Fiéis , parentes e amigos, comovidos se despedem de Pe Saint-Clair

Foi com muita tristeza e comoção que os fiéis das  paróquias São Miguel e Almas, Nossa Senhora Aparecida, em Guanhães, São João Evangelista, Santo Antônio em Coluna e de outras paróquias se despediram do amigo e pastor Pe Saint Clair Ferreira Filho. Foram presididas Celebrações Eucarísticas em Guanhães às 10h,na catedral, em São João às 13h , em Coluna às 17h e o sepultamento aconteceu após a missa.

Abaixo, comentários e homenagens:

No meio do luto, sinto-me honrado com a oportunidade de ler essas palavras durante as exéquias do amigo Pe. Saint Clair! 
Atendendo aos pedidos de outros amigos dele, compartilho o texto que li. 
E vamos nós, tocando em frente!

Que a paz do nosso senhor Jesus Cristo e a consolação do Espírito Santo permaneça conosco! Digo “permaneça”, pois creio que a paz e a consolação estão sempre conosco, pela graça de Deus. Sabemos que mesmo na mais profunda dor – essa intrusa para a qual não fomos criados, pois Cristo nos fez livres e nos deu vida em abundâci – o Espírito de Deus está conosco.
Estou aqui, sabendo da impossibilidade do amigo padre Saint Clair me ouvir agora, pelo menos da forma que sempre fez, nas nossas prosas mais poéticas. Por isso, falo aos outros amigos aqui presentes. Alguns deles de outras confissões religiosas. Ouso falar também para a maioria aqui presente, como minha mãe dona Lucica e minhas irmãs Edelveis e Eliana que tiveram o prazer e a alegria de conhecer esse irmão na fé e conviver com ele por muito mais tempo. 
Falo como amigo, como irmão, como membro da comunidade Cristã desta cidade, desta região. Falo também como ser político que aprendi a ser. Mas sempre na condição de alguém que sabe que é pó, que ao pó retornará, mas que se apega, às coisas do coração, mesmo sabendo que não consigo aumentar em nada o tempo bom de todas as fases da vida. 
Falo para tantos sentinelas, semeadores da palavra, plantadores de sonhos, de anunciadores de dons e de vida – de vida eterna. 
Há algum tempo, o amigo que está agora em estágio avançado de transfiguração, chamou minha atenção para esta palavra, transfiguração. Foi no dia em que inaugurou a pré-paróquia do Pito. Desde então, o encontro de Jesus com alguns de seus discípulos no conhecido monte da transfiguração, narrado nos evangelhos, passou a ter um significado bem mais amplo para mim. Dá-me a certeza de que estamos todos, por mais saudáveis, resistentes, por mais cheios de certezas que estejamos aqui, estamos todos apenas caminhando, rumo à transfiguração. 
Talvez por isso, o amigo Saint Clair gostava tanto da canção de Almir Sater que diz que “ando devagar, por que já tive pressa e levo esse sorriso por que já chorei demais”…” Penso que cumprir a vida
Seja simplesmente, Compreender a marcha E ir tocando em frente… Como um velho boiadeiro, Levando a boiada, Eu vou tocando os dias, Pela longa estrada, eu vou, Estrada eu sou…”
Quase posso ouvir a já bem rouca voz do Padre Saint Clair, cantarolando isso, no dia que fui visitá-lo, há cerca de um mês. Ele sempre soube o que fazia aqui. Sempre soube que é estrada e que faz parte do caminho de todos nós. 
E lá se foi nosso amigo, agora longe de nossos olhos físicos, depois de combater o bom combate, ou, de caminhar a boa caminhada, deixando sementes, flores e frutos e árvores já frondosas entre nós. Como dito aqui pelo padre José Martins. Em cada canto aqui desta diocese há sinais dele…
E cá estamos nós… tocando em frente. Ainda buscando a exata compreensão desta marcha. “ Hoje me sinto mais forte, mais feliz, quem sabe, Só levo a certeza de que muito pouco sei, Ou nada sei…”
Nem fazer uma homenagem descente, nesta hora, com o coração doído, eu sei… Mas aqui estou! Apenas para agradecer a Deus, pelo privilégio de conhecer esse camarada. Que para mim será sempre um camarada, um amigo, um companheiro de estrada… Muito mais que um padre, um pasto de almas. Foi assim que ele se apresentou a mim. Como quem conhece as diferenças e fraquezas mas também as coisas comuns, os dons e as riquezas de cada ser humano, todas germinadas no coração do Criador, o grande tapeceiro do universo.
Hoje, oito de setembro, quando um outro amigo, pastor Marcos Leal me ligou, lamentando a partida do Saint Clair, eu tentava escrever esse texto… imaginando que poderia fazê-lo de forma mais consoladora para todos os presentes. Só então percebi que deveria vir aqui, para contribuir apenas passando uma linha, no ponto que está sendo tecido agora na história de Guanhães. 
Amigas, amigos, irmãs, irmãos… gostaria de pedir que neste momento nos abracemos, que possamos dar as nossas mãos agora. Digamos simbolicamente que: Todo mundo ama um dia
“Todo mundo chora, Um dia a gente chega, E no outro vai embora. “
Enquanto seguimos aqui, tocando a marcha da vida. Lembremos que cada um de nós carrega o dom de ser capaz! 
“É preciso amor, Pra poder pulsar, É preciso paz pra poder sorrir, É preciso a chuva para florir. “
Que continuemos na presença de Deus, pois vem aí a primavera. O que ela traz: a certeza de que estamos e estaremos em transfiguração. 
Pai amado, Senhor Deus do Universo, sou grato a ti, pelo privilégio de ter caminhado algumas trilhas com este homem, com este padre, com este amigo Saint Clair Ferreira. 
Que Deus mantenha sobre nós, a sua benção! Louvado seja o nosso Senhor Jesus Cristo!

                                                                                  Evandro José de Alvarenga

           Ao participar da celebração Eucarística de corpo presente do nosso querido padre Saint Clair pude reviver um filme que jamais será esquecido em minha memória. Foi muito forte a emoção de relembrar os momentos de experiência  fraterna  e pastoral com essa figura ímpar em nossa diocese. Revivi   aquele 1º de maio de 1986, instalação da diocese de Guanhães, primeira vez que vi aquele diácono ( Bigode grande)  proclamando o Evangelho; algum tempo depois aquela mesma pessoa já então, o padre  Saint Clair, juntamente com padre Ismar assumia a paróquia São Miguel e Almas e aí então deu-se início a uma nova fase em minha vida pastoral. Em pouco tempo  já nos identificávamos  em nossos ideais de um projeto de Igreja libertadora. Passei a atuar em diversas pastorais  urbanas e rurais, tendo a felicidade de a convite dele,  fazer parte do CPP, vivendo uma linda história de companheirismo e missão. Quantas reuniões na casa paroquial de Guanhães, Planejamento de Ação Pastoral  realizamos juntos ,podendo assim, testemunhar o que é uma pessoa apaixonada pelo Reino de Deus e por sua paróquia. Quanta saudade de um tempo que marcou minha vida de Igreja diocesana de Guanhães! 

       Em 2006, fruto de um  dos sonhos dele, foi instalada a pré- paróquia do Pito e a partir daí seguimos caminhos geograficamente diferentes, mas sempre , em conversas com amigos , dizia: padre Saint Clair , pra mim, é o apóstolo Pedro da Igreja Particular de Guanhães: aquele que , ora erra, ora acerta;  mas com a coragem de ser a coluna na qual os irmãos  se apoiam; santo e pecador: pecador no seu jeito transparente de ser humano; mas santo nas ações proféticas e misericordiosas.

       Por fim , fica  a gratidão  por ter tido a oportunidade de conviver um irmão , um pai , um pastor.

Padre Saint Clair amava os cantores que  , com suas vozes  traduziam o sonho de uma igreja povo . Por isso termino com um trecho de uma canção  que ele amava.

No peito a saudade das pessoas tão queridas.
Nos olhos tantos sonhos de um futuro com mais vida.
Nos pés a marcha lenta para a terra prometida.
Ô, ô, ô… ô, ô, ô. é tudo teu, Deus do amor.            ( Zé Vicente)

 Maria Madalena dos Santos Pires      paróquia N S Aparecida-  Pito   

Muito difícil devolver à eternidade as pessoas que aprendemos a amar de forma especial. Porém, nossa maior homenagem a esse grande mestre é colocar seus desejos em prática, sendo leigos apaixonados a evangelizar com muito amor,responsabilidade e acima de tudo com simplicidade. Isso sim era seu exemplo e seu desejo. Sou eternamente grata a ele pela lição de fé que nos passou e a Deus pela oportunidade de viver essas experiência ímpar com ele!

 Ivone de São João Evangelista

Eu aprendi com Ele demais. A Diocese perdeu um pensador. .. Nunca esquecerei o que Ele me fez sentir com o seu jeito de ser. Ele perguntava :”Oi que você está fazendo com o amor que Deus tem por você?

 Dircilene de São João

Fui em coluna. Foram  momentos muito tristes e ao mesmo tempo de agradecimento a Deus por tudo que ele fez em sua missão.

 Irmã Aparecida – Frei Lagonegro

Hoje foi muito difícil…as palavras fugiram. Fiquei meditando suas palavras naquele momento de dor:”vocês leigos precisam ser sal da terra e luz do mundo.

Nosso profeta, após anos de luta volta para o repouso nos ombros do Pai. A sua voz ecoará em nossos corações. Palavras firmes, sem rodeios ou voltas. A nossa Diocese perde seu filho que tinha um amor incondicional a sua igreja e a seu povo . Perdemos nosso grande conselheiro.

                                                                                  Alessandro – São Pedro

Um dia muito triste para todos nós! Mas ele cumpriu muito bem a sua missão. Ficamos com o seu testemunho firme do evangelho e um coração cheio de agradecimento a Deus, por nos permitir conviver e aprender com ele!

Luciene – São João

Grande homem de Deus! Amou muito esta diocese. Nossa eterna gratidão.

Roberto Magno – Joanésia

Nossa diocese sofre uma grande perda,mas o Senhor recebe uma valiosa alma!!! É o fim… fim da corrida …fim do sofrimento e dor…Nosso padre agora descansa em paz! Que as suas lutas não sejam em vão e suas palavras proféticas esquecidas,mas transformem em vida, com frutos abundantes no meio de nós!! Abraço de consolo aos familiares ,o clero e toda diocese!!!

                                                                Catequese e Comunidade N.Senhora do Carmo – Carmésia

Nossa solidariedade e sentimento a todos os padres, pastorais, amigos e familiares que tiveram a honra de conviver e vivenciarem a espiritualidade e a fé do saudoso Pe Saint-Clair. A sua devoção em seguir o Projeto de Jesus Cristo ,amar e servir, fez a diferença na vida do Povo de Deus. Com seus ensinamentos e palavras , deixou o legado de lutar com dignidade e fé.Que o Senhor o acolha em sua glória.

Abraço a todos. Paróquia Nossa Senhora da Conceição. Equipe de Coordenação Catequética Conceição do Mato Dentro.

Que o senhor Jesus conforte e dê muita sabedoria aos familiares, neste momento tão difícil! Que Ele descanse em paz ao lado do pai eterno! Que o Senhor Jesus conforte e dê sabedoria aos seus familiares e amigos neste momento tão difícil de separação terrena! E que Ele descanse em paz , ao lado do Pai celeste!

Geralda do Rio Vermelho
Hoje nossa diocese perdeu um ente querido e ganhou mais um santo no céu.Nossa diocese sentirá mas fortalecida por lembrar dele que amou e lutou incondicionalmente por ela .Descanse em Paz. Aos familiares e diocesanos, minhas orações.

  Socorro Morro do Pilar
A diocese perde uma grande pessoa, mas o céu ganhou. Hoje lindo dia para ele ser acolhido pela nossa mãe celeste.

                                                                  Jussara Ventura – Guanhães

Eu me uno aos amigos e familiares do padre Saint-Clair para agradecer a Deus pela sua vida. 
Muito daquilo que sou como pessoa, dos valores que preservo, das esperanças que trago em mim, devo ao tempo de convivência com ele. 
Eu tive a oportunidade de conhecer e conviver com um homem bom e justo!
Aproveito para me solidarizar com o padre Wanderlei, amigo e irmão, que esteve ao lado do padre Saint-Clair nesta travessia.

Luís Carlos – Guanhães

“[…] a morte só pode ter um sentido e significado se a vida também os tiver; quando alguém sabe “para quê e para quem vive”, realizando sua original missão, pode morrer em paz. Aqueles que vivem intensamente enfrentam com grande serenidade seu envelhecimento e a proximidade da morte, vendo nela mais uma etapa no processo normal de seu amadurecimento e de sua realização. Aquele(a) que é consciente de ter vivido por alguma causa, de ter levado uma vida plena, pode dar sentido e significado espontâneos ao último ato de sua existência, a morte. É o modo como alguém vive que qualifica a morte. Há mortes que, para além da inevitável dor que causam aos familiares e amigos, provocam paz, agradecimento, vontade de viver seriamente, de se levantar da superficialidade e da mediocridade”.

(Adroaldo Palaoro, sj)

“Homens de Deus não morrem. Eles são transformados naquilo que acreditaram e pregaram. Ele combateu o bom combate da fé e agora toma posse definitiva do Reino dos céus, onde participará do prêmio reservado aos justos”. Padre Saint Clair ressuscitou a muitos na terra. Agora ele é um eterno ressuscitado junto a Deus. 

  Saudades eternas!

                                                                                                        Eliana  Alvarenga – Guanhães

 

Curta Nossa Fanpage:

Empresas que possibilitam este projeto: