Ainda há espaço para as CEBs na igreja?

Pergunte a alguém da comunidade: ainda há espaço para as comunidades eclesiais de base na igreja?

Preciso de confirmação de testemunhas que viram nossa Igreja diocesana ser gestada, nascer, desenvolver-se e chegar à idade adulta, mas me resta um tiquinho de dúvida apenas sobre o que vou afirmar no início deste texto. Muitas lideranças sociais, políticas, religiosas nesta Diocese nasceram das experiências de fé das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs). Uma vivência que nasceu na zona rural, nas periferias, nas ruas e bairros das nossas cidades. Um protagonismo que encontra inspiração no Evangelho de Jesus de Nazaré.

As CEBs não perderam força como pensam alguns agourentos. Hoje, vejo a força das comunidades a partir da historieta que vou contar. Na minha casa tem um pé de pimenta biquinho plantada em um vaso. Durante meses comemos dessa deliciosa pimenta! Um dia, percebi que a plantinha parou de dar frutos, as folhas secaram, o caule foi se enfraquecendo, até que morreu. Perguntei para minha esposa: “Flor, o pé de pimenta morreu”? Ela me disse: “Não, não. Veja lá no vaso”. Quando me aproximei, vi muitas mudas, novinhas, vicejantes, que me saltaram aos olhos. Fiquei feliz e pensei: “Que bom! Logo, logo, novos frutos crescerão!”.

Na Diocese de Guanhães, as CEBs passam por esse processo da pimenteira. Há muitos desafios que exigem uma resposta corajosa da Igreja: os modos de produção do sistema produtivo e improdutivo ceifadores do meio ambiente e das comunidades tradicionais, a crise econômica que atinge as famílias de baixa renda, levando-as à miséria e à fome, a política partidária que carece de representatividade íntegra, responsável e ética, os problemas da urbanização etc. Nossa Senhora! Há inúmeras situações que as nossas comunidades experimentam dia a dia. Fica a certeza de que das CEBs sempre surgem vozes proféticas, ações transformadoras e modos de organização social onde a solidariedade sinalize a força da fé e a presença de Deus.

Luís Carlos Pinto
Professor de Educação Básica

A Palavra do Pastor
O chamado divino e a nossa resposta – Homilia – Segundo Momingo do Tempo Comum ( Ano B)

O chamado divino e a nossa resposta – Homilia – Segundo Momingo do Tempo Comum ( Ano B)

Deus nos chama para que anunciemos a Sua Palavra e não a nós mesmos, porque nisto consiste a vocação do...
Read More
Viver o Batismo é seguir os passos de Jesus- Homilia para o Domingo do Batismo do Senhor-Ano B- Dom Otacilio 

Viver o Batismo é seguir os passos de Jesus- Homilia para o Domingo do Batismo do Senhor-Ano B- Dom Otacilio 

Com a Liturgia da Festa do Batismo do Senhor (ano B), refletimos sobre a revelação de Jesus Cristo, o Filho...
Read More
Sejamos um sim a Deus e ao Seu Projeto de Salvação! Homilia – 4º Domingo do Advento do Ano B

Sejamos um sim a Deus e ao Seu Projeto de Salvação! Homilia – 4º Domingo do Advento do Ano B

Com a Liturgia do 4º Domingo do Advento (ano B), damos mais um passo fundamental nesta caminhada de preparação para...
Read More
Confiança, esperança e alegria no Senhor – Homilia – Terceiro Domingo do Advento – Ano B

Confiança, esperança e alegria no Senhor – Homilia – Terceiro Domingo do Advento – Ano B

“João é a voz no tempo; Cristo é, desde o princípio, a Palavra eterna.” Ao celebrar o 3º Domingo do...
Read More
Advento: vigilância ativa e efetiva – Homilia de Dom Otacilio – Primeiro Domingo do tempo do Avento Ano B

Advento: vigilância ativa e efetiva – Homilia de Dom Otacilio – Primeiro Domingo do tempo do Avento Ano B

Com o primeiro Domingo do Tempo do Advento (ano B), seremos convidados à vigilância, numa frutuosa preparação para o Natal...
Read More
Alegres e convictos Servidores do Reino – Homilia e reflexões de Dom Otacilio para o XXXIII Domingo do Tempo Comum (Ano A)

Alegres e convictos Servidores do Reino – Homilia e reflexões de Dom Otacilio para o XXXIII Domingo do Tempo Comum (Ano A)

  Alegres e convictos Servidores do Reino (Homilia - XXXIIIDTCA) A Liturgia do 33º Domingo do Tempo comum (Ano A),...
Read More
Permaneçamos vigilantes – XXXII do Tempo Comum do Ano A.

Permaneçamos vigilantes – XXXII do Tempo Comum do Ano A.

Com a Liturgia, do 32º Domingo do Tempo Comum (Ano A), refletimos sobre a necessária vigilância ativa na espera do...
Read More
O Ministério do padre na hora mais difícil: a morte.

O Ministério do padre na hora mais difícil: a morte.

Finados: dia de recolhimento, oração e contemplação de nossa realidade penúltima, a morte; fortalecimento na fé sobre nossa realidade última,...
Read More
Bem-Aventuranças vividas, Santidade alcançada (Homilia Festa de todos os santos e santas)

Bem-Aventuranças vividas, Santidade alcançada (Homilia Festa de todos os santos e santas)

  A Solenidade de todos os Santos abre nosso espírito e coração às consequências da Ressurreição. Para Jesus, ela foi...
Read More
Amor a Deus e ao próximo, dois amores inseparáveis – 30º Domingo do Tempo Comum (Ano A)

Amor a Deus e ao próximo, dois amores inseparáveis – 30º Domingo do Tempo Comum (Ano A)

Amor a Deus e ao próximo, dois Amores inseparáveis O Mandamento do Amor é a essência da vida cristã Com...
Read More

Empresas que possibilitam este projeto: