Assembleia dos Bispos define futuro da Igreja no Brasil e nova presidência para a CNBB

Assembleia dos Bispos define futuro da Igreja no Brasil e nova presidência para a CNBB

Cerca de 400 bispos brasileiros se reúnem em Aparecida (SP) de 1º a 10 de maio para a 57ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Em 2019, o encontro anual do episcopado nacional vai definir os ramos da evangelização no país. Além disso, a principal reunião da hierarquia católica brasileira vai eleger a nova direção da instituição.

O encontro será aberto na próxima quarta-feira (1º), às 7h30, com uma missa no Santuário Nacional. Logo depois, às 9h15, uma sessão no Centro de Eventos Padre Vitor Coelho de Almeida marca o primeiro ato dos trabalhos.

Da Assembleia podem participar, segundo o Estatuto da Conferência, os 323 bispos na ativa, os 171 eméritos e representantes de organismos e pastorais da Igreja. Durante o dia, os religiosos dividem seu tempo entre momentos de oração, estudo e debates.

Trabalho pesado

A rotina intensa se inicia todos os dias, com exceção do domingo, às 7h30 com a missa na Basílica de Nossa Senhora Aparecida. Depois disso, os bispos seguem para o Centro de Eventos para os trabalhos, que devem se concentrar em quatro sessões diárias. Duas delas acontecem todos os dias às 9h15 e às 11h15 e outras duas diariamente no período da tarde, às 15h40 e às 18h. Cada sessão terá uma hora e meia de duração.

Grande parte delas serão reservadas às discussões do tema central: as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora no Brasil para os anos de 2019 a 2023. A expectativa é de que o documento, que será aprovado pelo episcopado durante a Assembleia, proponha a evangelização no país por meio de quatro “pilares”: Palavra, Pão, Caridade e Missão. Após a aprovação dos textos, o desafio será transformar estas Diretrizes em projetos pastorais que, respeitando a unidade da Igreja em todo o Brasil, respondam às realidades regionalmente diversificadas.

A pauta contempla ainda outros temas, como a realização do Mês Missionário Extraordinário, convocado pelo Papa Francisco para outubro deste ano, bem como as contribuições brasileiras no Sínodo Especial para a Pan-Amazônia, que será realizado em Roma, também no mês de outubro. Também está prevista a confecção de duas cartas. Uma, direcionada ao pontífice e outra ao prefeito da Congregação para os Bispos, o cardeal canadense Marc Ouellet.

Assembleia eleitoral

Além das discussões, a Assembleia deste ano também vai escolher a nova direção da CNBB e as presidências das 12 Comissões Episcopais Pastorais que integram a Conferência Episcopal. A votação já levará em conta a reforma do estatuto da entidade. O documento, aprovado no encontro do último ano, estabelece que a partir desta eleição, a presidência da CNBB seja composta pelo presidente, 1º vice-presidente, 2º vice-presidente, secretário-geral e vice-secretário-geral.

Todos os bispos podem votar e serem votados, com exceção dos eméritos, que têm direito ao voto, mas não podem ser votados. O mandato tem duração de quatro anos, sendo permitida uma única reeleição consecutiva para o mesmo cargo. Depois de eleitos, os bispos exercem os cargos para os quais foram designados, mas continuam atuando em suas (arqui) dioceses.

Para auxiliar no processo de escolha, 17 cabines de votação foram instaladas no Centro de Eventos Padre Vitor Coelho de Almeida. O sistema de votação foi desenvolvido pelo Departamento de Tecnologia da Informação da CNBB e conta com uma plataforma digital conectada a um servidor de banco de dados. O formato de escolha garante o sigilo do voto e a privacidade dos eleitores.

Retiro espiritual

Mesmo em meio aos trabalhos, os bispos terão ainda um momento de retiro durante o fim de semana. Da tarde do sábado até o fim da manhã de domingo, o episcopado será guiado pelas meditações do arquivista e bibliotecário da Santa Sé, Dom José Tolentino de Calaça Mendonça.

O religioso português foi responsável, em 2018, pela pregação de dez meditações durante o retiro quaresmal do Papa e da Cúria Romana em Ariccia, nos arredores de Roma. Na ocasião, o jornal L’Osservatore Romano, boletim oficial do Vaticano, apresentou o bispo, que além de religioso é teólogo e poeta, como “uma das vozes mais autorizadas da cultura portuguesa”.

O retiro se encerra no domingo (05), às 11h30, com uma missa no Altar Central da Basílica de Aparecida.

Coletivas de Imprensa

Durante todos os dias (com exceção do fim de semana) ocorrerão coletivas de imprensa que irão tratar dos temas discutidos em cada um dos dias de assembleia. Como é de costume o A12 e a CNBB, se unem para transmitir ao vivo pelas redes sociais e site todas as coletivas que serão realizadas.

O horário será sempre às 15h com participação de bispos referenciais em assuntos específicos abordados em cada um dos dias.

Uma novidade neste ano é o Redação Ao Vivo com entrevistas com bispos. Após a transmissão da coletiva de imprensa, o A12 recebe um bispo convidado no estúdio para repercutir os principais assuntos de interesse da Igreja no Brasil.

Para acompanhar as coletivas e o Redação ao vivo basta acessar o A12.com/cnbb. Após a transmissão o vídeo da coletiva e outras informações também estarão disponíveis na íntegra no site.

Fonte: Santuário Nacional

Curta Nossa Fanpage:

Empresas que possibilitam este projeto: