Missa em Ação de Graças pelos sete anos da Paróquia Nossa Senhora Aparecida – No Pito (Guanhães)

Na noite de terça-feira, 12 de dezembro às 19h, aconteceu na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, no Pito- Guanhães, uma celebração eucarística em louvor aos 7 anos de criação e instalação da paróquia, presidida pelo atual administrador paroquial, padre Adão Soares de Souza. Em sua homilia, ele lembrou aos fiéis presentes, a necessidade de agradecimentos a Deus por tudo o que foi construído e que ainda continua sendo realizado em  favor da  comunidade.

Pe Adão  destacou que ao longo da história da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, muitas pastorais e movimentos foram criados e o esforço e  trabalho de muitas pessoas que ajudaram no crescimento e evangelização. São essas pessoas que dão o sustento para que as coisas aconteçam. Ele agradeceu  a todos que voluntariamente dedicam sua vida e seu tempo em prol desta comunidade.

Ao final da Celebração, foram projetadas algumas imagens de acontecimentos significativos dessa caminhada, preparados pela Jéssica Ariel, secretária paroquial e finalizou-se com uma confraternização com  bolo e o pão de Cristo (preparado por Dona Lucília Eufrásia de Alvarenga).

Recordando um pouco da História da Paróquia

Um dos pioneiros da região do Pito, muito devoto de Santo Antônio, tinha um sonho de construir em seu terreno uma capela em homenagem ao santo, mas morreu repentinamente e sua viúva construiu a capelinha Santo Antônio, no alto de uma serra, onde havia um cruzeiro.  Por vários anos, foram realizadas festas de Santa Cruz e Trezenas de Santo Antônio.

Quando a capela recebeu a doação de um devoto por uma graça alcançada de uma imagem da padroeira do Brasil, passou a realizar também a festa de Nossa Senhora Aparecida, a princípio nas casas das famílias, depois na capelinha. Após as Novenas, eram feitas barraquinhas com leilões doados pelo povo, encerrando com celebração da missa, levantamento de mastro e dança dos caboclinhos.  Turma boa de fiéis que se doava incansavelmente para a realização das três festas: Santa Cruz, Santo Antônio e Senhora Aparecida. Com o pouco dinheiro arrecadado nessas festas, mantinham-se as despesas – materiais para as missas mensais, luz, pintura, som, reparos na capelinha e limpeza do local.

Para as festas de Nossa Senhora Aparecida, surgiam pessoas que se ofereciam para serem festeiras e, com a ajuda da comunidade, organizavam lindas festas.

  Com o passar dos anos, a participação da comunidade nos eventos aumentava significativamente, surgindo assim a urgente necessidade de um espaço maior para as celebrações, e, por vários motivos, a ampliação da Capela Santo Antônio tornou-se difícil.  Então uma senhora da comunidade doou outro terreno para a construção de outra capela, que seria dedicada a Nossa Senhora Aparecida. Convocou filhos, familiares e toda a comunidade para erguerem o novo templo. Superando dificuldades de toda espécie, crianças a idosos carregavam baldes e mais baldes de água para a construção. Dom Felippe, quando visitou o local pela primeira vez, disse: É uma construção para dez anos. No entanto, foi concluída em 1989, quatro anos de luta constante e muita garra.

Em 1990, a Capela Nossa Senhora Aparecida foi inaugurada. E as festas continuaram. A capela era pequena para as celebrações das missas festivas, pois a imagem era conduzida em procissão da Igreja matriz de São Miguel para a capela no Pito, onde o padre presidia a missa no dia 12 de outubro e, pela quantidade de gente, a capela não comportava. Assim   eram instalados altares na escadaria e o povo participava da missa na rua em frente à igreja. As barraquinhas eram improvisadas nos espaços possíveis.

 Os padres que administravam a paróquia São Miguel e o bispo Dom Felippe acompanhavam com zelo a comunidade e eles aconselhavam, orientavam e incentivavam o povo a tomar decisões para o seu crescimento em todos os sentidos. Realmente há muito que agradecer a eles, pois cada um, a seu modo, incentivava a comunidade a trabalhar bastante  para aquisição de mais lotes, e assim as missas festivas de Nossa Senhora poderiam acontecer  em um espaço adequado. Quanto maior era o estímulo dos padres, maior a vontade do povo em fazer a comunidade crescer. As sugestões deles e do bispo eram ordens para serem colocadas em prática.

Assim, as festas de Nossa Senhora Aparecida foram tomando novos rumos, novas proporções a cada ano. Passou-se a realizar a novena do livrinho do Santuário de Aparecida. E a comunidade crescia… Certo dia, Padre Saint-Clair deixou escapar que a comunidade do Pito era um “pito aceso” e merecia ser paróquia. O povo acreditou e ousou… Dom Emanuel, o bispo da época, também acreditou, apoiou, colaborou e decidiu que o Pito seria paróquia.

Em 06 de agosto de 2006, a Diocese de Guanhães, em uma grande festa, instalou a Quase-paróquia de Nossa Senhora Aparecida  e recebeu como administrador paroquial padre Eduardo Ribeiro , missionário redentorista C. S.s.R, da Província redentorista de São Paulo e ele trouxe para doar à comunidade, uma imagem fac símile da santa.

Com padre Eduardo, o “Pito acendeu ainda mais” e também reacenderam a fé e o amor a Mãe Aparecida. E nesse mesmo ano de 2006, em outubro, a Quase – Paróquia Nossa Senhora Aparecida realizou a XVII festa da Padroeira com novo ardor missionário.  Padre Eduardo deu sequência ao costume da comunidade: realizar  a Novena durante a noite, usando o livrinho do Santuário de Aparecida. De manhãzinha presidia a santa Missa. Também aprovou, deu continuidade aos movimentos das barraquinhas, das festas e com criatividade e dinamismo ajudou a incrementar ainda mais a Novena e também a festa. Ele percebeu que a comunidade era pequena e pobre (um fim de rua e comunidades rurais) e necessitava de recursos para a manutenção e reconstrução da capela que se tornou muito pequena. No período de dois anos ela foi completamente reconstruída.

Em 2009, a Quase-paróquia promoveu no período da festa o Primeiro Canto pela Paz e recebeu com muita alegria a visita da Imagem Peregrina.  O espaço ficou muito pequeno para tantos fiéis que vinham de diversos lugares.

Em 2010,realizou-se a segunda edição do Canto pela paz e até um vídeo foi gravado num sítio na comunidade,  com a encenação da pesca da imagem de Nossa Senhora Aparecida.

Em dezembro de 2012, a Quase-paróquia foi elevada à dignidade de paróquia e recebeu Pe Derci da Silva como o segundo administrador paroquial; em 2014, novo administrador paroquial, Pe José Aparecido de Pinho, permanecendo até o primeiro semestre de 2016. Pe José Aparecido foi substituído por pe Inácio da Rocha, vindo da  paróquia Salvador do Mundo do Rio de Janeiro. Eles ajudaram bastante a paróquia em sua caminhada e festejos à Mãe Padroeira.

No dia 10 de setembro, novo administrador paroquial tomou posse para administrar a paróquia: pe Adão Soares de Souza  que chegou  com  força e ânimo para ajudar a Paróquia Nossa Senhora Aparecida a continuar a sua história, com muito trabalho que ainda virá!

 Com a graça de Deus e a proteção de Nossa Senhora da Conceição de Aparecida, os paroquianos continuarão firmes e perseverantes na fé.

                                                             Eliana Maria de Alvarenga Guimarães

Curta Nossa Fanpage:

Empresas que possibilitam este projeto: