NOTA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA – Por Dom Jeremias Antônio de Jesus

Caros Irmãos e Irmãs em Cristo!

Saudações Fraternas!

 

“Não fazer os pobres participar dos próprios bens é roubá-los e tirar-lhes a vida.”

(São João Crisóstomo, século IV)

 

Todos nós brasileiros estamos acompanhando, preocupados, pelos meios de comunicação Social, os esforços do Governo para com a Reforma da Previdência. Mais uma vez somos nós, principalmente os mais pobres, que vamos pagar esta conta. Fala-se que é uma real necessidade! Acreditamos que sim! As contas não fecham! Faltam quase 60 bilhões de reais para fechar o orçamento de 2.017. E agora? De onde tirar? São muitas as “elucubrações” dos políticos e economistas, jornalistas e formadores de opinião à procura de uma solução. Os recursos estão escassos! Tantos desvios e propinas, caixas dois e armações escusas que estamos esgotados. Não somente o Governo Federal, mas todos os Parlamentares (Deputados e Senadores) e Governadores dos Estados estão num esforço exaustivo para que a Reforma seja aprovada! E as conseqüências? Quando afinal, depois de anos e anos de trabalho e de contribuição para com a Previdência, poderemos realmente nos aposentar? Muitos, talvez para aliviar a tensão, transformam a preocupação em piadas e charges que viajam pelas redes sociais. Mas o assunto é sério e preocupante, e pede de cada um de nós um posicionamento crítico e justo. Afinal, é o futuro de cada trabalhador e de cada contribuinte que está em jogo!

Caros irmãos e irmãs, em toda e qualquer circunstância, o Senhor nos chama a ser protagonistas da salvação como seus colaboradores na construção do Reino. Ele nos convida à vivência da fé, ao exercício da esperança e ao testemunho da verdade e da caridade. Isso acontece através de uma ação firme e determinada em defesa do direito ao trabalho digno, ao gozo da vida no tempo da justa aposentadoria.

A crise econômica que o País está vivendo se tornou motivo para qualquer medida sócio-político-econômica. Desta forma se impõe enormes sacrifícios aos mais pobres e principalmente aos trabalhadores em um futuro próximo, sem levar em consideração os direitos dos operários que foram conquistados com muita luta.

Nos próximos dias estará sendo discutida, e talvez votada, por nosso parlamento, a Reforma da Previdência, na qual o Governo Federal busca alterar a Constituição Federal por meio de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) n° 287/2016. É compreensível a necessidade de reformas, entretanto elas não devem violar os direitos adquiridos pelo povo brasileiro. Temos que questionar os fundamentos desta reforma. Não temos números sobre a Previdência e o Governo não tem oferecido dados. Esta reforma não pode ser feita “a toque de caixa”! A reforma da Previdência está ligada à reforma trabalhista. É necessária mesmo uma reforma? Se é preciso fazer, fazê-la, então, com critério!

De acordo com Carta aberta da CRB (Conferência dos Religiosos do Brasil), que conta com mais de 35 mil religiosos e religiosas, “Pessoas com passado não muito transparente se sentem no direito de legislar e de impor suas idéias, valendo-se do cargo que ocupam como representantes do povo. Como cristãos e como religiosos devemos aguçar o nosso senso crítico para não legitimar posições assumidas que vão contra o Evangelho e os direitos dos mais pobres. ”

Além de outros absurdos, no bojo dessa reforma, nossos representantes querem extinguir o direito à Filantropia a que muitas instituições beneficentes e de caridade tem direito. Trata-se de um dos efeitos colaterais de contornos imprevisíveis que tal emenda produzirá contra os pobres dessa nação no presente e no futuro.

Segundo a ANEC (Associação Nacional de Educação Católica do Brasil), o projeto altera substancialmente o sistema de proteção social instituído pela Constituição Federal de 1988 e afetará o setor filantrópico. Segundo dados de 2014, do Fórum Nacional das Instituições Filantrópicas (FONIF), o setor filantrópico responde por apenas 2,87% do total da receita da Previdência, mas retorna para a sociedade em serviços de assistência, saúde e educação um valor gerado da ordem de 600% a mais do arrecadado pelo setor. Ou seja, a Reforma da Previdência não poderá inibir, coibir ou diminuir a atuação das nossas entidades filantrópicas! O risco é de comprometer nossos serviços. Para cada R$ 1 real de isenção, retornamos à sociedade R$ 5,92!!!

“Ninguém pode se sentir exonerado da preocupação pelos pobres e pela justiça social” (Papa Francisco, Evangelii Gaudium, 202).

Nossas comunidades devem se unir e não se deixarem abater, mesmo que sejam tempos difíceis. O assunto é complexo! E numa nota é impossível abranger todos os aspectos!  Que a nossa fé nos guie e nos fortaleça neste ano Mariano confiantes sempre na materna intercessão de Maria, mãe da Igreja e nossa.

Vamos assumir a missão de trabalhar pelos nossos direitos e pela justiça para que todos tenham vida e vida plena.

 

+ Jeremias Antônio de Jesus

Bispo Diocesano de Guanhães

 

A Palavra do Pastor
A comunidade do Ressuscitado – Homilia – 2º Domingo da Páscoa Ano B

A comunidade do Ressuscitado – Homilia – 2º Domingo da Páscoa Ano B

Com a Liturgia do 2º Domingo da Páscoa (ano B), também chamado de “Domingo da Misericórdia”, à luz da Palavra...
Read More
O Cristo Ressuscitado caminha conosco! Aleluia!

O Cristo Ressuscitado caminha conosco! Aleluia!

O Ano Litúrgico (ano B), começa com a quarta-feira de cinzas, e com ela o início do itinerário quaresmal, e...
Read More
Domingo de Ramos:  Jesus elevado na Cruz para nos elevar – Homilia – Dom Otacilio F. de Lacerda

Domingo de Ramos: Jesus elevado na Cruz para nos elevar – Homilia – Dom Otacilio F. de Lacerda

"Meu  Deus, meu Deus, por que me abandonaste?"  (Mc 15,34) No Domingo de Ramos (ano B), refletimos sobre o Amor de...
Read More
“Deus merece que sejamos melhores” – Homilia – Quarto Domingo do Tempo Quaresmal – Dom Otacilio – Ferreira de Lacerda

“Deus merece que sejamos melhores” – Homilia – Quarto Domingo do Tempo Quaresmal – Dom Otacilio – Ferreira de Lacerda

A Liturgia do 4º Domingo da Quaresma (Ano B) é conhecida como Domingo “Laetare”, ou seja, Domingo da alegria, devido...
Read More
A cidade, seus clamores e a missão Presbiteral – Dom Otacilio F. de Lacerda

A cidade, seus clamores e a missão Presbiteral – Dom Otacilio F. de Lacerda

As grandes cidades enfrentam os inúmeros problemas de nosso tempo, principalmente porque vivemos em mudança de época, muito mais do...
Read More
Uma religião agradável ao Senhor – Homilia – Terceiro Domingo do Tempo Comum – Ano B

Uma religião agradável ao Senhor – Homilia – Terceiro Domingo do Tempo Comum – Ano B

Com o 3º Domingo da Quaresma (ano B), damos mais um passo no Itinerário rumo à Páscoa do Senhor. Podemos...
Read More
A Glória é precedida pela Cruz – Homilia – Segundo Domingo do Tempo Quaresmal – Ano B

A Glória é precedida pela Cruz – Homilia – Segundo Domingo do Tempo Quaresmal – Ano B

O segundo Domingo da Quaresma (ano B), identificado como “O Domingo da Transfiguração do Senhor”, é um convite a escutarmos...
Read More
Evangelização e acolhida do sopro do Espírito

Evangelização e acolhida do sopro do Espírito

“Ai de mim se seu não evangelizar” (1 Cor 9,16). A Evangelização na cidade tem inúmeros e grandes desafios, de modo...
Read More
“Não nos deixeis cair em tentação” – Homilia do Primeiro Domingo da Quaresma- Ano B

“Não nos deixeis cair em tentação” – Homilia do Primeiro Domingo da Quaresma- Ano B

No 1º Domingo da Quaresma (Ano C), repensamos nossas opções de vida, tomando consciência das tentações que nos impedem de...
Read More
Libertos pelo Senhor para amar e servir – VI Domingo do Tempo Comum Ano B – Homilia

Libertos pelo Senhor para amar e servir – VI Domingo do Tempo Comum Ano B – Homilia

“Jesus, cheio de compaixão, estendeu a mão, tocou nele e disse:  “Eu quero: fica curado!”. No mesmo instante  a lepra...
Read More

Empresas que possibilitam este projeto: