Vai Missionário!

Às vezes a despedida de uma comunidade é dolorida, para aquele que vai e para aqueles que ficam. Por outro lado a alegria do Evangelho e a força do Espírito Santo robustecem a todos no sentido de entenderem a necessidade de se fazer o Cristo presente e amado em todos os cantos da terra.

Foto: Reprodução - Internet.

Foto: Reprodução – Internet.

A cada dia que passa me convenço que a Missão, que é de Deus, não pode ficar parada. Nesta dinâmica da Missão em que o essencial é o “servir” o missionário deve colocar-se sempre pronto para o anúncio sem criar obstáculos a fim de ficar na comodidade de sua paróquia. É o Senhor que nos chama, é o Senhor que nos envia. O Papa Francisco em sua Mensagem para o dia Mundial das Missões 2015, assim escreve: “A dimensão missionária, que pertence à própria natureza da Igreja, é intrínseca a todas as formas de vida consagrada, e não pode ser negligenciada sem deixar um vazio que desfigura o carisma. A Missão não é proselitismo ou mera estratégia; a missão faz parte da ‘gramática’ da fé, é algo imprescindível para quem escuta a voz do Espírito que sussurra ‘vem’ e ‘vai’. Quem segue a Cristo se torna missionário e sabe que Jesus ‘caminha com ele, fala com ele e respira com ele. Sente Jesus vivo junto com ele no compromisso missionário” (EG, 266).

Mais uma vez ouço o chamado e me deixo enviar. Com pouco mais de 18 anos de padre, assumo a 11ª paróquia em nossa diocese de Guanhães e por 9 meses uma Paróquia em Moçambique, na África. Retomando mais uma vez o Papa Francisco ele vai nos dizer: “… quem, pela graça de Deus, acolhe a missão, é chamado a viver de missão. Para essas pessoas, a proclamação de Cristo nas várias periferias do  mundo se torna o modo de como viver o seguimento a Ele e a recompensa de muitas dificuldades e privações. Toda tendência que desvia dessa vocação, mesmo que acompanhada por motivos nobres relacionados com as muitas necessidades pastorais, eclesiais e humanitárias, não é coerente com o chamado pessoal do Senhor para servir o Evangelho…”(Mensagem para o dia Mundial das Missões 2015).

Portanto, de que valeria o meu ministério sacerdotal senão para ser colocado a serviço do Evangelho? Não tenho medo de desinstalar-me, até porque o Evangelho não é estático e a missão de anunciá-Lo é de todos nós batizados. “… não deixem que lhes roubem o sonho de uma missão verdadeira, de doar-se ao seguimento a Jesus que requer o dom total de si”.(Papa Francisco).

Às vezes a despedida de uma comunidade é dolorida, para aquele que vai e para aqueles que ficam. Por outro lado a alegria do Evangelho e a força do Espírito Santo robustecem a todos no sentido de entenderem a necessidade de se fazer o Cristo presente e amado em todos os cantos da terra. Um Missionário vai, outro missionário vem e assim vamos cumprindo a nossa missão de evangelizar renovando sempre em nós o ardor missionário recebido no nosso batismo quando o próprio Cristo nos entrega a Sua missão.”Portanto, vão e façam com que todos os povos se tornem meus discípulos…” (Mt 28,19).

Que São Francisco Xavier e Santa Terezinha do Menino Jesus, patronos da Missão, nos ajudem a nos colocarmos cada vez mais a serviço do Evangelho de Jesus Cristo e de nossos irmãos, sobretudo dos que mais sofrem.

Pe. Dilton Maria Pinto
Assessor da Dimensão Missionária da Diocese de Guanhães.

Curta Nossa Fanpage:

Empresas que possibilitam este projeto: