Dom José Maria Pires é sepultado na terça, 29 de agosto

O arcebispo emérito da Paraíba, Dom José Maria Pires, faleceu aos 98 anos, na noite desse domingo, dia 27, após sentir-se mal em Belo Horizonte (MG). O arcebispo vinha enfrentado problemas de saúde desde que foi acometido por um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Dom José morre no dia em que Dom Helder Câmara morreu há 18 anos. Os dois eram muito ligados.

Dom José nasceu em 15 de março de 1919, no distrito de Córregos, que pertence a Conceição do Mato Dentro/MG (diocese de Guanhães). Entrou para o seminários aos 12 anos de idade. Foi ordenado sacerdote em 20 de dezembro de 1941 em Diamantina/MG, e recebeu a ordenação episcopal em 22 de setembro de 1957. Seu lema episcopal: Scientiam Salutis (A Ciência da Salvação).  Foi ordenado arcebispo na Igreja de Nossa Senhora do Rosário. A celebração de posse acolheu caravanas de todas as regiões do Estado.

Ele foi o terceiro bispo de Araçuaí e o quarto arcebispo da Paraíba.  Bispo mais antigo em ordenação episcopal do Brasil.

Foi o terceiro bispo de Araçuaí/MG e o quarto arcebispo da Paraíba, membro da Comissão Central da CNBB, presidente da Comissão Episcopal Regional do Nordeste. Renunciou em 29 de novembro de 1995, conforme orientações do Código de Direito Canônico.

Lutou pela defesa dos negros, dos pobres e dos oprimidos. Escritor, palestrante e um dos poucos sacerdotes que participaram do Concílio Vaticano II. Também se posicionou com firmeza ao lado dos que lutavam pelo fim da ditadura, mas sem perder a singular capacidade que tinha de dialogar com aqueles a quem claramente se opunha.

O arcebispo dom Walmor, os bispos auxiliares, sacerdotes, religiosos e todo o povo de Deus da Arquidiocese de Belo Horizonte se uniram em oração aos familiares e amigos Dom José Maria Pires, o Dom Pelé, como era carinhosamente chamado.

Dom José Maria Pires foi velado nessa segunda-feira, dia 28, na Paróquia Nossa Senhora das Dores, bairro Floresta, em Belo Horizonte , a santa missa celebrada às 12 h e o corpo foi levado para a Paraíba.

 

O Arcebispo Metropolitano da Paraíba, Dom Manoel Delson, publicou em nota:

“A Igreja perde, neste domingo em que comemoramos o Dia do Catequista, um grande pastor. Dom José foi um dos catequistas mais ativos e humildes à frente do seu rebanho, e que soube impor a sua voz, sempre que necessário, em defesa dos menos favorecidos. O ‘Dom Pelé’, como ficou carinhosamente conhecido, faz a sua passagem deixando em nós o exemplo de como ser Igreja, de como estar à frente do Povo de Deus. Descanse em paz, Dom José! Temos a certeza de que, crentes na ressurreição, ao lado do Pai, o senhor agora vai abençoar do Céu todos os que fazem a Arquidiocese da Paraíba”.

Dom José Pires foi chamado junto ao Senhor no mesmo dia, 27 de agosto, em que dois arcebispos brasileiros que se distinguiram na história da CNBB faleceram: Dom Hélder Câmara e Dom Luciano Mendes de Almeida.

O corpo do arcebispo está sendo velado segunda-feira (28/08) a partir das 9h na Paróquia Nossa Senhora das Dores, no bairro Floresta, na capital mineira, seguido de uma celebração eucarística às 12h. O sepultamento de Dom José Maria Pires vai ser em João Pessoa.

 

 

 

A Palavra do Pastor
Mais que comemorar, celebrar

Mais que comemorar, celebrar

Quase diariamente temos a graça de celebrar o aniversário de pessoas queridas. E, nem sempre temos a palavra certa para...
Read More
Vigilância ativa e perseverança na fé Homilia – (Homilia 33ºDTCC)

Vigilância ativa e perseverança na fé Homilia – (Homilia 33ºDTCC)

Vigilância ativa e perseverança na fé  “É permanecendo firmes que ireis ganhar a vida!” (Lc 21,19) Na proximidade do final...
Read More
” Sofremos o amor perdido”

” Sofremos o amor perdido”

Disse o Senhor na passagem do Evangelho (Lc 21,5-19) proclamada no 33º Domingo do Tempo Comum (ano C): “Sereis entregues...
Read More
Cremos na Ressurreição da carne e na vida eterna – Homilia do 32° Domingo Comum

Cremos na Ressurreição da carne e na vida eterna – Homilia do 32° Domingo Comum

Cremos na Ressurreição da carne e na vida eterna Com a Liturgia do 32º Domingo do Tempo Comum (ano C),...
Read More
A DOR DA SAUDADE

A DOR DA SAUDADE

Há dores que podem ser aliviadas ou até mesmo evitadas; Desnecessário nominá-las, pois bem as conhecemos. Há, porém, dores que...
Read More
Catequese permanente, frutos abundantes

Catequese permanente, frutos abundantes

O tema da iniciação à vida cristã e a necessária catequese permanente, que nos possibilita um crescimento constante mais do...
Read More
” Senhor, fazei de nós instrumentos da Vossa paz…”

” Senhor, fazei de nós instrumentos da Vossa paz…”

“Senhor, fazei de nós instrumentos da Vossa paz...” Retomemos a oração conclusiva da Mensagem do Papa Francisco,  para o 52º...
Read More
Ela veio trazendo vida

Ela veio trazendo vida

  Com o Cântico de Daniel, louvemos o Senhor: “Águas do alto céu, bendizei o Senhor! Potências do Senhor, bendizei...
Read More
Quanto mais próximos do Altar, maior será a exigência de Deus para conosco! (Homilia – 30° Domingo do Tempo Comum)

Quanto mais próximos do Altar, maior será a exigência de Deus para conosco! (Homilia – 30° Domingo do Tempo Comum)

Quanto mais próximos do Altar, maior será a exigência de Deus para conosco! Com a Liturgia do 30º Domingo do Tempo...
Read More
A oração não dispensa compromissos

A oração não dispensa compromissos

As mãos que elevamos aos céus são as mesmas que na terra estendemos ao outro... A Liturgia do 29º Domingo...
Read More
Curta Nossa Fanpage:

Empresas que possibilitam este projeto: