos na Ressurreição da carne e na vida eterna – Homilia do 32° Domingo Comum

Cremos na Ressurreição da carne e na vida eterna Com a Liturgia do 32º Domingo do Tempo Comum (ano C),...
Read More
A DOR DA SAUDADE

A DOR DA SAUDADE

Há dores que podem ser aliviadas ou até mesmo evitadas; Desnecessário nominá-las, pois bem as conhecemos. Há, porém, dores que...
Read More
Catequese permanente, frutos abundantes

Catequese permanente, frutos abundantes

O tema da iniciação à vida cristã e a necessária catequese permanente, que nos possibilita um crescimento constante mais do...
Read More
” Senhor, fazei de nós instrumentos da Vossa paz…”

” Senhor, fazei de nós instrumentos da Vossa paz…”

“Senhor, fazei de nós instrumentos da Vossa paz...” Retomemos a oração conclusiva da Mensagem do Papa Francisco,  para o 52º...
Read More
Ela veio trazendo vida

Ela veio trazendo vida

  Com o Cântico de Daniel, louvemos o Senhor: “Águas do alto céu, bendizei o Senhor! Potências do Senhor, bendizei...
Read More
Quanto mais próximos do Altar, maior será a exigência de Deus para conosco! (Homilia – 30° Domingo do Tempo Comum)

Quanto mais próximos do Altar, maior será a exigência de Deus para conosco! (Homilia – 30° Domingo do Tempo Comum)

Quanto mais próximos do Altar, maior será a exigência de Deus para conosco! Com a Liturgia do 30º Domingo do Tempo...
Read More
A oração não dispensa compromissos

A oração não dispensa compromissos

As mãos que elevamos aos céus são as mesmas que na terra estendemos ao outro... A Liturgia do 29º Domingo...
Read More
Graça, gratidão e gratuidade (Homilia 28º Domingo Tempo Comum – ano C)

Graça, gratidão e gratuidade (Homilia 28º Domingo Tempo Comum – ano C)

Graça, gratidão e gratuidade   “...Um deles, ao perceber que estava curado, voltou glorificando a Deus em alta voz; atirou-se...
Read More
Anjos que não vejo e anjos que vejo!

Anjos que não vejo e anjos que vejo!

A Igreja celebra, no dia 02 de outubro, a Memória dos Anjos de Guarda (Ex 23,21-23; Salmo 91; Mt 18,1-5.10)....
Read More
É missão das Paróquias resplandecer a luz divina

É missão das Paróquias resplandecer a luz divina

"Eles eram perseverantes no ensinamento dos apóstolos, na comunhão fraterna, na fração do pão e nas orações” (At 2,42) Em...
Read More
Curta Nossa Fanpage:

Empresas que possibilitam este projeto: