“Tu vens, eu já escuto os teus sinais! ”

Com a festa de Cristo Rei do Universo, encerra-se o último domingo do ano litúrgico “B”, dedicado a São Marcos. O 1º domingo do advento marca então o início de um novo ano litúrgico, onde acompanharemos, sob a perspectiva do evangelista São Lucas, a vida e a missão de Jesus.

Advento vem do verbo latino advenire que significa “chegar a” algum lugar. Representa, pois, a chegada de alguém. Como toda chegada esperada, o advento tem um toque especial, os sentimentos ficam aflorados. O clima natalino já reina, e com ele, reina também um clima afetuoso. Nossos grupos de reflexão se reunindo nas casas, respirando e aspirando amor, muitas vezes debaixo da chuva, amassando o barro com os pés descalços, como acontece nas comunidades rurais, ou se agrupando por ruas, como nas comunidades urbanas.

Pois bem, alguém está para chegar! A Igreja celebra essa chegada de uma maneira especial na liturgia. Os paramentos roxos são usados, não para indicar a penitência quaresmal, mas para demonstrar que há um clima de espera e, quando o esperado chegar, haverá júbilo. A Igreja, em sua sabedoria, organiza a liturgia de modo a criar esse clima de espera. Não se canta o glória nas Santas Missas, à exceção das solenidades; introduz a coroa do advento, com suas velas coloridas, para indicar algum sentimento eminente proposto pela liturgia da palavra, como a vigilância e a alegria; a sobriedade na ornamentação do presbitério, que indica que a alegria ainda não está completa; e assim por diante.

Como dito, o advento é este tempo de espera daquele que vem. Mas quem está para chegar? É aquele que vê o sofrimento do seu povo e desce para libertá-lo, aquele que ouve os clamores, que é próximo do seu povo (Cf Gn. 3). Sim, só um Deus apaixonado é capaz de descer. Aliás, todos os verbos empregados demonstram este amor incondicional: descer, ouvir, libertar. Então, quem vem ao nosso encontro é o Deus amoroso que decide salvar seu povo da morte eterna.

O advento é, portanto, a memoração de tal evento: a encarnação do verbo que vem para nos salvar de nossa condição, e que está para chegar brevemente, no natal. É por isso que neste período se afloram mais os nossos bons sentimentos; é o Príncipe da Paz quem está chegando, ele traz consigo a harmonia, a união, a concórdia, a fraternidade, o amor.

A cada domingo vão se meditando figuras importantes: Isaías, o profeta que anunciou o nascimento do descendente de Davi, vindo de uma Virgem (cf Is 7,14); João Batista, o precursor de Jesus, aquele responsável por “aplainar os caminhos do Senhor” (cf Lc 3); a Virgem Maria, como a Serva fiel, que com o seu “sim” trouxe ao mundo a salvação; bem como a figura de Jesus, o enviado de Deus.
Poderíamos dizer que o advento é, ao mesmo tempo, uma recordação da ação salvífica do Pai ao enviar seu Unigênito, como também nos introduz no mistério escatológico: o Senhor voltará glorioso novamente. Por isso, é também um momento para rever nossa vida, um convite para organizarmos nossos corações, pois Ele virá e deve nos encontrar vigilantes.

Encerramos também, com a festa de Cristo Rei, o ano do laicato, tempo frutuoso para rever o lugar do leigo na missão evangelizadora de nossas comunidades, bem como chamá-los à responsabilidade. Contudo, os leigos somos chamados a vivermos esse constante advento em nossa vida, nos preparando sempre para acolher aquele que vem, sobretudo no outro que necessita de nossa ajuda material e espiritual, e que virá glorioso novamente.

Preparemos a manjedoura dos nossos corações, abramos nossa vida à conversão, estejamos vigilantes, juntos com a Virgem Maria, nossa Mãe celeste, para aguardar pressurosos pela vinda do Rei de nossa vida, Cristo Jesus. Como canta o grande Alceu Valença: “Tu vens, Tu vens, eu já escuto os teus sinais”. Alegrai-vos, Ele está para chegar! Feliz e Santo advento para todos, espalhados nos rincões de nossa Diocese de Guanhães!

Álisson Sandro, seminarista estudante de filosofia

A Palavra do Pastor
Missão: graça divina, resposta nossa (Homilia – Ascensão do Senhor – Ano A)

Missão: graça divina, resposta nossa (Homilia – Ascensão do Senhor – Ano A)

Missão: graça divina, resposta nossa  “Ide pelo mundo e ensinai todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do...
Read More
Jesus prometeu e cumpriu: enviou-nos um Defensor (Homilia VI Domingo do Tempo Pascal)DTPA)

Jesus prometeu e cumpriu: enviou-nos um Defensor (Homilia VI Domingo do Tempo Pascal)DTPA)

 “O Espírito da Verdade, que o mundo não é capaz de receber, porque não O vê nem O conhece” No...
Read More
Jesus, o Caminho que nos conduz ao Pai – Quinto Domingo da Páscoa (Ano A)

Jesus, o Caminho que nos conduz ao Pai – Quinto Domingo da Páscoa (Ano A)

      Sejamos cristãos alegres, corajosos, convictos a caminho do céu, vivendo  no tempo presente a nossa fé em...
Read More
A fraqueza do rebanho e a fortaleza do Pastor – Homilia do IV Domingo de Páscoa (Ano A)

A fraqueza do rebanho e a fortaleza do Pastor – Homilia do IV Domingo de Páscoa (Ano A)

No IV Domingo da Páscoa (Ano A), o Dia do Bom Pastor, que é o próprio Jesus e também Dia...
Read More
Faça arder nosso coração, abra nossos olhos, Senhor! – Homilia para o 3º Domingo de Páscoa

Faça arder nosso coração, abra nossos olhos, Senhor! – Homilia para o 3º Domingo de Páscoa

Que a Boa Nova da Ressurreição de Jesus seja nossa força na missão: A Ressurreição de Jesus se descobre caminhando....
Read More
O Senhor nos comunicou o Seu Espírito _ Segundo Domingo de Páscoa

O Senhor nos comunicou o Seu Espírito _ Segundo Domingo de Páscoa

  “... Como o Pai me enviou, também eu vos envio. E, depois de ter dito isso, soprou sobre eles...
Read More
“A fé que se torna missão” (Homilia  do Segundo Domingo de Páscoa)

“A fé que se torna missão” (Homilia do Segundo Domingo de Páscoa)

A fé que se torna missão” Com a Liturgia do 2º Domingo da Páscoa (ano A), também chamado de “Domingo...
Read More
“Caminha conosco, Senhor”

“Caminha conosco, Senhor”

  Na Liturgia das Horas, encontramos esta oração nas Vésperas da Segunda-feira da Quarta Semana, que nos remete ao Evangelho...
Read More
O mais belo amanhecer

O mais belo amanhecer

Quantos amanheceres já pudemos contemplar, e quantos ainda poderemos? Mas não há amanhecer como aquele que Maria Madalena viveu, quando...
Read More
Crer  no Ressuscitado é buscar as coisas do alto!

Crer no Ressuscitado é buscar as coisas do alto!

Crer no Ressuscitado é buscar as coisas do alto! Quem nunca se encantou diante da beleza de uma montanha? Não...
Read More

Empresas que possibilitam este projeto: