Editorial: Estamos na “idade de Cristo”

A maioria das pessoas associa “33 anos de vida” à idade da morte de Jesus Cristo. Apesar de que a Sagrada Escritura não menciona a idade exata de Jesus em sua morte, os evangelhos Lucas e João nos ajudam a entender isso. Em Lucas 3,23, nos é relatado que Jesus tinha 30 anos de vida quando iniciou seu ministério; somado a essa citação, temos no livro de João a menção de quatro festas da páscoa após o início do ministério de Jesus (Jo 2,13-23; Jo 5,1; Jo 6,4) e a última páscoa quando ele foi crucificado.

Sabemos também que a páscoa dos judeus era realizada anualmente (Ex 34,18). Sendo assim, podemos chegar na idade de 33 anos. Se considerarmos que essa primeira páscoa (Jo 2,13-23) foi quando Jesus tinha 30 anos de idade, logo, com 31 anos foi a segunda páscoa (Jo 5,1); com 32 anos, a terceira páscoa (Jo 6,4) e com 33 anos a páscoa em que ele foi crucificado. Logo, nos parece razoável crer que Jesus tinha realmente por volta de 33 anos.

Independente disso, esta idade marca não só a morte de Jesus, mas também a ressurreição. Podemos considerar a maturidade de sua missão: quando se cumpriu o tempo, Jesus retorna para o Pai; cumpriu um ciclo entre nós: veio do Pai e retorna ao Pai; desceu do céu e de novo sobe para lá (Jo 1,1-18; Jo 3, 13; 6, 62).

Esta é a idade da nossa diocese! 33 anos! Esta é “nossa idade” como Igreja e recebemos pela primeira vez um “bispo pronto”, elementos que nos inspiram a vislumbrar um novo ciclo em nossa diocese. Os 3 primeiros bispos eram padres que assumiram o terceiro grau do sacramento da ordem se tornando bispos para ensinar, governar e santificar o povo de Deus nesta igreja particular. Realizaram 5 Assembleias Diocesanas, ajudaram a imprimir uma identidade.

O quarto bispo vem com aproximadamente 2 anos e meio de ministério junto a Dom Walmor na capital mineira e vem “como Pastor da nossa Igreja Diocesana – conforme rezamos neste tempo de vacância – Que o Espírito Santo o ilumine e fortaleça para ser verdadeiramente um “Pastor que tenha o cheiro das ovelhas”, que caminha com o seu Povo, a serviço da Sua Igreja e de maneira especial, os pobres e necessitados”.

É oportunidade de iniciarmos um novo ciclo, amadurecermos, resgatarmos o que foi bom e corrermos atrás daquilo que ainda precisamos se concretizar. Em nossa prece, instruídos por Dom Darci José Nicioli – Adm. Apostólico -, rezávamos: “Estamos no tempo de esperança e mudança, mas também, vigilantes”. Continuemos assim: vigilantes e atentos às mudanças e assim, nos configurarmos cada vez mais a Jesus Cristo, Sumo Sacerdote e Pastor Eterno e proclamarmos “para mim o viver é Cristo” – “mihi vivere Christus est” (Fl 1,21).

Seja bem-vindo, Dom Otacílio! Seguimos “unidos na fé e na oração, na comunhão fraterna e participação ativa, em todas as paróquias e comunidades”, no firme propósito de superar os desafios que nos interpelam (de ordem espiritual e da natureza humana frágil), de uma transformação e conversão do coração. Pedimos ao Pastor Eterno, Jesus Cristo, que ilumine o seu episcopado.

Rezamos por um novo pastor e rezemos agora para que ele seja ajudado por Deus e Nossa Senhora em sua missão. A oração não pode parar. E não nos falte a intercessão e a proteção de São Miguel Arcanjo, que é nosso padroeiro.

 

Pe. Bruno Costa Ribeiro,
Diretor

A Palavra do Pastor
Graça e perseverança na missão

Graça e perseverança na missão

 “Tende entre vós o mesmo sentimento que existe em Cristo Jesus” (Fl 2,5) Retomo as iluminadoras palavras do Papa Francisco na...
Read More
Sejamos curados pelo Senhor – Homilia – XXIII Domingo do Tempo Comum

Sejamos curados pelo Senhor – Homilia – XXIII Domingo do Tempo Comum

“Olhando para o céu, suspirou e disse:  “Effatha!”, que quer dizer “abre-te!” No 23º Domingo do Tempo Comum (ano B),...
Read More
Paróquia: Escola de Comunhão e de Amor

Paróquia: Escola de Comunhão e de Amor

Como Igreja que somos, precisamos testemunhar a nossa Fé, dando solidez à Esperança, na vivência concreta e eficaz da Caridade,...
Read More
Nossa prática religiosa é agradável a Deus? Homilia – 22º Domingo do Tempo Comum – Ano B – Dom  Otacilio F. de Lacerda.

Nossa prática religiosa é agradável a Deus? Homilia – 22º Domingo do Tempo Comum – Ano B – Dom Otacilio F. de Lacerda.

Com a Liturgia do 22º Domingo do Tempo Comum (ano B), aprofundamos como deve ser uma verdadeira religião que agrade...
Read More
“Só Tu tens Palavras de vida eterna” – Homilia 21º Domingo do Tempo Comum

“Só Tu tens Palavras de vida eterna” – Homilia 21º Domingo do Tempo Comum

“A quem iremos, Senhor?” Com a Liturgia do 21º Domingo do Tempo Comum (ano B), refletimos sobre nossas opções, sobre o discernimento que...
Read More
A missão e o Alimento indispensável – Homilia 19º Domingo Comum – Ano B

A missão e o Alimento indispensável – Homilia 19º Domingo Comum – Ano B

A Liturgia do 19º Domingo do Tempo Comum (ano B), continuamos a refletir sobre um tema de extrema importância: Jesus...
Read More

Temos fome e sede de Deus – XVIII Domingo do Tempo Comum

Com a Liturgia do 18º Domingo do Tempo Comum (ano B), refletimos sobre o Jesus, o Pão da Vida, e,...
Read More
A insustentabilidade dos horizontes fragmentários

A insustentabilidade dos horizontes fragmentários

“Qual é o lugar que concedemos a Deus na nossa vida? Na cultura contemporânea está presente um indubitável processo de...
Read More
Eucaristia: O milagre do amor e da partilha XVII Domingo do Tempo Comum do Ano B

Eucaristia: O milagre do amor e da partilha XVII Domingo do Tempo Comum do Ano B

Com a Liturgia do 17º Domingo do Tempo Comum (ano B), contemplamos a ação de Deus: é próprio do Seu...
Read More
“Confirma a caridade para consolidar a unidade”

“Confirma a caridade para consolidar a unidade”

“Confirma a caridade para consolidar a unidade” Reflitamos à luz deste parágrafo do Sermão sobre os pastores, escrito pelo Bispo...
Read More

Empresas que possibilitam este projeto: