O Ano da Misericórdia e a Semana Santa: Aleluia Vivo

“Desejei ardentemente celebrar esta Páscoa convosco”

(Lc 22,15)

anomiseraleluia

Entre muitas semanas santas que já vivenciamos dentro do grande mistério cristão, Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor, a deste ano tem algo especial, o Ano Santo da misericórdia. Vamos ver e sentir a presença de Jesus como o rosto de misericórdia do Pai, como nos diz o Papa Francisco na Bula de proclamação do Jubileu extraordinário da misericórdia. Assim, em toda a Semana Santa Jesus Cristo é o principal centro. O Santo Padre em um dos seus pensamentos nos diz: “Deus dá as batalhas mais difíceis aos seus melhores soldados”. O grande mistério cristão é o da Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo. A Igreja celebra este grande Mistério em três grandes momentos na fé dos cristãos: A Encarnação do Filho de Deus (Lc 1 e 2), a Páscoa com a Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor (Jo 18;19;20 ss) e o Pentecostes (At 2 ss). Nestes mistérios, incluindo a vida pública, desde o batismo (Mt 3, 13s; Mc 1, 9s; Lc 3, 21s; Jo, 1 29s), celebra-se a vida de Jesus até sua Ascensão ao Céu (Lc 24,50) e a vinda do Espírito Santo (Jo 16, 5ss; At 2 1-4). Estes mistérios estão dentro do tempo litúrgico que o ano tem. Entre todos os momentos o da Paixão, morte e ressurreição do Senhor é mais forte. Aqui se vive uma espiritualidade, jamais vista na história da humanidade. As palavras de Pilatos… Eis o Homem? (Jo 19,5), enriquecem o momento histórico, bíblico, pastoral da Semana Santa, tão querida e vivenciada por nossas comunidades. Desde as mais solenes celebrações às mais lindas teatralizações, vemos sempre um resgatar da fé e um grande desejo de se aproximar de Deus. Os Evangelhos se abrem para mostrar o Cristo sofredor (Mc 14,36; Jo 20,17; Mt 11,27).

Por isso, entre todas as semanas que o ano tem, certamente, para os cristãos, a Semana Santa tem um valor diferenciado. Tudo o que se vive e celebra tem um sabor que só quem participa e vive sabe o bem que faz à sua vida pessoal e comunitária. A Igreja Católica, em todo o mundo, celebra e vive esta semana, onde solenes celebrações, encenações empolgam atores e amadores com um único objetivo de celebrar os últimos dias de Jesus de Nazaré nos mais emocionantes e comoventes momentos de sua vida neste mundo antes de ir para o Pai (Jo 14, 1ss). Esta riqueza espiritual da piedade popular é cristocêntrica, mariana de estilo comunitário, missionário, buscando revitalizar a vida dos batizados para que permaneçam e caminhem no seguimento de Jesus. É o que nos atesta o Documento de Aparecida, capítulo 6. Todos nós vivemos uma espiritualidade adentrando nos Evangelhos, fazendo deles a verdade de nossa fé e o grande caminho para chegar ao grande Domingo da Páscoa. Cada um do seu jeito, vivenciando sua cultura, esforça-se para representar com gestos, palavras, oportunidades o que a humanidade jamais viu, os mistérios da morte e ressurreição de Jesus (Jo 18; 19; 20 e 21).

A partir daqui entra em cena o grande aleluia. Todo esse esforço quer buscar os alvores, desta vitória, alegria para o coração dos cristãos. Nada impediu Jesus de ressuscitar e nada nos pode impedir de cantar esse louvor anunciando que o sepulcro está vazio. Vós sereis minhas testemunhas (At 1, 8). Somos testemunhas vivas e, para tal não devemos ter medo de dizer: “Ele ressuscitou e está no meio de nós … eles viram e acreditaram” (Jo 20, 8). Não devemos ter a dúvida de Tomé (Jo 20, 24). Ao contrário devemos com todas as forças ser discípulos e missionários de Cristo para que N’Ele nossos povos tenham vida, pois nosso Mestre é o “Caminho a verdade e a Vida” (Jo 14,6), a certeza absoluta do nosso Aleluia. Ela (Aleluia) é o portal, no dizer do Papa Francisco, que só se pode ter acesso pela Gloriosa Ressurreição de Jesus. O Aleluia nos pede para caminhar e não ter a tentação de olhar para trás. O Papa Francisco nos assegura: “Nossa vida é um caminho, quando paramos, não vamos para a frente”. Sejamos Aleluia vivo. A palavra Aleluia na magnificência de sua etimologia quer nos anunciar o grande cântico de alegria e louvor, frequente nos salmos, adotado pela Igreja na liturgia, no tempo da Páscoa. É a grande expressão do sentimento de felicidade, contentamento, satisfação, júbilo, culminando com o regozijo da vitória de Jesus com sua Santa Ressurreição (Lc 24, 1ss; Jo 20 1ss). O Sábado Santo, na sua vigília, é a grande sucessão de fatos que ocorreram e que constituem a vida do homem, considerados como resultantes de causas independentes de sua vontade. Assim, caminhamos para o grande dia, o primeiro da semana, onde vemos o alvorecer deste cântico de louvor (Jo 20, 1). Como Batizados remamos com nossos barcos lançando as redes mar adentro, desejando comunicar o amor do Pai que está no céu e a alegria de sermos cristãos batizados, para que proclamemos com audácia Jesus Cristo a serviço de uma vida em plenitude para nossos povos. Com as palavras dos discípulos de Emaús e com a oração do Papa Emérito Bento XVI em seu discurso inaugural do Documento de Aparecida concluímos com uma prece dirigida a Jesus Cristo: “Fica conosco porque é tarde e o dia declina” (Lc 24,29). Seja Aleluia vivo. Pense nisso.

 

Côn. Dr. Manuel Quitério de Azevedo

Professor do Seminário Arquidiocesano de Diamantina e da PUC-MG

Membro da Academia de Letras e Artes de Diamantina – MG

Membro da Academia Marial de Aparecida – SP

A Palavra do Pastor
Sejamos instrumentos nas mãos de Deus (Homilia do 3º Domingo do Ano A)

Sejamos instrumentos nas mãos de Deus (Homilia do 3º Domingo do Ano A)

No 3º Domingo do Tempo Comum (Ano A), refletimos sobre o Projeto de Salvação e de Vida plena que Deus...
Read More
FORTALEÇAMOS O PILAR DA PALAVRA DE DEUS

FORTALEÇAMOS O PILAR DA PALAVRA DE DEUS

As novas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora no Brasil (2019-2023), Documento nº. 107 da Conferência Nacional do Brasil  (CNBB), nos apresentam...
Read More
Apresentar e testemunhar Jesus, a luz das Nações ( Homilia para o 2º Domingo do Tempo Comum-ano A)

Apresentar e testemunhar Jesus, a luz das Nações ( Homilia para o 2º Domingo do Tempo Comum-ano A)

Apresentar e testemunhar Jesus, a Luz das Nações “Melhor é calar-se e ser do que falar e não ser. Coisa...
Read More
Ser batizado é ouvir a voz do Filho Amado

Ser batizado é ouvir a voz do Filho Amado

  O Batismo do Senhor é apresentado de diferentes modos: os Evangelhos de São Marcos e São Lucas apenas fazem...
Read More
A Evangelização nos desafia: É tempo de sermos epifânicos!

A Evangelização nos desafia: É tempo de sermos epifânicos!

  A Evangelização nos desafia: É tempo de sermos epifânicos! Há de brilhar e brilhou… Uma estrela há dois milênios,...
Read More
Epifania: Jesus é o Salvador de todos os povos ( Homilia da Epifania do Senhor)

Epifania: Jesus é o Salvador de todos os povos ( Homilia da Epifania do Senhor)

Epifania: Jesus é o Salvador de todos os povos Celebraremos com toda a Igreja, a Solenidade da Epifania do Senhor,...
Read More

Deus seja louvado! Olhando para o ano que está terminando, faltando apenas dois dias, vi que: Amo o que faço! Creio...
Read More
Sagrada Família, modelo de fidelidade e coragem

Sagrada Família, modelo de fidelidade e coragem

Sagrada Família, modelo de fidelidade e coragem Celebrar a Festa da Sagrada Família (ano A), é para todos nós, uma...
Read More
Ah, se nossas famílias escutassem o Anjo do Senhor…

Ah, se nossas famílias escutassem o Anjo do Senhor…

Ah, se nossas famílias escutassem o Anjo do Senhor... Na Liturgia da Palavra na Festa da Sagrada Família (ano A),...
Read More
O silêncio dos inocentes

O silêncio dos inocentes

O silêncio dos inocentes... “Levante-se, pegue a Criança e a Sua mãe e fuja para o Egito. Fiquem lá até...
Read More

Empresas que possibilitam este projeto: