Novena do padroeiro da Diocese e da paróquia São Miguel em Guanhães – Segunda Noite

 A missa das 19 h foi presidida por Pe João Evangelista na Catedral de Guanhães e a Novena após a missa. Mais um momento rico de espiritulidade.

Reflexão da noite: QUEM COMO DEUS? MISERICÓRDIA: FONTE DE ALEGRIA, SERENIDADE E PAZ.

Segundo dia da Novena

L1: O ser humano está em busca da alegria e da paz. Como a sede é aplacada pela água fresca assim também a paz teremos só diante de um Deus misericordioso que nos faz misericordiosos. Daí que o Papa diz que este mistério é condição da nossa salvação, isto é, nos tira das águas que nos afogam, nos liberta de qualquer escravidão ou temor.

 As: Contemplar um Deus misericordioso nos abre o coração à esperança de sermos amados para sempre, apesar da limitação do nosso pecado.

L2: Ser cristão é, portanto, contemplar o mistério da misericórdia, revelado por Jesus Cristo, fonte da alegria, da serenidade e da paz. Uma interpelação incidente, pois permite reconhecer que a misericórdia é o ato último e supremo pelo qual Deus vem ao encontro de todos. O Ano da Misericórdia deve ser uma  experiência de fé na Igreja, com incidência na vida das famílias e comunidades, marcado por testemunhos, significativos gestos de reconciliação e perdão.

As. O perdão é uma força que ressuscita para nova vida e infunde a coragem para olhar o futuro com esperança.

L1: Diante do que o Papa fala, somos desafiados a verificar dentro de nós se acreditamos ou não no ser humano ou se perdemos a esperança nas pessoas e em uma nova sociedade. Perigoso é não acreditar mais em melhoras, pois a consequência é se aliar aos vencedores ou resignar-se em um cinismo imoral.

As: Senhor, não nos deixes  cair na indiferença que humilha, no cinismo que destrói. Na rotina que anestesia o espírito e impede de descobrir o novo.

L2:.  O Papa Francisco tem falado de “periferias existenciais”. Essa expressão convida-nos a entrar no existencial das pessoas, a considerar o tempo pessoal de cada um. O mesmo olhar podemos ter perante o nosso mundo: valorizar mais os anseios presentes em nosso mundo atual, que sempre trará algo de proveitoso, pois, afinal, o ser humano jamais deixará de ter a marca do Criado.

 

A Palavra do Pastor
O chamado divino e a nossa resposta – Homilia – Segundo Momingo do Tempo Comum ( Ano B)

O chamado divino e a nossa resposta – Homilia – Segundo Momingo do Tempo Comum ( Ano B)

Deus nos chama para que anunciemos a Sua Palavra e não a nós mesmos, porque nisto consiste a vocação do...
Read More
Viver o Batismo é seguir os passos de Jesus- Homilia para o Domingo do Batismo do Senhor-Ano B- Dom Otacilio 

Viver o Batismo é seguir os passos de Jesus- Homilia para o Domingo do Batismo do Senhor-Ano B- Dom Otacilio 

Com a Liturgia da Festa do Batismo do Senhor (ano B), refletimos sobre a revelação de Jesus Cristo, o Filho...
Read More
Sejamos um sim a Deus e ao Seu Projeto de Salvação! Homilia – 4º Domingo do Advento do Ano B

Sejamos um sim a Deus e ao Seu Projeto de Salvação! Homilia – 4º Domingo do Advento do Ano B

Com a Liturgia do 4º Domingo do Advento (ano B), damos mais um passo fundamental nesta caminhada de preparação para...
Read More
Confiança, esperança e alegria no Senhor – Homilia – Terceiro Domingo do Advento – Ano B

Confiança, esperança e alegria no Senhor – Homilia – Terceiro Domingo do Advento – Ano B

“João é a voz no tempo; Cristo é, desde o princípio, a Palavra eterna.” Ao celebrar o 3º Domingo do...
Read More
Advento: vigilância ativa e efetiva – Homilia de Dom Otacilio – Primeiro Domingo do tempo do Avento Ano B

Advento: vigilância ativa e efetiva – Homilia de Dom Otacilio – Primeiro Domingo do tempo do Avento Ano B

Com o primeiro Domingo do Tempo do Advento (ano B), seremos convidados à vigilância, numa frutuosa preparação para o Natal...
Read More
Alegres e convictos Servidores do Reino – Homilia e reflexões de Dom Otacilio para o XXXIII Domingo do Tempo Comum (Ano A)

Alegres e convictos Servidores do Reino – Homilia e reflexões de Dom Otacilio para o XXXIII Domingo do Tempo Comum (Ano A)

  Alegres e convictos Servidores do Reino (Homilia - XXXIIIDTCA) A Liturgia do 33º Domingo do Tempo comum (Ano A),...
Read More
Permaneçamos vigilantes – XXXII do Tempo Comum do Ano A.

Permaneçamos vigilantes – XXXII do Tempo Comum do Ano A.

Com a Liturgia, do 32º Domingo do Tempo Comum (Ano A), refletimos sobre a necessária vigilância ativa na espera do...
Read More
O Ministério do padre na hora mais difícil: a morte.

O Ministério do padre na hora mais difícil: a morte.

Finados: dia de recolhimento, oração e contemplação de nossa realidade penúltima, a morte; fortalecimento na fé sobre nossa realidade última,...
Read More
Bem-Aventuranças vividas, Santidade alcançada (Homilia Festa de todos os santos e santas)

Bem-Aventuranças vividas, Santidade alcançada (Homilia Festa de todos os santos e santas)

  A Solenidade de todos os Santos abre nosso espírito e coração às consequências da Ressurreição. Para Jesus, ela foi...
Read More
Amor a Deus e ao próximo, dois amores inseparáveis – 30º Domingo do Tempo Comum (Ano A)

Amor a Deus e ao próximo, dois amores inseparáveis – 30º Domingo do Tempo Comum (Ano A)

Amor a Deus e ao próximo, dois Amores inseparáveis O Mandamento do Amor é a essência da vida cristã Com...
Read More

Empresas que possibilitam este projeto: