Solenidade da Dedicação da Catedral São Miguel

Neste dia 1° de maio, celebramos a Dedicação da Catedral Diocesana

A dedicação de um templo, como hoje a comemoramos em relação à nossa Catedral, na verdade diz respeito a três casas, como dizia um monge cartuxo (Lanspergius) na primeira metade do século XVI. Três casas.

A PRIMEIRA CASA DE DEUS, o santuário material, consiste em uma construção reservada ao culto divino e à realização de outros atos que dizem respeito aos bens necessários à nossa salvação. É certo que se pode e se deve orar em qualquer lugar; não há lugar onde não se possa rezar, como podemos ver hoje no Evangelho da Liturgia da Dedicação.  É muito conveniente que tenhamos um local consagrado a Deus no qual, cristãos que formamos comunidade, possamos nos reunir, ouvir a sua palavra, louvá-lo e a ele orar juntos, e assim obter mais facilmente o que pedimos, como se lê no Evangelho: Se dois ou três dentre vós se põem de acordo para pedir alguma coisa, haverão de obtê-la de meu Pai[1].

A SEGUNDA CASA DE DEUS é o povo, a comunidade santa, que no templo realiza sua unidade, guiada, instruída e alimentada por um só pastor ou bispo. É a morada espiritual, da qual o templo, a igreja material, de pedra (ou de madeira…) é o sinal. O Cristo construiu para ele esse templo, a comunidade cristã, um templo espiritual; ele reuniu esse povo na unidade e o consagrou ao adotar todas as almas que deviam ser salvas e santificá-las. Essa morada é formada pelos escolhidos por Deus, passados, presentes e futuros, congregados na unidade da fé e da caridade nesta igreja una, filha da Igreja Universal ou Católica, e que se torna assim uma só com a Igreja Universal. Cada Igreja Diocesana ou Igreja Particular forma, com todas as outras a única Igreja Universal, que é como que a Mãe de todas as Igrejas.

Ao celebrarmos a dedicação de nossa igreja e, cada ano, o seu aniversário, não mais fazemos que, em ação de graças, no meio de hinos e de louvores, nos lembrar da bondade que Deus manifestou ao chamar este pequeno rebanho para que o conhecesse. Concedeu-nos a graça não somente de nele crer, mas também de o amarmos, de nos tornarmos seu povo e seu rebanho, guardarmos seus mandamentos, trabalharmos e sofrermos por amor a ele, e de nos alegrar com ele.

A TERCEIRA CASA DE DEUS  é cada alma santa, devotada a Deus, consagrada a ele pelo batismo, tornada templo do Espírito Santo e morada de Deus. Quando celebramos a dedicação dessa terceira casa, que se realizou em nós pelo batismo e pela confirmação, lembramo-nos do favor que de Deus recebemos: que ele nos escolheu, a cada um de nós, para em nós habitar mediante a sua graça.

Cristo, o Senhor, porque quis habitar em nós, dizia, como que para dar forma a sua construção: Dou-vos um novo mandamento: que vos ameis uns aos outros[2]. É um mandamento que eu vos dou. E esta casa, como o mesmo Jesus predisse e prometeu, está edificada no mundo inteiro, espalhada pelo mundo inteiro. Cantar é próprio de quem ama, como diz Santo Agostinho. Cantai ao Senhor um canto novo, diz o Salmo. Um canto novo correspondente ao mandamento novo, o do amor. O que nos permite cantar celebrando a dedicação do templo material é o amor, é o fervor do santo amor. O que vemos realizado fisicamente nas paredes do templo de pedra deve realizar-se espiritualmente com as almas; o que vemos aqui realizado com as pedras e os tijolos é o que deve ser realizado em nossos seres inteiros, com a graça de Deus.

A Igreja seja particular ou diocesana só é dedicada a Deus por intercessão de um santo, a nossa tem como intercessor são Miguel Arcanjo, a quem devotamente confiamos a intercessão de  nossa caminhada pastoral e de fé de nossa Igreja Particular.

 

São Miguel, Rogai por nós!

Para essa celebração, o missal dispõe a seguinte Liturgia da Palavra:

I Leitura: (Ne 8, 2-4a. 5-6.8-10)              Salmo Responsorial – Sl 18, 8. 9. 10. 15
II Leitura:  (I Cor 3, 9c-11.16-17)  Evangelho:  (Lc 19, 1-10 )

 

 

 

A Palavra do Pastor
A comunidade do Ressuscitado – Homilia – 2º Domingo da Páscoa Ano B

A comunidade do Ressuscitado – Homilia – 2º Domingo da Páscoa Ano B

Com a Liturgia do 2º Domingo da Páscoa (ano B), também chamado de “Domingo da Misericórdia”, à luz da Palavra...
Read More
O Cristo Ressuscitado caminha conosco! Aleluia!

O Cristo Ressuscitado caminha conosco! Aleluia!

O Ano Litúrgico (ano B), começa com a quarta-feira de cinzas, e com ela o início do itinerário quaresmal, e...
Read More
Domingo de Ramos:  Jesus elevado na Cruz para nos elevar – Homilia – Dom Otacilio F. de Lacerda

Domingo de Ramos: Jesus elevado na Cruz para nos elevar – Homilia – Dom Otacilio F. de Lacerda

"Meu  Deus, meu Deus, por que me abandonaste?"  (Mc 15,34) No Domingo de Ramos (ano B), refletimos sobre o Amor de...
Read More
“Deus merece que sejamos melhores” – Homilia – Quarto Domingo do Tempo Quaresmal – Dom Otacilio – Ferreira de Lacerda

“Deus merece que sejamos melhores” – Homilia – Quarto Domingo do Tempo Quaresmal – Dom Otacilio – Ferreira de Lacerda

A Liturgia do 4º Domingo da Quaresma (Ano B) é conhecida como Domingo “Laetare”, ou seja, Domingo da alegria, devido...
Read More
A cidade, seus clamores e a missão Presbiteral – Dom Otacilio F. de Lacerda

A cidade, seus clamores e a missão Presbiteral – Dom Otacilio F. de Lacerda

As grandes cidades enfrentam os inúmeros problemas de nosso tempo, principalmente porque vivemos em mudança de época, muito mais do...
Read More
Uma religião agradável ao Senhor – Homilia – Terceiro Domingo do Tempo Comum – Ano B

Uma religião agradável ao Senhor – Homilia – Terceiro Domingo do Tempo Comum – Ano B

Com o 3º Domingo da Quaresma (ano B), damos mais um passo no Itinerário rumo à Páscoa do Senhor. Podemos...
Read More
A Glória é precedida pela Cruz – Homilia – Segundo Domingo do Tempo Quaresmal – Ano B

A Glória é precedida pela Cruz – Homilia – Segundo Domingo do Tempo Quaresmal – Ano B

O segundo Domingo da Quaresma (ano B), identificado como “O Domingo da Transfiguração do Senhor”, é um convite a escutarmos...
Read More
Evangelização e acolhida do sopro do Espírito

Evangelização e acolhida do sopro do Espírito

“Ai de mim se seu não evangelizar” (1 Cor 9,16). A Evangelização na cidade tem inúmeros e grandes desafios, de modo...
Read More
“Não nos deixeis cair em tentação” – Homilia do Primeiro Domingo da Quaresma- Ano B

“Não nos deixeis cair em tentação” – Homilia do Primeiro Domingo da Quaresma- Ano B

No 1º Domingo da Quaresma (Ano C), repensamos nossas opções de vida, tomando consciência das tentações que nos impedem de...
Read More
Libertos pelo Senhor para amar e servir – VI Domingo do Tempo Comum Ano B – Homilia

Libertos pelo Senhor para amar e servir – VI Domingo do Tempo Comum Ano B – Homilia

“Jesus, cheio de compaixão, estendeu a mão, tocou nele e disse:  “Eu quero: fica curado!”. No mesmo instante  a lepra...
Read More

Empresas que possibilitam este projeto: