“Ele está no meio de nós!” Aleluia! – Homila III Domingo de Páscoa Ano C

“Ele está no meio de nós!” Aleluia!

Com a Liturgia do terceiro Domingo da Páscoa (Ano B), refletimos sobre o modo de testemunhar o Cristo Ressuscitado; a dinâmica da Vida Nova que brota da experiência da Ressurreição na vida dos discípulos; e o testemunho de que Ele está Vivo.

Jesus Ressuscitado é o centro da comunidade reunida; sempre presente no caminho e na missão do discípulo, e é necessário coragem para testemunhar e anunciar a Palavra do Ressuscitado.

É o que vemos na primeira leitura (At 3,13-15.17-19): o realizar desta missão se dará pelo testemunho dado diante do mundo, com a pregação e ações concretas. Com estas atitudes, poderão ter aceitação, rejeição e até mesmo sofrer perseguição.

A pregação dos Apóstolos é um convite ao arrependimento, à conversão, à fé em Jesus Cristo, acolhendo Sua Pessoa e a Boa-Nova do Reino por Ele iniciado.

A conversão implica na superação do egoísmo, do orgulho, do comodismo, da autossuficiência, do individualismo, da indiferença…

O testemunho dos discípulos será a grande manifestação da Vida do Ressuscitado. Somente com uma vida marcada pela doação e entrega total, trilhamos o caminho para o alcance da Vida Eterna. Eis o autêntico caminho da vida cristã.

Reflitamos:

– A minha vida e meus gestos testemunham o Cristo Vivo, Ressuscitado?

– Quais os sinais que manifestam a presença do Ressuscitado na minha comunidade?

– Quais são os apelos de conversão que ressoam fortemente no mais profundo de mim e da minha comunidade?

Na passagem da segunda leitura (1 Jo 2,1-5a), refletimos sobre a comunidade que reconhece a sua fragilidade e não se desespera, pois bem sabe que tem o Defensor, o Advogado, o Paráclito.

Os membros da Comunidade cultivam uma intimidade profunda com Deus, na escuta, acolhimento e vivência de Sua Palavra, reconhecendo a condição da realidade pecadora inerente à criatura humana, sem jamais desistir do caminho da Salvação, num permanente amadurecimento e crescimento da coerência entre a fé e a vida.

A comunidade deve estar sempre atenta para o não abandono do amor fraterno, por isso a necessária vigilância para uma vida de santidade se faz necessária, com renúncia ao pecado e aberta à proposta de Salvação que Deus nos oferece.

Reflitamos:

– Qual é a profundidade do meu relacionamento com Deus?

– Como cultivo minha amizade e familiaridade com Deus?

– Como sinto Sua proximidade no dia a dia?

– Sinto a presença do Espírito que assiste, acompanha, orienta e fortalece a vida da Igreja?

– Qual é a coerência que há entre a fé que professo e a minha vida?

Na passagem do Evangelho (Lc 24,35-48), os discípulos, na escuta da Palavra e na partilha do Pão, sentem e reconhecem a presença do Ressuscitado.

Somente no amor e na fraternidade, a comunidade é capaz de enxergar e tornar visível a presença do Ressuscitado.

A Ressurreição é a prova de que Deus dá razão a Jesus e que Seu Amor é mais forte que a morte.

A comunidade crê n’Aquele que foi rebaixado pelos injustos, desceu à mansão dos mortos, foi reerguido por Deus, mostrado glorioso aos que n’Ele acreditam.

Na intimidade Eucarística, Ele nos dirige Sua Palavra e nos dá o Seu Corpo e Sangue: Verdadeira Comida e Verdadeira Bebida.

Crer na Ressurreição é a grande força que move a ação da comunidade, pois ela é, na exata medida, a vitória do Projeto de Jesus.

A Ressurreição é um fato real, mas não pode ser provado cientificamente. A comunidade teve que percorrer um longo e difícil caminho para o reconhecimento da presença de Jesus Vivo e Ressuscitado. Foi inevitável a dúvida, a incerteza, o medo, a fragilidade… até  que pudesse passar da incredulidade à fé.

Somos uma comundiade com a presença do Ressuscitado que nos traz a verdadeira paz; comunica-nos o “shalom”: harmonia, serenidade, confiança, a vida plena.

A comunidade deve crescer no amor mútuo, na fraternidade, tornando visível a presença do Ressuscitado.

A ação do discípulo é a continuidade da missão do próprio Jesus. Ele continua a obra redentora do Salvador, d’Aquele que foi morto e Ressuscitado.

Reflitamos:

– Qual é o caminho para a descoberta e o encontro com o Ressuscitado?

– Temos sentido a presença do Ressuscitado através da Palavra Proclamada, ouvida, acolhida e vivida?

– Jesus Ressuscitado tem a centralidade em nossa comunidade?

Observando os Mandamentos divinos, Deus Se torna uma Verdade em nós. Portanto, amemos a Deus e acreditemos no Filho amado! Escutemo-Lo, pois Ele venceu o mundo! A vida venceu a morte.  Contemos com a presença e ação do Espírito Santo. Amém Aleluia!

Dom Otacilio F. Lacerda

A Palavra do Pastor
Amar como Jesus Ama: desafio e missão – Homilia – V Domingo da Páscoa – Ano C

Amar como Jesus Ama: desafio e missão – Homilia – V Domingo da Páscoa – Ano C

Amar como Jesus Ama: desafio e missão “Vede como eles se amam” (Tertuliano) A Liturgia do 5º domingo da Páscoa...
Read More
A voz do Bom Pastor – Homilia 4º Domingo da Páscoa – Ano C

A voz do Bom Pastor – Homilia 4º Domingo da Páscoa – Ano C

“Eu sou o Bom Pastor. Conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem,  assim como o Pai me conhece e Eu...
Read More

“Ele está no meio de nós!” Aleluia! – Homila III Domingo de Páscoa Ano C

“Ele está no meio de nós!” Aleluia! Com a Liturgia do terceiro Domingo da Páscoa (Ano B), refletimos sobre o modo de...
Read More
A Fé no Ressuscitado é missão de paz! Segundo Domingo Tempo pascal – Ano C

A Fé no Ressuscitado é missão de paz! Segundo Domingo Tempo pascal – Ano C

A Liturgia do 2º Domingo da Páscoa (ano C), também chamado de Domingo da Misericórdia, nos convida a refletir sobre...
Read More
Páscoa do Senhor: Muito mais que sete verbos…

Páscoa do Senhor: Muito mais que sete verbos…

Quando o Domingo de Páscoa celebramos, Sete verbos aprendemos para conjugação, Nos tempos Pretérito, Presente e Futuro. Para quem acredita...
Read More
Celebremos a Vigília Pascal ( Ano C)

Celebremos a Vigília Pascal ( Ano C)

Para bem celebrar a Vigília Pascal, a antiquíssima Vigília, a Mãe de todas as Vigílias, sejamos enriquecidos pelo Sermão de...
Read More
Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor (Ano C)

Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor (Ano C)

 “Contemplemos e fiquemos abismados diante da mais bela História do Amor de Deus por nós: Jesus Cristo, 0 Filho Amado...
Read More
A Quaresma e a“escala da perfeição”-   V Domingo da Quaresma Ano C.

A Quaresma e a“escala da perfeição”- V Domingo da Quaresma Ano C.

Quaresma, tempo favorável para penitência e privações, mas, sobretudo, tempo de conversão e regresso às fontes evangélicas, com início na...
Read More
“Vá e não peques mais” – Homilia V Domingo da Quaresma – Ano C

“Vá e não peques mais” – Homilia V Domingo da Quaresma – Ano C

No 5º Domingo da Quaresma (Ano C), a Liturgia da Palavra da Santa Missa nos convida a nos pormos de...
Read More
A inexplicável Misericórdia Divina nos faz novas criaturas- IV Domingo do Tempo da Quaresma – Ano C

A inexplicável Misericórdia Divina nos faz novas criaturas- IV Domingo do Tempo da Quaresma – Ano C

“Irmãos, se alguém está em Cristo, é uma criatura nova. O mundo velho desapareceu. Tudo agora é novo.” (2Cor 5, 17)...
Read More

Empresas que possibilitam este projeto: