NOSSO DIÁLOGO COM DEUS

dialogocomdeus

Acompanhando os “passos” do diálogo, ficou claro que ele só é possível quando as duas partes o desejam, estão abertas, desarmadas, dispostas a ouvir, a falar, empenhadas em respeitar e entender as ideias e sentimentos mútuos. Dialogar é uma arte bastante complexa. De certa forma, nos expomos e corremos riscos. Daí a conveniência em termos algum conhecimento a respeito da pessoa com a qual vamos dialogar.

Dialogar com Deus

Nosso diálogo com Deus tem características semelhantes. Exige escuta, abertura, estar desarmado…

O ponto de partida para dialogar com Deus é se perguntar: “Quem é Deus para mim? – como o percebo?”

Se a percepção for de um “chefe” que nos controla 24 horas por dia, pronto a nos castigar pelos deslizes cometidos, ou um Deus mágico que pode satisfazer nossos desejos, ou ainda um Deus que brinca de marionete com a humanidade, assim é impossível haver diálogo. 

Uma experiência pessoal

Uma catequista disse: “Há alguns anos, ao rezar o Pai-Nosso, eu não conseguia pronunciar com espontaneidade as palavras ‘Seja feita a vossa vontade’. Esta situação me incomodava demais; ficava envergonhada de mim mesma. Me perguntei: – Afinal, quem é Deus para mim? Embora eu não entendesse, o diálogo já existia… Na busca, aos poucos, as respostas foram surgindo e percebi que Deus é Amor e Amor é comunicação, é sinal de vida, é força transformadora.

O Salmo 117 diz: ‘Javé é minha força e energia. Ele é minha salvação’.

Felizmente, também fiz esta descoberta! Na tristeza, ele me consola; no desânimo, me fortalece; na dúvida, me dá discernimento; na alegria, me torna contagiante. Sendo assim, por que temer a Vossa Vontade?”

Dialogar com Deus no dia-a-dia

Para quem vive em grandes centros urbanos, é difícil “desligar-se” do turbilhão de informações, afazeres, solicitações as mais variadas. Aquietar-se, silenciar-se para ouvir é difícil, mas não impossível. Criamos oportunidade para tantas coisas que queremos… Feliz daquele que se surpreende encantado com o agito e o canto dos bem-te-vis, pela manhã, em nossa cidade. É um belo de um bom dia! Feliz daquele que sabe se encantar e exclamar: “O Céu está azul de tinir!”, ou ainda “Que dia lindão!” A natureza é a manifestação do amor de Deus por nós.

As caminhadas são um grande benefício físico; creio que mais ainda, mental e espiritual… São capazes de despertar em nós o senso de observação, de contemplação. A partir de pequenas percepções, vamos nos tornando capazes de nos emocionar (até chorar) diante de uma obra de arte: música, poema, pintura… é Deus se comunicando.

Deus nos fala através de situações e acontecimentos

O diálogo com Deus nem sempre é só suavidade, doçura. Pode ser também enérgico ou mesmo sofrido. Deus nos questiona, incomoda, exige mudanças a partir de situações injustas e de sofrimento. Saibamos entender os apelos que Deus nos dirige. Sejamos capazes de atitudes transformadoras.

Dialogar com Deus é dialogar com o Amor e o Amor é exigente. Diz uma música: “Se eu quiser falar com Deus, tenho que ter mãos vazias, ter a alma e o corpo nus…” Esta postura de humildade, despojamento, desarmamento, com certeza, é condição indispensável.

Que Deus nos perdoe por todas as vezes que fomos indiferentes e tampamos nossos olhos e ouvidos, que fechamos nossa mente e coração a seu convite ao diálogo. 

Inês Broshuis

(Texto extraído e adaptado do subsídio “Diálogo e Ecumenismo” da Catequese do Regional Leste 2).

DA REVISTA CATEQUESE HOJE

A Palavra do Pastor
Presbíteros testemunhas da mansidão e da doçura

Presbíteros testemunhas da mansidão e da doçura

    Ajudai, Senhor, a fim de que todos os presbíteros mantenham a mansidão e a doçura, virtudes tipicamente cristãs,...
Read More
O Presbítero e os meios de comunicação social

O Presbítero e os meios de comunicação social

Sobre a missão dos Presbíteros nos meios de comunicação social, sobretudo neste tempo que estamos vivendo, em que se multiplica...
Read More
Cidades mais humana

Cidades mais humana

   “Eu vi Satanás cair do céu, como um relâmpago” (Lc 10,18) É sempre oportuno e necessário refletir sobre a...
Read More
Ensina-me, Senhor, a perdoar como Vós perdoastes

Ensina-me, Senhor, a perdoar como Vós perdoastes

                                       ...
Read More
“Graça, misericórdia e paz”

“Graça, misericórdia e paz”

Reflexão à luz da passagem da Carta do Apóstolo Paulo a Timóteo (1 Tm 1, 1-2.12-14). Retomo os dois primeiros...
Read More
“A caridade é a plenitude da Lei”

“A caridade é a plenitude da Lei”

“O amor não faz nenhum mal contra o próximo. Portanto, o amor é o cumprimento perfeito da Lei.” (Rm 13,10) Com...
Read More
Pães ázimos de pureza e verdade

Pães ázimos de pureza e verdade

“Assim, celebremos a Festa, não com velho fermento, nem com fermento da maldade ou da perversidade, mas com os pães...
Read More
Urge que ampliemos os horizontes da evangelização!

Urge que ampliemos os horizontes da evangelização!

De modo especial, dedicaremos o mês de setembro à Sagrada Escritura. Procuremos valorizá-la cada vez mais em nossas comunidades, sobretudo...
Read More
Cristãos leigos e leigas perseverantes no amor

Cristãos leigos e leigas perseverantes no amor

Vivendo o terceiro ano Vocacional, reflitamos sobre a graça da missão realizada pelos cristãos leigos e leigas na obra da...
Read More
“Presbítero segundo o Coração de Jesus”

“Presbítero segundo o Coração de Jesus”

Uma reflexão sobre o ministério e a vida do presbítero, à luz dos parágrafos 191-204, do Documento de Aparecida (2007),...
Read More

Empresas que possibilitam este projeto: