Artigos

Laudato Si – Continuação do guia de leitura do texto, divulgado por Radio Vaticano, 18-06-2015.

laudato-si-opusdei_20150619120102407989As primeiras duas páginas apresentam a Laudato si’ na sua globalidade; depois, cada página corresponde a um capítulo, indica seu objetivo e reproduz alguns trechos significativos. Os números entre parênteses remetem aos parágrafos da Encíclica. As últimas duas páginas oferecem o índice completo.

ATENÇÃO: AS PRIMEIRAS PÁGINAS E O CAPÍTULO I foram publicados, em uma outra postagem.

Segundo capítulo – O Evangelho da criação Continue lendo

CAPÍTULO IX – ESPIRITUALIDADE CONJUGAL E FAMILIAR- Amor na família do Papa Francisco

papa-300x124

O amor assume matizes diferentes, segundo o estado de vida a que cada um foi chamado. Várias décadas atrás, o Concílio Vaticano II, a propósito do apostolado dos leigos, punha em realce a espiritualidade que brota da vida familiar. Dizia que a espiritualidade dos leigos «deverá assumir características especiais» próprias, nomeadamente a partir do «estado do matrimónio e da família», e que os cuidados familiares não devem ser alheios ao seu estilo de vida espiritual. Continue lendo

CAPÍTULO VIII – ACOMPANHAR, DISCERNIR E INTEGRAR A FRAGILIDADE – O amor na família do Papa Francisco

amoris-laetitia-sobre-o-amor-na-familia-papa-francisco-cleber-rodrigues-cancao-nova

Embora não cesse jamais de propor a perfeição e convidar a uma resposta mais plena a Deus, a Igreja deve acompanhar, com atenção e solicitude, os seus filhos mais frágeis, marcados pelo amor ferido e extraviado, dando-lhes de novo confiança e esperança…
1- A gradualidade na pastoral.  Quando a união atinge uma notável estabilidade através dum vínculo público e se caracteriza por um afeto profundo, responsabilidade para com a prole, capacidade de superar as provas, pode ser vista como uma ocasião a acompanhar na sua evolução para o sacramento do matrimônio.  Continue lendo

CAPÍTULO VII – REFORÇAR A EDUCAÇÃO DOS FILHOS- O amor em Família do Papa Francisco

papa-300x124

Os pais incidem sempre, para bem ou para mal, no desenvolvimento moral dos seus filhos. Consequentemente, o melhor é aceitarem esta responsabilidade inevitável e realizarem-na de modo consciente, entusiasta, razoável e apropriado.
1- Onde estão os filhos? A família não pode renunciar a ser lugar de apoio, acompanhamento, guia, embora tenha de reinventar os seus métodos e encontrar novos recursos. Continue lendo

CAPÍTULO VI – ALGUMAS PERSPECTIVAS PASTORAIS – O Amor na família de Papa Francisco

amoris-laetitia-sobre-o-amor-na-familia-papa-francisco-cleber-rodrigues-cancao-nova

As diferentes comunidades é que deverão elaborar propostas mais práticas e eficazes, que tenham em conta tanto a doutrina da Igreja como as necessidades e desafios locais. Sem pretender apresentar aqui uma pastoral da família, limitar-me-ei a coligir alguns dos principais desafios pastorais.
1- Anunciar hoje o Evangelho da família.  As famílias cristãs são, pela graça do sacramento nupcial, os sujeitos principais da pastoral familiar, sobretudo oferecendo «o testemunho jubiloso dos cônjuges e das famílias, igrejas domésticas».  Continue lendo

CAPÍTULO V -O AMOR QUE SE TORNA FECUNDO – AMOR LAETITIA- DO PAPA FRANCISCO

papaO amor sempre dá vida. Por isso, o amor conjugal «não se esgota no interior do próprio casal (…). “Os cônjuges, doam para além de si mesmos a realidade do filho, reflexo vivo do seu amor…
1-Acolher uma nova vida. A família é o âmbito não só da geração, mas também do acolhimento da vida que chega como um presente de Deus. Cada nova vida permite-nos descobrir a dimensão mais gratuita do amor, que nunca cessa de nos surpreender.  Isto mostra-nos o primado do amor de Deus que sempre toma a iniciativa, porque os filhos «são amados antes de ter feito algo para o merecer». Continue lendo

CAPÍTULO IV – O AMOR NO MATRIMÔNIO-AMORIS LAETITIA SOBRE O AMOR NA FAMÍLIA -PAPA FRANCISCO

A graça do sacramento do matrimôamoris-laetitia-sobre-o-amor-na-familia-papa-francisco-cleber-rodrigues-cancao-novanio destina-se, antes de mais nada, «a aperfeiçoar o amor dos cônjuges»(1Cor 13, 2-3). Mas a palavra «amor», uma das mais usadas, muitas vezes aparece desfigurada.
O nosso amor quotidiano. No chamado hino à caridade escrito por São Paulo, vemos algumas características do amor verdadeiro: «O amor é paciente, o amor é prestável; não é invejoso, não é arrogante nem orgulhoso, nada faz de inconveniente, não procura o seu próprio interesse, não se irrita, nem guarda ressentimento, não se alegra com a injustiça, mas rejubila com a verdade. Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta»1Cor 13, 4-7). Vejamos o significado e aplicação a cada família:

Continue lendo

Maria do sim missionário

Foto da internet

Foto da internet

Tradicionalmente, o mês de maio é dedicado a Maria, que é modelo de mãe e missionária, pelo seu Sim ao projeto de Deus. Ela que foi a que soube ouvir o chamado de Deus a tal missão e não hesitou a dizer um sim repentino definitivo, um sim que iria mudar toda a história cristã. E com essa atitude, Maria ficou plena do Espírito do Senhor, Continue lendo

SER MÃE

tumblr_inline_nti08hkkXe1s5zkcj_500Mães estão em todos os lugares, trazendo ao colo os seus filhotes, ou acompanhando-os vida afora, independente da idade. Qualquer texto que fale delas corre o risco de virar clichê, já que são homenageadas desde os tempos mais antigos. Os povos gregos faziam uma comemoração à mãe dos deuses, Reia. Na Idade Média os trabalhadores que moravam longe de suas famílias ganhavam um dia para visitar suas mães, que os ingleses chamavam de “mothering day”.   Continue lendo

Se eu soubesse que iria acabar…

rosaÉ importante notar que o mês de maio, é o mês de Maria e especialmente das mães. Embora as famílias tenham passado por dificuldades com relação à educação dos filhos, a mãe sempre está ali para ser o lírio formoso em meio às tempestades. Maria, mãe de Jesus, foi o primeiro sacrário do senhor e as mães não são diferentes, pois comungam das mesmas alegrias e desafios com relação à maternidade. Continue lendo

As atualizações da misericórdia de Deus. Uma reflexão

jesusmadalena

“A misericórdia é luz que vem com o amanhecer do arrependimento”

Mais vale o pecador arrependido do que a história do pecado. Diante desta máxima, quem se predispõe a uma boa leitura do capítulo quinze de Lucas, com certeza, vai enriquecer sua visão sobre as atualizações da misericórdia de Deus. Este capítulo mostra Jesus narrando três parábolas que no seu conjunto doutrinal, vislumbram a pedagogia da misericórdia, adicionando seu objetivo prático. Algo é tão forte que até os fariseus e os escribas murmuravam: “Os coletores de impostos e os pecadores aproximam-se para ouvi-Lo… este Homem dá boa acolhida aos pecadores e come com eles” (Lc 15, 1). A misericórdia é como um GPS sempre nos guiando, para Deus. Continue lendo

Empresas que possibilitam este projeto:


Facebook: