Encontro Diocesano de Catequese assessorado por Pe Vanildo de Paiva em Guanhães

Conforme cronograma de atividades da Catequese Diocesana, aconteceu na sexta-feira, dia 26 de 18 às 21h e no sábado, 27 de outubro de 8 às 17h , em Guanhães, o encontro cujo tema foi Iniciação à Vida Cristã com inspiração catecumenal e foi assessorado por Pe Vanildo de Paiva, sacerdote da Arquidiocese de Pouso Alegre – MG, onde coordena a Comissão Arquidiocesana para a Liturgia. É mestre em Psicologia e assessor para formação de lideranças, sobretudo nas áreas de catequese e liturgia. Escreveu livros publicados pela Paulus Editora, entre os quais se destaca “Catequese e Liturgia: duas faces do mesmo Mistério”. É professor do IRPAC – Curso de Especialização em Catequética, do Regional leste II. Participaram do encontro, coordenadores de catequese, coordenadores de outras pastorais e movimentos da diocese e alguns padres.

Pe Vanildo iniciou dizendo que já era um bom caminho ver pessoas de lugares e pastorais diferentes reunidos, pois é esperança de que já há indícios de que já se tem noção que a Iniciação à Vida Cristã  representa uma urgência em nossa Igreja, e é de responsabilidade de todos. Prosseguindo, fez um breve resumo  do conteúdo do Documento 107: No capítulo 1- Jesus e a Samaritana. Todos nós, sem exceção, somos carentes da Água viva. Somente em Jesus Cristo podemos encontrar as respostas para as nossas inquietações. São muitas as nossas aflições, mas existem outros mais aflitos do que nós, que estão com suas “ânforas” completamente vazias tornando-se a Iniciação Cristã urgente. O capítulo 2 nos convida a ver e a aprender com a história e com a nossa realidade, a perceber as luzes e as sombras dos nossos dias e o confronto com a postura de Jesus. Não devemos olhar a vida da varanda, mas entrarmos  nela.

 O capítulo 3 nos leva a discernir como Igreja. Catecumenato o que é? Para quê? Uma olhada nos primeiros séculos, como funcionava e trazer para os tempos de hoje. O Capítulo IV propõe caminhos que é a partir da experiência do  encontro verdadeiro com Jesus.  Ele lembrou o número 287 do Documento de Aparecida sobre a IVC: Ou educamos na fé, colocando as pessoas realmente em contato com Jesus Cristo para um verdadeiro seguimento ou não estamos cumprindo a nossa missão evangelizadora. Há muita preocupação com a catequese. Fazer catequese não é comunicar uma teoria. O evangelizador comunica uma experiência com as crianças e não deve ser conteudista.  A prioridade da catequese é com os adultos. Jesus abençoava as crianças e catequizava os adultos e às vezes a Igreja tem feito o contrário.

No tempo de Jesus, Ele  olhou , suspirou e disse: Coitados! São ovelhas sem pastor. Sem pastor, as ovelhas ficam sem rumo, não têm perspectiva de vida. Diante disto Jesus escolheu os doze e os enviou, porém antes de ser missionário, é preciso ser discípulo, aprofundar a fé para que chegue ao coração e vire prática. Temos que nos sensibilizar com situações como as da África, mas temos que ver e sentir o drama das tantas ovelhas sem pastor do nosso lado. Por isto a IVC é urgente. Ser uma  Igreja em saída! Ir até as periferias existenciais. Quem são eles? Os drogados, os depressivos que estão com seus vasos secos, vazios… A igreja entende como tempo de germinação. Igreja começa com um grupo pequeno. Estamos de novo na mesma situação. Um mundão ao nosso redor. O bom pastor agora, deixa uma e vai atrás das noventa e nove perdidas porque há muitas pessoas envernizadas no evangelho; a boa Nova não chegou ao coração.

Somente quem faz o encontro verdadeiro com  Jesus , abastece sua ânfora com a água viva , passa a ser seguidor, discípulo e depois missionário, pois para ser missionário precisa ser discípulo primeiramente. Não se pode ficar na teoria, tem que ir para o coração para se tornar prática. Precisamos buscar o exemplo de nosso papa Francisco com a sua catequese tão inspiradora e com sua prática, seguir seu exemplo, uma igreja acolhedora em saída, com leveza e agilidade. Estamos vivendo em um mundo líquido. Tudo é provisório! Precisamos fazer dos desafios, oportunidades, daí a urgência de um sólido projeto de iniciação para gerar não cristianistas, mas cristãos autênticos, verdadeiros e comprometidos através da união das pastorais para assumir a tarefa iniciática.

Outras reflexões foram realizadas com o grupo: Iniciação hoje e os elementos de uma catequese de iniciação cristã com inspiração catecumenal e pistas para um projeto da IVC  (paroquial e diocesano). Pe  Vanildo levou o grupo a pensar que só seremos credíveis ao mundo , quando sairmos de nossos templos para as periferias existenciais de nossos tempos, anunciando com nossa vida a mensagem salvífica que assimilamos e que nos faz homens e mulheres novos. Fazer com arte o que se propõe a fazer.

.

 

A Palavra do Pastor
O chamado divino e a nossa resposta – Homilia – Segundo Momingo do Tempo Comum ( Ano B)

O chamado divino e a nossa resposta – Homilia – Segundo Momingo do Tempo Comum ( Ano B)

Deus nos chama para que anunciemos a Sua Palavra e não a nós mesmos, porque nisto consiste a vocação do...
Read More
Viver o Batismo é seguir os passos de Jesus- Homilia para o Domingo do Batismo do Senhor-Ano B- Dom Otacilio 

Viver o Batismo é seguir os passos de Jesus- Homilia para o Domingo do Batismo do Senhor-Ano B- Dom Otacilio 

Com a Liturgia da Festa do Batismo do Senhor (ano B), refletimos sobre a revelação de Jesus Cristo, o Filho...
Read More
Sejamos um sim a Deus e ao Seu Projeto de Salvação! Homilia – 4º Domingo do Advento do Ano B

Sejamos um sim a Deus e ao Seu Projeto de Salvação! Homilia – 4º Domingo do Advento do Ano B

Com a Liturgia do 4º Domingo do Advento (ano B), damos mais um passo fundamental nesta caminhada de preparação para...
Read More
Confiança, esperança e alegria no Senhor – Homilia – Terceiro Domingo do Advento – Ano B

Confiança, esperança e alegria no Senhor – Homilia – Terceiro Domingo do Advento – Ano B

“João é a voz no tempo; Cristo é, desde o princípio, a Palavra eterna.” Ao celebrar o 3º Domingo do...
Read More
Advento: vigilância ativa e efetiva – Homilia de Dom Otacilio – Primeiro Domingo do tempo do Avento Ano B

Advento: vigilância ativa e efetiva – Homilia de Dom Otacilio – Primeiro Domingo do tempo do Avento Ano B

Com o primeiro Domingo do Tempo do Advento (ano B), seremos convidados à vigilância, numa frutuosa preparação para o Natal...
Read More
Alegres e convictos Servidores do Reino – Homilia e reflexões de Dom Otacilio para o XXXIII Domingo do Tempo Comum (Ano A)

Alegres e convictos Servidores do Reino – Homilia e reflexões de Dom Otacilio para o XXXIII Domingo do Tempo Comum (Ano A)

  Alegres e convictos Servidores do Reino (Homilia - XXXIIIDTCA) A Liturgia do 33º Domingo do Tempo comum (Ano A),...
Read More
Permaneçamos vigilantes – XXXII do Tempo Comum do Ano A.

Permaneçamos vigilantes – XXXII do Tempo Comum do Ano A.

Com a Liturgia, do 32º Domingo do Tempo Comum (Ano A), refletimos sobre a necessária vigilância ativa na espera do...
Read More
O Ministério do padre na hora mais difícil: a morte.

O Ministério do padre na hora mais difícil: a morte.

Finados: dia de recolhimento, oração e contemplação de nossa realidade penúltima, a morte; fortalecimento na fé sobre nossa realidade última,...
Read More
Bem-Aventuranças vividas, Santidade alcançada (Homilia Festa de todos os santos e santas)

Bem-Aventuranças vividas, Santidade alcançada (Homilia Festa de todos os santos e santas)

  A Solenidade de todos os Santos abre nosso espírito e coração às consequências da Ressurreição. Para Jesus, ela foi...
Read More
Amor a Deus e ao próximo, dois amores inseparáveis – 30º Domingo do Tempo Comum (Ano A)

Amor a Deus e ao próximo, dois amores inseparáveis – 30º Domingo do Tempo Comum (Ano A)

Amor a Deus e ao próximo, dois Amores inseparáveis O Mandamento do Amor é a essência da vida cristã Com...
Read More

Empresas que possibilitam este projeto: