Fim de ano

Pe José Adriano Barbosa dos Santos

Pensar no fim é, às vezes, mórbido, e, outras vezes, vital. A parte mórbida nos liga à própria ideia de fim; acabou, nunca mais, o que se fez está feito, o que não se fez, não se fará. Mas a parte vital nos conecta com a esperança, com a saudável e necessária atitude de prosseguir. Ir para frente, guiado pelas boas lembranças do que passou e motivado, apesar daquilo que não deu certo.
Este ano foi de grandes mudanças e instabilidade na vida de todos nós. Por causa da política, da economia e das relações instáveis, nossa fragilidade humana também se expôs de forma surpreendente. Mas o fim é também um convite a recomeçar. O Natal nos lembra isso. Tantos sonhos foram compartilhados por pessoas de fé. Parecem distantes de nós, mas não. Estão perto, muito mais que pensamos. Nunca vi ninguém mais esperançoso que Isaías. Nunca vi ninguém com uma fé como a de Maria, nunca vi ninguém com uma disponibilidade livre e sonhadora como José.
Vamos planejar nossas vidas, nossos caminhos e projetos, mas deixemos que Deus também atravesse nossa estrada. Vamos fazer de nós, engenheiros de nosso futuro, mas deixemos que Deus arquitete nossos pensamentos pontilhando-os com aquele brilho inconfundível que guiou os magos do oriente até Jesus. Sejamos donos de nossas vontades, mas abramo-nos à possibilidade de a educarmos para uma vontade maior.
O pensamento sobre o fim que queremos não é o mórbido, nem o fúnebre, nem o amargo, mas o fim que possibilita sonhar de novo. Que possibilita reescrever algumas linhas tortuosas de nossas vidas. Todos merecemos a chance de recomeçar, de renascer. Todos merecemos olhar a vida e exigir um pouco mais dela, sabendo que estaremos exigindo de nós mesmos. E Deus, como um treinador na linha divisória, continua dando gritos motivadores para que nós, os jogadores em campo suemos a camisa, numa partida em que o mais importante é jogar, o mais importante é viver.
Ame, sonhe, viva, creia. Renasça! Um feliz Natal a todos e um ótimo ano que se inicia!

 

A Palavra do Pastor
“Coragem, Ele te chama” Homilia para o 30º Domingo do Tempo Comum

“Coragem, Ele te chama” Homilia para o 30º Domingo do Tempo Comum

  Joguemos o manto e saltemos ao encontro do Amor. No 30º Domingo do Tempo Comum (Ano B) refletimos sobre...
Read More
Presbítero: Homem da Palavra e de palavra

Presbítero: Homem da Palavra e de palavra

O sopro do Concílio nos desafiou a assumir as alegrias e tristezas, angústias e esperanças da humanidade, como Igreja de...
Read More
Do Cálice à Missão, da Missão ao Cálice!

Do Cálice à Missão, da Missão ao Cálice!

Todos os dias são dias de missão, e a Igreja que vive no tempo é missionária, por sua natureza, tendo...
Read More
Somente Deus nos concede a verdadeira riqueza – Homilia para o XXVIII Domingo do Tempo Comum – Ano B.

Somente Deus nos concede a verdadeira riqueza – Homilia para o XXVIII Domingo do Tempo Comum – Ano B.

No 28º Domingo do Tempo Comum (ano B), somos convidados a refletir sobre o essencial e o efêmero em nossa...
Read More
Somos um povo peregrino e evangelizador .

Somos um povo peregrino e evangelizador .

“Nós vimos o Senhor” (Jo 20,25) Na Exortação Evangelii Gaudium, o Papa afirma que “A Evangelização é dever da Igreja. Este sujeito da...
Read More
O Sacramento do Matrimônio no Plano de Deus – Homilia do XXVII Domingo do Tempo Comum do Ano B

O Sacramento do Matrimônio no Plano de Deus – Homilia do XXVII Domingo do Tempo Comum do Ano B

  No 27º Domingo do Tempo Comum (Ano B), refletimos sobre a aliança matrimonial que, no Projeto de Deus, consiste...
Read More
Graça e perseverança na missão

Graça e perseverança na missão

 “Tende entre vós o mesmo sentimento que existe em Cristo Jesus” (Fl 2,5) Retomo as iluminadoras palavras do Papa Francisco na...
Read More
Sejamos curados pelo Senhor – Homilia – XXIII Domingo do Tempo Comum

Sejamos curados pelo Senhor – Homilia – XXIII Domingo do Tempo Comum

“Olhando para o céu, suspirou e disse:  “Effatha!”, que quer dizer “abre-te!” No 23º Domingo do Tempo Comum (ano B),...
Read More
Paróquia: Escola de Comunhão e de Amor

Paróquia: Escola de Comunhão e de Amor

Como Igreja que somos, precisamos testemunhar a nossa Fé, dando solidez à Esperança, na vivência concreta e eficaz da Caridade,...
Read More
Nossa prática religiosa é agradável a Deus? Homilia – 22º Domingo do Tempo Comum – Ano B – Dom  Otacilio F. de Lacerda.

Nossa prática religiosa é agradável a Deus? Homilia – 22º Domingo do Tempo Comum – Ano B – Dom Otacilio F. de Lacerda.

Com a Liturgia do 22º Domingo do Tempo Comum (ano B), aprofundamos como deve ser uma verdadeira religião que agrade...
Read More

Empresas que possibilitam este projeto: