Ministérios na Diocese

As linhas prioritárias de ação da Diocese são três: Formação Bíblico-Teológica, Formação Litúrgica, Formação de Grupos de Fé e Política. Essas apontam para a necessidade de uma maior presença dos leigos na Diocese. Quase não há ministérios instituídos na Diocese. Basicamente, o que há de forma instituída é o Ministério dos Ministros Extraordinários da Eucaristia. A existência deste é anterior à criação da Diocese. Os critérios ficam a cargo dos párocos e Conselhos. Não há uma norma definida para a preparação, cada pároco adota sua forma de escolha. A formação permanente é precária, exceto para os catequistas.
A Pastoral Vocacional está focada basicamente no ministério presbiteral e na vida religiosa. A Diocese conta com padres diocesanos que em comunhão com o Bispo atuam no trabalho evangelizador.  Ainda conta com um Instituto Secular das Cooperadoras da Família e  congregações religiosas femininas: Congregação das Irmãs Clarissas Franciscanas Missionárias do Santíssimo Sacramento e Irmãs Filhas de Maria Imaculada. Quanto à formação presbiteral, o candidato participa de encontros vocacionais na Diocese e é encaminhado a uma Comunidade Vocacional que por sua vez o encaminha ao Seminário. O seminarista, ao término da Filosofia, faz a experiência do “Ano Pastoral” em algumas paróquias da Diocese. Este tempo serve de assimilação melhor do curso filosófico, de amadurecimento e crescimento vocacional e espiritual, ajuda a conhecer melhor o povo da diocese. No final do ano, este é avaliado pelo pároco e pela comunidade. No que se refere aos leigos, eles ocupam seu lugar à medida que são convocados pelo pároco e comunidade para exercerem uma função na Igreja a eles confiada. O espírito de missão batismal na Diocese ainda é muito fraco. Quantos aos movimentos eclesiais destacamos: os Grupos de Reflexão e a RCC (Renovação Carismática Católica). Embora não tenha provisão do Bispo diocesano, a coordenação responde pelo movimento na Diocese. Há uma eleição de quatro em quatro anos para tal ministério. Na diocese são vinte e sete grupos na ativa, sendo que, só na sede, são duzentos o número de participantes, principalmente, os jovens.
DADOS CONCRETOS SOBRE ALGUNS MINISTÉRIOS NA DIOCESE
O Protagonismo do leigo
A Igreja é essencialmente ministerial. Acreditamos que todos os serviços realizados por aqueles que assumem sua vocação batismal é também um ministério. Embora esta palavra esteja ainda muito ligada ao serviço do ordenado. Há uma dificuldade de se ter uma Igreja ministerial, pois esta é acentuadamente clerical. Essa visão não está impregnada apenas na hierarquia, mas também no meio laical. Precisamos resgatar o reconhecimento de todos os serviços realizados a partir dos carismas que o Espírito concede a cada um, e das necessidades presentes em nossas comunidades. O ideal é que fosse assumido de fato o protagonismo do leigo dentro de uma visão eclesial de povo sacerdotal.
Ministros Extraordinários da Comunhão
Este ministério não é instituído diretamente pelo bispo e sim pelo próprio pároco. A idade é de acordo com as normas da Diocese. De dois em dois anos há uma renovação. A comunidade escolhe e o padre ratifica ou não. Há uma preparação prévia para instituição deste ministério. Os Ministros são acompanhados com encontros mensais. Em alguns casos, os próprios ministros fazem a Celebração da Palavra de Deus em sua comunidade e são coordenadores da mesma. Portanto, o que se percebe na Diocese é um grande valor deste ministério.
Ministério Catequético
Os critérios de escolhas deste ministério estão ligados às normas da Diocese. O catequista deve ter dezesseis anos completos e ser crismado ou estar participando do curso de preparação para Crisma. Menores de dezesseis anos só poderão ser auxiliares. As normas para ser catequista na Diocese de Guanhães são as seguintes:
Participar da formação específica no início do ano catequético.
Participar das formações programadas para o ano ou demais formações.
Participar de formação bíblica.
Participar de momentos de espiritualidade do grupo, programadas pela equipe de coordenação, e participar das programações da Igreja.
Contribuir nas atividades permanentes da catequese (reuniões, celebrações, planejamentos, equipes de serviço, promoções e eventos).
Conhecer e, se possível, visitar as famílias dos catequizandos.
Estar em sintonia com as normas diocesanas.
Ter conhecimento do planejamento catequético paroquial, diocesano e setorial e segui-lo.
Preparar e conduzir os encontros de catequese.
Informar à coordenação paroquial em caso de ausência em uma atividade catequética.
Informar-se dos avisos e recados da catequese semanalmente.
A formação destes catequistas se dá de forma permanente tanto em nível diocesano quanto em nível paroquial. Há uma coordenação paroquial. Geralmente há um catequista para cada turma. Quanto às etapas da catequese, há, segundo as normas diocesanas, três etapas, sendo que, a terceira podendo ter uma duração de um ano e meio ou mais.
Ministério Litúrgico
Na ausência dos ministros ordenados, os leigos assumem a celebração da Palavra de Deus e a coordenação das comunidades. Este Ministério da Palavra não é instituído nem pelo pároco e nem pelo bispo. Geralmente são os Ministros Extraordinários da Comunhão que exercem essa função. As exéquias também, na ausência do padre, são feitas pelos Ministros Extraordinários da Comunhão. Há uma formação litúrgica que possibilita aos agentes uma melhor preparação para a celebração da Palavra e para auxiliar o ministro ordenado na celebração dos sacramentos. Quanto aos meios, cada área promove cursos de formação litúrgica para os leigos. A música é bastante valorizada pelas comunidades. Falta ainda um cuidado melhor em relação à acolhida e outros ministérios litúrgicos.

Empresas que possibilitam este projeto:


Facebook: