15 razões porque sou dizimista

1. Sou dizimista porque o dízimo é uma lei do Senhor. “Porás à parte o dízimo de todo fruto de tuas semeaduras, de tudo o que o teu campo produzir cada ano.” (Deut 14,22).

2. Sou dizimista porque o dízimo é santo e pertence a Deus. “Todos os dízimos da terra, tomados das sementes do solo ou dos frutos das árvores, são propriedade do Senhor: é uma coisa consagrada ao Senhor. Se alguém quiser resgatar alguma coisa de seus dízimos, ajuntará uma quinta parte.” (Lev 27,30-32).

3. Sou dizimista porque tudo vem das mãos de Deus “Quem sou eu, e quem é meu povo, para que possamos fazer-vos voluntariamente estas oferendas? Tudo vem de vós e não oferecemos senão o que temos recebido de vossa mão.” (I Cron 29,14

4. Sou dizimista porque tudo pertence a Deus. “A prata e ouro me pertencem – oráculo do Senhor dos exércitos.” (Ag 2,8)

5. Sou dizimista porque o dízimo é o segredo para estar em paz com Deus. “Honra ao Senhor com teus haveres, e com as primícias de todas as tuas colheitas: então, teus celeiros se abarrotarão de trigo, e teus lagares transbordarão de vinho.” (Prov 3,9-10)

6. Sou dizimista porque dízimo torna participante da casa de Deus. “Comerás na presença do Senhor, teu seu nome, o dízimo de teu trigo, de teu vinho e de teu óleo, bem como os primogênitos de teu rebanho grande e miúdo, para que aprendas a temer o Senhor, teu Deus, para sempre.” (Deut 14,23)

7. Sou dizimista porque meu salário não será pago em bolsa furada. “Semeais muito e recolheis pouco; comeis e não vos saciais; bebeis e não chegais a apagar a vossa sede; vestis, mas não vos aqueceis; e o operário guarda o seu salário em saco roto!” (Ag 1,6)

8. Sou dizimista porque é errado não entregar o dízimo. “Pode o homem enganar o seu Deus? Por que procurais enganar-me? E ainda perguntais: Em que vos temos enganado? No pagamento dos dízimos e nas ofertas. Fostes atingidos pela maldição, e vós, nação inteira, procurais enganar-me.” (Mal 3,8-9)

9. Sou dizimista porque amo a obra de Deus. “E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura…” (Mc 16,15)

10. Sou dizimista porque quero ser abençoado “… dai, e dar-se-vos-á. Colocar-vos-ão no regaço medida boa, cheia, recalcada e transbordante, porque, com a mesma medida com que medirdes, sereis medidos vós também.” (Lc 6,38)

11. Sou dizimista porque Jesus ensinou sobre o valor do dízimo. “Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas! Pagais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e desprezais os preceitos mais importantes da lei: a justiça, a misericórdia, a fidelidade. Eis o que era preciso praticar em primeiro lugar, sem contudo deixar o restante.” (Mt 23,23)

12. Sou dizimista porque não sou avarento. “Porque a raiz de todos os males é o amor ao dinheiro. Acossados pela cobiça, alguns se desviaram da fé e se enredaram em muitas aflições.” (ITm 6,10)

13. Sou dizimista porque meu tesouro está nos céus “Não ajunteis pra vós tesouros na terra, onde a ferrugem e as traças corroem, onde os ladrões furam e roubam. Ajuntai para vós tesouros no céus, onde não os consomem nem as traças nem a ferrugem, e os ladrões não furam nem roubam. Porque onde está o teu tesouro, lá também está teu coração.” (Mt 6,19-21)

14. Sou dizimista porque minha descendência não irá mendigar pão. “Fui jovem e já sou velho, mas jamais vi o junto abandonado, nem seus filhos a mendigar o pão.” (Sl 36,25)

15. Sou dizimista porque terei que prestar contas dos bens de Deus colocados em minhas mãos. “Ele chamou o administrador e lhe disse: que é que ouço dizer de ti? Presta conta da tua administração, pois já não poderás administrar meus bens.” (Lc 16,2)

SEJA FIEL NO ATO DE DAR!
A FIDELIDADE É O TERMÔMETRO DO GRAU DE MATURIDADE DA VIDA ESPIRITUAL.

E por quê? Ela é um reflexo da própria fidelidade de Deus. O ponto fundamental da fidelidade divina é o Seu amor infinito por cada um dos Seus filhos, entre eles você. Tudo quanto Ele declarou ser sua intenção fazer, jamais deixou de se cumprir. “Vossa verdade dura de geração em geração, tão estável como a terra que criastes” (Sl 119,90). Mesmo diante das infidelidades do Seu povo, manteve firme a Aliança selada primeiro no Sinai, e depois, confirmada no Calvário no Sangue precioso de Jesus Cristo.

Uma das áreas mais difíceis de praticar a fidelidade, é a financeira. Não basta compreender o valor do dízimo e das ofertas, também é necessário exercitá-lo e ser fiel por toda a vida, em todas as circunstâncias. Os bens colocados em suas mãos pertencem a Deus, daí: “o que se exige dos administradores é que sejam fiéis.” (1Cor 4,2)

ideeanunciai.wordpress.com,
enviado por Diácono Edmilson Candido

A Palavra do Pastor
A insustentabilidade dos horizontes fragmentários

A insustentabilidade dos horizontes fragmentários

“Qual é o lugar que concedemos a Deus na nossa vida? Na cultura contemporânea está presente um indubitável processo de...
Read More
Eucaristia: O milagre do amor e da partilha XVII Domingo do Tempo Comum do Ano B

Eucaristia: O milagre do amor e da partilha XVII Domingo do Tempo Comum do Ano B

Com a Liturgia do 17º Domingo do Tempo Comum (ano B), contemplamos a ação de Deus: é próprio do Seu...
Read More
“Confirma a caridade para consolidar a unidade”

“Confirma a caridade para consolidar a unidade”

“Confirma a caridade para consolidar a unidade” Reflitamos à luz deste parágrafo do Sermão sobre os pastores, escrito pelo Bispo...
Read More
A incomparável Compaixão Divina – Homilia – 16º Domingo do Tempo Comum ( Ano B)

A incomparável Compaixão Divina – Homilia – 16º Domingo do Tempo Comum ( Ano B)

Com a Liturgia do 16º Domingo do Tempo Comum (ano B), refletimos sobre o Amor e a solicitude de Deus...
Read More
Alegria da missão e da vocação profética – Homilia do XV Domingo do Tempo Comum Ano B

Alegria da missão e da vocação profética – Homilia do XV Domingo do Tempo Comum Ano B

“A missão de Jesus é a nossa missão” A Liturgia da Palavra do 15º Domingo do Tempo Comum (ano B),...
Read More
Vençamos o medo na travessia – XII Domingo do Tempo Comum

Vençamos o medo na travessia – XII Domingo do Tempo Comum

“‘Silêncio! Cala-te!’ O vento cessou e houve uma grande calmaria. Então Jesus perguntou aos discípulos: “Por que sois tão medrosos?...
Read More
O Reino de Deus germina silenciosamente- Homilia 11° Domingo do Tempo Comum Ano B

O Reino de Deus germina silenciosamente- Homilia 11° Domingo do Tempo Comum Ano B

O Reino de Deus germina silenciosamente No 11º Domingo do Tempo Comum (Ano B), a Liturgia da Palavra nos convida...
Read More
Iluminados pela “Verbum Domini”, alegria Pascal transbordante

Iluminados pela “Verbum Domini”, alegria Pascal transbordante

Vivendo o Tempo Comum, sejamos cada vez mais fortalecidos pela Palavra, que é fonte divina de nossa conversão, como discípulos...
Read More
O desafio da Evangelização na rede – Dom Otacilio F. de Lacerda

O desafio da Evangelização na rede – Dom Otacilio F. de Lacerda

Retomando a citação do Papa Emérito Bento XVI em que ele ressalta a missão da Igreja que é chamada a...
Read More
A Amizade Divina e a felicidade desejada – Homilia- 10º Domingo do Tempo Comum -Ano B.

A Amizade Divina e a felicidade desejada – Homilia- 10º Domingo do Tempo Comum -Ano B.

A Amizade Divina e a felicidade desejada A Liturgia do décimo Domingo do Tempo Comum (ano B) nos convida a...
Read More

Empresas que possibilitam este projeto: