Angelus com o Papa Francisco

Queridos irmãos e irmãs, bom dia!

Hoje celebramos a festa da Apresentação do Senhor: quando o recém-nascido Jesus foi apresentado ao templo pela Virgem Maria e São José. Nesta data também há o dia da vida consagrada, que recorda o grande tesouro na Igreja daqueles que seguem de perto o Senhor professando os conselhos evangélicos.

O Evangelho (cf. Lc 2, 22-40) diz que, quarenta dias após o nascimento, os pais de Jesus levaram o Menino a Jerusalém para consagrá-lo a Deus, conforme prescrito pela lei judaica. E, ao descrever um ritual previsto pela tradição, este episódio traz à nossa atenção o exemplo de alguns personagens. Eles são pegos quando experimentam o encontro com o Senhor no lugar em que Ele se faz presente e próximo ao homem. São Maria e José, Simeão e Ana, que representam modelos de aceitação e doação de suas vidas a Deus, que não eram iguais, eram todos diferentes, mas todos procuravam a Deus e se deixavam guiar pelo Senhor.

O evangelista Lucas descreve todos eles em uma dupla atitude: atitude de movimento e atitude de espanto .

A primeira atitude é movimento. Maria e José andam em direção a Jerusalém; por sua vez, Simeone, movido pelo Espírito, vai ao templo, enquanto Anna serve a Deus dia e noite sem parar. Dessa maneira, os quatro protagonistas da passagem do evangelho nos mostram que a vida cristã requer dinamismo e exige vontade de andar, deixando-se guiar pelo Espírito Santo. O imobilismo não se adequa ao testemunho cristão e à missão da Igreja. O mundo precisa de cristãos que se deixam comover, que nunca se cansam de andar pelas ruas da vida, para trazer a todos a palavra consoladora de Jesus.Toda pessoa batizada recebeu uma vocação para proclamar – anunciar algo, anunciar Jesus -, a vocação à missão evangelizadora: anunciar Jesus!

A segunda atitude com a qual San Luca apresenta os quatro personagens da história é espantosa . Maria e José “ficaram maravilhados com o que disseram sobre ele [sobre Jesus]” (v. 33). O espanto é também uma reação explícita do velho Simeão, que no Menino Jesus vê com seus próprios olhos a salvação realizada por Deus em favor de seu povo: a salvação que ele esperava há anos. E o mesmo se aplica a Anna, que “também começou a louvar a Deus” (v. 38) e a mostrar às pessoas Jesus. Este é um santo falador, ela conversou bem, conversou sobre coisas boas, não coisas ruins. Ela disse, anunciada: uma santa que passou de uma mulher para outra, fazendo-as ver Jesus.Estas figuras de crentes são envoltas em espanto, porque se deixam capturar e se envolver pelos eventos que aconteceram diante de seus olhos. A capacidade de se surpreender com as coisas ao nosso redor favorece a experiência religiosa e torna o encontro com o Senhor frutífero. Pelo contrário, a incapacidade de nos surpreender nos torna indiferentes e amplia as distâncias entre a jornada da fé e a vida cotidiana. Irmãos e irmãs, sempre em movimento e deixando-nos abertos à surpresa!

Que a Virgem Maria nos ajude a contemplar em Jesus o dom de Deus para nós todos os dias, e a nos deixar envolver por ele no movimento do dom, com alegria e alegria, para que toda a nossa vida se torne um louvor a Deus no serviço de nossos irmãos.

 


Depois do Angelus

Queridos irmãos e irmãs!

Hoje o Dia da Vida é comemorado na Itália, que tem o tema “Abra as portas da vida”. Uno-me à Mensagem dos Bispos e espero que este dia seja uma oportunidade para renovar o compromisso de proteger e proteger a vida humana desde o início até o seu fim natural. Também é necessário combater qualquer forma de violação da dignidade, mesmo quando a tecnologia ou a economia estão em jogo, abrindo as portas para novas formas de fraternidade solidária. Hoje, no dia da vida consagrada, gostaria que todos nós juntos na praça orássemos pelos homens e mulheres consagrados que fazem muito trabalho e muitas vezes em segredo. Vamos orar juntos. [Ave Maria] E aplausos aos homens e mulheres consagrados!

Saúdo todos vocês, romanos e peregrinos. Em particular, estudantes de Badajoz (Espanha); os fiéis de Cremona, Spoleto, Fano, Palau e Roseto degli Abruzzi. Vejo que há muitos peregrinos poloneses! E peregrinos japoneses, digamos adeus!

Desejo a todos um bom domingo. E por favor, não esqueça de orar por mim. Tenha um bom almoço e até breve!

Praça de São Pedro
domingo, 2 de fevereiro de 2020

A Palavra do Pastor
A insustentabilidade dos horizontes fragmentários

A insustentabilidade dos horizontes fragmentários

“Qual é o lugar que concedemos a Deus na nossa vida? Na cultura contemporânea está presente um indubitável processo de...
Read More
Eucaristia: O milagre do amor e da partilha XVII Domingo do Tempo Comum do Ano B

Eucaristia: O milagre do amor e da partilha XVII Domingo do Tempo Comum do Ano B

Com a Liturgia do 17º Domingo do Tempo Comum (ano B), contemplamos a ação de Deus: é próprio do Seu...
Read More
“Confirma a caridade para consolidar a unidade”

“Confirma a caridade para consolidar a unidade”

“Confirma a caridade para consolidar a unidade” Reflitamos à luz deste parágrafo do Sermão sobre os pastores, escrito pelo Bispo...
Read More
A incomparável Compaixão Divina – Homilia – 16º Domingo do Tempo Comum ( Ano B)

A incomparável Compaixão Divina – Homilia – 16º Domingo do Tempo Comum ( Ano B)

Com a Liturgia do 16º Domingo do Tempo Comum (ano B), refletimos sobre o Amor e a solicitude de Deus...
Read More
Alegria da missão e da vocação profética – Homilia do XV Domingo do Tempo Comum Ano B

Alegria da missão e da vocação profética – Homilia do XV Domingo do Tempo Comum Ano B

“A missão de Jesus é a nossa missão” A Liturgia da Palavra do 15º Domingo do Tempo Comum (ano B),...
Read More
Vençamos o medo na travessia – XII Domingo do Tempo Comum

Vençamos o medo na travessia – XII Domingo do Tempo Comum

“‘Silêncio! Cala-te!’ O vento cessou e houve uma grande calmaria. Então Jesus perguntou aos discípulos: “Por que sois tão medrosos?...
Read More
O Reino de Deus germina silenciosamente- Homilia 11° Domingo do Tempo Comum Ano B

O Reino de Deus germina silenciosamente- Homilia 11° Domingo do Tempo Comum Ano B

O Reino de Deus germina silenciosamente No 11º Domingo do Tempo Comum (Ano B), a Liturgia da Palavra nos convida...
Read More
Iluminados pela “Verbum Domini”, alegria Pascal transbordante

Iluminados pela “Verbum Domini”, alegria Pascal transbordante

Vivendo o Tempo Comum, sejamos cada vez mais fortalecidos pela Palavra, que é fonte divina de nossa conversão, como discípulos...
Read More
O desafio da Evangelização na rede – Dom Otacilio F. de Lacerda

O desafio da Evangelização na rede – Dom Otacilio F. de Lacerda

Retomando a citação do Papa Emérito Bento XVI em que ele ressalta a missão da Igreja que é chamada a...
Read More
A Amizade Divina e a felicidade desejada – Homilia- 10º Domingo do Tempo Comum -Ano B.

A Amizade Divina e a felicidade desejada – Homilia- 10º Domingo do Tempo Comum -Ano B.

A Amizade Divina e a felicidade desejada A Liturgia do décimo Domingo do Tempo Comum (ano B) nos convida a...
Read More

Empresas que possibilitam este projeto: