Recitação do Regina Coeli no Domingo da Misericórdia com Papa Francisco

Queridos irmãos e irmãs, bom dia!

O Evangelho de hoje (cf. Jo 20, 19-31) nos diz que no domingo de Páscoa Jesus apareceu aos seus discípulos no Cenáculo à noite, trazendo três presentes: paz , alegria , missão apostólica.

As primeiras palavras que ele diz são: ” Paz para você“(V. 21). O Ressuscitado traz a paz autêntica, porque através do seu sacrifício na cruz ele realizou a reconciliação entre Deus e a humanidade e superou o pecado e a morte. Isso é paz. Seus discípulos primeiro precisaram dessa paz porque, depois da captura e da sentença de morte do Mestre, haviam caído em desorientação e medo. Jesus se apresenta vivo entre eles e, mostrando suas feridas – Jesus quis preservar suas feridas -, no corpo glorioso, ele dá a paz como fruto de sua vitória. Mas naquela noite o apóstolo Tomé não estava presente. Informado deste evento extraordinário, ele, incrédulo diante do testemunho dos outros Apóstolos, afirma verificar pessoalmente a verdade do que afirmam. Oito dias depois, é como hoje, a aparição se repete: Jesus vem ao encontro da incredulidade de Thomas, convidando-o a tocar suas feridas. Eles constituem a fonte da paz, porque eles são o sinal do imenso amor de Jesus que derrotou as forças hostis ao homem, pecado, morte. Ele o convida a tocar as feridas. É um ensinamento para nós, como se Jesus dissesse a todos nós: “Se você não está em paz, toca minhas feridas”.

Tocar as feridas de Jesus, que são os muitos problemas, dificuldades, perseguições, doenças de tantas pessoas que sofrem. Você não está em paz? Vá, vá e visite alguém que é o símbolo da ferida de Jesus, toque na ferida de Jesus, daquelas feridas vem a misericórdia. É por isso que hoje é o domingo da misericórdia. Um santo disse que o corpo de Jesus crucificado é como muita misericórdia, que através das feridas nos atinge a todos. Todos nós precisamos de misericórdia, sabemos disso. Vamos nos aproximar de Jesus e tocar suas feridas em nossos irmãos sofredores. As feridas de Jesus são um tesouro: a misericórdia vem de lá. Somos corajosos e tocamos as feridas de Jesus, com estas feridas Ele está diante do Pai, mostra-as ao Pai, como se dissesse: “Pai, este é o preço, estas feridas são o que paguei pelos meus irmãos. ” Com suas feridas, Jesus intercede diante do Pai. Dá-nos a misericórdia se nos aproximarmos e interceder por nós. Não esqueça as feridas de Jesus.

O segundo presente que Jesus ressuscitado traz aos discípulos é alegria . O evangelista relata que “os discípulos se alegraram em ver o Senhor” (v. 20). E há também um verso, na versão de Lucas, que diz que eles não poderiam acreditar de alegria. Nós também, quando talvez algo incrível aconteceu, algo legal, podemos dizer: “Eu não posso acreditar, isso não é verdade!”. Tais eram os discípulos, eles não podiam acreditar de alegria. Esta é a alegria que Jesus nos traz. Se você está triste, se você não está em paz, olhe para Jesus crucificado, olhe para Jesus ressuscitado, olhe para suas feridas e tenha essa alegria.

E então, além de paz e alegria, Jesus traz o presente para os discípulos em missão . Ele lhes diz: “Como o Pai me enviou, eu também te envio” (v. 21). A ressurreição de Jesus é o começo de um novo dinamismo de amor, capaz de transformar o mundo com a presença do Espírito Santo.

Neste segundo domingo de Páscoa, somos convidados a nos aproximar de Cristo com fé, abrindo nossos corações para a paz, alegria e missão. Mas não nos esqueçamos das feridas de Jesus, porque a paz, alegria e força para a missão vêm de lá. Nós confiamos esta oração à intercessão materna da Virgem Maria, rainha do céu e da terra.

Oração do Regina Coeli

V/. Rainha do Céu, alegrai-Vos, aleluia.

R/. Porque quem merecestes trazer em vosso seio, aleluia.

V/. Ressuscitou como disse, aleluia.

R/. Rogai a Deus por nós, aleluia.

V/. Exultai e alegrai-vos, ó Virgem Maria, aleluia.

R/. Porque o Senhor ressuscitou verdadeiramente, aleluia.

Oremos. Ó Deus, que Vos dignastes alegrar o mundo com a Ressurreição do Vosso Filho Jesus Cristo, Senhor Nosso, concedei- -nos, Vos suplicamos, que por sua Mãe, a Virgem Maria, alcancemos as alegrias da vida eterna. Por Cristo, Senhor Nosso. Amém.

Fonte: http://press.vatican.va/content/salastampa/it/bollettino/pubblico/2019/04/28/0349/00711.html

A Palavra do Pastor
Advento: vigilância ativa e efetiva – Homilia de Dom Otacilio – Primeiro Domingo do tempo do Avento Ano B

Advento: vigilância ativa e efetiva – Homilia de Dom Otacilio – Primeiro Domingo do tempo do Avento Ano B

Com o primeiro Domingo do Tempo do Advento (ano B), seremos convidados à vigilância, numa frutuosa preparação para o Natal...
Read More
Alegres e convictos Servidores do Reino – Homilia e reflexões de Dom Otacilio para o XXXIII Domingo do Tempo Comum (Ano A)

Alegres e convictos Servidores do Reino – Homilia e reflexões de Dom Otacilio para o XXXIII Domingo do Tempo Comum (Ano A)

  Alegres e convictos Servidores do Reino (Homilia - XXXIIIDTCA) A Liturgia do 33º Domingo do Tempo comum (Ano A),...
Read More
Permaneçamos vigilantes – XXXII do Tempo Comum do Ano A.

Permaneçamos vigilantes – XXXII do Tempo Comum do Ano A.

Com a Liturgia, do 32º Domingo do Tempo Comum (Ano A), refletimos sobre a necessária vigilância ativa na espera do...
Read More
O Ministério do padre na hora mais difícil: a morte.

O Ministério do padre na hora mais difícil: a morte.

Finados: dia de recolhimento, oração e contemplação de nossa realidade penúltima, a morte; fortalecimento na fé sobre nossa realidade última,...
Read More
Bem-Aventuranças vividas, Santidade alcançada (Homilia Festa de todos os santos e santas)

Bem-Aventuranças vividas, Santidade alcançada (Homilia Festa de todos os santos e santas)

  A Solenidade de todos os Santos abre nosso espírito e coração às consequências da Ressurreição. Para Jesus, ela foi...
Read More
Amor a Deus e ao próximo, dois amores inseparáveis – 30º Domingo do Tempo Comum (Ano A)

Amor a Deus e ao próximo, dois amores inseparáveis – 30º Domingo do Tempo Comum (Ano A)

Amor a Deus e ao próximo, dois Amores inseparáveis O Mandamento do Amor é a essência da vida cristã Com...
Read More
“A Deus o que é de Deus” – Homilia – XXIX Domingo do Tempo Comum do Ano A

“A Deus o que é de Deus” – Homilia – XXIX Domingo do Tempo Comum do Ano A

A Liturgia do 29º Domingo do Tempo Comum (ano A) tem como tema principal a subordinação de nossa existência a...
Read More
O Banquete do Cordeiro e a “veste” apropriada (-Homilia- XXVIII Domingo do Tempo Comum -Ano A

O Banquete do Cordeiro e a “veste” apropriada (-Homilia- XXVIII Domingo do Tempo Comum -Ano A

O Banquete do Cordeiro e a “veste” apropriada A Liturgia, do 28º Domingo do Tempo Comum (Ano A), apropria-se de...
Read More
A Vinha do Senhor e os frutos esperados por Deus – Homilia- XXVII Domingo Comum do Tempo A

A Vinha do Senhor e os frutos esperados por Deus – Homilia- XXVII Domingo Comum do Tempo A

  Com a Liturgia do 27º Domingo do Tempo Comum (ano A), refletiremos sobre os frutos abundantes que  o Senhor...
Read More
O imperativo da conversão no trabalho da Vinha do Senhor- Homilia para o XXVI Domingo do Tempo Comum do Ano A

O imperativo da conversão no trabalho da Vinha do Senhor- Homilia para o XXVI Domingo do Tempo Comum do Ano A

  Com a Liturgia do 26.º Domingo do Tempo Comum (ano A), contemplamos um Deus que chama a todos para...
Read More

Empresas que possibilitam este projeto: