A missão e o Alimento indispensável – Homilia 19º Domingo Comum – Ano B

A Liturgia do 19º Domingo do Tempo Comum (ano B), continuamos a refletir sobre um tema de extrema importância: Jesus é o Pão da vida plena e definitiva.

Somos convidados a deixar de lado o orgulho e a autossuficiência e acolher, com alegria e gratidão, os dons divinos.

Na passagem da primeira Leitura (1Rs 19,4-8), contemplamos a solicitude de Deus para com Seus Profetas.

Refletimos sobre a vocação de Elias, que trava grande batalha contra Baal (ídolo) em total fidelidade a Javé (o Deus vivo e verdadeiro). Elias, um grande Profeta e defensor da fidelidade a Javé.

A passagem nos fala da perseguição por ele sofrida, após vencer Baal e os seus 400 profetas. Como todo Profeta, Elias é frágil, finito e experimenta a solicitude de Deus. Ele fica abatido, deprimido, solitário e incompreendido; procura reencontrar forças para continuar sua missão.

A experiência de Elias pode ser a nossa experiência: fragilidade, debilidade, desilusão e decepção.

Elias é o testemunho vivo de que somente de Deus pode vir a força de que tanto precisamos.

Deus não nos dispensa de sacrifícios, mas indica o caminho a seguir e nos dá força na caminhada. Como Elias, precisamos de momentos de revigoramento espiritual para o bom combate da fé. É preciso refazer-se, continuamente, para êxito alcançar na missão de cada dia.

Questionemo-nos sobre o que nos alimenta e nos sustenta na caminhada de fé. E que, a exemplo do Profeta, tão somente em Deus coloquemos nossa confiança e esperança.

Na passagem do Evangelho (Jo 6,41-51), Jesus é nos apresentando como o Pão que sacia. Isto implica em adesão a Ele e às Suas propostas.

Acreditar, aderir, aceitar a proposta e a Pessoa de Jesus, como homem novo, como vemos na passagem da segunda Leitura (Ef 4,30-5,2).

Crer em Jesus e aderir à Sua proposta são atitudes inseparáveis. Somente assim alcançaremos a verdadeira felicidade, discernindo entre o transitório e o eterno.

Se procurarmos a Deus, encontraremos o Pão de Eternidade, Pão da Verdadeira felicidade. Se d’Ele saciados, não precisaremos de muitas coisas para sermos felizes.

Refletimos, portanto, sobre a bondade, a ternura e o Amor de Deus para com Seu povo. Ele alimenta, revigora e realiza os anseios mais profundos de todos nós.

Deus espera que tenhamos abertura, disponibilidade, acolhimento, e nos oferece o que tem de melhor: Jesus, Seu Filho, o Pão da Vida que alimenta.

Quando O recebemos na Eucaristia, inseparavelmente de Sua Palavra e Projeto, e nos empenhamos em vivê-La, somos verdadeiramente criaturas novas, homens novos, vivemos a graça do Batismo.

Para além das dificuldades da missão, Deus nos alimenta e nos sustenta. Não estamos sós, nem tão pouco famintos e condenados à inanição espiritual.

Deus nos chama para a Missão e nos sacia com o Pão que veio do Céu. Isto acontece em cada Banquete Eucarístico que participamos.

É preciso renovar sempre nossas forças, pois somente nutridos pela Palavra e inebriados pelo Sangue do Senhor, partícipes do Seu Cálice Sagrado, é que continuaremos, passo a passo, rumo à eternidade, em renovados compromissos com o Reino por Ele inaugurado.

Homens novos, morada do Espírito que somos, exige que eliminemos atitudes de azedume, irritação, cólera, insulto, maledicência e toda espécie de maldade. É preciso que multipliquemos atitudes próprias de quem se configura a Cristo, imitando Sua perfeição, bondade e Amor.

Partícipes da Mesa Sagrada, alimentemo-nos d’Aquele que Se dá sobre ela: Jesus.
Reflitamos:

– Jesus dá-se na Palavra e na Eucaristia, de que mais precisamos?

– Recebendo-O no Pão da Palavra e no Pão da Eucaristia (Corpo e Sangue do Senhor), o que melhor poderia Deus nos oferecer?

– Caminhando com Ele, para Ele, crendo e aderindo à Sua Palavra e Projeto, d’Ele se alimentando em cada Eucaristia, do que mais precisamos?

Não estamos sós. Jesus vem sempre ao nosso encontro, quer na Palavra, quer no Seu Corpo e Sangue, verdadeira Comida, verdadeira Bebida.

A Palavra do Pastor
Presbíteros testemunhas da mansidão e da doçura

Presbíteros testemunhas da mansidão e da doçura

    Ajudai, Senhor, a fim de que todos os presbíteros mantenham a mansidão e a doçura, virtudes tipicamente cristãs,...
Read More
O Presbítero e os meios de comunicação social

O Presbítero e os meios de comunicação social

Sobre a missão dos Presbíteros nos meios de comunicação social, sobretudo neste tempo que estamos vivendo, em que se multiplica...
Read More
Cidades mais humana

Cidades mais humana

   “Eu vi Satanás cair do céu, como um relâmpago” (Lc 10,18) É sempre oportuno e necessário refletir sobre a...
Read More
Ensina-me, Senhor, a perdoar como Vós perdoastes

Ensina-me, Senhor, a perdoar como Vós perdoastes

                                       ...
Read More
“Graça, misericórdia e paz”

“Graça, misericórdia e paz”

Reflexão à luz da passagem da Carta do Apóstolo Paulo a Timóteo (1 Tm 1, 1-2.12-14). Retomo os dois primeiros...
Read More
“A caridade é a plenitude da Lei”

“A caridade é a plenitude da Lei”

“O amor não faz nenhum mal contra o próximo. Portanto, o amor é o cumprimento perfeito da Lei.” (Rm 13,10) Com...
Read More
Pães ázimos de pureza e verdade

Pães ázimos de pureza e verdade

“Assim, celebremos a Festa, não com velho fermento, nem com fermento da maldade ou da perversidade, mas com os pães...
Read More
Urge que ampliemos os horizontes da evangelização!

Urge que ampliemos os horizontes da evangelização!

De modo especial, dedicaremos o mês de setembro à Sagrada Escritura. Procuremos valorizá-la cada vez mais em nossas comunidades, sobretudo...
Read More
Cristãos leigos e leigas perseverantes no amor

Cristãos leigos e leigas perseverantes no amor

Vivendo o terceiro ano Vocacional, reflitamos sobre a graça da missão realizada pelos cristãos leigos e leigas na obra da...
Read More
“Presbítero segundo o Coração de Jesus”

“Presbítero segundo o Coração de Jesus”

Uma reflexão sobre o ministério e a vida do presbítero, à luz dos parágrafos 191-204, do Documento de Aparecida (2007),...
Read More

Empresas que possibilitam este projeto: