Notícias

andamento do processo de Beatificação do Cônego Lafayette

Servo de Deus Lafayette da Costa Coelho: Exemplo de Santidade

 

No mês de setembro a Cidade de Santa Maria do Suaçui, na Diocese de Guanhães – MG se transforma para celebrar o Servo de Deus Lafayette da Costa Coelho. O Servo de Deus nasceu na cidade do Serro – MG aos 10 de novembro de 1886. Ingressou-se no Seminário da Arquidiocese de Diamantina vindo a se ordenar padre no dia 15 de abril de 1917. Após sua ordenação foi enviado à Paróquia Santa Maria Eterna, em Santa Maria do Suaçui, como pároco, permanecendo em Santa Maria do Suaçui por 44 anos quando fez a sua Páscoa para a casa do Pai, mais precisamente aos 21 de setembro de 1961.

O Servo de Deus era um homem de grande espiritualidade destacando-se sobretudo pelo Jejum, Oração e grande amor ao próximo. Acolhia a  todos sem distinção e não media esforços para atender aos doentes levando a eles o viático, seja na cidade ou nas longínquas comunidades rurais onde ia montado em sua mula. A sua fama de santidade não veio após a sua morte pois em vida todos que acorriam a ele pedindo uma bênção ou oração por alguém da família que se encontrava enfermo, atestam que em muitos desses casos obtiveram curas que fugiriam à capacidade intelectiva dessas pessoas de compreender como a cura acontecia. Após a sua morte a devoção ao servo de Deus foi crescendo e extrapolando os muros da cidade de Santa Maria do Suaçui. Hoje, em vários Estados da Federação, encontramos devotos que vêm à Santa Maria do Suaçui por ocasião das celebrações de seu aniversário de morte para agradecer ou pedir mais bênçãos e graças.

Em 2001 deu-se inicio ao processo de beatificação (Faze diocesana) que foi aceito por Roma dando o Nihil obstat. Assim foi criada a comissão diocesana para dar continuidade ao processo. Hoje, o processo está tramitando em Roma com a Positio quase concluída. Ao final desta, o servo de Deus pode ser declarado venerável. Daí surgindo um milagre que seja atribuído à intercessão do servo de Deus, devidamente comprovado com documentação médica e outros e por peritos no assunto, sendo aceito pelo Vaticano, o venerável será declarado Beato e assim se segue pois surgindo um segundo milagre, o Santo Papa o declara Santo. Eu estou como vice Postulador da causa do Servo de Deus Lafayette da Costa Coelho tendo como Postulador o Dr. Paolo Vilotta que cuida do processo em Roma. De 25 a 28 de setembro P.P. Estive em Jaraguá do Sul, juntamente com a Martha, uma das divulgadoras da causa de beatificação, para um encontro com o Postulador Dr. Paolo Vilotta. Estavam presentes aproximadamente 40 vices postuladores das várias causas de beatificação de várias partes do Brasil. Em conversa com o Dr. Paolo fui informado que o processo do servo de Deus Lafayette da Costa Coelho se encontra bem adiantando aguardando somente a conclusão final da positio. Rezemos para que tão logo tenhamos boas notícias de que o nosso Servo de Deus, passou a ser “Venerável” para a Igreja de Jesus Cristo.

 

Pe. Dilton Maria Pinto

Vice Postulador da Causa de Beatificação do Servo de Deus Lafayette da Costa Coelho

 

Carta do representante dos presbíteros ao monsenhor Jacy Diniz Rocha, bispo eleito de Cáceres – MT

É com alegria que saudamos o monsenhor Jacy Diniz Rocha, bispo eleito de São Luiz de Cáceres – MT. Queremos reafirmar nossa alegria de saber que do meio de nosso clero o Senhor Deus, através do Santo Padre, o papa Francisco, o escolheu para ser pai e pastor dessa porção do povo de Deus.

Nós do presbitério do Guanhães nos alegramos com o senhor.

Sabemos das exigências e dificuldades da nova missão, mas sabemos também de suas potencialidades e que o bom Deus continuará sendo o auxílio necessário para um bom pastoreio. Sentimos-nos meio que tristes por vê-lo partir para tão longe e saber que não estará mais em nosso convívio diário, mas ao mesmo tempo nos sentimos felizes porque o senhor está indo para cumprir a vontade de nosso Deus sanando as necessidades de nossa Igreja. Sentimos-nos contentes ainda por saber que fizemos parte de sua história.

Mons. Jacy, em nome do presbitério de Guanhães, desejamos ao senhor muita fecundidade no desenvolvimento de seu ministério episcopal! Que o senhor possa conduzir as ovelhas que lhes foram confiadas sempre a partir do olhar e do coração do Bom Pastor, o Nosso Senhor Jesus Cristo.

Que continue lhe abençoando. Conte sempre com nossas orações.

 

Rio Vermelho, 13 de maio de 2017

 

Pe. Salomão Rafael Gomes Neto

Representante dos presbíteros da diocese de Guanhães

 

Neste tempo de redes sociais, de relações construídas sobre as aparências do mundo virtual, tornou-se comum, corriqueiro, ouvir das pessoas, ávidas por uma boa conversa: qual é a senha? Em casa, no hotel, hospital, nas praças públicas, nas escolas, nas igrejas, estamos todos querendo a senha para acessar a rede.

Será que estamos desconectados? Falta-nos oportunidade de diálogo, de relacionamento? Escasseiam as pessoas a nossa volta? Estamos diante de um cenário novo. A web mudou os nossos comportamentos, a forma como aprendemos, como nos relacionamos, como compramos, como criamos vínculos entre as pessoas. A internet vem mudando a sociedade.

A senha, nesse contexto, é a palavra-chave. As possibilidades do mundo virtual só podem ser conhecidas por meio dela. Não saber a senha nos coloca diante do não revelado, do desconhecido. E como o estranho nos causa incômodo!

Ninguém revela a sua senha. Ela esconde segredos. O universo protegido pela senha não diz respeito ao outro nem ao próximo. Ali o sujeito pode escolher entre o ser o parecer ser. Estamos ameaçados pelo domínio absoluto da senha! Quando descobrem o nosso segredo, sentimo-nos inseguros. A senha esconde as nossas máscaras. Quem vai ameaçar nosso esconderijo ocultado pela senha?

Causa-me tristeza quando noto que a função da senha consiste em esconder, disfarçar, dissimular. A senha de acesso possui outro sentido em uma sociedade marcada pela desconfiança, raiz da falta de ética, pelo medo e pela violência. E se a senha nos conectasse a nós mesmos, ao mundo e aos outros, e a Deus, numa perfeita comunhão de amor?! Padre Joãozinho, SCJ, em Os cinco segredos do amor, nos revela que o próprio Jesus nos ofereceu uma senha de acesso: Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo. Possuindo essa senha, poderemos resgatar o equilíbrio vital que nos realiza plenamente como pessoas.

Luís Carlos Pinto

 

Curta Nossa Fanpage:

Empresas que possibilitam este projeto:

Arquivo