TEMPO E CRIANCICES

avoemenino

Em um abrigo de idosos, uma criança corre para todos os lados, fazendo do momento permanente brincadeira. Lá, no cantinho da sala, um senhor está atento ao programa da TV. Em um dado instante, o idoso apresenta sinais de cansaço. Foi possível ouvir ao longe:

– Nossa! Não tem nada que presta na TV. Que programa ruim! Quanto mau gosto! Credo!

Depois desse sussurro ensurdecedor, o velhinho ficou cabisbaixo, pensativo, preso certamente a lembranças. Talvez com saudade de alguma coisa. Em nós, espectadores daquela cena, ficou o desejo de lhe perguntar sobre a vida, de lhe pedir que nos contasse histórias, que deixasse o sofá e a TV sozinhos e que nos fizesse companhia. E, quem sabe, nos desse sábios conselhos. Nós e ele não precisávamos da TV, mas uns dos outros. Sedentos como estamos de bons ouvidos, mas somente daqueles que saibam escutar de fato.

Enquanto tudo isso passava por nossas cabeças, a criança reapareceu, roubou-nos a coragem, mostrou-nos como se faz. Aquela criança fez-nos lembrar dos versos de Alberto Caeiro: “… pensar é estar doente dos olhos…” Aquele pequeno ser não pensou. Inocentemente aproximou-se do senhor, mirou-lhe cabisbaixo. Nós ficamos apreensivos, pensamos, porque doentes: “Ele não vai gostar, vai espantá-la dali logo”. Para a nossa surpresa não foi o que ocorreu. A criança olhou, percebeu, incomodou, tocou-lhe o rosto, fez o movimento para cima. Parecia até chamar por ele. Não usou palavras, mas disse: “Acorde, vovô, corra comigo, brinque comigo, por favor!” Daquele gesto nasceram as lágrimas, as nossas e as do vovô.

A criança nos surpreendeu. Brincar não é uma ação que se realiza sozinho. “Por que não brincamos todos?” Foi o que ela nos perguntou com aquele gesto. Infelizmente, a rigidez vai nos prostrando. A seriedade, retirando-nos a leveza. Para nós que pensamos, o olhar fica debilitado, não sentimos nem percebemos como o outro está ao nosso lado. Não nos tornamos solidários ao instante do outro. Aquela criança não olhou por cima. Ela não se colocou como a mais jovem, bonita, importante. Ao contrário, colocou-se abaixo, olhou nos olhos, lá onde o olhar do velhinho já não mirava ninguém. “Amar é a eterna inocência…”, lê-se em O Guardador de Rebanhos.

Luís Carlos Pinto

Imagem: Reprodução/ Internet.

A Palavra do Pastor
Dom Otacilio comenta a carta do papa Francisco sobre o presépio.

Dom Otacilio comenta a carta do papa Francisco sobre o presépio.

  O significado e o valor do presépio.  No dia 01 de dezembro de 2019, o Papa Francisco nos agraciou...
Read More
Advento – Preparemos a vinda do Verbo

Advento – Preparemos a vinda do Verbo

Advento, Tempo favorável de preparação da vinda do Senhor, de esperar Sua chegada, reacendendo e mantendo acesa a chama da...
Read More
Vigilância na espera do Senhor que vem

Vigilância na espera do Senhor que vem

 “Vós sabeis em que tempo estamos, pois já é hora de despertar. Com efeito, agora a Salvação está mais perto...
Read More
Rever caminhos, firmar os passos.

Rever caminhos, firmar os passos.

Finalizando mais um ano Litúrgico, somos convidados a refletir sobre a vinda futura do Senhor, sua segunda vinda gloriosa. Deste...
Read More
Jesus, o Senhor e o centro de nossa vida ( Homilia Cristo Rei -ano C )

Jesus, o Senhor e o centro de nossa vida ( Homilia Cristo Rei -ano C )

  Ao celebrar a Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo (ano C), a Liturgia nos convidará a...
Read More
Livres para amar o Senhor

Livres para amar o Senhor

Senhor, que jamais nos vangloriemos de participar ativamente da Igreja, possuir ministérios ou ter um serviço na comunidade eclesial de...
Read More
Cristãos Leigos e Leigas (Oração)

Cristãos Leigos e Leigas (Oração)

Cristãos Leigos e Leigas Senhor Jesus Cristo, Vivo e Ressuscitado, Vós nos apresentastes,  o Sermão da Montanha, como um Projeto...
Read More
Mais que comemorar, celebrar

Mais que comemorar, celebrar

Quase diariamente temos a graça de celebrar o aniversário de pessoas queridas. E, nem sempre temos a palavra certa para...
Read More
Vigilância ativa e perseverança na fé Homilia – (Homilia 33ºDTCC)

Vigilância ativa e perseverança na fé Homilia – (Homilia 33ºDTCC)

Vigilância ativa e perseverança na fé  “É permanecendo firmes que ireis ganhar a vida!” (Lc 21,19) Na proximidade do final...
Read More
” Sofremos o amor perdido”

” Sofremos o amor perdido”

Disse o Senhor na passagem do Evangelho (Lc 21,5-19) proclamada no 33º Domingo do Tempo Comum (ano C): “Sereis entregues...
Read More

Empresas que possibilitam este projeto: